Reavivados por Sua Palavra


ISAÍAS 42 by jquimelli
1 de julho de 2017, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário Devocional

Este capítulo contém a primeira das quatro Canções do Servo escritas por Isaías (42:1-9; 49:1-13; 50:4-11; 52:13-53:12). Os primeiros quatro versos de Isaías 42 são citados por Mateus (Mt 12:18-21), e ele especificamente os aplica a Jesus Cristo. Neste capítulo Isaías começa a nos dar um quadro mais completo do Messias e de Sua missão no mundo.

Jesus seria bondoso para com os fracos (v. 3), e daria atenção ao abatido e deprimido (v. 3 ). Mas poderoso ao tratar de nossos inimigos – Seus inimigos (v.13). Portanto Jesus é gentil e delicado para conosco e ao mesmo tempo assustador para aqueles que querem nos destruir.

Isaías acrescenta que Cristo não é apenas o mediador da aliança de Deus com o Seu povo, mas Ele mesmo é a aliança! E o que a personificação da aliança faz por nós? Ele abre os olhos cegos e liberta os prisioneiros (v. 6, 7).

É em Jesus que devemos fixar nossos olhos todos os dias. Ele se compadece de nossas fraquezas e nos liberta de nossas angústias. Ele mesmo é o Libertador de todos os nossos problemas. Ele vai fazer isso por você e para a glória do Seu nome (v. 8).

Ron E M Clouzet
Professor de Ministério e Teologia
Seminário da Universidade Andrews

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/isa/42, https://www.revivalandreformation.org/?id=967 e http://revivedbyhisword.org/en/bible/isa/42/
Tradução anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2014/04/07
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli
Texto bíblico: Isaías 42 NVI
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana do programa Crede em Seus Profetas: https://credeemseusprofetas.org/



ISAÍAS 42 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
1 de julho de 2017, 0:55
Filed under: Sem categoria

Meu Servo. “Servo” neste caso designa Cristo (ver com. de Is 41:8). Em Mateus 12:18, esta profecia é aplicada a Cristo. De tafo, muitas expressões neste capítulo só podem ser aplicadas a Ele. Com frequência, Jesus se referiu a Si mesmo como tendo sido enviado pelo Pai para desempenhar uma missão (Jo 4:34; 6:38; 14:31). A respeito da natureza de Sua obra, declarou que “não veio para ser servido, mas para servir e dar a Sua vida em resgate por muitos” (Mt 20:28), e que estava entre Seu povo “como quem serve” (Lc 22:27). Neste e nos capítulos seguintes, Isaías apresenta o quadro mais completo do Messias e de Sua missão na Terra em todo o AT. Em grande parte devido a essas profecias, Isaías é conhecido como “o profeta do evangelho”. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 4, p. 266.

Para abrires os olhos aos cegos. Ver com. de Lc. 4:18. A restauração da visão física em várias ocasiões testemunhou que Cristo tinha o poder de conceder visão espiritual (Jo 9:1-9;cf. Is 61:1-3). CBASD, vol. 4, p. 267.

6, 7 Deus nos chama a sermos servos de Seu Filho, demonstrando a justiça de Deus e trazendo Sua luz. Que raro privilégio é auxiliar o Messias a cumprir Sua missão! Mas devemos buscar Sua justiça (Mt 6:33) para sermos luz (Mt 5:16; 2Cor 4:6). Life Application Study Bible Kingsway.

10 Olhe para tudo que o senhor fez por nós e através de nós (42:6-9)! Obras majestosas demandam respostas majestosas. Você realmente aprecia o bem que o Senhor fez por você e através de você? Se aprecia, deixe que seu louvor a Ele reflita como você realmente se sente. Life Application Study Bible Kingsway.

11 Quedar. Uma tribo árabe descendente de Ismael (Gn 25:13; ver Is 21:13, 16; Ez 27:21). … Aqui são mencionados juntamente com “os que habitam nas rochas”, que é Selá … ou Petra …, como representantes de povos distantes que ouviriam a mensagem da graça de Deus e voltariam a Ele com louvor e cânticos. CBASD, vol. 4, p. 267.

14 Por muito tempo me calei. A hora da vingança divina finalmente chegaria. Por longo tempo, o Senhor permitira ao ímpio seguir seu caminho de maldade (ver Ec 8:11). Chegaria, porém, a hora do acerto de contas, hora de Deus realizar “a Sua obra estranha” (Is 28:21). ele puniria os ímpios segundo suas obras. CBASD, vol. 4, p. 267.

16 Os cegos. Isto é, os cegos espirituais (ver com.do v. 7). O castigo divino cairá sobre aqueles que rejeitaram a luz deliberadamente (v. 13-15), ao passo que os sinceros, embora ignorantes, iriam à luz e teriam a oportunidade de aceitar a misericórdia e a graça de Deus. CBASD, vol. 4, p. 267.

24 Quem entregou Jacó por despojo e Israel, ao roubadores? Deus permitiu a invasão assíria (ver com. de Is 8:7, 8; 10:5, 6). A teimosia em desobedecer acarretou sofrimentos ao povo de Judá. Quando se recusou a servir ao Senhor, ele retirou dEle Sua mão protetora e permitiu que o inimigo devastasse o país. CBASD, vol. 4, p. 268. [Neste caso, Jacó e Israel são sinônimos, cf. Gn 32:29)].



ISAÍAS 42 – COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
1 de julho de 2017, 0:55
Filed under: Sem categoria



ISAÍAS 42 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Maria Eduarda
1 de julho de 2017, 0:45
Filed under: Sem categoria

ISAÍAS 42 – Quando tudo parecer perdido, o mal parecer ter vencido e a escuridão invadir ao máximo trazendo trevas morais sobre o mundo todo, Deus revelará Sua glória e iluminará toda a Terra trazendo a vitória aos que nEle esperaram.

“A vitória culminante será, naturalmente, o grande conflito final do Armagedom” diz D. L. Moody comentando este capítulo.

1. Para esta batalha cósmica, Deus apresenta Seu guerreiro com Suas singelas qualidades, explica Sua missão e descreve Seu caráter servil (vs. 1-4).

2. O Messias revelará o caráter do Criador do Universo, o qual sustenta toda a humanidade. Sua submissão humilde garante Seu sucesso e torna mediador da aliança da graça, luz para os gentios e libertador dos prisioneiros do diabo. Assim, um juízo trará vindicação aos injustiçados servos de Deus e destruição aos oponentes do verdadeiro Deus (vs. 5-9).

3. O juízo será o mais justo da história. Os inimigos de Deus tiveram toda a chance e várias oportunidades e tempo para tornarem-se amigos; como não quiseram, verão que ser amigos de deuses falsos e ídolos imprestáveis não adiantou nada ao terem que responder por suas atitudes. Nesse tempo haverá um louvor ao Deus que age em prol do bem (vs. 10-17).

4. Como um Pai que repreende Seus filhos, Deus amorosamente chama a atenção dos desobedientes, ingratos e ignorantes filhos. Deus não pode ignorar o mal, a rebeldia e a indiferença, mas antes de punir aos apóstatas e idólatras aconselha-os a fazerem uma autoanálise e convidam a um reavivamento e reforma espirituais (vs. 18-25).

“Mateus 12 cita Isaías 42 e o aplica ao ministério silencioso mas amorável de Jesus, o Filho amado de Deus, em quem Ele Se compraz (Isa. 42.1; Mat. 3:16-17; 17:5). É aquele cujo ministério restabelece a conexão da aliança de Deus com Seu povo (Isa. 42:6; Dan. 9:27). Jesus e Seus discípulos conquistaram a justiça para o povo libertando-os do sofrimento, da ignorância de Deus e da escravidão aos espíritos do mal, provocada pela opressão de Satanás (Luc. 10:19). Então, Jesus morreu para ratificar a ‘nova aliança’ (Mat. 26:28) e trazer justiça ao mundo expulsando Satanás, o estrangeiro que usurpou a posição de ‘príncipe deste mundo’ (João 12:31-33)” – amplia Roy Gane.

Certamente, Deus vencerá. Ligados a Ele, também venceremos! – Heber Toth Armí.



ISAÍAS 42 – COMENTÁRIO ROSANA BARROS by Ivan Barros
1 de julho de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Eu, o SENHOR, te chamei em justiça, tomar-te-ei pela mão, e te guardarei, e te farei mediador da aliança com o povo e luz para os gentios” (v. 6).


O ser humano tem uma grande facilidade em desvirtuar a adoração ao SENHOR para pessoas ou coisas. Somos adoradores por natureza. Portanto, se não adoramos a Deus, algo está tomando o lugar que só a Ele pertence. O prenúncio da vinda do Servo do SENHOR mostra a manifestação do direito (v. 3) e da devida glória e honra (v. 8) ao único Deus digno de toda a adoração. A Sua primeira vinda não só seria o cumprimento de uma promessa, mas o início de uma nova fase para o mundo, onde o antes e depois de Sua vida deixaria bem clara a Sua missão: abrir “os olhos aos cegos” e tirar “da prisão o cativo e do cárcere, os que jazem em trevas” (v. 7).

Cristo não viria como Israel esperava, mas viria como Israel e todo o mundo gentílico necessitava. Até então, tudo o que o SENHOR prometera que aconteceria havia se cumprido. “Novas coisas” (v. 9) surgiriam, mas o povo não estaria desavisado. As profecias apontavam para o nascimento de um Deus que decidiu despir-Se das vestes reais para vestir-Se de Servo sofredor. A Sua vida determinaria não só o destino da nação eleita, mas de todas as nações. O mesmo SENHOR que “formou a terra e a tudo quanto produz; que dá fôlego de vida ao povo que nela está” (v. 5), viria “como valente” (v. 13), não fazendo caso de Sua vida, para a salvação de “todo aquele que nEle crê” (João 3:16).

Porém, o cântico ao SENHOR (v. 10) que deveria ter sido entoado por Israel diante daquele estábulo em Belém, foi por ele aviltado, e os anjos precisaram descer para louvar ao Rei da glória. A cegueira espiritual os havia tomado o coração de tal forma, que não conseguiram enxergar a glória que reis do Oriente viajaram quilômetros para contemplar. Deixando de olhar para o alto, perderam o vislumbre da luz que os conduziria para bem perto do Santo de Israel. Ao contrário do que esperava, o Messias não viria para glorificar Israel, mas para guiá-lo e conduzi-lo em caminhos planos (v. 16). Ele viria para “engrandecer a lei e fazê-la gloriosa” (v. 21), mostrando ao Seu povo a verdadeira essência da obediência: o amor (João 14:15).

Estamos diante de um tempo parecido com aquele que precedeu o nascimento do nosso Salvador. Assim como o povo de Deus experimentou um período do silêncio divino (v. 14), também atravessamos um período de considerável silêncio. Aguardamos o regresso de Jesus. Ou melhor, estamos de fato O aguardando? A expectativa deste evento, decisivo para toda a humanidade, também contém o mesmo perigo de cegueira espiritual. Israel se autoproclamava a única nação “digna” de salvação, enquanto ignorava o chamado de ser luz para as demais nações. Já a igreja dos últimos dias, com o grande e sagrado ministério de, igualmente, ser “luz para os gentios” (v. 6), está a ponto de ser vomitada da boca de Deus, pois diz: “Estou rico e abastado e não preciso de coisa alguma” (Apocalipse 3:16 e 17).

O SENHOR chamou Israel para uma obra além de suas fronteiras, “contudo, não o entenderam” (v. 25). Esta terrível situação não precisa ser real em nossa vida se tão-somente aceitarmos “fazer compras” no lugar certo (Leia Apocalipse 3:18). “Surdos, ouvi, e vós, cegos, olhai, para que possais ver” (v. 18) a seara madura e pronta para ser colhida! “Deem honra ao SENHOR e anunciem a Sua glória nas terras do mar” (v. 12). “Cantai ao SENHOR um cântico novo” (v. 10) e despertai para a missão que Paulo e a igreja primitiva (Atos 13:47) abraçaram, cheios do Espírito Santo (v. 1). O SENHOR promete nos tomar pela mão e nos conduzir nesta obra. Você aceita este serviço?

Feliz sábado, servos do SENHOR!

Desafio do dia: Faça algo gentil para seu(s) vizinho(s). O(s) presenteie com um pão ou um bolo caseiro, por exemplo. Não se esqueça de orar antes. Não dê um passo sequer sem oração.

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus
#Isaías42
#RPSP
#IASD



ISAÍAS 42 – COMENTÁRIO PR EVANDRO FÁVERO by Maria Eduarda
1 de julho de 2017, 0:25
Filed under: Sem categoria




%d blogueiros gostam disto: