Reavivados por Sua Palavra


SALMO 49 by jquimelli
19 de dezembro de 2016, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário devocional:

A vida é realmente um enigma e requer sabedoria inspirada entender o que está acontecendo. Se somos surdos à sabedoria, seremos apanhados pela publicidade e propaganda superficial , tais como: “beleza em um pote de cosmético; felicidade no seu bolso; segurança em suas finanças”.

Este é o evangelho dos deuses deste mundo, deuses de ouro, ferro e madeira. Os sistemas de valores da nossa sociedade nos levam a definir sucesso em termos materialistas.

Somos lembrados neste Salmo que o rico não comprará favores ou acomodações para além desta vida. “Não se aborreça quando alguém se enriquece e aumenta o luxo de sua casa; pois nada levará consigo quando morrer; não descerá [à sepultura] com ele o seu esplendor” (v. 16,17 NVI). Nos tempos antigos, as pessoas abasteciam seu túmulos com bens terrenos para tornar a pós-vida mais confortável. Mas os únicos que se beneficiaram disso foram os ladrões de túmulos.

Que valor atribuímos à vida de um ser humano, especialmente alguém a quem amamos? São milhões de dólares demais ou muito pouco? O versículo 8 declara que o resgate de uma vida é caro, nenhum pagamento é suficiente. E quando se trata da vida eterna, como poderíamos dar a Deus um pagamento adequado para o nosso resgate? Só por um ato de Deus uma vida humana pode ser resgatada (v.15).

Será que algum dia compreenderemos o quanto custa nos redimir da sepultura? “porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor” (Rm 6:23). Qual foi o preço deste presente? O que custou a Deus para que Seu Filho se tornasse um ser humano, se vinculasse para sempre a esta raça humana, e ao final, se submetesse a abuso degradante e uma morte horrível? Poderíamos penetrar as nuvens escuras que envolveram o Calvário e compreender a imensidão daquela hora? Acima de tudo, como Deus poderia suportar a agonia infinita de ver Seu Filho receber o impacto final do nosso pecado e rebelião?

O próprio Deus pagou pela nossa redenção. Qualquer coisa que ofereçamos como pagamento não poderia contribuir em nada para a nossa redenção.

A expressão “Deus amou o mundo de tal maneira” abre uma dimensão totalmente nova de existência para nós. A poderosa atração da sepultura é interceptada por Sua promessa de que “todo aquele que crê n’Ele não pereça, mas tenha a vida eterna”.

 

Garth Bainbridge

Sydney, Austrália

 

Texto original: blog Conferência Geral em inglês
Tradução anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2013/09/25/
Tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli
Texto bíblico: Salmo 49 NVI
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leitura da semana programa Crede em Seus Profetas: blog Conferência Geral e blog Crede em Seus Profetas



SALMO 49 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
19 de dezembro de 2016, 0:50
Filed under: Sem categoria

O Salmo 49 contém uma resposta para a pergunta “por que os ricos parecem ter vantagem?” O salmo ensina que a riqueza não poe adiar a morte e que na morte os ricos são colocados no mesmo nível dos pobres. … O Salmo 49 é recitado no lar dos judeus ortodoxos modernos durante a semana de luto que se segue à morte de um parente. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 3, p. 843.

1 Povos todos, escutai isto. O assunto em questão merece a atenção de todos. CBASD, vol. 3, p. 843.

tanto plebeus como os de fina estirpe. Literalmente, “filhos de homens comuns [do heb. ‘adam] e filhos de grandes homens [do heb. ‘ish]” (ver com. do Sl 4:2; 8:4). O salmo ensina ao humilde para não invejar ou temer o rico, e ao rico a não confiar na riqueza ou a não usá-lo para oprimir ao pobre. O rico é exortado e o pobre, consolado. CBASD, vol. 3, p. 843, 844.

3 sabedoria. No hebraico as palavras para “sabedoria” e “entendimento” estão no plural, chmando aten5ção para os diferentes aspectos dessas qualificações (sobre as definições de “sabedoria” e “entendimento”, ver com. de Pv 1:2 [p. 1064]). CBASD, vol. 3, p. 844.

parábola. Do heb mashal, “comparação”, “provérbio”, “canto” ou “poema” (ver p.1061) [sobre Pv]. CBASD, vol. 3, p. 844.

enigma. Ou, “charada”. Algo tão obscuro que precisa de solução. CBASD, vol. 3, p. 844.

harpa. sentimentos dignos de se reter são, muitas vezes, melhor acompanhados na mente quando acompanhados de música. “Poucos meios há mais eficazes para fixar Suas palavras [de Deus] na memória do que repeti-las em cânticos” (Ed, 167). CBASD, vol. 3, p. 844.

Por que… ? O salmista fala primeiramente da reconfortante conclusão de sua meditação, antes de seguir com o assunto. Ele conclui que não há razão para temer. CBASD, vol. 3, p. 844.

Ninguém o pode remir. Uma negação expressa de forma expressa de forma enfática no hebraico. Ninguém pode salvar outro da morte com sua riqueza, nem mesmo seu próprio irmão. Ninguém pode fugir de sua responsabilidade ou assumir a de outro. CBASD, vol. 3, p. 844.

redenção da alma deles. “Eles próprios” (ver com. do Sl 16:10). O resgate de uma pessoa da morte é o tema da reflexão do salmista.  CBASD, vol. 3, p. 844.

caríssima. Ou, “custosa”. Salvar alguém da morte está além do poder da riqueza. CBASD, vol. 3, p. 844.

cessará a tentativa para sempre. Não importa quanto se pague, a riqueza é insuficiente para salvar alguém do túmulo. CBASD, vol. 3, p. 844.

cova. Ver com. do Sl. 16:10 [“Do heb. shachatch, “cova”, como a palavra é frequentemente traduzida (Jó 33:18, 24, 29, 30; etc). Shachatch também é traduzida por “lodo” (Jó 9:31), “sepultura” (Jó 17:14), “cova” (Jó 33:22; Sl 55:23)”].

10 O v. 10 declara uma lei natural e evidente. Nem mesmo a sabedoria salva da morte quem a possui. CBASD, vol. 3, p. 844.

11 O rico parece esquecer-se de que cedo ou tarde ninguém mais se lembrará dele. CBASD, vol. 3, p. 844.

12 o homem não permanece. Do heb. lin, “passar a noite”, não ficar permanentemente. Ele nem sequer passará a noite da vida, logo desaparecerá. O v. 12 é o refrão do salmo. Ele ocorre novamente no v. 20 com algumas mudanças. CBASD, vol. 3, p. 844.

perecem. Literalmente, “são reduzidos ao silêncio” ou “são levados ao descanso”. CBASD, vol. 3, p. 844.

13 assim mesmo os seus seguidores aplaudem o que eles dizem. Os descendentes são tão tolos quanto os pais. … Esses descendentes néscios também têm prazer em expressar os mesmos sentimentos tolos de seus ancestrais ricos. O mal é perpetuado.

14 sepultura. Do heb. she’ol (ver com. de Pv 16:10). CBASD, vol. 3, p. 844.

15 do poder da morte. Literalmente, “da mão do she’ol” (ver com. de Pv 15:11). A morte é personificada. CBASD, vol. 3, p. 844.

Ele me tomará para Si. Ou, “Ele me receberá para Si mesmo”. Nesta frase curta, ainda mais poderosa por sua brevidade, sugere-se a doutrina de uma vida futura e a ressurreição dos mortos (ver PR, 264). Em Gênesis 5:24, outra forma do mesmo verbo descreve a transladação de Enoque (ver  2Rs 2:10). CBASD, vol. 3, p. 844, 845.

16 Não temas. O salmista deixa de encorajar a si mesmo para encorajar a outros. CBASD, vol. 3, p. 845.

glória. Isto pode se referir à suntuosidade que a riqueza proporciona. CBASD, vol. 3, p. 845.

18 ele se tenha lisonjeado. A figura é a de um homem rico que se orgulha de sua habilidade em acumular riquezas (ver Dt 29:19; Lc 12:19). CBASD, vol. 3, p. 845.

ainda que o louvem. Muitos louvam a pessoa que acumula aquilo que todos desejariam ter, contudo isso não é prova de sucesso. CBASD, vol. 3, p. 845.

19 não verá a luz. O pecador rico e seus descendentes jamais as coisas que para eles foram fonte de orgulho e satisfação própria (ver Jó 33:30). CBASD, vol. 3, p. 845.

20 como os animais. Repete-se o refrão do v. 12, com poucas alterações. CBASD, vol. 3, p. 845.



SALMO 49 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by jquimelli
19 de dezembro de 2016, 0:45
Filed under: Sem categoria

SALMO 49 – As pessoas que bebem do lamaçal deste mundo para satisfazer a sede da alma, jamais sentirão o sabor do manancial celestial refrigerando seu coração.

Este Salmo nos oferece ensinamentos magníficos, dos quais precisamos muitissimamente:

“Um dos grandes enigmas da vida é o fato de os perversos com frequência desfrutarem prosperidade material enquanto os fieis, muitas vezes, são pobres e desfavorecidos. Mas essa não é a história toda. A riqueza na qual os ímpios confiam com tanta devoção os deixará na mão na hora da maior necessidade. Não tem poder para salvá-los da morte nem para evitar que se corrompam na sepultura. Não podem desfrutá-la para sempre, leva-la consigo ou voltar para usufruir dela. Em longo prazo, é insensato confiar no dinheiro, em vez de confiar no Senhor! Essa é a essência do Salmo 49” (William MacDonald).

A vaidade é um dos principais motivos que impedem um verdadeiro e profundo fervor espiritual e um real e elevado compromisso com o soberano Senhor. As riquezas muitas vezes se tornam um dos maiores obstáculos para muitos se renderem plena e genuinamente ao Salvador. Por isso, Satanás parece envaidecer a muitos.

• Ricos e pobres devem dar atenção à filosofia da vida do ponto de vista de um sábio inspirado pelo Espírito Santo, que tem informações que não se encontram em nenhum outro livro – nem pode ser descobertas de nenhuma outra forma (vs. 1-4).

• Orgulhosos e ostentadores precisam saber que não existe nenhum seguro contra a sepultura; os inimigos do bem e da justiça estão a um passo da morte; os violentos, orgulhosos e arrogantes não conseguem libertar-se do terrível fim que lhes espera (vs. 5-9).

• Intelectuais e ignorantes morrem do mesmo jeito, todos se tornam vizinhos no cemitério; a não ser que haja uma busca fervorosa ao Deus que estende Suas poderosas mãos para resgatar acorrentados à morte (vs. 10-15).

• Fama e fortuna podem parecer o máximo, mas nada fazem para mudar o definhamento do indivíduo até a morte. Ricos, orgulhosos, intelectuais e famosos morrem tanto quanto os analfabetos, miseráveis, indigentes e ignorantes (vs. 16-19).

Então, quem realmente aproveita a vida é quem se prepara nesta vida curta para receber a vida eterna que Deus outorga aos que se Lhe submetem integralmente!

O que você acha? – Heber Toth Armí.



SALMO 49 – #RPSP – COMENTÁRIO ROSANA BARROS by Ivan Barros
19 de dezembro de 2016, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Pois a redenção da alma deles é caríssima, e cessará a tentativa para sempre” (v. 8).

A vaidade do homem não é apenas uma questão que envolve os ricos, mas “todos juntamente, ricos e pobres” (v. 2). Existem ricos que não se encaixam na realidade deste Salmo, porém, há pobres que podem estar vivendo isto. Não é difícil apegar-se a coisas que ocupam o lugar onde somente Deus deveria estar. No final das contas, essas coisas são deixadas para outros quando a vida se vai (v. 10). 

Percebam que o salmista inicia fazendo um convite geral: “Povos TODOS, escutai isto; dai ouvidos moradores TODOS da Terra” (v. 1). É uma mensagem de advertência a todas as pessoas, inclusive àquelas que pensam que estão longe desta realidade. TODO ser humano está sujeito a agir como se fosse viver aqui para sempre (v. 11), apegando-se a “esperanças” vazias. E como um Salmo 23 às avessas, “a morte é o seu pastor” (v. 14) e, ao invés de habitar “na Casa do SENHOR para todo o sempre” (Salmo 23:6), “a sepultura é o lugar em que habitam” (v. 14). 

Mas, a certeza do salmista e a certeza que deve transbordar de nosso coração é que nada neste mundo, e nem todas as riquezas que possam existir, podem ser comparadas ao preço que foi pago pela nossa redenção, pois ela “é caríssima” (v. 8):”Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o Seu Filho unigênito, para que todo aquele que nEle crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (João 3:16). 

Este foi o inigualável preço pago para que Deus pudesse nos remir “do poder da morte” (v. 15). O que Deus me deu para atender as minhas necessidades, enquanto eu estiver neste mundo, não pode sufocar a bendita esperança de que muito em breve “Ele me tomará para Si” (v. 15). Não podemos permitir que coisas perecíveis ocupem o lugar do Eterno em nosso coração e nem precisamos temer os que nos perseguem e usam de glórias terrenas para nos oprimir. Pois o pastor deles não é o nosso Pastor. Por mais que sejam louvados por suas conquistas egoístas, o fim deles não será diferente dos animais (v. 20). 

Amados, uma advertência nos foi dada pelo SENHOR acerca da falta de entendimento (v. 20): “O Meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento” (Oseias 4:6). Lembrem que uma das características principais das ovelhas de Cristo é que elas seguem a Sua voz pois O conhecem. Elas conhecem o preço de seu resgate. Sabem a que voz seguir e não dão ouvidos a estranhos (Vide João 10:5). A vita eterna é que conheçamos a Deus e a Jesus Cristo, que nos comprou a custo tão alto (Vide João 17:3). Não fomos criados para ser levados como ovelhas ao matadouro, mas Cristo tomou para Si esta morte cruel e, “como Cordeiro foi levado ao matadouro” (Isaías 53:7). Ele pagou o maior resgate da história da humanidade à vista, uma vez “para sempre” (v. 8), para nos livrar do pastor da morte (v. 14) e nos tomar para Si (v. 15). 

Que possamos reconhecer nossas limitações e que o que temos vem de Deus. Então, estas coisas serão consideradas um NADA comparado ao que Cristo nos deu na cruz: TUDO. 

Cuidado para não estar dando mais valor e mais destaque às bênçãos do que ao SENHOR das bênçãos. Você pode estar seguindo à voz errada. O caminho das ovelhas de Jesus pode apresentar o “vale da sombra da morte” (Salmo 23:4), mas lembre-se de que ele é apenas um pedaço do caminho e não o destino final.

Que a nossa riqueza seja ouvir a voz do nosso Bom Pastor e segui-Lo por onde quer que formos, então, habitaremos em Sua Casa por toda a eternidade.

Bom dia, ovelhas de Cristo!

*Desafio do dia*: Medite nesta canção: https://youtu.be/jA5Hop-cUiU e clame ao Bom Pastor que continue a lhe conduzir através do entendimento por meio de Sua Palavra.

*Leiam #Salmo49

Rosana Garcia Barros




%d blogueiros gostam disto: