Reavivados por Sua Palavra


ISAÍAS 61 by jquimelli
20 de julho de 2017, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário Devocional

O Messias–Servo revela as armas do amor que Deus usa para recuperar o mundo das garras do inimigo cruel (Is 59:16 e seguintes): pregar boas notícias, curar corações partidos, libertar cativos, confortar os que sofrem, reviver o espírito daqueles que estão desencorajados e com medo, restaurar o senso de auto-estima daqueles que foram abusados ​​por muito tempo.

Este é o Evangelho “Em vez de…” , isto é: em vez da dupla porção de punição (Is 40:2) que merecemos, Ele troca a nossa desgraça e vergonha por uma porção dupla de alegria eterna (Is 61:7).

Aqueles que recebem esta mensagem, por sua vez, tornam-se reparadores e restauradores de vidas quebradas. Tornam-se um reino de sacerdotes, uma nação santa, ministros do nosso Deus (v. 6), portadores das vestes da salvação fornecidas pelo próprio Jesus (v.10). Que maravilhoso privilégio!

Aleta Bainbridge
Associação da Grande Sydney, Austrália

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/isa/61, https://www.revivalandreformation.org/?id=986 e http://revivedbyhisword.org/en/bible/isa/61/
Tradução anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2014/04/26
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli
Texto bíblico: Isaías 61 NVI
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana do programa Crede em Seus Profetas: https://credeemseusprofetas.org/



ISAÍAS 61 – Comentário adicional Aleta Brainbridge by jquimelli
20 de julho de 2017, 0:55
Filed under: Sem categoria

O trompete de chifre de carneiro [shofar] soa novamente! Desta vez não para alertar acerca de algum perigo (58:1), mas acompanhado de palavras que trazem alegria para o povo de Deus. Estas palavras são pronunciadas pelo Messias-Servo, cheio do Espírito do Soberano Governador do Universo, ao proclamar o “ano da graça do Senhor” (v. 2) ou o Ano do Jubileu.

A cada cinquenta anos do calendário judaico se realizava um “jejum sagrado” de regozijo porque trazia liberdade, restauração e libertação para aqueles que tinham sido escravos ou se endividado por qualquer motivo. A chegada de “um ano de graça do Senhor” (v. 2) significava o ingresso na graça e libertação.

Estas palavras, porém, não se aplicavam apenas para Israel. O Messias–Servo está, na verdade, anunciando o Jubileu dos Jubileus. Cerca de 700 anos antes da Encarnação, Isaías disse ao mundo todo que o Messias nasceria na Terra. E, embora sendo completamente Deus (Is 8:8,10, 9:6), iria sujeitar Sua vontade em completa obediência ao Pai e ao Espírito (Is 50:4-9); Ele iria sofrer, morrer e ressuscitar (Is 52:13-53,12). Só então poderia o reino da graça ser anunciado – o tempo de libertação para toda a humanidade.

Jesus leu esta passagem no início do seu ministério público (Lc 4:17-19) dizendo que as palavras de Isaías se cumpriam naquele momento. Esta notícia maravilhosa que deveria ter sido bem recebida pelos ouvintes foi a razão de O tentarem matar por blasfêmia. De: https://reavivadosporsuapalavra.org/2014/04/26/



ISAÍAS 61 – COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
20 de julho de 2017, 0:50
Filed under: Sem categoria



ISAÍAS 61 – Comentários Pr Heber Toth Armí by jquimelli
20 de julho de 2017, 0:45
Filed under: Sem categoria

ISAÍAS 61 – Promessas feitas, promessas cumpridas. Assim é com Deus, podemos confiar nEle. Ao iniciar Seu ministério na Terra Jesus foi ao templo, abriu a Bíblia em Isaías 61 e leu os primeiros versículos.
Depois declarou: “Hoje, se cumpriu as Escrituras que acabais de ouvir” (Lucas 4:18-19).
Ao citar os primeiros versículos do capítulo em questão, Jesus “estava dizendo aos ouvintes que aquela seria a Sua agenda ministerial neste mundo, a qual foi cumprida em todos os detalhes. Um dos itens da agenda era proclamar libertação aos cativos em pecado […]. Jesus pagou um preço muito alto para nos resgatar. Ele praticou o maior ato de empatia do Universo […]. Por meio de Cristo, somos salvos do pecado e habilitados para a prática de boas obras” (Rubens S. Lessa).
Porém, nem tudo ainda se cumpriu. “Os judeus que foram salvos durante o ministério de Cristo e aqueles que foram salvos durante a era da igreja, ainda não cumprirão essa promessa da salvação das nações, que acontecerá no tempo do fim” (John MacArthur). Todavia, temos em Cristo a garantia de total cumprimento.
• Jesus reconstruirá a cidade há muito tempo destruída, mas a maior restauração se dá nos seres humanos (vs. 4-9; ver João 14:1-3; Hebreus 11:16; Filipenses 3:20-21; I Coríntios 15:51-54).
• A transformação no ser humano começa aqui, com a mudança de caráter, de vida, dos que aceitam a Cristo e Sua justiça (vs. 10-11; II Coríntios 5:17, 21; Gálatas 2:20).
Sobre as vestes de justiça, José Maria Barbosa Silva comenta:
“Estamos certos quando acreditamos que precisamos de novas vestimentas para melhorar nossa imagem. O problema é querer encontrar essa roupa em qualquer loja, porque não há tecido, corte nem modelo que cubra verdadeiramente nossas necessidades espirituais. Em lugar de ficar procurando, empurrando cabides de um lado para outro na seção de roupas da melhor loja de departamentos do Céu, o linho fino branco é a única vestimenta apropriada para os convidados do Rei. E há somente um fornecedor…: O próprio Deus”.
• A questão é: Trocaremos nossa justiça, que não passa de trapos de imundícia (Isaías 64:6), pelas vestes de justiça divina?
“Deus tem pressa em nos dar vestes novas; são as vestes brancas e imaculadas de sua justiça” (Wilson Sarli). Temos pressa em recebê-las? – Heber Toth Armí.



ISAÍAS 61 – COMENTÁRIO ROSANA BARROS by Ivan Barros
20 de julho de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“A sua posteridade será conhecida entre as nações, os seus descendentes, no meio dos povos; todos quantos os virem os reconhecerão como família bendita do SENHOR” (v. 9).


Instituída no Éden, a família, como plano original do Criador, é uma das maiores provas de que Ele nos criou para propósitos eternos. A bênção dada ao casal edênico de serem fecundos e de encherem a terra seria o início da grande e perfeita família humana. Mas com a entrada do pecado no mundo, a raça caída foi perdendo as origens e, na descendência do primeiro homicida (Gênesis 4:8), surge também o primeiro caso de bigamia (Gênesis 4:19). O dilúvio, como a maior catástrofe mundial de todos os tempos, também foi resultado da desobediência do homem em estabelecer casamentos ilícitos (Gênesis 6:2). Sodoma e Gomorra foram destruídas pela prática de relações sexuais ilícitas (Gênesis 19:5). Satanás conhece o poder que há em uma família temente a Deus e sua estratégia continua sendo a mesma: destruir o máximo de famílias que puder.

O texto de hoje inicia com um ministério que, por Cristo, foi cumprido com louvor (v. 1-3). Sua vida abnegada foi o maior exemplo do que o poder de Deus é capaz de fazer na vida daquele que nEle confia. Jesus veio a esta terra com um propósito específico: salvar-nos e indicar-nos o caminho da salvação. Fomos salvos para salvar! E todo aquele que entende isso, da mesma forma entende que este ministério começa dentro de casa. Quando Jesus cumpriu a profecia de Isaías na vida do endemoninhado geraseno, este Lhe suplicou para segui-Lo como Seu discípulo, mas observem o que “Jesus… ordenou-lhe: Vai para tua casa, para os teus. Anuncia-lhes tudo o que o Senhor te fez e como teve compaixão de ti” (Marcos 5:19). Jesus não fez um pedido, amados, ELE DEU UMA ORDEM!

Deus ordena a Seu povo que “[edifiquem] os lugares antigamente assolados, [restaurem] os de antes destruídos e [renovem] as cidades arruinadas, destruídas de geração em geração” (v. 4). De geração em geração, o mundo tem sido destruído por costumes que corrompem os princípios da Palavra de Deus. Como foi em Sodoma e Gomorra, multidões “publicam o seu pecado e não o encobrem… [fazendo] mal a si mesmos” (Isaías 3:9) e maculando o que Deus criou para ser uma bênção. A ordem dada pelo SENHOR a nós como Seus filhos é que, à semelhança do propósito divino para cada família, sejamos “chamados sacerdotes do SENHOR” e “ministros de nosso Deus” (v. 6); que o mundo nos reconheça “como FAMÍLIA BENDITA DO SENHOR” (v. 9).

Se não cuidarmos de nossa família, somos considerados piores do que os descrentes (I Timóteo 5:8). Da mesma forma, Deus espera que apliquemos este princípio aos de nossa família na fé. A igreja deve ser um testemunho para o mundo de uma “família bendita do SENHOR”. Assim como Jesus, a Sua igreja deve, cheia do “Espírito do SENHOR” (v. 1), ser um bálsamo aos feridos e consolo aos que choram. É desta forma que devemos ser reconhecidos pelos de fora: “Nisto conhecerão TODOS que sois Meus discípulos: SE TIVERDES AMOR UNS AOS OUTROS” (João 13:35). Se uma família que se ama já é mais poderosa do que muitos sermões, imagine uma igreja cheia de famílias que se amam!

Quando compreendermos de verdade a grande obra que nos foi outorgada; “quando os que dizem servir a Deus seguirem o exemplo de Cristo, praticando os princípios da lei em sua vida diária; quando todos os seus atos testemunharem de que amam a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmos, então A IGREJA TERÁ PODER PARA ABALAR O MUNDO” (Ellen G. White, Parábolas de Jesus, p. 340).

Bom dia, “família bendita do SENHOR”!

Desafio do dia: Siga a ordem do Mestre. Faça algo especial por alguém de sua família e por alguém de sua igreja.

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus
#Isaías61
#RPSP



Isaías 61 – Comentário Pr Evandro Fávero by jquimelli
20 de julho de 2017, 0:26
Filed under: Sem categoria



ISAÍAS 61 – Comentários Selecionados by jquimelli
20 de julho de 2017, 0:25
Filed under: Sem categoria

O Espírito. Este é um dos capítulos mais notáveis de Isaías. Para todos os cristãos, esta é uma profecia claramente messiânica, que Jesus aplicou para Si mesmo. … (Lc 4:16-21). Quem fala é Cristo, no Seu papel de Servo de Deus (ver com. de Is 41:8). O tema de Isaías 61 está intimamente relacionado ao de Isaías 60. … Os v. 1 a 3 apresentam um quadro vívido do que o Messias realizaria por Israel e às pessoas. … Porém, ao rejeitar Jesus como o Messias (ver p. 17-20), a nação não se beneficiou do ministério de Cristo. CBASD, vol. 4, p. 338.

O SENHOR me ungiu. Na cerimônia de unção, a pessoa era separada para um ofício ou missão particular. … Cristo seria ungido por Deus, o Pai (Sl 45:7), por meio do Espírito Santo (At 10:38), por ocasião de Seu batismo (Mc 1:10; Lc 3:21, 22). CBASD, vol. 4, p. 338.

Pregar. Após a unção, Jesus foi de lugar em lugar pregando a mensagem de perdão e aceitação da parte de Deus (Lc 4:14, 15, 21, 31, 43, 44, 5:32; 6:20; 8:1; etc.). CBASD, vol. 4, p. 338.

Aos quebrantados. O próprio Jesus era “manso e humilde de coração” (Mt 11:19), e aqueles que fossem a Ele deviam se tornar como Ele (ver 1Jo 3:1-3). CBASD, vol. 4, p. 338.

Curar. Cristo é o grande médico capaz de curar o coração e a alma dos seres humanos. CBASD, vol. 4, p. 338.

Proclamar libertação. Os que se entregam ao pecado se tornam seus cativos e escravos (Jo 8:34; Rm 6:16). Cristo veio libertar o ser humano da escravidão do pecado e fazê-lo livre nEle (Jo 8:36; Rm 6:1-23; 8:2, 15, 21). A frase em si e a ideia que expressa são tiradas da proclamação feita no ano do jubileu (Lv 25:10; Jr 34:8; Ez 46:17; ver com. de Lc 4:18). CBASD, vol. 4, p. 338.

O ano aceitável. Literalmente, “o ano do favor [de Deus ao ser humano]”. Isto se refere à manifestacao da graca salvadora de Deus conforme demonstrada na vida e no ministerio do Salvador (ver com. de Lc 4:19).  CBASD, vol. 4, p. 338.

O dia da vingança. O contraste é entre “favor” para os que aceitam o Messias e “vinganca” para os que O rejeitam.  CBASD, vol. 4, p. 338.

Todos os que choram. Isto é, pelos seus pecados (ver com. de Mt 5:4) e pelos pecados de outros. CBASD, vol. 4, p. 339.

Coroa. Literalmente, “enfeite de cabeca”, “diadema”, ou “guirlanda”, como a usda por um noivo ou um guerreiro vitorioso. CBASD, vol. 4, p. 339.

Em vez de. As vestes de luto deveriam ser substituidas pelas que eram usadas em ocasioes de alegria (ver Zc 3:3-5; cf. Lc 15:22).  CBASD, vol. 4, p. 339.

Para Sua glória. Deus é honrado quando Seus filhos produzem os frutos da justica e revelam em sua vida os tracos de carater divinos (Jo 15:8; Gl 5:22, 23). CBASD, vol. 4, p. 339.

Estranhos. Isto é, gentios. … Os que tinham deixado o país desolado cooperariam com sua restauracao. CBASD, vol. 4, p. 339.

Sacerdotes. Isaias prediz o ministerio de todo o povo de Deus, como um “reino de sacerdotes”, na grande tarefa de levar aos gentios o conhecimento do verdadeiro Deus (Ex 19:6; 1Pe 2:5-9; ver p. 15-17). CBASD, vol. 4, p. 339.

7 Dupla. O povo de Deus sofreu demasiadamente,mas Deus o recompensaria em dobro (ver Is 40:2; Zc 9:12; cf. Jr 16:18; Ap 18:6). CBASD, vol. 4, p. 339.

9 Conhecida. Todos reconhecerao que o povo de Deus é especialmente abencoado e favorecido pelos ceus (ver Dt 4:6-8; 28:10; p. 15, 16). CBASD, vol. 4, p. 340.

10 Regozijar-me-ei muito. Siao agradece e louva a Deus pelos maravilhosos favores concedidos. Em Sua graça, Deus removeu a vergonha e tornou Siao gloriosa aos olhos do mundo (Is 49:13-23; 54:1-8; ver com. de Is 54:5-7; 61:7). CBASD, vol. 4, p. 340.

Vestes de salvação. Estas “vestes” representam o carater de Cristo (T4, 88) que Seu povo deve vestir, já nesta vida … Ha um contraste marcante entre essas vestes e os “trapos de imundicia” (ver com. de Is 64:6). ECBASD, vol. 4, p. 340.

11 Os seus renovos. O evangelho da graca fara com que os lugares deserticos florescam e produzam frutos de justica para a gloria de Deus (ver com. de Is 61:3; Gl 5:22, 23). CBASD, vol. 4, p. 340.




%d blogueiros gostam disto: