Reavivados por Sua Palavra


ISAÍAS 59 – COMENTÁRIO ROSANA BARROS by Ivan Barros
18 de julho de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria


“Mas as vossas iniquidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça” (v. 2).


O tema principal deste capítulo aborda o assunto mais evitado ou até ignorado pela maioria, mas que envolve a todos, “porque todos pecaram” (Romanos 5:12). Não há como fugir desta realidade. A “lei do pecado que está nos [nossos] membros” (Romanos 7:23) nos aprisiona a uma condição desfavorável e na maioria das vezes nos leva a praticar aquilo que não queremos fazer. Ignorar a existência do pecado não o torna inexistente, mas cria um obstáculo ainda maior para que se possa compreender o significado da graça. Sobre isto, escreveu George R. Knight:

É importante reconhecer que uma doutrina inadequada de pecado levará inevitavelmente a uma doutrina inadequada de salvação. Edward Vick ensina corretamente que ‘o primeiro elemento na perfeição cristã [ou em qualquer outro aspecto da salvação] é reconhecer que somos pecadores… Reconhecer que somos pecadores significa admitir que existe um poder que nos domina e nos impede de ser o que Deus quer que sejamos. Esse poder é o poder do pecado’” (Pecado e Salvação, p. 29).

Israel cometeu o desatino de comparar o SENHOR aos deuses de paus e pedras das nações pagãs, que “têm boca e não falam; têm olhos e não veem; têm ouvidos e não ouvem; têm nariz e não cheiram. Suas mãos não apalpam; seus pés não andam” (Salmo 115:5-7). Então, o SENHOR tratou de deixar bem claro o Seu incomparável poder ao declarar através do profeta: “Eis que a mão do SENHOR não está encolhida, para que não possa salvar; nem surdo o Seu ouvido, para não poder ouvir” (v. 1). O problema não estava em que Deus havia esquecido do Seu povo, mas em que Seu povo havia esquecido do seu Deus. Tornaram-se indiferentes ao assim diz o SENHOR. Não havia “justiça nos seus passos” (v. 8) e andavam “falando mentiras” (v. 4). Os seus pés corriam para o mal (v. 7) e do coração proferiam “palavras de falsidade” (v. 13). Esperavam pela luz e pelo resplendor, mas só havia trevas e escuridão (v. 9).

Não é difícil “rebaixar” a Deus ao patamar de “deuses” fajutos. Foi exatamente o que fez Israel. E é exatamente o que muitos [até professos cristãos] têm feito. Lançam seus pecados para “debaixo do tapete” e ficam esperando que o poder de Deus se manifeste onde não há arrependimento e confissão. E quando não são atendidos, em quem colocam a culpa?

Corremos o sério perigo de agir como agiu o antigo Israel e transgredir as primícias da lei do SENHOR. Diante deste contexto, “é fácil perceber… que todo pecado sempre constitui um desrespeito ao primeiro grande mandamento e o primeiro do decálogo: ‘Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento’. ‘Não terás outros deuses diante de Mim’ (Mt 22:37; Êx 20:3)” (Pecado e Salvação, p. 43).

Sabe qual é a nossa realidade? Exatamente a mesma. E aqui destaco em letras garrafais: “SIM, A VERDADE SUMIU, E QUEM SE DESVIA DO MAL É TRATADO COMO PRESA” (v. 15).

Somente quando os pecados do povo são transformados de um relato em uma confissão (v. 9-15), é que surge a esperança e a redenção (v. 16-21). O pecado pode não ser o seu assunto preferido nas Escrituras, mas ele está ali para nos lembrar de nossa real condição: condenados à morte (Romanos 6:23). Somente a intercessão e a graça de Jesus pode nos livrar de nossa condenação. Se a verdade some, vai com ela a liberdade: “e conhecereis a verdade e a verdade vos libertará” (João 8:32).

Como o SENHOR dos Exércitos, Deus se revestiu de Sua armadura (v. 17) e prometeu ser fiel à aliança que havia feito com o Seu povo (v. 21). E Ele nos oferece o mesmo hoje. Não só está revestido de Sua armadura, como nos dá o privilégio de vesti-la também: “Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para poderdes ficar firmes contra as ciladas do diabo” (Efésios 6:11). O “Espírito do SENHOR” está prestes a ser derramado “como torrente impetuosa” (v. 19) sobre as virgens prudentes (Mateus 25:4), e “virá o Redentor” para salvar os “que se converterem, diz o SENHOR” (v. 20). Apesar da condição de pecadores, escolheram odiar o pecado e desviar-se do mal (v. 15), por isso o Espírito Santo e a Palavra do SENHOR não se apartarão da boca deles, “nem da de [seus] filhos, nem da dos filhos de [seus] filhos, não se apartarão desde agora e para todo o sempre, diz o SENHOR” (v. 21).

Clame pela justiça, confesse os seus pecados diante de Deus, abrace a verdade que liberta e converta-se ao Redentor que breve virá!

Bom dia, povo do SENHOR!

Desafio do dia: Separe um momento do dia para fazer uma oração somente de confissão. Seja sincero com Deus, pois Ele conhece o seu coração.

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus
#Isaías59
#RPSP


1 Comentário so far
Deixe um comentário

Louvado seja Deus por nos dá, ainda, essa oportunidade. Amém!

Comentário por iracema lima jesus




Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: