Reavivados por Sua Palavra


JEREMIAS 2 by jquimelli
27 de julho de 2017, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário Devocional

Quando eu decidi, com a idade de 23 anos, seguir meu caminho sem Deus, eu não tinha intenção de me tornar uma pessoa má. Na verdade, eu acreditava que o oposto aconteceria. A vida seria maravilhosa.

Depois de uma infância e juventude na Igreja Adventista, eu achei que já tinha visto alguns aspectos muito ruins da humanidade em diversos lugares do mundo em que meus pais trabalharam. Vimos imoralidade, ganância, justiça própria e, pior de tudo, hipocrisia. Então tomei a firme decisão de não ser como algumas pessoas que dizem uma coisa e fazem outra. Eu jamais tentaria aparentar ser bom numa tentativa de encobrir meus pecados. Mas, ao mesmo tempo, eu pensei, serei um ser humano mais bondoso e amoroso.

Durante alguns anos o meu plano parecia funcionar muito bem. Eu fui capaz de obter um trabalho bem remunerado em um jornal de língua Inglesa na Rússia e comecei uma escalada rápida para o topo. Depois de cinco anos eu senti que tinha conseguido tudo, incluindo a segunda posição em importância no jornal e um apartamento maior do que qualquer outra pessoa que eu conhecia. Além disso, eu tinha todo o conforto e luxo que uma pessoa poderia querer.

Mas o meu trabalho e bens tornaram-se ídolos. No começo eu me propus a ser uma pessoa bondosa, amável. Mas depois de uma década sem Deus, a única pessoa que tratava com bondade era eu mesmo. Outras pessoas podiam até pensar que eu era uma boa pessoa, mas todas as minhas ações procuravam beneficiar somente a mim. Jeremias disse com razão: “Eles seguiram ídolos sem valor, tornando-se eles próprios sem valor” (Jr. 2:5, NVI).

“Querido Deus, sou tentado a valorizar aquilo que me alegra e me dá conforto. Mas eu reconheço que sem Ti, cada coisa que o mundo me oferece é um ídolo inútil que me fará inútil também. Reconheço-Te hoje como o meu Criador e Redentor. Enche-me com o Teu Espírito e ajuda-me a perceber que o meu valor vem de Ti. Amém.”

Andrew McChesney
Editor da revista Adventist Mission

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/jer/2, https://www.revivalandreformation.org/?id=1042 e http://revivedbyhisword.org/en/bible/jer/2/
Tradução anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2014/05/02
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli
Texto bíblico: Jeremias 2 NVI
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana do programa Crede em Seus Profetas: https://credeemseusprofetas.org/



JEREMIAS 2 – COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
27 de julho de 2017, 0:55
Filed under: Sem categoria



JEREMIAS 2 – Comentário Pr Heber Toth Armí by Maria Eduarda
27 de julho de 2017, 0:45
Filed under: Sem categoria

JEREMIAS 2 – Jeremias era um grande profeta. Parecia muito com Jesus. Hernandes Dias Lopes esboça as semelhanças:

1. Os dois nasceram e cresceram em pequenos povoados: Jeremias em Anatote e Jesus, em Belém e Nazaré.
2. Os habitantes de Anatote rejeitaram Jeremias e procuraram matá-lo, da mesma maneira que os habitantes de Nazaré rejeitaram Jesus.
3. Os líderes religiosos foram os principais inimigos de Jeremias, e a mesma coisa aconteceu com Jesus.
4. Jeremias censurou o povo de então por causa da fé supersticiosa que tinha no templo, e por crer que a conduta moral não era importante, já que obedecia o ritual do templo (Jeremias 7:4, 8-11); Jesus disse algo parecido (Mateus 21:12-13).
5. Tanto Jeremias como Jesus estavam destinados a viver uma vida solitária.
6. Jeremias e Jesus choraram sobre Jerusalém (Jeremias 8:20-9:1; Mateus 23:37).
7. Tanto Jeremias como Jesus sabiam que a palavra final de Deus ao Seu povo não era de juízo, mas de uma nova aliança (Jeremias 31:31; Mateus 26:17-28).
8. Tomando-se em conta estas semelhanças, não é de admirar que algumas pessoas pensaram que Jesus era Jeremias (Mateus 16:13-14).

A mensagem no capítulo em pauta é profunda; impacta a todo aquele que dedica tempo ao estudá-la. Observe alguns pontos:

• O início da caminhada religiosa é maravilhosa, assim como o dia do casamento, tudo é belo em derredor quando diz “sim” ao Senhor (vs. 1-3);
• O primeiro amor, se não cultivado, começa a perder seu fervor (vs. 4-8);
• As atitudes equivocadas e indiferença no casamento atestam a frieza do amor, assim como no relacionamento com o Senhor (vs. 9-35);
• As consequências de afrouxar no relacionamento com Deus são piores do que ser frio no casamento (vs. 36-37).

Não é fácil ouvir isto! É forte demais!

A mensagem de Deus fere visando restaurar, sangra para limpar gangrenas purulentas do pecado; assim, ela tem poder purificador, curativo e transformador. Contudo, o pecador prefere ficar longe dela. Consequentemente, aquele que usa a Palavra de Deus nem sempre é bem quisto na sociedade, muitas vezes nem pelo próprio povo de Deus.

A verdade é: Trocar Deus por qualquer coisa é o mesmo que deixar de beber água na fonte pura por preferir cloacas de água podre, imunda.

Deus anseia nosso retorno ao primeiro amor! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.



JEREMIAS 2, Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
27 de julho de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Oh! Que geração! Considerai vós a palavra do SENHOR…” (v. 31).


Perante uma geração corrompida pela idolatria e decadência moral, Jeremias declarou as palavras do SENHOR. Deus relembrou o Seu povo do primeiro amor e quando a Ele era consagrado (v. 3). Apesar das dificuldades do deserto, foi naquela peregrinação que Israel aprendeu as maiores lições espirituais que o introduziu “numa terra fértil” (v. 7) e o tornou o povo cujo procedimento era um testemunho do poder de Deus perante as demais nações. Porém, ao entrarem na terra prometida e começarem a desfrutar das maravilhas daquele lugar, trocaram “a sua Glória por aquilo que é de nenhum proveito” (v. 11), e nem os líderes espirituais conheciam mais ao SENHOR (v. 8). Estavam em completa apostasia.

Uma das maiores dificuldades do homem é compreender acerca do castigo divino, e acabamos por interpretá-lo de forma equivocada. Não podemos comparar o castigo ou a vingança humana à disciplina de Deus. O SENHOR não envia a Sua repreensão como retribuição de Sua raiva, mas como uma espécie de apelação, concedendo ao indisciplinado a chance de cair em si e voltar-se para Ele. Eram nos momentos de maior angústia que Israel tornava para Deus: “Levanta-Te e livra-nos” (v. 27). E eram nos momentos de paz que Lhe viravam as costas para adorar “a um pedaço de madeira” ou de “pedra” (v. 27).

A maior tristeza para o coração de Deus é quando o Seu povo O ignora. Você já passou por isso? Já chegou em algum lugar e foi completamente ignorado? Eu já, e é horrível. Imagine então ser ignorado todos os dias por aqueles que mais ama. Foi isso o que aconteceu com o SENHOR: “O Meu povo se esqueceu de Mim por dias sem conta” (v. 32). A missão do profeta era a de dizer aos habitantes de Jerusalém que o SENHOR estava disposto a perdoá-los e aceitá-los de volta. O povo trocou a adoração ao verdadeiro Deus para confiar nos povos vizinhos e em seus ídolos de paus e pedras. Mas Deus provaria que só Ele é poderoso em salvar (v. 37).

Se Jeremias vivesse em nosso tempo, certamente, sob inspiração divina exclamaria: “Oh! Que geração! Considerai vós a palavra do SENHOR”. Outro dia cheguei em casa e ouvi uma música cristã vindo do salão de festas. Mas, ao passar pela frente em caminho do elevador, pude ver uma espécie de culto em meio a mesas repletas de garrafas de bebida alcoólica. Daí percebo porque uma das maiores preocupações do SENHOR ao instituir as Suas leis e os Seus estatutos foi de deixar bem claro ao Seu povo que existe sim “diferença entre o santo e o profano e entre o imundo e o limpo” (Levítico 10:10).

Se temos a Bíblia como a nossa regra de fé e prática, “que mudar leviano é esse dos teus caminhos?” (v. 36). Israel pecava contra Deus e ainda assim dizia: “Não pequei” (v. 35). Ignorar o pecado não o torna inexistente, o torna imperdoável. Porque sem confissão e arrependimento, como haver perdão e restauração? Israel confiava em suas próprias obras para justificar-se, porém, por mais que se lavasse com o sabão mais eficiente da época, continuaria maculado por sua iniquidade (v. 22). Não fosse a bondade de Deus que nos “conduz ao arrependimento” (Romanos 2:4), e estaríamos TODOS perdidos para sempre, porque “todos vós transgredistes contra Mim, diz o SENHOR” (v. 29).

Necessitamos desesperadamente da maravilhosa graça de Jesus! A cada dia Suas misericórdias são renovadas e uma nova oportunidade é concedida a “todo ser que respira” de louvar o nome do SENHOR (Salmo 150:6). Deus não envia Seus mensageiros para aborrecer Seus filhos, mas para conduzi-los de volta ao “caminho eterno” (Salmo 139:24). Nem tampouco permite as provações para nos destruir, mas para nos salvar. Por isso, “meus irmãos, tende por motivo de toda alegria o passardes por várias provações, sabendo que a provação da vossa fé, uma vez confirmada, produz perseverança” (Tiago 1:2-3). E, disse Jesus: “Aquele, porém, que perseverar até o fim, esse será salvo” (Mateus 24:13). Portanto, o nosso maior desafio como cristãos é permanecer sendo fiéis a Deus tanto no “deserto” quanto na “terra fértil”. Que a bondade do SENHOR nos ajude!

Bom dia, filhos do Pai de misericórdia!

Desafio do dia: Separe o capítulo de hoje em três partes e leia um por vez pela manhã, à tarde e à noite. Lembre-se: “Nem só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que sai da boca de Deus” (Mateus 4:4).

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus
#Jeremias2
#RPSP



JEREMIAS 2 – Comentários selecionados by jquimelli
27 de julho de 2017, 0:24
Filed under: Sem categoria

1 Palavra do SENHOR. Esta frase introduz uma série de profecias que compreendem os cap. 2 a 6 de Jeremias. Esta série é uma retrospectiva do passado de Israel e mostra que as condições operantes naquele tempo eram resultado das falhas passadas. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 4, p. 381.

3 Todos … se faziam culpados. Nenhuma nação pagã tinha permissão para atacar Israel (Jr 10:25; 50:7; cf. Dt 7:16). CBASD, vol. 4, p. 381.

Que injustiça … ? Ver Mq 6:3, 4. Deus desafiou a Israel para que mostrasse que Ele tinha sido infiel ou que havia quebrado a aliança. … Este versículo apresenta o desafio tocante de um amor preocupado, consciente de sua integridade e fidelidade. CBASD, vol. 4, p. 381.

Fez subir. A carreira de Israel como nação começou com um ato de redenção [a saída do Egito]. CBASD, vol. 4, p. 381.

Através do deserto. O fato de Deus ter preservado uma vasta multidão dos perigos e privações do deserto foi uma manifestação maravilhosa de Seu poder onipotente, de Sua bondade e de Seu cuidado. CBASD, vol. 4, p. 381.

10 Passai ás terras do mar. Os hebreus foram advertidos a atentar para as nações a fim de observar a fidelidade desses povos aos deuses pagãos e contrastar a fidelidade de Israel em relação ao verdadeiro Deus. CBASD, vol. 4, p. 382.

11 Trocou a Sua Glória. Israel trocou o real pelo irreal, e a verdade pela falsidade (ver Sl 106:20; Rm 1:23). A “sua Glória” era Deus, a fonte de toda a prosperidade (ver Dt 10:21; 1Sm 4:21; Sl 3:3). CBASD, vol. 4, p. 382.

12 Espantai-vos. A impiedade de Israel é tão terrível que o profeta, nesta personificação apaixonada, convocou os céus para que pasmassem de assombro. CBASD, vol. 4, p. 382.

13 Dois males. (1) rejeição do real e (2) ad0ção do irreal. CBASD, vol. 4, p. 382.

14 Servo nascido em casa. Em geral, os escravos eram divididos em duas classes: os capturados na guerra ou comprados, e os nascidos e criados na casa de seu mestre. O propósito de Deus era que Israel tivesse domínio e não fosse mantido em servidão. CBASD, vol. 4, p. 383.

15 Leões novos. Os invasores estrangeiros, assim chamados por causa de sua força e violência (ver Is 5:29, 30). CBASD, vol. 4, p. 383.

16 Mênfis. Uma antiga capital do baixo Egito (norte), 22,4 km ao sul de Cairo, na margem oeste do Nilo. CBASD, vol. 4, p. 383.

Tafnes. Normalmente identificada com Dafne no leste do Delta. Esta cidade se destaca na história da última fase do ministério de Jeremias (Jr 43:7-10). Neste versículo, Mênfis e Tafne designam os egípcios que infligiram danos sobre Judá. CBASD, vol. 4, p. 383.

17 Tudo isto não te sucedeu … ? Ver Jr 4:18; cf. Sl 107:17. O profeta salientou a verdadeira causa das calamidades. Deus não abandonou seu povo; este O abandonou. Ele conduziu os filhos de Judá para o verdadeiro caminho da vida, mas eles escolheram outra direção. CBASD, vol. 4, p. 383.

18 Egito. Um cristão bem pode se perguntar: “o que tu tens no caminho do Egito, em seus pecados ou em seus prazeres?”. CBASD, vol. 4, p. 383.

19 Castigará. “Disciplinará”. CBASD, vol. 4, p. 383.

20 Quebrava Eu. “Tu quebraste” … é mais consistente. … Os jugos e as ataduras se referem à disciplina e orientação do Senhor (ver Jr 5:5). CBASD, vol. 4, p. 383.

Todo outeiro alto. Uma designação para os vários lugares sagrados onde os sacrifícios eram oferecidos a Baal ou onde eram praticados os ritos lascivos a Aserá e Astarote. CBASD, vol. 4, p. 384.

Deitavas. Do heb. tsa’ah, “deitar como uma prostituta”, no claro adultério espiritual da idolatria (ver com. de Êx 34:15). CBASD, vol. 4, p. 384.

22 Laves. Do heb. kabas, “purificar” … isto é, “limpar e amaciar [roupas] batendo-as ou pisando-as na água”. A auto-expiação de pecados é impossível. Mesmo assim, em todas as épocas, as pessoas têm se esforçado para isso. CBASD, vol. 4, p. 384.

Salitre. Mineral alcalino … coletado nos tempos antigos para fazer soda cáustica para limpeza e clareamento das roupas (ver Pv 25:20). CBASD, vol. 4, p. 384.

Potassa. Vegetal alcalino obtido da queima de determinadas plantas e usado na limpeza de roupas. CBASD, vol. 4, p. 384.

23 Dromedária. Representada aqui como estando no cio. Indica o ardor com que o povo de Israel se dedicava à idolatria. CBASD, vol. 4, p. 384.

Como podes dizer … ? Tentativa do profeta de se antecipar á justificação própria desses pecadores. CBASD, vol. 4, p. 384.

Baalins. Transliteração do plural hebraico [baalin] para Baal. CBASD, vol. 4, p. 384.

No vale. Jeremias se referia, possivelmente, às abominações realizadas no vale do filhos de Hinom, a sudoeste de Jerusalém (Jr 7:31, 32; 19:2, 6, 13, 14; 32:35). … Acaz e Manassés “queimaram seus filhos” (2Rs 16:3; 21:6; 2Cr 28:3; 33:6). CBASD, vol. 4, p. 384. CBASD, vol. 4, p. 384.

24 Jumenta selvagem.Em seu fervor, Israel se assemelha a esta criatura selvagem e descontrolada (ver Jó 24:5; 39:5). CBASD, vol. 4, p. 384.

Sorve o vento. No auge do cio, ela sorve o vento para saber onde encontrar o jumento selvagem. CBASD, vol. 4, p. 384.

Não tem de fatigar-se. Ela procura o jumento; ele não precisa se cansar para procurá-la. … Em sua luxúria selvagem, Israel os perseguia [os deuses] (Ez 16:34; ver Os 2:7). CBASD, vol. 4, p. 384, 385.

25 Guarda-te de que os teus pés andem desnudos e a tua garganta tenha sede. O sentido parece ser que Israel parasse co a corrida louca atrás dos ídolos, ao ponto de seus pés ficarem expostos e a sua garganta, seca. CBASD, vol. 4, p. 385.

Não, é inútil. A nação de Judá está determinada a seguir seu caminho pecaminoso. Ela argumenta que foi longe demais para voltar atrás. CBASD, vol. 4, p. 385.

27 Tu és meu pai. Referência á extrema loucura de se atribuir a produção e o sustento da vida a um pedaço de madeira. CBASD, vol. 4, p. 385.

Em vindo a angústia. Comparar com Sl 78:34; Is 26:16. As dificuldades geralmente chamam as pessoas á razão (ver Os 5:15). CBASD, vol. 4, p. 385.

30 Vossos filhos. Referencia aos filhos ou ao povo de Judá. CBASD, vol. 4, p. 385.

A vossa espada devorou os vossos profetas. O auge dessa violência contra os mensageiros de Deus ocorreu durante o meio século de reinado do ímpio Manassés (2Rs 21:16). Isaías foi um dos primeiros mártires entre os profetas a cair (PR, 382). CBASD, vol. 4, p. 385, 386.

31 Tenho Eu sido para Israel um deserto? Na verdade, Deus foi a fonte de suprimentos de Judá para todas necessidades da vida (ver com. de Dt 32:12; Ne 9:15). CBASD, vol. 4, p. 386.

Somos livres. Na verdade, as pessoas estariam dizendo: “faremos o que nos agrada”. CBASD, vol. 4, p. 386.

32 Adornos. É natural que a noiva valorize as recordações exteriores de seu casamento. CBASD, vol. 4, p. 386.

Meu povo se esqueceu. Judá fez mais que esquecer as recordações exteriores do casamento. A nação esqueceu de seu Esposo (ver Jr 3:14). CBASD, vol. 4, p. 386.

33 Como dispões bem os teus caminhos, para buscares o amor! Judá é representada como uma prostituta que se enfeita para buscar relações ilícitas com as nações estrangeiras e os ídolos dela e se esquece de Deus, sua verdadeira glória. CBASD, vol. 4, p. 386.

Pois até às mulheres perdidas ensinaste. Judá se tornou tão vil que até as mulheres malignas aprendiam com ela. A impiedade do povo escolhido de Deus não apenas confirmava os pagãos na idolatria deles, como também lhes ensinava novos caminhos para praticá-la. CBASD, vol. 4, p. 386.

36 Do Egito serás envergonhada. O rei Acaz formou alianças com o rei da Assíria, para sua desgraça e ruína (ver 2Rs 16:10; 2Cr 28:16-21). O profeta predisse que uma aliança com o Egito resultaria na mesma vergonha e confusão. A profecia foi cumprida literalmente no reinado de Zedequias (Jr 37:5-10). CBASD, vol. 4, p. 386, 387.

37 Sairás de mãos na cabeça. Uma expressão de profunda tristeza e absoluto desespero (ver 2Sm 13:19). CBASD, vol. 4, p. 387.

 



JEREMIAS 2 – COMENTÁRIO PR EVANDRO FÁVERO by Maria Eduarda
27 de julho de 2017, 0:20
Filed under: Sem categoria




%d blogueiros gostam disto: