Reavivados por Sua Palavra


DEZ DIAS DE ORAÇÃO – GUIA PARA OS LÍDERES – A – Edição Mundial by Jeferson Quimelli
11 de janeiro de 2020, 14:00
Filed under: Sem categoria

Buscando o Espírito de Deus

GUIA PARA OS LÍDERES

Bem-vindo ao Dez Dias de Oração 2020! Estamos muito agradecidos por podermos começar este ano com oração. Deus realizou muitos milagres nos últimos anos, enquanto O procurávamos em oração e jejum. O Espírito Santo produziu avivamentos, conversões, renovou a paixão pelo evangelismo e curou relacionamentos. Verdadeiramente, a oração é o berço do avivamento!

Acreditamos que sua vida e a vida daqueles pelos quais você ora serão mudadas à medida que você se une a outros membros da igreja, orando pelo derramamento do Espírito Santo, que o Pai prometeu dar àqueles que Lhe pedem. Aqui estão três respostas vindas daqueles que participaram dos últimos Dez Dias de Oração:

N.K. da Zambia:

Durante o terceiro dia dos 10 dias de oração, eu estava orando à frente de nossa congregação quando fui impressionado a implorar pela intervenção divina. “Alguém está tentando cometer suicídio”, eu orei. “Querido Senhor, por favor, não permita que essa pessoa tenha sucesso. Por favor, intervenha.” No dia seguinte, fiquei chocado ao descobrir que minha própria tia tentara cometer suicídio. Mas por causa de nossas orações, Deus interveio e salvou a sua vida. Enquanto escrevo esse testemunho, ela está bem e Deus está trabalhando em sua vida. Todos estamos louvando ao Senhor por Sua resposta milagrosa à nossa oração.

J.J. da Carolina do Norte, E.U.A.:

Em 2018, durante os Dez Dias de Oração, minha amiga Alicia havia orado para que cinco pessoas específicas se entregassem a Cristo. Deus respondeu muitas de suas orações, mas ainda assim um nome de sua lista, o de sua irmã, permanecia sem ter vindo a Cristo. No entanto, este ano [2019], durante os dez dias de oração, a irmã de Alicia foi às reuniões de oração e se entregou a Jesus. Agora ela está estudando a Bíblia e se preparando para o batismo. Além disso, outras duas pessoas que participaram das reuniões dos Dez Dias de Oração se decidiram pelo batismo. Louvamos a Deus por Sua obra e pelo ministério dos Dez Dias de Oração. Todos nós realmente experimentamos uma experiência mais profunda com Jesus quando nos reunimos para orar.

Um crente da Ásia:

Durante os Dez Dias de Oração, orei ao Pai Celestial para me dar uma oportunidade de divulgar a mensagem adventista. … Depois de orar durante os Dez Dias de Oração, apresentei a mensagem adventista a um grande grupo de pessoas com um cultura não cristã, e eles aceitaram a mensagem que apresentei. Eu recebi a resposta da minha oração. É meu grande testemunho após esses dez dias de oração. Louvado seja o Senhor.

Itens Gerais dos Dez Dias de Oração

Folhas temáticas diárias

Uma folha com os temas foi preparada para cada um dos dez dias. Isso inclui uma passagem bíblica, um testemunho devocional, textos bíblicos para orar, sugestões de orações e sugestões de músicas. Recomendamos que você faça cópias das folhas temáticas e distribua para cada participante a fim de que eles possam acompanhar as atividades que serão feitas a cada parte da programação. Todas as folhas temáticas diárias podem ser acessadas diretamente a partir de qualquer computador ou dispositivo móvel em www.tendaysofprayer.org.

Igrejas de todo o mundo se unirão para orar sobre o tema de cada dia. Junte-se a eles em oração por meio dos versículos bíblicos e pedidos de oração sugeridos em cada folha temática. No entanto, você não precisa se sentir obrigado a percorrer apressadamente toda a lista de sugestões de oração. Vocês podem se dividir em pequenos grupos e fazer com que cada grupo ore por uma parte da lista.

Alguns dos pedidos de oração dizem respeito especificamente à Igreja Adventista do Sétimo Dia Mundial. É importante orar juntos pela família da nossa igreja, mas convém adaptar seu momento de oração e usar temas de oração mais gerais se o seu grupo incluir visitantes da comunidade. Ore para que vocês possam receber bem os convidados e fazê-los se sentir parte do seu grupo.

Tempos sugeridos para cada parte da programação

O quanto de tempo você gastará em cada parte da programação provavelmente variará um pouco a cada vez que se reunirem para orar. Os seguintes tempos sugeridos normalmente funcionam bem:

  • Boas vindas/Introdução: 2 – 5 minutos

  • Leitura dos ”Testemunhos” (ver folhas temáticas): 3 – 5 minutos

  • Oração com base nos “Textos Bíblicos para Orar” (ver folhas temáticas): 3 – 5 minutos

  • Louvor a Deus no Momento de Oração: 10 minutos

  • Confissão e Reivindicação de Vitória sobre o pecado no Momento de Oração: 3 – 5 minutos

  • Súplica e Intercessão no Momento de Oração (ver “Orações sugeridas” nas folhas temáticas): 20 – 30 minutos

  • Ação de Graças no Momento de Oração: 10 minutos

Interceda por Sete Pessoas

Incentive cada pessoa a pedir a Deus que lhe mostre sete pessoas pelas quais orar durante os dez dias. Podem ser membros da família, amigos, colegas de trabalho, membros da igreja, etc. Incentive-os a orar para que o Espírito Santo leve essas sete pessoas a permanecer em Cristo. Os membros do grupo também devem pedir a Deus que lhes mostre como podem orar por necessidades específicas destas sete pessoas e também como testemunhar a eles durante os dez dias. Você pode fornecer alguns cartões ou folhas de papel nos quais as pessoas possam registrar os sete nomes pelos quais orarão.

Cultos dos Sábados durante os Dez Dias de Oração 2020

Durante os cultos da igreja nos dois sábados tenha um foco especial na oração e compartilhe testemunhos das orações respondidas. Seja criativo – há muitas maneiras de compartilhar com a família da igreja o que está acontecendo durante as reuniões diárias de oração.

Celebração do Último Sábado

O sábado final, especialmente, deve ser um tempo de grande alegria por tudo o que Deus fez ao longo dos Dez Dias. Inclua tempo suficiente para testemunhos de orações respondidas, ensino/pregação bíblica acerca da oração e música congregacional. Lidere a congregação em um momento de oração, para que aqueles que não participaram das reuniões diárias possam experimentar a alegria de orar com os demais. Por favor consulte o folheto da Celebração do Sábado para obter mais informações.

Continuação dos Dez Dias de Oração 2020

Ore para que Deus mostre a vocês o que Ele deseja que sua igreja ou grupo continue a fazer a partir de algo que deu certo nos Dez Dias de Oração 2020. Talvez você continue com uma reunião semanal de oração. Ou talvez Deus queira que você comece um novo ministério em sua igreja ou uma ação missionária voltada para a comunidade. Esteja aberto e siga aonde Deus lhe levar. Você certamente ficará surpreso ao andar com Ele. Incluímos um desafio de ação missionária com algumas sugestões no final deste Guia para os Líderes.

Testemunhos

Por favor compartilhe conosco suas histórias de como Deus operou através dos Dez Dias de Oração! Suas histórias serão um encorajamento a muitos outros. Os testemunhos podem ser enviados para stories@ministerialassociation.org ou enviados on-line através da página www.tendaysofprayer.org.

Dicas para o Sucesso dos Dez Dias de Oração

Várias pessoas concordarem pedindo a mesma bênção

Quando alguém fizer um pedido a Deus, certifique-se de que outras pessoas também orem pelo mesmo pedido e estejam em acordo a respeito – isso é poderoso! Não pense que se uma pessoa orou por um pedido, ninguém mais precisa orar por aquele pedido. “Em verdade também vos digo que, se dois entre vós, sobre a terra, concordarem a respeito de qualquer coisa que, porventura pedirem, ser-lhes-á concedida por meu Pai, que está nos céus.” (Mateus 18:19). Quão encorajador é ter alguém orando pelo mesmo assunto que estamos orando!

Reivindicando as promessas de Deus

Você encontrará promessas bíblicas específicas para cada tópico incluídas em cada ficha temática. Incentive o grupo a reivindicar as promessas de Deus enquanto oram. É tão fácil se concentrar em nossos problemas. Mas quando reivindicamos as promessas de Deus, aumentamos nossa fé e lembramos a nós mesmos que nada é impossível para Deus. As promessas nos ajudam a tirar os olhos de nossas fraquezas e dificuldades e colocá-los em Jesus. Para toda e qualquer fraqueza e luta, podemos encontrar promessas bíblicas para reivindicar. Incentive as pessoas a procurarem por outras promessas e anotá-las para que possam reivindicá-las no futuro.

Jejum

Convide aqueles que se unem a você nos Dez Dias de Oração a considerar algum tipo de jejum, como jejum de TV, música secular, filmes, Internet, doces ou outros tipos de alimentos difíceis de digerir. Use o tempo extra para orar e estudar a Bíblia, pedindo a Deus que ajude você e sua congregação a permanecerem mais plenamente em Cristo. Ao adotar uma dieta simples, permitimos que nossa mente se torne mais receptiva à voz do Espírito Santo.

Espírito Santo

Certifique-se de pedir ao Espírito Santo que lhe mostre pelo que orar na vida de uma pessoa ou de uma situação específica. A Bíblia nos diz que não sabemos pelo que orar e que o Espírito Santo é quem faz intercessão por nós.

Precisamos não só pedir em nome de Cristo, mas também pela inspiração do Espírito Santo. Isto explica o significado do que é dito: “O mesmo Espírito intercede por nós com gemidos inexprimíveis.” Romanos 8:26. A tais orações Deus Se deleita em atender. Quando proferirmos uma oração com fervor e intensidade no nome de Cristo, há nessa mesma intensidade o penhor de Deus de que Ele está prestes a atender à nossa súplica “muito mais abundantemente além daquilo que pedimos ou pensamos”. Efésios 3:20. (Parábolas de Jesus, p. 72, ênfase acrescida).

Proximidade física

Ao iniciar um momento de oração, convide todos a se aproximarem. Quando as pessoas se aproximam para formar um círculo de oração, isso ajuda a promover um espírito de unidade, o que é muito importante para a oração em grupo. Se as pessoas estão espalhadas no aposento, torna-se difícil ouvir as orações uns dos outros.

Anotações pessoais – Diário de oração

Manter um diário de oração durante os Dez Dias de Oração pode ser uma boa maneira dos participantes internalizarem o tema diário de oração, assumirem compromissos concretos com Deus e reconhecerem Suas bênçãos para eles. Escrever nossas orações e manter um registro das respostas de Deus é um caminho comprovado para o encorajamento.

Se você achar conveniente, o uso do Diário de Oração pode ser encorajado nos Dez Dias de Oração de várias maneiras. Durante a reunião de oração, você pode reservar um tempo para que as pessoas registrem em seus diários particulares como Deus as tem respondido e como elas tem respondido a Deus. Ou você pode fazer estas anotações em nome do grupo listando os pedidos e respostas de oração – seja num caderno, em um grande cartaz ou on-line. Uma maneira simples de fazer isso é desenhar uma linha no meio de um grande pedaço de papel. Escreva os pedidos de oração na coluna da esquerda e respostas na direita. É emocionante e fortalecedor da fé olhar para trás e ver como Deus respondeu às orações!

Reverência

Incentive e dê o exemplo de uma atitude reverente. Estamos nos aproximando da sala do trono do Rei do universo. Não tratemos esse momento de oração descuidadamente através de nossa postura ou gestos. No entanto, não é necessário que todos se ajoelhem continuamente. Você quer que as pessoas se sintam à vontade por uma hora; portanto, incentive as pessoas a se ajoelharem, sentarem ou ficarem em pé, conforme Deus lidera e à medida que se sintam confortáveis.

Orações com frases curtas

As orações devem ser curtas e objetivas. Isso dá aos outros a oportunidade de orarem também. Tente limitar suas orações a algumas frases. Cada pessoa pode orar várias vezes. As orações com frases curtas mantêm o tempo de oração interessante e permitem que o Espírito Santo impressione o grupo em como orar. Você não precisa abrir e fechar cada oração de frases curtas com frases como “Querido Deus” e “Amém”. É uma conversa contínua com Deus.

Silêncio

Como líder, não monopolize o tempo de oração. O objetivo é fazer com que outras pessoas orem. Tempos de silêncio são maravilhosos, pois dão a Deus tempo para falar aos nossos corações. Permita que o Espírito Santo trabalhe e dê tempo para todos orarem.

Canto

Canções em grupo espontâneas, misturadas entre orações, acrescentam beleza à reunião de oração. Uma lista de músicas apropriadas é fornecida ao final de cada folha de tema. Não sinta que precisa usar todas as músicas – são apenas sugestões. Cantar em grupo também é uma boa maneira de fazer a transição de uma seção de oração para outra. Lembre-se que o momento de oração possui quatro seções: 1 – Louvor a Deus; 2 – Confissão e Reivindicação de Vitória sobre o pecado; 3 – Súplica e Intercessão; 4 – Ação de Graças.

Recebendo Pedidos de Oração

Não peça que as pessoas apresentem seus pedidos de oração para o grupo. Em vez disso, peça às pessoas que orem apresentando os seus pedidos no momento de oração e incentive outras pessoas a se unirem em concordância e oração por esses pedidos. Aqui está o porquê: tempo! Apresentar os pedidos ocupará a maior parte do seu tempo de oração. Satanás fica satisfeito quando ele consegue nos manter falando sobre o problema, em vez de nos ver orando sobre o problema. Os membros do grupo geralmente começam a aconselhar e sugerir soluções. O poder é de Deus! Quanto mais oramos, mais Seu poder é liberado.

Seu Tempo Devocional Diário

Isso é muito importante! Certifique-se de que você, como líder, esteja dedicando tempo diariamente aos pés de Jesus, conversando com Ele e lendo Sua Palavra. Se você fizer do seu tempo devocional a prioridade em sua vida, isso resultará em lindas experiências. ”Do local secreto da oração proveio o poder que abalou o mundo na grande Reforma. Ali, com santa calma, os servos do Senhor colocaram os pés sobre a rocha de Suas promessas.” (O Grande Conflito, p. 210).

Desafios dos Dez Dias de Oração de Envolvimento na Missão

Todos podem fazer algo para acelerar a vinda de Jesus através do Total Envolvimento na Missão.

Porque tive fome, e me destes de comer; tive sede, e me destes de beber; era forasteiro, e me hospedastes; estava nu, e me vestistes; enfermo, e me visitastes; preso, e fostes ver-me.” (Mateus 25:35).

Em A Ciência do Bom Viver, lemos: “Carecemos de viver uma dupla vida — vida de pensamento e de ação, de silenciosa prece e infatigável trabalho. (p. 512). É nosso privilégio mostrar aos outros o amor de Jesus. Recebemos muito amor de nosso Salvador; não o guardemos para nós mesmos. Compartilhemos Seu amor com os outros.

Encorajamos você e sua igreja a pedirem a Deus em oração que lhes capacite a testemunhar para outras pessoas depois dos Dez Dias de Oração. Escolha uma ou várias atividades, escolha um dia e seja as mãos e os pés de Jesus. Ao trabalhar para organizar tudo, evite que esses arranjos o distraiam da oração. “O esforço pessoal pelos outros deve ser precedido por muita oração secreta; pois requer grande sabedoria para entender a ciência de salvar almas. Antes de se comunicar com os homens, comunique-se com Cristo. No trono da graça celestial, obtenha uma preparação para ministrar ao povo ” (Prayer, p. 313).

Preparamos uma lista de maneiras pelas quais você pode ajudar outras pessoas. Escolha o que for mais adequado às necessidades das pessoas a quem você servirá. Sinta-se livre para fazer algo que não está listado.

  • Faça uma refeição para alguém que está ou esteve doente.

  • Convide um vizinho ou colega de trabalho para uma reunião social.

  • Leve comida a um sem-teto.

  • Doe roupas que você gostaria de fossem doadas para você.

  • Adote” uma pessoa idosa. Visite a pessoa regularmente e ajude nas tarefas domésticas, compras, culinária ou jardinagem.

  • Asse pães e compartilhe um pão com um vizinho.

  • Ajude em projetos que irão beneficiar a sua vizinhança.

  • Ofereça-se para ficar com uma pessoa doente ou deficiente, para que seus responsáveis possam realizar uma tarefa.

  • Apresente-se a um novo vizinho, convidando-o para uma refeição. Faça com que se sintam bem-vindos no bairro.

  • Compre mantimentos e entregue-os a uma família carente.

  • Doe seus óculos antigos.

  • Ofereça-se para estudar a Bíblia.

  • Visite pessoas em lares de idosos.

  • Dê algum dinheiro para “lanche” a um aluno.

  • Colete roupas para os necessitados. Você pode começar um armário de roupas em sua igreja para compartilhar com os necessitados.

  • Doe seu laptop antigo ou outros eletrônicos.

  • Doe um carro usado.

  • Organize uma “Feira de Saúde”.

  • Envie um cartão para alguém que não pode sair de casa.

  • Organize uma série evangelística.

  • Ligue para seus vizinhos e pergunte como eles estão.

  • Dê a alguém um livro que você acha que a pessoa vai gostar.

  • Distribua folhetos missionários.

  • Convide alguém para aceitar a Jesus.

  • Realize uma escola de culinária.

  • Faça o “Projeto de Literatura 28”. Na primeira semana, distribua um livro. Na segunda semana, dois livros. Na terceira semana, doe três livros. Continue até ter distribuído 28 livros (7 semanas).

  • Leve comida para alguém que perdeu um ente querido.

  • Visite alguém no hospital para incentivá-lo ou ajudá-lo de alguma forma.

  • Leia para uma pessoa idosa.

  • Visite um orfanato e ofereça sua ajuda à equipe.

  • Inicie um grupo de costura / tricô / crochê para fazer roupas para quem precisa.

  • Leia a Bíblia em voz alta para alguém que não pode ver ou ler.

  • Realize uma noite para jovens em sua casa.

  • Ofereça-se como voluntário para ajudar em um abrigo para pessoas abusadas.

  • Doe alguns livros para um orfanato ou abrigo de crianças.

  • Leve crianças da sua igreja para visitar um lar para idosos. Apresente um programação para eles.

  • Planeje e execute um dia de recreação para crianças com necessidades especiais e suas famílias.

  • Organize ou se envolva em um dia de limpeza na comunidade.

  • Inicie um clube de saúde em sua igreja. Convide amigos e vizinhos.

  • Pergunte a alguém se ele gostaria de acompanhá-lo assistindo a um DVD com uma mensagem espiritual. Ao assistirem juntos, ore para que o Espírito Santo fale ao coração da pessoa.

  • Crie seu próprio projeto.

Para mais sugestões sobre como testemunhar, acesse www.revivalandreformation.org/resources/witnessing.

Fonte: https://www.tendaysofprayer.org/

Tradução: equipe https://reavivadosporsuapalavra.org/ (JS/JAQ/GASQ)



JÓ 20 by Jeferson Quimelli
11 de janeiro de 2020, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/job/20

Agora é a vez de Zofar responder a Jó. Ele sente que deve falar por causa da agitação de seus pensamentos (v. 2). Entretanto, eles são guiados pelo racionalismo e pela razão e não por Deus. Zofar diz: “Ouvi uma repreensão […] e o meu entendimento faz-me contestar” (v. 3 NVI). Zofar quer usar o espírito racionalista como a base principal para a sua defesa.Ele argumenta que Jó deveria saber que isto tem sido assim desde que o homem foi colocado na terra (v. 4). Então Zofar tenta assustar Jó usando o medo egípcio de que cobras o atacariam (v. 16).

A Bíblia afirma que a iniquidade de todos será revelada, mas Zofar erra quanto ao momento em que isso acontecerá e quanto à razão das calamidades de Jó. Ele diz que quando o julgamento do mal é feito no céu (juízo investigativo), a pessoa perde a sua riqueza na terra. “As riquezas de sua casa serão transportadas; como água serão derramadas no dia da ira de Deus” (v. 28). Zofar está insinuando que Jó perdeu tudo por causa do dia da ira de Deus, que já havia decretado sua culpa no céu (v. 29).

Querido Deus,
A verdade revelada em Sua Palavra nos é vital para evitar que nosso entendimento da realidade espiritual seja turvado pela mistura de teologias errôneas. Oramos para que nos mantenha puros. Amém.


Koot van Wyk

Kyungpook National University
Sangju, Coreia do Su

Texto mundial: https://www.revivalandreformation.org/?id=702
Equipe de tradução: Pr. Jobson Santos, Jeferson e Gisele Quimelli



JÓ 20 – COMENTÁRIO PR. ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
11 de janeiro de 2020, 0:55
Filed under: Sem categoria



JÓ 20 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
11 de janeiro de 2020, 0:45
Filed under: Sem categoria

JÓ 20 – A dor está presente desde nosso nascimento. Já nascemos chorando e ao morrermos deixamos muita gente chorando. Nossa existência não flui por caminhos aveludados, mas por estradas acidentadas, com subidas íngremes e precipícios perigosíssimos. Trilhamos muitas vezes por desertos abrasadores e despencamos para vales escuros.

Perdas. Lutos. Dores. Sofrimentos… A vida não é um mar de rosas nem um parque de diversões. Nossa existência não acontece num jardim. Estamos entre espinhos, numa luta ferrenha para sobreviver. Somos açoitados de um lado para outro pelos látegos da dor sem a presença de entes queridos. Desprovidos de recursos vitais, somos entregues à morte todo dia, principalmente se amamos a Jesus (Rm 8:36).

Cicatrizes, hematomas, feridas purulentas, corações partidos, amores destruídos, vazio na alma, abandono, desprezo, vão aumentando nosso currículo, diminuindo nossas expectativas. E, nestas horas sempre tem alguém para nos dar sermões moralistas, legalistas. Jó teve que ouvir as proposições de Zofar, que destacou os seguintes pontos:

1. Aquele que defende teorias infundadas sente-se ameaçado quando confrontado. Começa a falar precipitadamente objetivando impedir aquele que tem opinião contrária de prosseguir expondo seu lado. Zofar mostra-se incomodado com a repreensão de Jó (vs. 1-3).

2. Aquele que se sente ameaçado emite opinião como se fosse absoluta convicção. Zofar não tem nada novo para acrescentar a seu discurso, seu objetivo é martelar na mesma tecla a fim de intentar convencer seu oponente a mudar de opinião. Ele reitera sobre o destino dos perversos intentando provar que Jó não era um bom indivíduo devido a sua situação caótica (vs. 4-29).

Comentando este capítulo, o escritor africano Tewoldemedhin Habtu diz sobre Zofar: “Considerando seu estado emocional agitado, teria sido melhor permanecer calado”. Zofar descreve “as desgraças que aguardam ao perverso… Ainda que essa lista de retribuições seja expressa em termos gerais, não há dúvida que o alvo de Zofar é Jó. Contudo, a acusação de que Jó oprimiu e desamparou os pobres (20:19) é totalmente infundada. Prosseguindo com sua metralhadora de punições, Zofar afirma que aflições e ira de Deus serão recompensas do perverso em meio à sua prosperidade; não há como escapar”.

Quem…
• …diz meias-verdades acusa justos de perversos – peçamos a Deus força para somente dizermos verdades inteiras.
• …vive de opiniões despreza provas que lhe ameacem – peçamos a Deus cautela e sede em buscar sempre a verdade, especialmente para apoiar quem sofre.
• …é orgulhoso tem dificuldades para explicar o sofrimento – peçamos a Deus sabedoria para nos mantermos sempre humildes, côncios de nossa limitação e transitoriedade.

Portanto, cresçamos espiritualmente! – Heber Toth Armí.



JÓ 20 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
11 de janeiro de 2020, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Tal é, da parte de Deus, a sorte do homem perverso, tal a herança decretada por Deus” (v.29).

Como quem tapa os ouvidos à voz do aflito, assim foram os amigos de Jó. Nada do que ele dissesse em sua defesa era considerado e seus clamores eram ignorados. A necessidade de acusá-lo era maior do que o cenário que deveria comovê-los. Despedaçado pelo sofrimento, Jó foi julgado e condenado pelos argumentos daqueles que antes o contemplavam como o mais favorecido dos homens. Em sua cega concepção, a terrível condição de Jó não poderia ser outra coisa a não ser o juízo divino sobre o pecador impenitente.

O entendimento equivocado de que tudo aquilo havia sido provocado por Deus limitava a mente à verdadeira compreensão de Seu caráter. Mesmo conservada a esperança e a fé em seu Redentor, Jó também compartilhava da mesma concepção. A diferença é que ele mantinha em seu coração a certeza de sua sinceridade e integridade diante de Deus, e, desconhecendo ser o “palco” ambulante de um conflito superior, era consumido pela angústia diante do silêncio do Céu. Mas ainda que vituperadas todas as suas virtudes e corroído pela dor, nada pôde abalar o seu amor e confiança nAquele que conhecera em tempos de bonança.

Mesmo que tenhamos nas Escrituras nada mais do que pequenos vislumbres dos primeiros anos da vida de Cristo, é certo que este tempo oportuno foi aproveitado para promover-Lhe um caráter íntegro e santo mediante a intimidade com Seu Pai Celeste. Jesus enfrentaria um ministério de duras provas e perseguições. Não fosse o relacionamento estabelecido com o alto enquanto lidava com as simples atividades do cotidiano, e no deserto da tentação cairia subjugado. Mas nem o apetite nem coisa alguma neste mundo pôde subjugar Aquele que escolheu Se tornar semelhante a nós e nos deixar a certeza de que tudo podemos nAquele que nos fortalece (Fp.4:13).

Deus conclama o Seu povo a buscá-Lo em intimidade enquanto há paz. Porque se aproxima o “tempo de angústia qual nunca houve” (Dn.12:1), e não ficará em pé quem desperdiçou “o tempo sobremodo oportuno”. Não sabemos o que o futuro nos reserva, portanto, “eis, agora, o dia da salvação” (2Co.6:2). Renunciar as coisas que há no mundo, fechar os olhos para a maldade, apegar-se com profundo interesse à Palavra Inspirada, fazer da oração a constante confissão do íntimo, encher a vida de louvor, olhar para o próximo com compaixão, faz parte do aperfeiçoamento de caráter que o Senhor deseja realizar no meio do Seu povo, todos os dias, quer seja nas atividades corriqueiras ou em maiores empreendimentos.

Como Jó e como Jesus, que a comunhão diária com o Eterno seja o nosso jornadear. E quando este mundo for atingido pela tempestade final, estaremos bem seguros “à sombra do Onipotente” (Sl.91:1). Sejamos, pois, “imitadores daqueles que, pela fé e pela longanimidade, herdam as promessas” (Hb.6:12). Vigiemos e oremos!

Feliz sábado, imitadores de Cristo!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Jó20 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



JÓ 20 – COMENTÁRIO PR. RONALDO DE OLIVEIRA by Maria Eduarda
11 de janeiro de 2020, 0:10
Filed under: Sem categoria



JÓ 20 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
11 de janeiro de 2020, 0:05
Filed under: Sem categoria

908 palavras

1-15 Zofar, em termos aterradores, descreve o terrível castigo que sobrevém aos perversos. Despreza, porém, o apelo de Jó para o juízo final, pois diz que os perversos serão fulminados aqui na terra (v 4,5). Notamos, então, que os três consoladores de Jó continuam cegos e confusos, como antes, nada compreendendo na verdadeira natureza da situação de Jó. Esquecidos de seu papel de consoladores, se sentem impulsionados pelo desejo de vencer Jó nos argumentos, cf. 20.2,3 (Bíblia Shedd).

Este é o segundo discurso de Zofar. Seu propósito é mostrar que não importa a que altura o ímpio seja exaltado, não importa quão próspero ele possa se tornar, Deus o humilhará e fará com que ele sofra. A referência a Jó é óbvia demais para não ser notada. O cap. 19 terminou com uma advertência feita por Jó. Zofar se ressente do fato de Jó dirigir sua ameaça de castigo contra seus amigos, já que está seguro de que somente Jó é culpado (CBASD, vol 3. p. 619).

meus pensamentos me impõem resposta. Os pensamentos de Zofar não constituem calma reflexão ou profunda meditação. Ele está agitado. Seus pensamentos parecem ser expressos de maneira confusa e desordenada (CBASD, vol 3. p. 619).

Eu me apresso. Zofar admite seu temperamento impetuoso (CBASD, vol 3. p. 619).

eu ouvi a repreensão. Na verdade, o que Zofar está está dizendo é: ”Você me acusou falsamente, e meu ressentimento me compele a responder.” Este verso revela o caráter de Zofar: ele é irritável e impetuoso. Mal pôde esperar Jó terminar, para começar a falar indignadamente (CBASD, vol 3. p. 619).

meu entendimento. Não é incomum que uma pessoa impetuosa afirme falar guiada pelos princípios da calma sabedoria (CBASD, vol 3. p. 619).

momentânea. Este verso explica a solução de Zofar para o problema da prosperidade dos ímpios. Ele admite que eles podem gritar de triunfo, mas que essa alegria é momentânea. Em parte, Zofar está certo, mas seu argumento é fraco porque ele não reconhece que um pecador pode parecer triunfar ao longo de toda a sua vida mortal (ver Sl 37:35, 36; 73:1-17). A curta duração do triunfo dos maus é um dos principais pontos de desacordo entre Jó e seus oponentes (CBASD, vol 3. p. 619).

como um sonho. Uma figura que descreve a instabilidade dos ímpios. Nada é mais irreal e passageiro do que um sonho (CBASD, vol 3. p. 619).

12 ainda que o mal lhe seja doce. Este verso inicia uma nova estrofeA impiedade tem seus prazeres, mas eles são superficiais e transitórios (CBASD, vol 3. p. 620).

Debaixo da língua. O pecado é descrito como um doce que o ímpio conserva debaixo da língua para ir saboreando por bastante tempo antes de o engolir (v 13), e quando o engolir, então percebe quão venenoso realmente é (v 14) (Bíblia Shedd).

13 e o saboreie. O gosto da impiedade é saboroso. O pecador odeia separar-se de sua loucura e de seu prazer. Ele é como a criança que procura fazer um pedaço de doce durar o máximo possível (CBASD, vol 3. p. 620).

14 contudo, […] se tranformará. O pecado, depois de engolido, fica amargo e se torna como o veneno da áspide (CBASD, vol 3. p. 619).

18 devolverá. A fim de compensar aqueles a quem roubou, o ímpio terá de dar-lhes a riqueza que ganhou honestamente (CBASD, vol 3. p. 620).

19 desamparou os pobres. Estas acusações de maus-tratos aos pobres são, pela primeira vez, insinuadas contra Jó. Mais tarde, serão feitas abertamente por Elifaz (Jó 22:5-9). Jó nega as acusações (Jó 29:11-17) (CBASD, vol 3. p. 620).

23 Deus mandará sobre ele o furor da Sua ira. A única abundância, porção ou herança dos ímpios gananciosos será, afinal, a ira divina (Bíblia Shedd).

Zofar obviamente está aplicando estas palavras a Jó. Em meio à prosperidade, Jó foi humilhado. As palavras de Zofar tem o objetivo de ferir. Ele tenta apresentar Jó como um pecador que experimenta o furor da ira de Deus (CBASD, vol 3. p. 620).

25 Resplandecente. Do heb. baraq, literalmente “raio”, usado aqui figurativamente para descrever a ponta reluzente de uma flecha (CBASD,vol 3. p. 620).

fel. Num esforço desesperado de salvar a sua vida, arranca a flecha que o transpassara, só para averiguar que já atingira seu fígado (Bíblia Shedd).

26 contra todos os seus tesouros. Todo tipo de calamidade aguarda os tesouros que o ímpio ajuntou e acumulou para si (CBASD, vol 3. p. 620).

fogo não assoprado. Um fogo não aceso pelo homem (Bíblia Shedd).

27 manifestarão a sua iniquidade. Esta é a resposta de Zofar ao apelo de Jó (16:18, 19): para que o céu e a terra deem testemunho a seu favor. O céu, diz ele, em vez de falar a favor de Jó, revelará sua iniquidade. A terra, em vez de tomar partido por ele, se levantará contra ele (CBASD, vol 3. p. 620).

29 tal é […] a sorte. Esta conclusão é semelhante à que Bildade tirou no final de seu discurso (Jó 18:21). Nesta seção de sua fala, Zofar quis transmitir a Jó que ele não podia esperar sorte diferente da que lhe cabia.

Isto conclui a participação de Zofar. Ele não participa do terceiro ciclo de discursos. Sua fala representa o ápice da atitude estreita, legalista e crítica dos amigos. Dificilmente seria possível enfatizar, de maneira mais terrível e vívida do que Zofar o fez, a visão de que o ímpio rico é punido por Deus. Para Zofar, Jó é um ímpio, que enfrenta os resultados de seus próprios pecados. Ele é culpado de ganho injusto; portanto, Deus consome suas posses. Zofar procura minar a nova confiança em Deus que Jó havia expressado [19:25-27]. Não se pode discernir em seu discurso nenhum sinal de bondade ou simpatia (CBASD, vol 3. p. 621).




%d blogueiros gostam disto: