Reavivados por Sua Palavra


JEREMIAS 18, Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
12 de agosto de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria


“Não poderei Eu fazer de vós como fez este oleiro, ó casa de Israel? – diz o SENHOR; eis que, como barro na mão do oleiro, assim sois vós na Minha mão, ó casa de Israel” (v. 6).


Mediante uma obra artesanal, Deus deu mais um recado ao Seu povo através de Jeremias. A situação era demasiadamente grave, porém, para o SENHOR, não era impossível. O furor de Sua ira contra uma nação pode ser contido através de uma atitude: CONVERSÃO. A mudança de rota do mal para o bem promove igualmente uma mudança no plano divino.

Quando o profeta Jonas se recusou a ir a Nínive, o seu medo não foi provocado simplesmente pela malícia daquele povo, mas por saber que as misericórdias do SENHOR são infinitamente maiores do que  a Sua ira: “pois sabia que és Deus clemente”, confessou Jonas, “e misericordioso, e tardio em irar-Se, e grande em benignidade, e que Te arrependes do mal” (Jonas 4:2). Jonas teve medo de que o SENHOR perdoasse aquela nação detestável e sentou de camarote esperando a destruição de Nínive.

Diferente de Jonas, Jeremias enfrentou a fúria do povo e aceitou o chamado proclamando as palavras de Deus com rogos e com lágrimas. Tomado de compaixão, o profeta clamava para que o povo se arrependesse e se convertesse de seus maus caminhos. Deus estava disposto a mudar-lhes a sorte e transformar-lhes de barro estragado em um lindo vaso. Mas a resposta do povo era terrível. E, em meio a ameaças e línguas ferinas, o profeta clama por justiça.

Não havia mais lembrança de Deus entre o povo (v. 15) e “a dureza do seu coração maligno” (v. 12) não permitia que reconhecessem as palavras de Jeremias como sendo uma revelação do SENHOR.

Abusavam da boa vontade e da sensibilidade do profeta ferindo-o com a língua. Usavam de falsidade para atingi-lo emocionalmente e para dar fim ao seu ministério.

Mas o clamor do homem de Deus não ficaria sem resposta. Nenhum filho de Deus que com o coração quebrantado diga: “Olha para mim, SENHOR” (v. 19), deixa de ser atendido. O Céu se volta para o contrito de coração e é movido para atender uma prece como estas. Jeremias não pediu algo diferente do que Deus já havia dito que faria aos ímpios. Ele simplesmente dirigiu a Deus o clamor de um bem-aventurado: “Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão fartos” (Mateus 5:6).

Assim como em um contrato existem cláusulas que consistem em direitos e deveres, e o descumprimento de tais deveres suscitam penalidades; também a aliança feita entre o SENHOR e o Seu povo estava sendo quebrada, e passível tornou-se das sanções (maldições) muito bem elencadas pelo profeta (v. 21). À semelhança de Ananias e Safira, o povo vivia uma falsa religião e receberia a mesma sentença daquele casal avarento (Atos 5:1-11).

Devemos sim seguir a ordem do Mestre amando os nossos inimigos e orando pelos que nos perseguem (Mateus 5:44), mas assim como aquela geração de Israel, bem como Ananias e Safira receberam a maldição pelas obras de seus corações malignos, também podemos orar, como Jesus orou, que o SENHOR nos guarde do mal (João 17:15). Jeremias notou bem, pelo Espírito de Deus, com que espécie de gente estava lidando, a mesma que Paulo nos rogou para que nos afastemos: “Rogo-vos, irmãos, que noteis bem aqueles que provocam divisões e escândalos, em desacordo com a doutrina que aprendestes; AFASTAI-VOS DELES, porque estes tais não servem a Cristo, nosso Senhor, e sim a seu próprio ventre; e, com suaves palavras e lisonjas, enganam o coração dos incautos” (Romanos 16:17-18).

Está chegando a hora e, já chegou, em que  o SENHOR diz “a vós outros que conheceis o tempo: JÁ É HORA de vos despertardes do sono; porque a nossa salvação está, AGORA, mais perto do que quando no princípio cremos” (Romanos 13:11). Portanto, “convertei-vos, pois, AGORA, cada um do seu mau proceder e emendai os vossos caminhos e as vossas ações” (v. 11). É tempo de fechar a nossa boca para falar uns dos outros e a usarmos para erguer clamores diante do SENHOR.

A escolha é sua: barro estragado ou vaso de bênçãos?

Bom dia, vasos de bênçãos!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus
#Jeremias18
#RPSP

Anúncios

2 Comentários so far
Deixe um comentário

Olá bom dia, quero tirar uma dúvida, não estou conseguindo entender os momentos de orar por alguém.

Eu percebi que no meu coração eu sou extremista, pois pensava que era para orar somente pelo bem de algo, neste capítulo Jeremias está orando pela justiça de Deus. E pelas palavras do profeta são coisas ruins.

Quero saber até onde Deus permite fazer este tipo de oração atualmente.

Comentário por gilbertoptbr

Temos que entender o contexto, prezado Gilberto.
Neste caso, o Senhor está dizendo que o Seu povo havia passado do ponto de arrependimento. Assim não adiantava o profeta orar pelo povo.
Mas somente Deus sabe quando alguém passou pelo ponto a partir do qual não adianta orar mais (o pecado contra o Espírito Santo).
Somente o duro castigo da escravidão babilônica iria despertar Seu povo da rebeldia idolátrica.

Comentário por jquimelli




Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: