Reavivados por Sua Palavra


SALMO 57 by jquimelli
27 de dezembro de 2016, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário devocional:

O título do Salmo 57 ”Hino de Davi, quando fugia de Saul, na caverna”, indica que ele segue cronologicamente os acontecimentos do Salmo 56. Em 1 Samuel 22:1 diz-se que: ”Davi fugiu da cidade de Gate e foi para a caverna de Adulão” (NVI). Foi, então, que “também juntaram-se a ele todos os que estavam em dificuldades, os endividados e os descontentes; e ele se tornou o líder deles”(1Sm 22:2 NVI). No entanto, apesar de liderar um grande grupo, em seu coração Davi estava sozinho com seus medos, dúvidas e confusões especialmente sobre como Deus cumpriria o chamado para que ele se tornasse rei. Para todos os efeitos, Saul é quem tinha no momento o comando do seu destino: ele estava no trono e Davi era um mero fugitivo escondido em uma caverna.

Enquanto estava na caverna, Davi escreveu este Salmo e recuperou a coragem com um espírito surpreendentemente positivo de confiança e louvor. Ele declara: ”Eu me refugiarei à sombra das Tuas asas, até que passe o perigo” (v.1b NVI). E enquanto espera que as coisas mudem em seu favor, ele diz: ”Clamo ao Deus Altíssimo, a Deus, que para comigo cumpre o seu propósito” (v. 2 NVI).

”Caso houvesse muito mais louvor ao Senhor, e muito menos repetição de desânimos, muito mais vitórias seriam obtidas”(Evangelismo, p.499). Não deixe que sua caverna seja a sua sepultura; preencha-a com a luz da presença de Deus, por meio do louvor.

Garth Bainbridge
Sydney, Austrália

 

Texto original: http://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/psa/57
Tradução anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2013/10/03/
Tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli
Texto bíblico: Salmo 57 NVI
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leitura da semana programa Crede em Seus Profetas: blog Conferência Geral e blog Crede em Seus Profetas



SALMO 57 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
27 de dezembro de 2016, 0:50
Filed under: Sem categoria

O Salmo 57 tem tema, estrutura e estilo semelhantes ao do seu “gêmeo”, o 56 (ver Introdução ao Sl 56), mas tem um tom mais triunfante. O salmo começa com uma oração por misericórdia proferida com plena confiança no poder de Deus para salvar. Em seguida, descreve de forma breve o problema do salmista e termina louvando a bondade de Deus. O salmo tem duas partes, cada uma termina com um refrão. CBASD, vol. 3, p. 863.

1 à sombra de Tuas asas me abrigo. Ver com. do Sl 17:8; cf. Rt 2:12; Mt 23:37. A terna afeição por Deus, expressa nesta passagem, é totalmente diferente da atitude do pagão para com seu deus. CBASD, vol. 3, p. 863.

2 Deus Altíssimo. Do heb. ‘Elohim ‘Elyon (ver vol. 1, p. 148-151). Este título para Deus ocorre também no Salmo 78:56. CBASD, vol. 3, p. 863.

executa. Do heb. gammar, “levar a cabo” (ver Sl 138:8). CBASD, vol. 3, p. 863.

Sua misericórdia. Ver Sl 25:10; 26:3. Deus depressa enviaria “todos os anjos da gloria para fazer uma barreira em redor dos fiéis” em vez de “consentir que sejam enganados e desencaminhados pelos prodígios de mentira de Satanás” (PE, 88). CBASD, vol. 3, p. 863.

4 alma. Ou, simplesmente, “eu” (ver com. do Sl 16:10). CBASD, vol. 3, p. 863.

leões. Os inimigos do salmista são como leões selvagens (ver Sl 7:2; 10:9). CBASD, vol. 3, p. 863.

espada afiada. Símbolo de calúnia (ver Sl 55:21). CBASD, vol. 3, p. 863.

Às vezes, podemos ser cercados por pessoas que fofocam sobre nós ou nos criticam. A crueldade verbal pode nos prejudicar tanto quanto o abuso físico. Ao invés de responder com palavras de ódio, nós, como Davi, podemos conversar com Deus sobre o problema. Life Application Study Bible Kingsway.

5 Sê exaltado. O v. 5 é o refrão do poema, repetido no v. 11. CBASD, vol. 3, p. 863.

7 Firme. Do heb. nakon, “firmemente estabelecido”. CBASD, vol. 3, p. 864.

A firme fé de Davi em Deus contrastava fortemente com o alto clamor e jactância de seus inimigos. Quando confrontado com ataques verbais, a melhor defesa é simplesmente ficar quieto e louvar a Deus, percebendo que nossa confiança está em seu amor e fidelidade (57:10). Em tempos de grande sofrimento, não volte para a auto-piedade nem para a vingança, mas para cima, para Deus. Life Application Study Bible Kingsway.

8 harpa. Do heb. nebel, a “harpa” (ver p. 17, 18). CBASD, vol. 3, p. 864.

lira. Do heb. kinnor, a “lira”. CBASD, vol. 3, p. 864.

Quero acordar a alva. Ou, “Despertarei a alva”. O salmista reconhecia o valor de separar os primeiros momentos do dia para adoração (ver com. do Sl 5:3). CBASD, vol. 3, p. 864.

9 os povos. O substantibo hebraico é plural. O grande livramento de Davi o motiva a tornar conhecida entre as nações a bondade de Deus. Assim, Davi expressa conhecer o chamado de Israel para ser a luz das nações. CBASD, vol. 3, p. 864.

11 Sê exaltado, ó Deus, acima dos céus; e em toda a terra esplenda a Tua glória. O brilho visível da glória de Deus é apenas um vislumbre da beleza perfeita e infinita do caráter divino. o que é visível sempre deve recordar aos seres criados a bondade infinita de Deus. CBASD, vol. 3, p. 864.



SALMO 57 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by jquimelli
27 de dezembro de 2016, 0:45
Filed under: Sem categoria

SALMO 57 – Dificuldades surgem para pessoas boas. Problemas e ameaças incomodam os justos. Tem desafios que enfrentamos simplesmente por fazer a coisa certa. O brilho dos justos incomoda àqueles que preferem as trevas do pecado. Davi e Jesus sofreram inocentemente.

Neste Salmo, “Davi clama por libertação quando o rei [Saul] procurava tirar sua vida” (Bíblia Andrews). Embora Davi só havia feito o bem ao rei, este só queria o mal daquele; contudo, Davi ao clamar a Deus, o faz baseando-se na misericórdia divina, não em algum mérito humano.

“O Salmista não exige livramento, como se tivesse direito de esperá-lo. Pede-o como uma demonstração da misericórdia de Deus, uma bênção imerecida, resultante de Sua bondade. Sem fazer caso do ambiente abafado e escuro onde se encontra, considera-se protegido à sombra das […] asas de Deus, como um pintinho aninhado sob as asas da galinha. Ali permanecerá até que passem as tempestades da vida. Desse lugar privilegiado de proximidade consciente, ele clama ao Deus Altíssimo, confiando de que nada nem ninguém podem impedir o Senhor de realizar Seus propósitos para a vida de Seu povo. Quando a resposta vier dos céus, constituirá livramento para o coração confiante e desonra para aqueles que o oprimem. Será uma demonstração inesquecível da segurança e do amor de Deus” (William MacDonald).

1. A intimidade com Deus gera tranquilidade no coração ao travar uma conversa com o bondoso e poderoso Altíssimo através da oração: “Da sua morada no céu, Ele dá ordens e me salva, humilham aos que me agridem. Deus ama generosamente e confirma Sua palavra” (vs. 1-3).
2. Quem conhece a Deus sabe que pode tirar os olhos dos que devoram com sua língua e ameaças de morte, para fixar no Deus que desarma as armadilhas dos perversos (vs. 4-6).
3. Um coração escondido em Deus levará o indivíduo a cantar, louvar, exaltar e glorificar ao Salvador apesar do “furacão”, “dos leões”, das “flechas” e “armadilhas” (vs. 7-11).

“A oração por auxílio muda o coração do salmista, levando-o do desespero à confiança exultante. Rodeado de pessoas de violência selvagem (57.4), ele pode cantar com alegria a Deus (57.8-9)” (Duane A. Garrett).

A oração tira nossos olhos dos problemas para fixá-los em Deus, nossa salvação! Então, consagremo-nos à oração! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.



SALMO 57 – #RPSP – COMENTÁRIO ROSANA BARROS by Ivan Barros
27 de dezembro de 2016, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Firme está o meu coração, ó Deus, o meu coração está firme; cantarei e entoarei louvores” (v. 7).

A experiência de Davi na caverna em En-Gedi (Vide I Samuel 24) foi, certamente, uma das mais marcantes de sua vida. Ali estava ele e seus homens escondendo-se da ira de Saul. Interessante é que o relato diz que eles estavam “assentados no mais interior” da caverna (I Samuel 24:3). Guardem esta informação. Então, Saul entra justamente nesta caverna para “aliviar o ventre” (idem). 

Opa! — disseram os homens de Davi — Eis a oportunidade perfeita para acabar com a vida deste ímpio!

Mas Davi sai do interior da caverna, chega por trás de Saul com toda cautela e, sem que ele perceba, corta um pedaço do seu manto. Entretanto, aconteceu algo curioso. Ele se arrepende de ter danificado a veste real de Saul e conteve seus homens para que não fizessem nenhum mal a Saul. O início do Salmo de hoje revela a necessidade de Davi em abrigar-se “à sombra das… asas” (v. 1) do SENHOR. Deus era o seu refúgio e o mais interior da caverna representa qual deve ser a nossa condição diante de Deus: totalmente dependentes. Quando Cristo olhou para Jerusalém, Suas palavras revelam o cuidado que Ele deseja ter conosco: “Quantas vezes quis Eu reunir os teus filhos, como a galinha ajunta os seus pintinhos debaixo das asas, e vós não quisestes” (Mateus 23:37). Mas Davi aceitou este abrigo seguro e nEle encontrou auxílio e livramento (v. 3). Saul procurava a morte de Davi, quando estava cavando a sua própria cova (v. 6). O fato de Saul não incomodar-se em fazer o mal a Davi, e Davi incomodar-se simplesmente pelo fato de ter danificado as vestes de Saul, nos dá uma visão bem clara da diferença entre um coração endurecido e um coração conduzido por Deus. 

Eu não sei você, mas estou amando o fato de relembrar histórias que já estudamos, e encontrar novos detalhes que fazem toda a diferença como edificação de nossa espiritualidade. Apesar de Deus já haver rejeitado Saul, Davi ainda o considerava um ungido do SENHOR (I Samuel 24:6), mostrando o grau de seriedade que ele tinha com relação à uma aliança feita por Deus. Ele acreditava que se Deus havia colocado Saul no trono, o próprio Deus deveria tirá-lo, e não ele. Davi preferiu passar por toda aquela perseguição a fazer justiça com as próprias mãos. Que testemunho a ser seguido! E conhecemos a história. Deus o honrou e o fez o maior dos reis de Israel, a ponto de receber a mais alta honra de fazer parte da genealogia de Cristo e de uma das formas de dirigir-se a Ele: “SENHOR, Filho de Davi, tem compaixão de nós!”. E é interessante que foi exatamente assim que Davi começou a sua súplica neste Salmo: “Tem misericórdia de mim, ó Deus” (v. 1). 

Qua tal escolhermos fazer como Davi? Clamar ao SENHOR que nos abrigue debaixo de Suas asas e nos ajude a não levantar a mão contra o nosso próximo nem que seja de forma sutil. Lembre-se de que Davi nos deixou bons testemunhos, mas também teve os seus momentos ruins. Portanto, o nosso coração deve estar firme em Deus, que através de Jesus nos deixou o perfeito exemplo de como devemos viver. Somente debaixo de Suas vestes encontramos abrigo seguro e motivos para render-Lhe graças e cantar-Lhe louvores (v. 9). Então, Ele nos abrigará “até que passem as calamidades” (v. 1) e nos fará despertar, à cada dia, com este lindo cântico no coração: “Sê exaltado, ó Deus, acima dos céus; e em toda a terra esplenda a Tua glória” (v. 11).

Bom dia, refugiados no SENHOR!

Desafio do dia: Medite na letra deste hino e faça dele uma oração: “Sob Suas asas”, hino 357 do hinário adventista.

*Leiam #Salmo57 

Rosana Garcia Barros




%d blogueiros gostam disto: