Reavivados por Sua Palavra


JÓ 12 by jefersonquimelli
3 de janeiro de 2020, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/job12

Jó respondeu a Zofar, dizendo que o conhecimento humano avançado vem do conhecimento da “revelação” (No livro Educação, p. 154-156, EGW enfatiza o mesmo ponto). Jó é ridicularizado por seus amigos porque suas referências estariam limitadas ao conhecimento da existência humana, e argumentava que ele “invocava a Deus”, e este lhe respondia (v. 4).

O mistério da salvação é loucura para o mundo. Tanto Jó como seus amigos sabem que Deus está acima da natureza, enfatizando a soberania de Deus, contudo Jó fala de um Deus pessoal que responde a quem O chama (v. 4).

Na opinião de Jó, o maus prosperam e “estão seguros”, porque por vezes Deus permite que eles estejam assim (v. 6). Jó exorta seus amigos a estudar cuidadosamente a ciência da zoologia: “os pássaros” do céu (v. 7), os animais terrestres, os “peixes do mar” (v. 8). Todo este conhecimento aponta para o Criador como vemos em Gênesis, cap. 1. Jó confirma isso, dizendo: “Na sua mão está a vida de cada criatura” (v. 10 NVI), exatamente o que Moisés tinha em mente em Gênesis 2:7.

Querido Deus,
Conceda-nos alinhar nossos pontos de vista pessoais com a perspectiva de Sua revelação. Que assim possamos compartilhar Seu conhecimento e salvação com este mundo. Amém.

Koot van Wyk
Kyungpook National University
Sangju, Coreia do Sul

Texto mundial: https://www.revivalandreformation.org/?id=694
Equipe de tradução: Pr. Jobson Santos, Jeferson e Gisele Quimelli



10 DIAS DE ORAÇÃO – Edição mundial – Dia 5 -O Fruto do Espírito Santo by jefersonquimelli
3 de janeiro de 2020, 0:57
Filed under: Sem categoria

Buscando o Espírito de Deus

 

Dia 5— O Fruto do Espírito Santo

Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio. Contra essas coisas não há lei.” (Gálatas 5:22,23, NVI).

Testemunho

É evidente que a verdade foi plantada no coração pelo Espírito Santo quando é amada e estimada, e considerada como um legado sagrada. O amor então brotará no coração como um poço de água viva, brotando para a vida eterna. Quando esse amor está no coração, o obreiro não encontrará cansaço na obra de Cristo ”(Ellen White, Review and Herald, vol. 3, p. 121, 13 de fevereiro de 1894).

Um diácono na igreja, conhecido como um homem prestativo e influente, tinha um sério problema de caráter que apenas sua esposa e filhos conheciam. No trabalho ou no lazer com outras pessoas, ele era o homem mais agradável que você poderia encontrar. Em casa, ele costumava ser insuportável. Ele se tornava temperamental e irritadiço. Às vezes, sua raiva aumentava e ele se tornava emocionalmente abusivo e punia severamente seus filhos.

O diácono não ignorava sua necessidade. Ele se odiava por suas explosões de raiva em casa. Ele compreendeu que estava professando uma coisa em público e vivendo uma vida diferente em casa. Às vezes, ele admitia que deveria assistir a aulas de controle da raiva, mas temia as consequências de admitir seu problema na igreja. Ele também sabia que deveria receber aconselhamento, mas sentia repulsa pela ideia de pagar alguém para ouvi-lo. Seu orgulho o isolava da ajuda que precisava. Ele era um homem religioso, mas não um homem espiritual – ele precisava ser convertido e ter a presença permanente do Espírito Santo em sua vida.

Certo outono, um pregador chegou à cidade e apresentou uma série de reuniões de reavivamento. Por causa de sua posição na igreja, o diácono compareceu a todas as reuniões, embora seu coração estivesse como pedra. Muita oração precedeu essas reuniões, e o Espírito Santo estava se movendo de maneiras milagrosas. Uma jovem renovou seu relacionamento com Jesus e confessou publicamente seus pecados, pedindo as orações e o apoio da congregação. Uma mulher não cristã que compareceu com um amigo entregou a vida a Jesus. Vida foram transformadas à medida que as pessoas foram à frente nos momentos de apelo para ir à frente.

Uma noite, no final da série, o diácono ficou de pé quando foi feito um apelo para ir à frente. Com lágrimas no rosto, ele avançou com outras pessoas que haviam respondido ao chamado de Deus em seus corações. Na frente da igreja, ele caiu de joelhos, levantou as mãos e disse em voz alta: “Deus, seja misericordioso comigo, um pecador!” As pessoas que conheciam o diácono ficaram surpresas ao ouvi-lo fazer uma oração em público, mas isso não foi tudo. O diácono colocou-se de pé, virou-se para a congregação e disse: “Estou com um terrível problema de raiva. Eu não sou o marido e o pai que deveria ser. Preciso confessar meus pecados, procurar ajuda e ser em casa o homem que todos pensam que eu sou em público.” A essa altura, a esposa e filhos estavam reunidos em volta dele chorando e se agarrando ao marido e pai. Os membros da igreja o cercaram, o pastor colocou a mão no ombro do homem, e que momento de oração todos tiveram naquela noite!

O diácono foi fiel à sua palavra. Com a ajuda do pastor, ele encontrou um conselheiro e também começou a frequentar aulas de controle da raiva. Mais importante, ele começou estudos bíblicos semanais com o pastor – não para entender a doutrina, mas para encontrar um relacionamento real com Jesus. O Espírito Santo abençoou o diácono e começou a enchê-lo com o fruto do Espírito. Sua esposa e filhos não apenas podiam ver a diferença, mas os membros da igreja e a comunidade também. O diácono estava em paz. Ele se tornou um homem muito mais generoso. Sua bondade e amor, especialmente para com sua esposa e filhos, eram evidentes para todos. A alegria e bênção de Jesus, através da habitação interior do Espírito Santo, transformou o lar do diácono num pedaço do céu na terra.

Textos bíblicos para orar

  • Gálatas 5:19-23 – As obras da carne são eliminadas pelo fruto do Espírito Santo: amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio.

  • João 13:35 – As pessoas saberão que somos verdadeiros cristãos pelo amor que demonstramos.

  • 1 Pedro 1:8 – Sentiremos alegria inexprimível.

  • Filipenses 4:7 – A paz de Deus guardará nossos corações e mentes.

  • 2 Coríntios 3:18 – Pelo poder do Espírito Santo somos transformados à imagem de Jesus.

  • João 7:38 – Rios de água viva fluirão de nossos corações.

Orações sugeridas

  • Querido Jesus, quero refletir Teu caráter a todos que conheço e a todos que encontro. Encha-me com o Teu Espírito Santo e permita que o fruto do Espírito brilhe do meu coração.

  • Por favor, ajuda-me a ser um cristão mais autêntico em casa do que em qualquer outro lugar. Que aqueles que me conhecem melhor possam ver o Senhor mais em mim.

  • Faça com que eu me torne um rio de bênçãos ao compartilhar o Teu amor, alegria e paz com o mundo em que vivo.

  • Conforme eu passo tempo em oração e estudo da Bíblia, por favor, me batiza cada vez mais com o Teu Espírito Santo. Permita que um suprimento infinito de Tua graça flua através de mim para o mundo sofredor.

  • Bendiga ao Senhor, a minha alma, e adore o Teu santo nome. Que a Tua alegria encha a minha alma!

  • Senhor, por favor, refrigera os corações de todos os que estão no ministério que estão cansados. Lembre-os de que eles estão fazendo a Tua vontade. Por favor, permita-lhes ver o fruto de seu trabalho, mesmo que seja apenas uma alma.

  • Senhor, lembramos de nossos professores da Escola Sabatina. Fala ao coração deles acerca da importância do trabalho deles para nossos filhos.

  • Senhor, buscamos a Tua orientação para os muitos Centros de Influência, programas de saúde, programas para a família e clubes de Desbravadores em todo o mundo.

  • Senhor, por favor, mostra-nos como distribuir mais literatura cheia da verdade (impressa e eletrônica) para nossas comunidades. Oramos para que as pessoas leiam esses materiais e que o Espírito Santo as convença da verdade bíblica.

  • Por favor, levanta evangelistas da literatura, estudantes voluntários, autores, especialistas em mídia e apoiadores financeiros para espalharem palavras de esperança e vida.

  • Oramos por nossas listas de sete nomes. Por favor, trabalha poderosamente nessas vidas. Reivindicamos 1 João 5:16 (Se alguém vir seu irmão cometer pecado que não leva à morte, ore, e Deus lhe dará vida).

  • Pedidos de Oração Locais:

Músicas sugeridas

Amor nos Faz Contentes (Hino 238); O Santo Espírito Desceu (Hino 157); Suave Espírito (Hino 158).

Em inglês:

This Little Light of Mine (Hymn #580); Spirit of God (Hymn #266); The Power of Your Love; Turn Your Life Over to Jesus; Learning to Lean on Jesus;

Fonte: https://www.tendaysofprayer.org/

Tradução: Equipe https://reavivadosporsuapalavra.org/ (JDS/JAQ/GASQ)



JÓ 12 – COMENTÁRIO PR. ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
3 de janeiro de 2020, 0:55
Filed under: Sem categoria



JÓ 12 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by jefersonquimelli
3 de janeiro de 2020, 0:45
Filed under: Sem categoria

JÓ 12 – Três contra um! Um trio irredutível em seus argumentos mesmo diante de provas contundentes. Jó e suas declarações de que mesmo os justos sofrem, contra os argumentos de que o sofrimento era punição aos pecadores impenitentes. Que desafio para Jó!

É usual o abandono até dos que se dizem amigos quando se perde tudo (Lucas 15:11-16). Mesmo que muitos tenham abandonado a Jó, seus amigos estavam com ele. Embora eles não fossem compreensivos, a fidelidade de Jó a Deus se fortalecia.

• Apesar dos pesares, o sofrimento extrai de nós muitas coisas boas.

Jó vasculhou fundo em sua mente visando encontrar respostas aos seus confrontadores. Isso é positivo! O ferro afia o ferro assim como relacionamentos influenciam no desenvolvimento do caráter. Não importa o tipo de amigo, no relacionamento, o fiel servo de Deus amadurecerá seu caráter. Com fé em Deus e atitude positiva é possível crescer/aprender até mesmo nas condições mais negativas.

• Jó mostra aos amigos que se supõem mais sábios que ele que é generalizada a suposta sabedoria mais elevada deles; suas verdades filosofadas não eram nenhuma novidade para ele (vs. 1-3).

• Jó intentava mostrar que a crença tradicional na teologia da retribuição não condizia com os fatos. Nem todo sofrimento vem por algum pecado cometido (vs. 4-6).

• Jó mostra que o conhecimento é universal, a natureza ensina muitas verdades aos que param para observá-la atentamente. A sabedoria natural é acessível a todos, mas a sobrenatural é exclusiva de Deus (vs. 7-13).

• Jó, em sua ignorância ao tema do grande conflito – entre um Satanás poderoso, agente do mal, e um Deus Todo-poderoso agente do bem – enfatiza aspectos negativos da criação/natureza relacionados com Deus. Sua teologia é confusa (vs. 14-25).

Como alguém na escuridão buscando luz, a pressão psicológica dos amigos de Jó o fez procurar por saída, solução e explicação. A falta de compreensão do grande conflito impede até os mais sábios de entender sua história e seu mundo.

• O causador do mal é Satanás; Deus só investe no bem!
• O destruidor é Satanás; Deus é o Criador!

Desconsiderar a existência de Satanás leva a interpretações equivocadas do caráter de Deus!

Como Jó, muitas pessoas carecem destas verdades… – Heber Toth Armí.



JÓ 12 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
3 de janeiro de 2020, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Também eu tenho entendimento como vós; eu não vos sou inferior; quem não sabe coisas como essas?” (v.3).

Daqueles os quais esperava ouvir palavras de conforto e de esperança, Jó encontrou mais um motivo de tristeza e de desânimo. Acusado injustamente, seus amigos tornaram-se oponentes que queriam a todo custo convencê-lo de que sua condição significava a colheita de sua impiedade. Como um tição tirado do fogo, a enfermidade o consumia, mas não machucava mais do que as palavras de depreciação em discursos especulativos.

Após tirar de Jó toda a sua prosperidade, mergulhá-lo em um terrível luto e afligi-lo com enfermidades malignas, Satanás incluiu a tudo isso uma de suas maiores armas: o próprio homem. Através de seus agentes humanos, ele persegue, aflige e maltrata a muitos, mas seu ódio homicida tem como alvo principal o fiel servo de Deus. Confiados em sua posição contrária à de Jó, aqueles homens julgaram-se sábios e suficientemente corretos para dirigir-se a ele do alto do “pódio da santidade”.

A defesa de Jó revelou-se como um ato desesperado de não vituperar a sua fé. Ele tinha guardada na lembrança as suas experiências com Deus por meio da comunhão. Olhando para o passado, Jó suportava o presente e visualizava o futuro. E dia após dia, ainda que não notasse, Deus aliviava as suas aflições e colocava em seu coração a grande esperança que irrompe as barreiras das dificuldades deste mundo e que nem a morte pode conter: “Porque eu sei que o meu Redentor vive e por fim Se levantará sobre a Terra” (Jó 19:25).

Diante das densas trevas morais e espirituais destes últimos dias, estamos cercados de perigos que sobrepujam as enfermidades do corpo ou as intempéries do dia a dia. Maiores do que essas coisas são aquelas que põem em risco a nossa salvação. O mundo caminha para uma iminente crise que nos afetará não somente em escala política, econômica ou ambiental, mas que provará a nossa fé com a força de superior poder. Se não estamos aproveitando, hoje, o tempo de oportunidade que nos é dado; e se não considerarmos o que o Senhor realizou no passado, olharemos para o futuro sem nenhuma esperança.

Se como Jó confiarmos: “Com Deus está a sabedoria e a força; Ele tem conselho e entendimento” (v.13), podemos estar certos “de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as coisas do presente, nem do porvir, nem os poderes, nem a altura, nem a profundidade, nem qualquer outra criatura poderá separar-nos do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor” (Rm.8:38-39). Satanás pode até nos atacar com suas armas falíveis, mas Deus nos põe “por cidade fortificada, por coluna de ferro e por muros de bronze” (Jr.1:18), pois “não há outro deus que possa livrar como Este” (Dn.3:29). “Entrega o teu caminho ao Senhor, confia nEle e o mais Ele fará” (Sl.37:5). Vigiemos e oremos!

Bom dia, fiéis servos de Deus!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Jó12 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



JÓ 12 – COMENTÁRIO PR. RONALDO DE OLIVEIRA by Maria Eduarda
3 de janeiro de 2020, 0:10
Filed under: Sem categoria



JÓ 12 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jefersonquimelli
3 de janeiro de 2020, 0:05
Filed under: Sem categoria

574 palavras

12.1 – 14.22 A resposta de Jó neste longo discurso começa com uma explosão de sarcasmo contra seus conselheiros. Ele continua falando com eles até 13.19. Em 13.20 Jó se volta para Deus, causando uma grande quebra de discurso. Essa inclinação de Jó para falar com Deus (orar) contrasta com a atitude dos conselheiros, que nunca disseram uma só palavra para Deus. Eles tão-somente falavam sobre Ele (Bíblia de Genebra).

1. Jó respondeu. Neste discurso, que abrange os cap. 12 a 14, Jó pela primeira vez usou sarcasmo ao dirigir-se aos seus amigos. O ataque verbal, porém, parece ter um propósito secundário. O principal objetivo de Jó é justificar suas afirmações prévias: (1) que o rumo tomado pelos acontecimentos terrenos, sejam eles bons ou maus, deve ser atribuído a Deus; e (2) que seus sofrimentos lhe dão o direito de defender-se diante de Deus e de exigir saber por que ele está sendo punido daquela maneira (CBASD, vol. 3, p. 594).

2 vós sois o povo. Esta linguagem expressa sarcasmo mordaz. Jó parece dizer: “Vocês são as únicas pessoas que devem ser levadas em consideração, as únicas que merecem atenção e as únicas que podem falar” (CBASD, vol. 3, p. 594).

2,3 Jó expressa sua ira à insensibilidade de seus orgulhosos amigos (Andrews Study Bible).

4 irrisão (Almeida). NVI: “objeto de riso”.

5 aquele cujos pés já vacilam. A ideia está razoavelmente clara. Jó chama a atenção para a fraqueza humana que faz com que os homens cubram de desprezo os desafortunados e deem mais um empurrão nos que já estão cambaleando (CBASD, vol. 3, p. 594).

Aqueles que estão bem zombam daqueles que estão com problemas (Andrews Study Bible).

17 Aos conselheiros, leva-os despojados. Os conselhos dos grandes homens e dos sábios não prevalecem contra Deus. A palavra traduzida como “despojados”, literalmente, significa “descalços”. A figura é provavelmente alusiva à prática de remover as vestes exteriores dos cativos de guerra (ver Mq 1:8) (CBASD, vol. 3, p. 595, 596).

18 uma corda lhes cinge os ombros. A última parte do verso retrata os reis que antes aprisionaram a outros e, mais tarde, foram amarrados e levados como prisioneiros. Toda a série de observações aqui se refere aos revezes e às mudanças de situação na vida (CBASD, vol. 3, p. 596).

21 afrouxa o cinto. Os orientais usavam túnicas soltas amarradas por um cinto nos quadris. Quando eles trabalhavam, corriam ou viajavam, as túnicas ficavam amarradas. Afrouxar o cinto significava impedir a execução dessas atividades (CBASD, vol. 3, p. 596).

24, 25 Jó afirmou que nenhum líder tem verdadeira sabedoria à parte de Deus. Nenhuma pesquisa ou relatório pode prevalecer sobre a opinião de Deus. Nenhuma descoberta científica ou avanço médico O toma de surpresa. Quando buscamos orientação para nossas decisões, devemos reconhecer que a sabedoria de Deus é superior a qualquer outra que o mundo tem para oferecer. Não deixe que os conselheiros terrenos diminuam o seu desejo de conhecer melhor a Deus (Life Application Study Bible Kingsway NIV).

25 Nas trevas andam às apalpadelas. Isto encerra o capítulo e, com ele, a controvérsia com respeito ao conhecimento de Jó sobre ditados proverbiais impressionantes e pertinentes. Jó demonstrou que estava tão familiarizado com provérbios sobre Deus quanto seus amigos, e que tinha ideias tão elevadas como as deles sobre o controle e o governo do Altíssimo. Os amigos interpretavam a Deus como alguém que recompensava as pessoas nesta vida de acordo com seus atos. Jó vê a Deus como alguém que governa os assuntos humanos a partir de outro critério, não por seus atos. Ele acha que sua vida tem sido irrepreensível (CBASD, vol. 3, p. 596).




%d blogueiros gostam disto: