Reavivados por Sua Palavra


SALMO 34 by jquimelli
4 de dezembro de 2016, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário devocional:

Os dez primeiros versículos deste salmo, escrito por Davi, combinam gratidão pessoal com ações de graças. Pode ser visto aqui o paralelismo hebraico sinônimo, um estilo literário em que o pensamento é repetido duas vezes em uma determinada estrofe. Por exemplo, a primeira parte do versículo 1 diz : “Bendirei o Senhor o tempo todo” (NVI). a segunda parte repete o mesmo pensamento, mas com palavras diferentes: “Os meus lábios sempre o louvarão”. E se você quer saber como engrandecer ao Senhor, a segunda metade do versículo 3 mostra como fazer isso: “exaltemos o seu nome”.

As razões para Davi estar louvando ao Senhor são declaradas: ele procurou a Deus e Ele o ouviu, ele confiou nEle e não foi desapontado, Deus o salvou de todos os seus problemas, pois Ele comissionou Seus anjos para cuidar de todos os que o temem.

A despeito de sua força, um leão torna-se faminto por falta de alimento , mas para aqueles que estão do lado de Deus nada essencialmente bom lhes falta (v. 10).

Estes são grandes motivos para louvar, servir e adorar ao Senhor. Mas enquanto eles não são experimentados pessoalmente, eles são mera teoria. Assim Davi convida-nos a vivermos esta experiência juntamente com ele : “Provem e vejam como o Senhor é bom” (v. 8, NVI).

Os versos onze a quatorze contêm instruções muito úteis sobre como ter uma vida longa e feliz: refreie a sua língua do mal , afaste-se do mal e faça o bem. Em outras palavras, deseje a paz e trabalhe em prol dela. Para o cristão, a paz não significa necessariamente ausência de problemas, mas a presença de Deus conosco em nossos problemas. Na verdade, o justo pode ter muitas aflições, mas “o SENHOR o livra de todas elas” (v. 17).

O que dizer então acerca de bons cristãos que morrem prematuramente por causa de doenças quando Deus tem o poder de curá-los? Podemos não ter todas as respostas para as perplexidades dessa vida, mas esta citação de Ellen G. White é bastante esclarecedora: “Tudo quanto nos tem confundido acerca das providências de Deus será esclarecido no mundo vindouro. As coisas difíceis de serem compreendidas terão então explicação. Os mistérios da graça nos serão desvendados. Naquilo em que a nossa mente finita só via confusão e promessas desfeitas, veremos a mais perfeita e bela harmonia. Saberemos que o amor infinito dispôs as experiências que nos pareciam as mais difíceis. Ao reconhecermos o terno cuidado dAquele que faz todas as coisas contribuírem para o nosso bem, regozijar-nos-emos com júbilo inexprimível e repleto de glória” Testemunhos, vol . 9, página 249.

Pai celeste, ajude-nos a fazer uma entrega total de nossas vidas a você, para que possamos ser testemunhas da Sua bondade. Em nome de Jesus. Amém!

Onaolapo Ajibade
Secretário Executivo da IASD
Divisão Centro-Ocidental da África

 

Texto original: blog Conferência Geral em inglês
Tradução anterior expandida: https://reavivadosporsuapalavra.org/2013/09/10/
Tradução: Jeferson Quimelli
Texto bíblico: Salmo 34 NVI
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leitura da semana programa Crede em Seus Profetas: blog Conferência Geral e blog Crede em Seus Profetas



SALMO 34 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
4 de dezembro de 2016, 0:50
Filed under: Sem categoria

O Salmo 34 é mais um poema alfabético ou acróstico (ver p. 705). Ele mescla gratidão pessoal e ações de graças coletivas. … O salmo tem 22 versículos, 23 no hebraico, sendo que o v. 1 é o subtítulo. Cada um deles começa com uma letra do alfabeto hebraico na ordem regular, com as seguintes exceções: a letra wav é omitida e a letra pe’ aparece como a primeira letra do último versículo. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 3, p. 800.

Engrandecei o SENHOR comigo. O salmista convida os “humildes” a se unirem com ele no louvor a Yahweh. Exaltamos a Deus quando O engrandecemos (ver Dt 32:3). … Na adoração na sinagoga moderna o Salmo 34:3 é lido no momento que se retira a Torah da arca. CBASD, vol. 3, p. 801.

Busquei ao SENHOR e Ele me acolheu. O salmista começa a expressar o motivo de sua gratidão. É grato pelo que Deus fez por ele, pelo que fez por outros e pelas lições que Deus lhe ensinou nas adversidades. CBASD, vol. 3, p. 801.

Contemplai-O e sereis iluminados. Ver 2Co 3:18. Quando Deus olha para o ser humano, seu semblante se torna radiante. … Ao fugirmos de inimigos, visíveis ou não, parece que estamos sós, abandonados, impelidos na escuridão sombria de novas perplexidades que ameaçam destruir tanto o corpo quanto a mente. Então, de repente, de modo inesperado vem o livramento. Percebemos que uma Presença invisível mais uma vez transforma erros passados em degraus para a vitória. O coração se enche de gratidão e louvor, e outro marco de experiência é levantado para servir de encorajamento em provas futuras. Verdadeiramente, o Senhor é bom! CBASD, vol. 3, p. 801.

O anjo do SENHOR acampa-se. Ver Gn 32:1, 2; 2Rs 6:26, 17. A contínua presença des anjos da guarda é uma das certezas mais doces do cristão. CBASD, vol. 3, p. 801.

8 Oh! Provai e vede. O salmista convida outros não para confiar na sua palavra, mas para provar por si mesmos. Provai” vem da palavra heb. ta’am, “experimentar o sabor de”. Nesta passagem, significa “experienciar” (ver Hb 6:5; 1Pe 2:3). A prova mais segura da religião se encontra na experiência pessoal. Sem a experiência cristã a religião de Cristo é apenas teoria, e como mera teoria não tem poder para salvar. CBASD, vol. 3, p. 801.

Bom. Do heb. tob, uma palavra que expressa diversas qualidades, como “bondoso”, “gentil” e amigável”. Refletir sobre este atributo divino pode ajudar a corrigir o indiferente senso de justiça. É preciso ser sensível aos elementos mais nobres do caráter de Deus, e pensar neste atributo divino quando se é tentado a esquecer da amabilidade no relacionamento com os semelhantes. CBASD, vol. 3, p. 801.

homem. Do heb. geber, “o homem jovem, vigoroso”. Não há quem não precise da ajuda divina. No plano divino não há lugar para a autossuficiência. O ser humano precisa de Deus. CBASD, vol. 3, p. 801.

santos. Do heb. “qedoshim, “santos” (ver com. dp Sl 16:3; Lv 19:2). CBASD, vol. 3, p. 801.

12 ama a vida. A pergunta envolve as “ambições”psicológicas básicas do ser humano. Todo ser humano quer ter uma vida longa e feliz. CBASD, vol. 3, p. 803.

14 Aparta-te do mal e pratica o que é bom. Ver Sl 37:27; Is 1:16, 17. O viver do cristão envolve aspectos positivos e negativos. Deve-se distanciar do mal e fazer o bem. Evitar fazer o mal apenas não é o suficiente; é preciso praticar o bem. CBASD, vol. 3, p. 803.

17 livra. Várias vezes na vida presente e definitivamente na vida porvir. A promessa não garante o livramento completo neste mundo, mas, no caso do justo, o Céu garante a libertação de todos os problemas. CBASD, vol. 3, p. 803.

18 dos que têm o coração quebrantado. Um coração quebrantado pela tristeza e pelo sofrimento está pronto a aprender as lições mais importantes que Deus tem a ensinar (ver Sl 119:71). A ideia do “coração quebrantado” é frequente na Bíblia (ver Sl 51:17; Is 61:1; 66:2). CBASD, vol. 3, p. 803.

19 Muitas são as aflições. O cristão necessariamente está isento de aflição, mas Deus lhe dá forças para enfrentar os problemas. Porém, tem-se observado que os sofrimentos do cristão são menores que os do incrédulo, que sofre também com os efeitos da intemperança, do crime, dos maus hábitos. Algumas das recompensas do viver correto são desfrutadas já nesta vida. CBASD, vol. 3, p. 803.

20 nenhum deles. O princípio geral é que os justos estão sob a proteção divina. Na Bíblia, princípios gerais são expressos com frequência por meio de linguagem concreta. Em cumprimento das Escrituras, os ossos de Jesus não foram quabrados (ver Jo 19:36; cf Êx 12:46; Nm 9:12; DTN, 771, 772). CBASD, vol. 3, p. 803.

21 O infortúnio matará o ímpio.O pecado consome a si mesmo. A morte é a consequência natural e inevitável do pecado. CBASD, vol. 3, p. 803.



SALMO 34 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Maria Eduarda
4 de dezembro de 2016, 0:45
Filed under: Sem categoria

SALMO 34 – A vida é simples, entretanto, muitas a complicam. Nossa existência seria muito feliz se não complicássemos com nossos jeitos grotescos, estúpidos e mesquinhos de agir.

É certo que existem aqueles indivíduos que te ajudam em tempos difíceis, aqueles que te abandonam em tempos difíceis e, também aqueles que te colocam em situações difíceis. Em outras palavras, existem três tipos de pessoas: As que causam problemas, as que espalham os problemas e as que resolvem os problemas.

Quem é você? Deus gosta dos pacificadores, dos humildes, que almejam ser sábios para refletir o caráter de Seu amado Filho. Portanto, observe:

1. Os ignorantes falam de pessoas;
2. Os inteligentes falam de coisas;
3. Os sábios falam de ideias.

Após esta introdução, mergulhemos no Salmo em questão; no qual “o título associa o salmo a um episódio perigoso envolvendo Davi e os filisteus em Gate, conforme o relato de I Samuel 21:10-22:1, depois do qual Davi fugiu para a caverna de Adulão” (Warren W. Wiersbe).

Infelizmente enfrentamos desafios muito grandes neste mundo de egoísmo, perversidade e imoralidade. Os justos sofrem; os inocentes sofrem; os bons sofrem. Felizmente, temos um Deus a Quem recorrer:

• Quando temores e medos nos assombram, Deus está disposto a libertar-nos deles, se O buscarmos, corrermos determinadamente para Ele (vs. 1-10).

• Quando angústias e crises nos esmagam, Deus está pronto para socorrer-nos, caso desejamos Sua presença (vs. 6, 17).

• Quando estamos em perigo, os anjos de Deus são enviados para guardar nossa família; mas não devemos provocar nossos inimigos com nossa língua afiada (vs. 7, 13).

• Quando nos faltam recursos para viver, seremos saciados se, sinceramente, adorarmos a Deus, virarmos as costas ao pecado e abraçarmos a paz (vs. 9, 14).

• Quando nossa existência é desafiada pela morte podemos ter a certeza de vida eterna se servirmos a Deus (vs. 12, 19-22).

• Quando entregamos nossos gemidos a Deus em oração com coração quebrantado, seremos confortados pela voz divina (vs. 15, 18).

Nos versos 12-14 Deus orienta-nos para que tenhamos uma existência agradável:

• Cuidar de nossa língua;
• Não falar mentiras;
• Fugir do mal;
• Fazer o bem;
• Buscar a paz e ser pacificador.

Numa sociedade alheia aos princípios divinos, o cristão enfrenta muitos problemas; todavia, pode contar com Deus para superá-los pacientemente. Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.



SALMO 34 – #RPSP – Comentário Rosana Barros by Ivan Barros
4 de dezembro de 2016, 0:25
Filed under: Sem categoria

“Oh! Provai e vede que o SENHOR é bom” (v. 8).

Diante de um Salmo tão belo e repleto de ricas mensagens de fé e de adoração, fica difícil pensar que Davi o escreveu após o episódio em que se fingiu de louco diante de Aquis, rei dos filisteus (Vide I Samuel 21:10-15). Aquele texto me faz rir todas as vezes que o leio, pois fico imaginando a cena. Então, me deparo com o Salmo de hoje e me pergunto: toda esta inspiração veio depois daquele teatro de loucura de Davi? Sim. Lembro-me de uma outra história que, semelhante a de Davi, salvou a vida de uma senhora cristã em meio à Segunda Guerra. Quando os soldados invadiram a sua propriedade, ela saiu de casa descabelada, toda suja, com uma vassoura na mão e gritando palavras sem sentido. Assustados, pensando que ela fosse alguma espécie de bruxa ou feiticeira, os soldados fugiram e assim a sua vida e a sua integridade física foram preservadas.

No momento em que Davi foi posto frente a frente com o rei filisteu, aparentemente, ele não tinha chance alguma de escapar e nada do que ele dissesse poderia justificá-lo. Então, como sempre, Davi buscou o Único capaz de livrá-lo naquele momento (v. 4). O fingir-se de louco não calou o seu clamor (v. 6). Aos nossos olhos pode até soar estranho tal atitude, mas, para Davi, a forma como ele conseguiu escapar de uma morte certa, foi uma prova inequívoca de que o SENHOR é bom e de como é verdadeiramente feliz todo aquele que nEle se refugia (v. 8). Foi uma experiência tão real e tão forte, que ele pôde sentir a presença do anjo do SENHOR ao seu redor (v. 7).

Davi escolheu refrear a língua e esperar no SENHOR (v. 13). Certamente, ele teria muito o que falar diante daquele rei perverso e pagão, mas o procurar a paz (v. 14) era o mais sensato a se fazer naquele momento. Ele foi levado à presença de Aquis como um herói de guerra, e saiu como um louco. Se Davi tivesse se pronunciado ali, só provocaria ainda mais a ira deles (v. 21). De coração quebrantado e espírito oprimido, ele pôde sentir, mediante uma situação inusitada, que o SENHOR estava com ele (v. 18); que os olhos de Deus repousaram sobre ele e que os Seus ouvidos ficaram bem atentos ao seu clamor (v. 15). Depois do que ali houve, Davi tinha a firme certeza de que, por mais que ainda tivesse que passar por muitas aflições, Deus o livraria de todas elas (v. 19). E que não há condenação para todo aquele que confia no SENHOR (v. 22).

Muitas vezes não entendemos o agir de Deus. E algumas delas pensamos até ser loucura. Mas o que pode nos parecer louco, pode ser a maneira mais eficaz e sábia de se agir. Lembrem que Noé anunciou um dilúvio quando nunca havia chovido antes. Jonas fugiu de Deus e foi engolido por um grande peixe. Jeremias era uma ilustração ambulante do juízo de Deus sobre o Seu povo. São apenas alguns exemplos de que o nosso conhecimento é assaz limitado diante da sabedoria divina. A nós cumpre clamar, provar (ou seja, experimentar, colocar para dentro) e confiar. Portanto, aceitemos o terno convite do SENHOR: “Vinde, filhos, e escutai-me” (v. 11). Quando procuramos ouvir a voz de Deus acima de qualquer voz humana, Ele nos faz enxergar a Sua provisão em meio ao improvável. PROVAI E VEDE!

Bom dia, justos de Deus!

Desafio do dia: “Os que odeiam o justo serão condenados” (v. 21). Não guarde rancor em seu coração por ninguém. Procure a paz (v. 14) e devolva o mal com o bem. 

*Leiam #Salmo34

Rosana Garcia Barros




%d blogueiros gostam disto: