Reavivados por Sua Palavra


FAÇA COMO JÓ, NÃO DESISTA! by jefersonquimelli
4 de janeiro de 2020, 19:38
Filed under: Sem categoria

Querido leitor,

Nestes dias estamos estudando os diálogos entre Jó e seus amigos, muitos em forma poética. Caso lhe vir a tentação de parar a leitura, por achar que este assunto não tem muito a ver com suas necessidades espirituais e emocionais deste momento, por favor, não desista!

Deus tem muitas bênçãos reservadas para você através do estudo da Sua Palavra, cada uma a seu tempo. Deus quer falar com você através de Sua Palavra.

E mais: caso alguma passagem ou comentário lhe impressione de modo especial o seu espírito, como uma palavra do Senhor, gostaríamos muito se compartilhasse conosco. Pode ser algo simples, mas se tocou seu coração, pode beneficiar a outros também.

Escreva um breve texto e publique como comentário aqui, no blog.

Assim fazendo, estaremos sendo “reavivados pela Palavra”. [Jeferson]



JÓ 13 by jefersonquimelli
4 de janeiro de 2020, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/job/13

Jó, então, pede ao Senhor apenas duas coisas: (a) que afaste dele a Sua mão que o castiga e (b) que estes castigos aterrorizantes não interrompam a comunicação entre os dois, em ambos os sentidos (v. 20, 21). Deus o mantém em Suas mãos e o cerca com a verdade. Devemos também ter esta mesma certeza. Falemos com Deus (cf. v. 22): “Ligue-me e eu responderei ou eu falo e você responde.”

Jó continua pedindo que Deus faça conhecer sua transgressão (v. 23) que o priva de desfrutar as bênçãos do companheirismo e amizade com Ele (v. 24). Jó sabe que seus pecados estão registrados e se pergunta se agora está sofrendo pelos pecados de sua juventude (v. 26).

Considere: No juízo investigativo [que começou em 1844 e se estenderá até o tempo do fim] eu pedi a Jesus para cobrir meus pecados com Sua justiça?

Querido Deus,
Somos inspirados pela fé de Jó. Te pedimos que, enquanto ainda temos oportunidade, nos revele e nos afaste do mal que acariciamos, aquilo que nos impede de nos impede de fruirmos plenamente as bênçãos do relacionamento conTigo, hoje e sempre. Amém.

Koot van Wyk
Kyungpook National University
Sangju, Coreia do Sul

Texto mundial: https://www.revivalandreformation.org/?id=695
Equipe de tradução: Pr. Jobson Santos, Jeferson e Gisele Quimelli



10 DIAS DE ORAÇÃO – EDIÇÃO MUNDIAL – DIA 6 – OS DONS DO ESPÍRITO SANTO by jefersonquimelli
4 de janeiro de 2020, 0:57
Filed under: Sem categoria

DIA 6 — OS DONS DO ESPÍRITO SANTO

TEMA GERAL: BUSCANDO O ESPÍRITO DE DEUS

“Ora, os dons são diversos, mas o Espírito é o mesmo. E também há diversidade nos serviços, mas o Senhor é o mesmo. E há diversidade nas realizações, mas o mesmo Deus é quem opera tudo em todos. A manifestação do Espírito é concedida a cada um visando a um fim proveitoso.” (1 Coríntios 12:4-7, ARA).

Testemunho

“É o acompanhamento do Santo Espírito de Deus que prepara os obreiros, tanto homens quanto mulheres, para se tornarem pastores do rebanho de Deus. . . . Os que tiverem fé nesse divino Auxiliador [o Espírito Santo], se hão de desenvolver. Serão dotados de poder para revestir de sagrada beleza a mensagem da verdade.” (Ellen White, Obreiros Evangélicos, p. 96, 97).

O telefone tocou no meu escritório em Albany, Oregon. “Quem fala é o pastor da Igreja Adventista do Sétimo dia?” uma voz feminina perguntou. “Sim, é sim” eu respondi. “Você precisa vir para o hospital agora. Nós temos uma paciente aqui que esta tendo arritmias cardíacas graves. Temos medo de que ela possa morrer, mas ela não nos deixa fazer nada até que um pastor da Igreja Adventista do Sétimo Dia ore por ela. Ela continua insistindo que se um pastor da Igreja Adventista orar por ela, ela será curada. Por favor, venha rápido!”

Enquanto dirigia para o hospital eu orei: “Senhor, estou um pouco preocupado com esta visita. A senhora fica repetindo que se um pastor da Igreja Adventista orar por ela, ela será curada. Eu e o Senhor sabemos que nem sempre o Senhor escolhe curar alguém. O que aqueles enfermeiros e médicos irão dizer se o Senhor não curá-la?” Pareceu que o Senhor me respondeu: “O que está te incomodando?” “Eu estou preocupado com a Tua reputação, Senhor” eu disse. “Então, deixa ver se eu entendi” foi o que o Senhor pareceu dizer. “Você está preocupado com a Minha reputação?” “Sim,” eu continuei, “eu sei que parece um pouco bobo, mas o que as pessoas dirão — o que a senhora dirá—se o Senhor não curá-la?”. Deus falou ao meu coração, “É sua responsabilidade ser obediente. É minha responsabilidade cuidar da Minha reputação.” “o Senhor tem razão”, eu disse. “Vou confiar que Tu farás o que sabes ser o melhor.”

No hospital eu conheci 4 enfermeiras que estavam no quarto da mulher. “Você é o pastor adventista?” uma enfermeira perguntou. “Vá logo e ore para que a gente consiga fazer algo!” Pelo nome que a enfermeira havia me passado eu já sabia que aquela pacienta não era membro da minha igreja nem de outra igreja próxima. E eu fiquei me perguntando porque ela insistia em receber orações de um pastor adventista, mas não havia tempo para um diálogo demorado. Seu monitor cardíaco exibia um padrão de batidas cardíacas problemático. Eu sabia que ela estava com problemas de saúde. Eu dei a volta na cama e segurei a sua mão direita. Ela se virou devagar, abriu os olhos, e perguntou, “Você é um pastor adventista?” “Sim,” eu disse. “Se você orar por mim eu sei que vou ficar curada,” ela disse.

Aquele não o momento para um sermão ou estudo bíblico acerca da oração pelos doentes. Eu somente perguntei, “Irmã, você está disposta a deixar que Jesus decida o que vai ocorrer aqui hoje?” “Sim, pastor,” ela disse, “Mas eu sei que se você orar por mim eu serei curada!” Então fechei meus olhos e pedi para que o Senhor dos céus mostrasse o Seu poder e misericordia para com aquela senhora. Eu pedi para que Ele glorificasse Seu nome diante dos enfermeiros e doutores no hospital e que a cura daquela mulher fosse um testemunho para muitas pessoas. Eu pedi ao Senhor para curá-la se fosse a vontade dEle, se fosse trazer glória para o Seu nome, e se fosse o melhor para ela. Eu terminei a minha oração em nome de Jesus e disse: “Amém.” Ao abrir os olhos o monitor mostrava uma frequência cardíaca perfeita! A senhora segurou minha mão com força e disse, “Eu me sinto bem. Eu estou curada! Eu sabia que se um pastor adventista orasse por mim eu seria curada!”

Eu me lembrei de como Jesus lidou com situações como esta, então eu disse? “Irmã, a sua fé lhe salvou!” Eu agradeci a Deus e sai do quarto. O enfermeiro perguntou: “Podemos entrar agora?”. E eu disse: “Sim, mas não acho que ela precise mais de vocês.” Os olhos delas arregalaram, e elas foram rapidamente até a paciente. Eu não posso dizer o que aconteceu depois, porque eu fui embora. Eu não queria que as enfermeiros e a paciente ficassem olhando para mim como seu eu a tivesse curado. Foi o dom da cura que foi concedido pelo Espírito Santo para benefício daquela mulher naquele momento.

Textos Bíblicos para orar

  • 1 Coríntios 12:9— O dom de cura é aqui descrito. O Senhor tem muitos meios de curar pessoas, e Ele quer repartir Seu poder curador através de Seu povo.
  • Efésios 4:11-13— O Espírito Santo distribui vários dons para vária pessoas. Ele tem um plano para você também.
  • Lucas 5:17— O poder do Senhor é estar presente para curar.
  • 1 Coríntios 14:1, 13— Deseje dons espirituais e ore para recebê-los.
  • Apocalipse 1:10— Quando o Espírito Santo desce sobre nós, podemos ouvir a Deus de uma maneira nova e poderosa.

Orações sugeridas

  • Aqui estou Senhor, usa-me em Teu serviço. Encha-me com Teu Espírito e capacita-me com Teus dons.
  • Querido Jesus, eu quero fazer a diferença para Ti neste mundo. Não estou contente com só ficar sentado na igreja. Dê-me o poder do Teu Espírito através dos dons que o Senhor escolheu para mim a fim de que eu possa derrotar o poder do pecado neste mundo.
  • Senhor, aumenta meus dons através do estudo, treinamento, experiência, e oração. Nós dedicamos todos os nossos talentos a Ti e humildemente pedimos que o Senhor conceda bençãos sobrenaturais para que o evangelho avance com poder.
  • Nós oramos para as mais de 8000 escolas com mais de 2 milhões de alunos. Que essas escolas sempre ensinem a verdade bíblica e guiem jovens para a missão e o serviço.
  • Senhor, conceda-nos sabedoria para alcançar culturas seculares que não possuem interesse em religião. Faça com que o Espírito Santo derrube as mulhares que bloqueiam estes corações.
  • Nós oramos por grupos de pessoas na Ásia que não possuem uma cosmovisão cristã. Dê-nos especial sabedoria para atendermos às suas necessidades.
  • Senhor, por favor inspira os Adventistas de todo mundo para orarem como nunca antes pela chuva serôdia do Espírito Santo. Nós pedimos pelo cumprimento da promessa de Joel 2, Oséias 6, e Atos 2.
  • Mostra-nos como atender as necessidades práticas e espirituais dos refugiados. Que nossa igreja seja conhecida pelo nosso amor por todas as pessoas, não importa quem sejam ou de onde venham.
  • Oramos pelos 541 grupos de pessoas que não conhecem a Cristo em 18 países da Divisão do Sul Africana e Oceano Índico. Por favor, guie-os à verdade bíblica.
  • Também oramos por nossa lista de 7 pessoas ou mais [mencione os nomes se for apropriado].
  • Pedidos de Oração Locais:

Músicas sugeridas

Tu és fiel Senhor (Hino 35); Olha com Fé Para Cima (Hino 272); Vem, Espírito Santo (Hino 598).

Em inglês:
I Need a Miracle; Something Beautiful; You Are the Finger of God; Great Is Thy Faithfulness (Hymn #100); Fire of God, Thou Sacred Flame (Hymn #263); O for That Flame of Living Fire (Hymn #264); Oceans.



JÓ 13 – COMENTÁRIO PR. ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
4 de janeiro de 2020, 0:55
Filed under: Sem categoria



JÓ 13 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by jefersonquimelli
4 de janeiro de 2020, 0:45
Filed under: Sem categoria

JÓ 13 – Tem muitas coisas que sabemos que Jó não sabia. A revelação é gradativa. A Bíblia demorou aproximadamente 1600 anos para ser concluída. O livro de Jó foi o primeiro a ser inspirado pelo Espírito Santo neste mundo pecaminoso. Contudo, é possível que nossa fé não seja tão sólida como a de Jó. Isso é lamentável!

O que sabemos (ou deveríamos saber) que Jó não sabia? Dentre tantas coisas, observe esta reflexão oriunda da pena de Rodolfo Gorski:

“Quando aceitamos a Cristo como Salvador, não recebemos nenhuma apólice de seguro de saúde e de proteção contra os resultados do pecado neste mundo. Por isso, todos os cristãos estão sujeitos aos acidentes, às doenças e até à morte. Todavia, é gratificante notificar que, ao aceitarmos a Cristo e nEle permanecermos, Deus nos concede a apólice de vida eterna, com todas as garantias. Essa apólice vem autenticada pelo sangue do próprio autor da vida, Jesus Cristo”.

Também temos a história de Jó que nos ensina preciosas lições espirituais para fortalecer a nossa fé que ele, obviamente, não tinha. Neste capítulo, Jó continua seu discurso, do qual temos:

• Falando com seus amigos. Indignado, em meio à dor e aos ataques ferinos da parte deles, Jó declara que falaria com Deus, pois não adiantava nada falar com eles; era pior ouvir suas palavras que seu silêncio (vs. 1-5). Assim como os amigos de Jó, na hora de ajudar um amigo na dor, muitos agem como charlatães, como médicos que dão receitas erradas, ou como advogados fraudulentos (vs. 6-12).

• Jó expressa esperança antes de dirigir-se diretamente a Deus. Mesmo sofrendo, Jó tem certeza da existência de Deus. Ele não tem medo de Deus, mas confiança. Em meio a mais terrível dor, Jó se rende ao Senhor antes de falar com Ele (vs. 13-19). É lamentável que mesmo possuindo muito mais informações reveladas, nossa fé pode nem chegar perto da confiança de Jó em Deus.

• Ao orar a Deus, Jó faz a Deus dois pedidos (vs. 20-28):

1. Que lhe tire as aflições.
2. Que fale consigo para que ele possa responder.

Como Jó, em meio ao sofrimento precisamos aprender a fugir para Deus, não fugir dEle. Por que afastar-se de Deus, se Ele é nossa única esperança? – Heber Toth Armí.



JÓ 13 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
4 de janeiro de 2020, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Atentai para as minhas razões e dai ouvidos à minha exposição” (v.17).

Um contraste é apresentado neste capítulo: o falatório dos amigos de Jó e o silêncio de Deus. Em defesa de sua integridade, Jó apelou para a consciência dos que o acusavam e questionou as razões de seu sofrimento ao Senhor. Mesmo diante de seu deplorável estado físico, econômico e emocional, Jó não permitiu que seus amigos o tratassem como inferior e os classificou como “médicos que não valem nada” (v.4). Quem dera tivessem se calado, e seriam considerados sábios!

Jó já não alimentava esperança alguma nesta Terra. Como “uma coisa podre que se consome e como a roupa que é comida da traça” (v.28), seu corpo emanava o odor da morte. Para ele e para aqueles que o viam, era só uma questão de tempo e seus gemidos cessariam. Foi mediante esse pensamento, que resolveu externar a sua agonia independente do que ouviria em seguida. Jó mudou o rumo do seu discurso para o Santo Ouvinte, para Aquele com Quem havia aprendido a se relacionar e a confiar. Sua inquietação era conhecer o motivo de sua desventura.

O pedido de Jó: “Notifica-me a minha transgressão e o meu pecado” (v.23), deveria ser o nosso pedido diário. Não como uma resposta ao sofrimento, mas como uma forma de estreitarmos a nossa relação com Deus e dEle dependermos; para confessarmos as nossas transgressões e vivermos em novidade de vida, como está escrito: “O que encobre as suas transgressões jamais prosperará; mas o que as confessa e deixa alcançará misericórdia” (Pv.28:13). Jó foi sincero em suas palavras e não buscou o favor de homens, mas buscava desesperadamente a aprovação de seu Amigo e Redentor.

Além de escavar no passado os tesouros de seu íntimo relacionamento com o Senhor, o flagelo de Jó o fez revirar a lama dos pecados de sua mocidade (v.26). Essa é uma estratégia que o Maligno usa constantemente contra os filhos de Deus. Mediante as tempestades da vida, ele nos traz à memória lembranças de pecados já confessados e abandonados; e num jogo desleal e cruel, faz de tudo para desviar o nosso olhar do compassivo Salvador e de Seu perdão irrevogável. Assim como a nuvem que descarrega a tempestade se dissipa e nunca mais se refaz, os pecados perdoados são lançados “nas profundezas do mar” (Mq.7:19), e de lá jamais serão retirados.

“Melhor é buscar refúgio no Senhor do que confiar no homem” (Sl.118:8). Jesus, que é a própria Palavra (Jo:1:1), nos deixou exemplo disso. Nas madrugadas, em Seus lugares solitários, Ele buscava no Pai a sabedoria e a força para enfrentar as batalhas de cada dia. A Sua comunhão com o Céu foi o que O sustentou no deserto, O guiou em Seu ministério terrestre, e O fortaleceu até à cruz. A vontade de Deus era o seu alimento e a oração, o Seu oxigênio. Assim como Jó sofreu com o silêncio de Deus, Jesus padeceu em agonia por sentir em nosso lugar o terrível castigo da ausência do Pai. Mas porque Cristo vive, nós também viveremos (Jo.14:19).

Abra o seu coração ao Senhor e O busque com sinceridade! E quando encontrá-Lo, você descobrirá a verdadeira felicidade: “esquecendo-me das coisas que para trás ficam e avançando para as que diante de mim estão, prossigo para o alvo, para o prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus” (Fp.3:13 e 14). Vigiemos e oremos!

Feliz sábado, novas criaturas!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Jó13 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



JÓ 13 – COMENTÁRIO PR. RONALDO DE OLIVEIRA by Maria Eduarda
4 de janeiro de 2020, 0:10
Filed under: Sem categoria




%d blogueiros gostam disto: