Reavivados por Sua Palavra


SALMO 56 by jquimelli
26 de dezembro de 2016, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário devocional:

Em meio à turbulência Davi diz três coisas que nos encorajam e confortam ao sentirmos que o mundo inteiro está contra nós.

Primeiro, ele expressa a sua total confiança em Deus, apesar das circunstâncias contrárias. “Mas eu, quando estiver com medo, confiarei em ti. Em Deus, cuja palavra eu louvo, em Deus eu confio e não temerei. Que poderá fazer-me o simples mortal?” (v. 3-4). Ele adiciona, ainda, a estas palavras, sua expressão de confiança pessoal: ”Deus é por mim”.

Em segundo lugar, Davi pede a Deus: “Registra, tu mesmo, o meu lamento; recolhe as minhas lágrimas em teu odre; acaso não estão anotadas em teu livro?” (v. 8). Deus toma nota dos nossos sofrimentos, cada dor que sentimos dói em seu próprio coração. Ele é especialmente tocado pelos sofrimentos de Seus filhos quando atacados por pessoas que se sentem incomodadas simplesmente pela presença de pessoas boas.

A terceira expressão de esperança proferida por Davi é a seguinte: “Pois me livraste da morte e aos meus pés de tropeçar, para que eu ande diante de Deus na luz que ilumina os vivos” (v. 13, NVI). Jesus aplicou essas palavras para aqueles que O seguem : “Eu sou a luz do mundo. Quem me segue, nunca andará em trevas, mas terá a luz da vida”(João 8:12, NVI). Não importa o que aconteça com a gente neste mundo onde o sofrimento e o perigo são inevitáveis, e onde a morte parece dar a última palavra, Jesus nos garante que se o seguirmos nós nunca, nunca andaremos em trevas, mas teremos a luz da vida.
Garth Bainbridge
Sydney, Austrália

 

Texto original: http://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/psa/56
Tradução anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2013/10/02/
Tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli
Texto bíblico: Salmo 56 NVI
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leitura da semana programa Crede em Seus Profetas: blog Conferência Geral e blog Crede em Seus Profetas



SALMO 56 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS – atualizado by jquimelli
26 de dezembro de 2016, 0:50
Filed under: Sem categoria

Os Salmos 56 e 57 são chamados de “salmos gêmeos” por causa das semelhanças no conteúdo e no desenvolvimento do tema. Eles começam com as mesmas palavras, consistem de duas partes similares que envolvem oração por livramento e louvor pelo socorro obtido; e empregam um refrão ao final de cada seção. Escritos sob circunstâncias muito adversas, ambos expressam a completa confiança em Deus que vence todo temor. … De acordo com o subtítulo do Salmo 56, Davi foi seu autor. … Ele o compôs como resultado de sua experiência com os filisteus em Gate (ver com. de 1Sm 21:13). CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 3, p. 861.

De acordo com o título, o Salmo foi escrito enquanto ele estava se escondendo de Saul entre alguns filisteus amigos, sendo que estes eram tradicionais inimigos de Israel. O plano não deu certo e ele retornou a Judá e se escondeu na caverna de Adulão. Mas as ameaças de Saul eram reais e prolongadas. Por três vezes (v. 1, 2 e 5) Davi afirma que o comportamento agressivo de seus atacantes durou “o dia todo”, como se não houvesse fim à vista. Ele suplica a ajuda de Deus. “Deixarás escapar essa gente tão perversa? Na tua ira, ó Deus, derruba as nações” (v. 7, NVI). Isto seria uma prova para ele de que Deus realmente estava do seu lado. “Com isso saberei que Deus está a meu favor” (v. 9, NVI). Garth Bainbridge, em http://revivedbyhisword.org/en/bible/Psa/56/.

Isso provavelmente foi escrito na mesma ocasião do Salmo 34, quando Davi fugiu de Saul para território filisteu. Ele teve que fingir insanidade diante de Aquis quando alguns servos suspeitaram dele (1Sm 21:10-15). Life Application Study Bible Kingsway.

subtítulo Segundo a melodia “A pomba nos terebintos distantes”. Pode ser que o título da melodia em que este salmo era cantado tenha sido inspirado nos sentimentos de Davi, afastado do lar, buscando segurança numa região distante, como um pombo longe de seu ninho. Há algo de triste e terno nessa suposição. CBASD, vol. 3, p. 861.

homem. Do heb. ‘enosh, “homem na sua fragilidade” (ver com. do Sl 8:4). O contraste dentre “Deus”, o Poderoso, e enosh  é forte. CBASD, vol. 3, p. 861.

e me oprime. A LXX traz “me pisoteia”. Comparar com o v. 2. CBASD, vol. 3, p. 861.

3, 4 Davi declarou: “O que o homem mortal pode fazer comigo?” Quanto mal as pessoas podem nos fazer? Eles podem infligir dor, sofrimento e morte. Mas ninguém pode nos roubar nossas almas ou nosso futuro além desta vida. Quanto mal podemos fazer a nós mesmos? A pior coisa que podemos fazer é rejeitar a Deus e perder nosso futuro eterno. Jesus disse: “Não tenham medo daqueles que matam o corpo, mas não podem matar a alma” (Mt 10:28). Em vez disso, devemos temer a Deus, que controla esta vida e a próxima. Life Application Study Bible Kingsway.

hei de confiar. A tônica do salmo. Quando o medo oprime, pode-se decidir confiar em Deus. Há nesta resolução uma base sólida para a experiência cristã. É preciso afirmar a confiança, ter fé. CBASD, vol. 3, p. 862.

Que me pode fazer o mortal? Ver Mt 10:28. O v. 4 é o refrão do salmo e se repete de forma ampliada nos v. 10 e 11. CBASD, vol. 3, p. 862.

Ajuntam-se, escondem-se, espionam. Os métodos desonestos empregados para perseguir o salmista são representados na rápida sucessão de frases sem conexão gramatical. CBASD, vol. 3, p. 862.

recolheste as minhas lágrimas. Como se Deus contasse suas lágrimas, gota a gota. A ilustração reconhece o terno cuidado de Deus por Seu filho. CBASD, vol. 3, p. 862.

odre. Do heb. no’d, usado pelos orientais como recipiente para levar água, leite, vinho, etc. O salmista ora para que suas lágrimas sejam colocadas num odre, a fim de que estejam sempre perante Deus. CBASD, vol. 3, p. 862.

livro. Comparar com Sl 69:28; 139:16; Ml 3:16. “No livro memorial de Deus […] todo ato de sacrifício, todo sofrimento e tristeza, suportado por amor de Cristo, encontra-se registrado” (GC, 481). CBASD, vol. 3, p. 862.

8 Mesmo em nossa mais profunda tristeza, Deus se importa conosco! Jesus nos lembra ainda mais do quanto Deus nos entende: Ele sabe mesmo o número de cabelos da nossa cabeça (Mt 10:30). Muitas vezes vacilamos entre fé e medo. Quando você se sentir tão desanimado que você tem certeza que ninguém entende, lembre-se que Deus conhece todos os problemas e vê cada medo. Life Application Study Bible Kingsway.

bem sei isto. O salmista tem certeza de que Deus está a seu lado. Esta certeza não admite derrota. É bom enumerar tudo o que traz segurança na experiência cristã (ver Jó 19:25; Sl 20:6; 135:5; 140:12; 2Tm 1:12). CBASD, vol. 3, p. 862.

11 neste Deus eu ponho a minha confiança. As palavras “Em Deus eu confio” [“In God we trust”], baseadas no versículo 11 do Salmo 56, são familiares a todos os residentes dos Estados Unidos, pois encontram-se estampadas nas cédulas e moedas americanas. Essas palavras apareceram pela primeira vez em moedas dos EUA em 1864, durante a Guerra Civil Americana, para expressar a crença de que Deus iria ajudá-los a obterem de volta a paz. Davi passou por sentimentos semelhantes quando corria novamente perigo de morte diante de seus inimigos. Garth Bainbridge, em http://revivedbyhisword.org/en/bible/Psa/56/.

homem. Do heb. ‘adam (ver com. do Sl 8:4). A palavra “mortal” substitui “homem” no v. 4. CBASD, vol. 3, p. 862.

12, 13 O poema termina com dois versículos de agradecimento. CBASD, vol. 3, p. 862.

12 Os votos que fiz, eu os manterei, ó Deus O salmista promete expressar gratidão a Deus por responder sua oração. Ele cumpre seu voto. CBASD, vol. 3, p. 862.

13 para que eu ande na presença de Deus, na luz da vida. A frase sugere harmonia com a vontade de Deus. Deus disse a Abraão: “Anda na Minha presença e sê perfeito” (Gn 17:1). CBASD, vol. 3, p. 862.



SALMO 56 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ  by Ivan Barros
26 de dezembro de 2016, 0:45
Filed under: Sem categoria

SALMO 56 – Às vezes precisamos clamar veementemente em prol de socorro devido à opressão de inimigos. Quando a voz, as ações, as iniquidades e o furor destes inimigos nos ameaçam precisamos pedir a intervenção de Deus intensamente.

Ao recorrer a Deus em oração é necessário ser transparente e abrir-Lhe totalmente o coração, expressar a dor, medo de morrer, angústias; contar da vontade de fugir, de descansar e de sumir da situação de confusão e destruição.

Davi foi procurado e perseguido de todos os lados; a tal ponto de ter de escolher entre que tipos de inimigos seria melhor esconder-se. Tristemente, ele teve de optar por ficar entre inimigos de fora do povo de Deus, pois os inimigos dentre o povo de Deus eram piores que os de fora (I Samuel 21).

Davi superou tal perseguição, e deixou-nos o segredo para lidar com oposições medonhas. Observe o Salmo em apreço com atenção e oração. Depois reflita:

  • Diante dos que querem devorar nossa alma, dos que oprimem o coração do justo, dos que humilham e combatem contra os fieis é preciso colocar a confiança na misericórdia de um Deus que nos dá esperança através de Sua Palavra (vs. 1-4);
  • Os maus são persistentes, tentam manchar a reputação dos servos de Deus e buscam aliados para tramar seus ataques traiçoeiros, criam oportunidades ou as inventam. Diante destas situações, peça a intervenção direta de Deus em oração (vs. 5-7).
  • Ainda que os sensíveis servos de Deus perdem o sono e derramam muitas lágrimas por causa dos opositores, os justos sofredores sabem que Deus está atento a cada uma de suas lágrimas e cada sono roubado. Coitado dos opressores (vs. 8-9).
  • Apesar das situações opressoras pelas ações de opositores e rebeldes revoltados contra os servos de Deus, estes humildes crentes encontram satisfação em Deus e depositam toda sua confiança nEle: “O que podem fazer comigo os simples mortais?” (vs. 10-11).
  • As libertadoras ações de Deus geram fidelidade nos salvos e, gratidão inunda o coração dos perseguidos, pois Deus ilumina os seus caminhos (vs. 12-13).

O Deus que liberta dos inimigos é o Deus que guia no caminho aos Seus amigos. Vale a pena andar diariamente e intimamente com Deus. Com Ele a vida é um milagre todos os dias! – Heber Toth Armí.



SALMO 56 – #RPSP – COMENTÁRIO ROSANA BARROS by Ivan Barros
26 de dezembro de 2016, 0:30
Filed under: Sem categoria

“No dia em que eu Te invocar, baterão em retirada os meus inimigos; bem sei isto: que Deus é por mim” (v. 9).

No ano em que eu comecei a estudar a Bíblia e conhecer a igreja, eu tinha doze anos de idade. Aquele foi o pior ano escolar da minha vida. Eu fui severamente perseguida por colegas de turma que não me davam descanso. E a minha rotina era me esconder no banheiro da escola durante todo o recreio. Como eu não revidava aos insultos, fui perseguida o ano todo. Mas este episódio de minha vida me rendeu preciosas lições. Primeiro, eu sentia uma paz inexplicável pelo fato de não revidar, pelo contrário, elas me pediam ajuda nos trabalhos escolares e eu tinha toda a boa vontade em ajudar. Segundo, que todas as vezes que alguém me fere, lembro daquela experiência e de como Deus me ajudou. E, por último, e não menos importante, que aquelas colegas me pediram perdão no final do ano e eu não guardei rancor de nenhuma delas. Então, quando me recordo deste período de minha vida peço que o SENHOR me dê aquele coração de criança, sem rancor e cheio de perdão para oferecer.

Nós vivemos em um mundo hostil, onde cada vez mais a maldade se agiganta e o amor se esfria. Davi também encontrou muita opressão em sua época. Enquanto fugia de um inimigo, acabava encontrando outros pelo caminho. Nas mãos do rei dos filisteus, passou por um grande apuro, aos olhos humanos, impossível de se escapar. E ele mesmo pensou: – Estou perdido! (Vide II Samuel 21:12). Foi uma experiência tão marcante, que um Salmo só não seria o suficiente para expressar-se. Por isso, para a mesma situação, Davi compôs dois Salmos, o 34 e o 56. Aquele, um louvor à bondade de Deus, este, um louvor pelo conforto que Deus dá mesmo na perseguição.

Sabem, meus irmãos, lidar com pessoas que nos oprimem, nos ofendem e nos agridem é muito difícil e a nossa única saída é clamar pelo socorro divino: “Tem misericórdia de mim, ó Deus” (v. 1). Porque, quantas vezes a nossa natureza humana não deseja se manifestar e agir conforme os rudimentos deste mundo! Quantas vezes o desejo do nosso eu ferido não é de falar ou fazer algo que retribua o mal que recebemos na mesma moeda! Mas, pela graça de Deus, não vivemos mais para nós mesmos. E, confiantes no Deus Todo-Poderoso O qual servimos, com segura convicção podemos dizer: “Que me pode fazer o homem?” (v. 11). Pois quando um servo de Deus curva-se diante da Sua majestade e pede por socorro, meus amados, não fica um inimigo para contar a história (v. 9).

O apóstolo Paulo afirmou: “Se Deus é por nós, quem será contra nós?” (Romanos 8:31). Davi assegurou: “Que me pode fazer um mortal?” (v. 4). Que, como eles, estejamos sempre seguros em dizer, com convicção e ousadia: “Em me vindo o temor, hei de confiar em Ti” (v. 3). Lembre-se de que a perseguição é temporária, mas a forma como lidamos com ela definirá o nosso destino eterno.

Bom dia, vitoriosos em Deus!

Desafio do dia: Se puder, coloque uma foto sua de quando era criança em um porta-retrato em lugar estratégico, para que sempre que você passar por ela possa lembrar de pedir a Deus para lhe conceder um coração de uma criança (Vide Mateus 18:3).

*Leiam #Salmo56

Rosana Garcia Barros




%d blogueiros gostam disto: