Reavivados por Sua Palavra


A justificação pela fé em Gálatas – material auxiliar by jquimelli
18 de julho de 2017, 8:53
Filed under: Sem categoria

Se você está estudando neste trimestre a justificação pela fé como apresentada por Paulo em Gálatas, poderá encontrar material auxiliar aqui, no blog Reavivados por Sua Palavra, através da caixa de procura (SEARCH) aqui, à esquerda, colocando o nome e o capítulo da Bíblia a estudar.

Por exemplo, se você pesquisar por Galatas 2, você obterá como retorno, links como:
https://reavivadosporsuapalavra.org/2015/04/14   e: https://reavivadosporsuapalavra.org/2015/04/14/galatas-215-20

Ficaremos muito contentes se você deixar seus comentários e sugestões.

Equipe Reavivados



ISAÍAS 59 by jquimelli
18 de julho de 2017, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário Devocional

Existe justiça nessa terra? O veredito do “Justo Juiz da Terra” é: “Não!” E temos que concordar! Não é preciso viver muito tempo neste planeta para percebermos que a vida não é justa. Quatro vezes neste capítulo (v. 4, 9,11,14), e muitas vezes ao longo do livro, Isaías lamenta o fato de que a vida não é justa. A palavra hebraica para a justiça, mispat, representa o modo como as coisas deveriam ser em uma sociedade governada por Deus e obediente à Sua Lei do Amor – o modo como Ele na criação planejou que as coisas fossem. A desobediência resulta num espírito de ilegalidade, falta de justiça, separação de Deus (e dos outros), representado por palavras como revolta, iniquidade, transgressão e pecado.

Deus fica consternado, cheio de fúria divina, quando vê o estado do homem nas garras deste inimigo cruel chamado pecado; quando vê a luta agonizante que Seus filhos têm consigo mesmos. Ele decide então ajudar a humanidade a qualquer custo (v. 15b, 16). Nosso Poderoso Guerreiro vem pessoalmente em nosso socorro. Ele usa a arma mais drástica e poderosa de todas – o amor! Na forma do Servo Sofredor que usa sua própria armadura (v.17; Ef 6:10-18), Ele vence de forma surpreendente: Ele próprio fornece justiça e salvação para o livramento de Seu povo, restabelece a justiça e a misericórdia como o fundamento de Seu trono e com vingança e zelo castiga e destrói o mal (v. 17, 18).

A aliança de Deus com o homem é eterna. Sua intervenção e envolvimento com os assuntos dos homens nunca cessam. Louvai ao Senhor, todos os povos reverenciem o Seu nome para sempre (v.19)!

Aleta Bainbridge
Associação da Grande Sydney, Austrália

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/isa/59, https://www.revivalandreformation.org/?id=984 e http://revivedbyhisword.org/en/bible/isa/59/
Tradução anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2014/04/24
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli
Texto bíblico: Isaías 59 NVI
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana do programa Crede em Seus Profetas: https://credeemseusprofetas.org/



ISAÍAS 59 – COMENTÁRIOS ADICIONAIS ALETA BRAINBRIDGE by jquimelli
18 de julho de 2017, 0:55
Filed under: Sem categoria

Este capítulo é composto de duas seções: as más notícias e as boas notícias.

Primeiro, vamos às más notícias: Todos nós somos pecadores, culpados de quebrar a lei de Deus. Isaías fala acerca da enorme força que o pecado exerce sobre nós e da devastação que ele causa em nossos relacionamentos, especialmente nosso relacionamento com Deus. O pecado nos separa do Criador (v. 1-3).

Ao longo dos tempos os seres humanos têm tentado encobrir seus pecados sob o disfarce de rituais religiosos. Antes que possamos apreciar a Salvação, responder a ela, ansiar por ela, temos de perceber como o pecado é horrível. Isaías 59 retira a máscara para revelar a maldade insidiosa e desesperada do coração humano.

No entanto, vemos neste capítulo dois grupos de pecadores. O que os torna diferentes?

As pessoas descritas nos versos 4-8 são aqueles que rejeitam a Deus desafiadoramente. O profeta de Deus se afasta deles. São aqueles cujos pecados intencionais se endureceram em maldade. Eles não tem paz (v. 8).

Por outro lado, vemos um grupo de pessoas que reconhecem que são pecadores mas se entristecem por causa disso. Isaías se inclui no segundo grupo, assim como Esdras e Daniel o fizeram. “… buscamos claridade, mas andamos em sombras …, tateamos como quem não tem olhos … são muitas as nossas transgressões diante de ti, e os nossos pecados testemunham contra nós“ (v. 9-12a NVI). Não há, aqui, justiça própria ou negação da verdade. Eles pararam de fingir e admitem: “Não temos sido fiéis, temos nos revoltado contra ti e nos afastado de ti, o nosso Deus. Temos falado de crimes e de revoltas e temos feito planos para enganar os outros” (v. 13 NTLH).

Agora, as boas novas: para estes é estendida a promessa de Jesus: “Bem-aventurados os que choram” por seus pecados “porque serão consolados” (Mt 5:4 ARA). Publicado em: https://reavivadosporsuapalavra.org/2014/04/24/



ISAÍAS 59 – COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
18 de julho de 2017, 0:50
Filed under: Sem categoria


ISAÍAS 59 – Comentarios Pr Heber Toth Armí by jquimelli
18 de julho de 2017, 0:45
Filed under: Sem categoria

ISAÍAS 59 – Salvação é um negócio de Deus. Seus planos em relação ao Planeta danificado pelo pecado visam à salvação do pecador.

Deus quer salvar-nos do pecado, porém agarramo-nos ao pecado – infelizmente (vs. 1-2). Pecado separa-nos de Deus. Separados dEle, estamos distantes da verdadeira satisfação, alegria e vida.

Os versos 3-15 retratam a sociedade que está em pecado. Leia e veja se é de sua comunidade que o profeta está falando. Leia estes versos repetidas vezes em várias versões bíblicas. Sublinhe. Procure o significado das principais palavras no dicionário. Estude profundamente.

Para mim, parece a síntese do jornal de cada semana, uma análise sintática de nossa triste realidade social, moral e espiritual.

• E para você?
• Qual a conclusão que você chegou?
• Compartilhe conosco!

Apesar da triste constatação, a despeito de não sermos o que deveríamos ser, ainda que não correspondamos com o que Deus espera de nós, embora nossos pecados causem um abismo ou um muro intransponível entre nós e Deus… ninguém precisa afogar-se no mar do desespero. Absolutamente!

Sim, o que vimos até aqui é verdade. O pecado é crudelíssimo. Nossos pecados nos levam ao afastamento de Deus; e, por fim, à morte eterna. Todavia, o texto não terminou. Há esperança. Existe solução para uma sociedade caótica. Há como resolver o problema oriundo de nossos terríveis pecados.

O próprio Deus entra em cena. Nada pode nos separar de Seu amor. Por isso, Ele Se torna o nosso Ajudador, Intercessor e Redentor. Ele é nosso único meio de Salvação. Nele, temos um Salvador (vs. 16-21; ver Romanos 8:37-39).

• Nada pode separar-nos do amor de Deus, nem mesmo a morte, nem mesmo as hostes satânicas, nem mesmo o pecado. Nada mesmo!
• O que nos é impossível (aproximar-nos de Deus em pecado), para Deus é possível (aproximar-se do pecador).
• Graças a essa possibilidade, Jesus é Emanuel, Deus conosco.

Somos salvos pelas obras – não nossas –, as de Cristo. Nossas obras só nos condenam. Precisamos aceitar, pela fé, a justiça de Cristo. Para que sejamos libertos do pecado e aguardemos confiantemente pela vida eterna, Deus dá o Espírito Santo àqueles que aceitam a Seu Filho (v. 21; ver Efésios 1:13-14).

“Senhor, graças Te dou porque mesmo com meus pecados, Tua mão não está encolhida para me salvar” – Heber Toth Armí.



ISAÍAS 59 – COMENTÁRIO ROSANA BARROS by Ivan Barros
18 de julho de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Mas as vossas iniquidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça” (v. 2).


O tema principal deste capítulo aborda o assunto mais evitado ou até ignorado pela maioria, mas que envolve a todos, “porque todos pecaram” (Romanos 5:12). Não há como fugir desta realidade. A “lei do pecado que está nos [nossos] membros” (Romanos 7:23) nos aprisiona a uma condição desfavorável e na maioria das vezes nos leva a praticar aquilo que não queremos fazer. Ignorar a existência do pecado não o torna inexistente, mas cria um obstáculo ainda maior para que se possa compreender o significado da graça. Sobre isto, escreveu George R. Knight:

É importante reconhecer que uma doutrina inadequada de pecado levará inevitavelmente a uma doutrina inadequada de salvação. Edward Vick ensina corretamente que ‘o primeiro elemento na perfeição cristã [ou em qualquer outro aspecto da salvação] é reconhecer que somos pecadores… Reconhecer que somos pecadores significa admitir que existe um poder que nos domina e nos impede de ser o que Deus quer que sejamos. Esse poder é o poder do pecado’” (Pecado e Salvação, p. 29).

Israel cometeu o desatino de comparar o SENHOR aos deuses de paus e pedras das nações pagãs, que “têm boca e não falam; têm olhos e não veem; têm ouvidos e não ouvem; têm nariz e não cheiram. Suas mãos não apalpam; seus pés não andam” (Salmo 115:5-7). Então, o SENHOR tratou de deixar bem claro o Seu incomparável poder ao declarar através do profeta: “Eis que a mão do SENHOR não está encolhida, para que não possa salvar; nem surdo o Seu ouvido, para não poder ouvir” (v. 1). O problema não estava em que Deus havia esquecido do Seu povo, mas em que Seu povo havia esquecido do seu Deus. Tornaram-se indiferentes ao assim diz o SENHOR. Não havia “justiça nos seus passos” (v. 8) e andavam “falando mentiras” (v. 4). Os seus pés corriam para o mal (v. 7) e do coração proferiam “palavras de falsidade” (v. 13). Esperavam pela luz e pelo resplendor, mas só havia trevas e escuridão (v. 9).

Não é difícil “rebaixar” a Deus ao patamar de “deuses” fajutos. Foi exatamente o que fez Israel. E é exatamente o que muitos [até professos cristãos] têm feito. Lançam seus pecados para “debaixo do tapete” e ficam esperando que o poder de Deus se manifeste onde não há arrependimento e confissão. E quando não são atendidos, em quem colocam a culpa?

Corremos o sério perigo de agir como agiu o antigo Israel e transgredir as primícias da lei do SENHOR. Diante deste contexto, “é fácil perceber… que todo pecado sempre constitui um desrespeito ao primeiro grande mandamento e o primeiro do decálogo: ‘Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento’. ‘Não terás outros deuses diante de Mim’ (Mt 22:37; Êx 20:3)” (Pecado e Salvação, p. 43).

Sabe qual é a nossa realidade? Exatamente a mesma. E aqui destaco em letras garrafais: “SIM, A VERDADE SUMIU, E QUEM SE DESVIA DO MAL É TRATADO COMO PRESA” (v. 15).

Somente quando os pecados do povo são transformados de um relato em uma confissão (v. 9-15), é que surge a esperança e a redenção (v. 16-21). O pecado pode não ser o seu assunto preferido nas Escrituras, mas ele está ali para nos lembrar de nossa real condição: condenados à morte (Romanos 6:23). Somente a intercessão e a graça de Jesus pode nos livrar de nossa condenação. Se a verdade some, vai com ela a liberdade: “e conhecereis a verdade e a verdade vos libertará” (João 8:32).

Como o SENHOR dos Exércitos, Deus se revestiu de Sua armadura (v. 17) e prometeu ser fiel à aliança que havia feito com o Seu povo (v. 21). E Ele nos oferece o mesmo hoje. Não só está revestido de Sua armadura, como nos dá o privilégio de vesti-la também: “Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para poderdes ficar firmes contra as ciladas do diabo” (Efésios 6:11). O “Espírito do SENHOR” está prestes a ser derramado “como torrente impetuosa” (v. 19) sobre as virgens prudentes (Mateus 25:4), e “virá o Redentor” para salvar os “que se converterem, diz o SENHOR” (v. 20). Apesar da condição de pecadores, escolheram odiar o pecado e desviar-se do mal (v. 15), por isso o Espírito Santo e a Palavra do SENHOR não se apartarão da boca deles, “nem da de [seus] filhos, nem da dos filhos de [seus] filhos, não se apartarão desde agora e para todo o sempre, diz o SENHOR” (v. 21).

Clame pela justiça, confesse os seus pecados diante de Deus, abrace a verdade que liberta e converta-se ao Redentor que breve virá!

Bom dia, povo do SENHOR!

Desafio do dia: Separe um momento do dia para fazer uma oração somente de confissão. Seja sincero com Deus, pois Ele conhece o seu coração.

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus
#Isaías59
#RPSP



ISAÍAS 59 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
18 de julho de 2017, 0:25
Filed under: Sem categoria

A mão do SENHOR não está encolhida. Muitos em Israel atribuiam as dificuldades da nacao à incapacidade de Deus de liberta-los. … Nesta passagem, o Senhor responde a essas objecoes. A culpa nao esta nEle, mas com eles. CBASD – Comentario Biblico Adventista do Setimo Dia, vol. 4, p. 329.

Vossas iniquidades fazem separacao. Se os ceus parecem distantes da Terra, é porque o pecado colocou um veu de separacao entre o homem e Deus. CBASD, vol. 4, p. 329.

Vossas maos.Embora os judeus professassem de forma vigorosa a religiao, suas palavras e obras eram continuamente mas. CBASD, vol. 4, p. 329.

Ninguem ha que clame pela justica. A ideia é que, quando vai ao tribunal contra alguem, a pessoa o faz nao para alcancar justica, mas para assegurar a sancao dos tribunais para a injustica e a opressao. CBASD, vol. 4, p. 329.

Tecem teias de aranha. Teciam teias de engano para seduzir o proximo. … instrumento de morte. CBASD, vol. 4, p. 329.

6 As suas teias nao se prestam para vestes. Os que se ocupam em tecer teias de aranha perdem tempoproduzindo o que nao só é inutil, mas prejudicial. CBASD, vol. 4, p. 329.

Seus pes correm para o mal. Depois de cometer um ato perverso, ficavam impacientes para cometer o seguinte (comoarar com Pv 1:16; 6:17, 18; Mq 7:3). CBASD, vol. 4, p. 329.

Pensamento de iniquidade. Pensamentos maus dao origem a atos impios. Tentativas para frustrar o mal quando este alcanca o estagio de acao geralmente sao inuteis. A unica maneira de se prevenir acoes mas é transformar os pensamentos (ver com. de Mt 5:17-22). CBASD, vol. 4, p. 329, 330.

O caminho da paz. O povo de Deus desfruta paz (Is 32:18) porque tem paz no coracao. CBASD, vol. 4, p. 330.

10 Apalpamos. Quando os seres humanos se recusam a andar no caminho da retidao e da justica, Deus permite que a escuridao lhes sobrevenha (Is 6:10; cf Rm 11:25). CBASD, vol. 4, p. 330.

12 Nossas transgressoes. Representando o povo de Juda, Isaias reconhece com sinceridade suas transgressoes. CBASD, vol. 4, p. 330.

13 Retirarmo-nos do nosso Deus. O pecado afasta as pessoas de Deus, nunca as aproxima. CBASD, vol. 4, p. 330.

14  O direito de retirou. Isaias descreve a triste situacao que revalecia nos tribunais e nos negocios particulares dos judeus. Personifica-se a justica, que é descrita como fugindo para sua propria seguranca. Ela temia se aventurar em publico. CBASD, vol. 4, p. 330.

15 O SENHOR viu isso. Estas palavras dao inicio  uma nova secao. Concluiu-se a acusacao divina dirigida a Juda (v. 9-15). O Senhor entao estuda a condicao desesperada de Juda e Se oferece como salvador e intercessor. CBASD, vol. 4, p. 331.

16 Sua propria justica o susteve. É a misericordia divina que faz com que o Onipotente intervenha em favor de Seu povo sitiado. … Sem a intervencao divina, o ser humano nao tem esperanca. CBASD, vol. 4, p. 331.

17 Couraca. Isaias descreve Cristo como um guerreiro armado que entra na batalha pela salvacao do ser humano (ver Ef 6:14, 17). CBASD, vol. 4, p. 331.

18 Segundo as obras deles. Quando Cristo retornar, será “para retribuir a cada um segundo as suas obras (Ap 22:12). CBASD, vol. 4, p. 331.

Às terras do mar. Isto é, nacoes distantes que oprimiriam o povo de Deus. CBASD, vol. 4, p. 331.

19 Temerao, pois, o nome de Deus. A manifestacao final do poder de Deus em favor de Seu povo fara com que todos O reconhecam, de uma extremidade à outra da Terra (Sl 50:1-6; Ml 1:11; Ap 5:13; 15:3, 4). CBASD, vol. 4, p. 331.

Virá como torrente. Uma traducao literal da frase seria: “Ele virá como um rio de angústia”. CBASD, vol. 4, p. 332.

20 Virá o Redentor. Esta profecia se cumprirá na segunda vinda de Cristo. O Senhor voltará para salvar Seu povo: os que abandonaram a transgressao e O aceitaram como salvador. CBASD, vol. 4, p. 331.




%d blogueiros gostam disto: