Reavivados por Sua Palavra


JUÍZES 19 – COMENTÁRIO PR. HEBER TOTH ARMÍ by Maria Eduarda
30 de maio de 2019, 0:55
Filed under: Sem categoria

Se o capítulo anterior te chocou, imagina este: Você conhece estes detalhes?

· O líder espiritual envolveu-se com prostituta: “A prostituição e a impureza sexual arrancam o coração consagrado a Deus e nublam o discernimento dos caminhos de Deus. Esta era a situação de Israel naquele momento, e aqui está um homem da tribo de Levi, a tribo sacerdotal, envolvido em concubinato” (Dr. Brian J. Bailey) (vs. 1-3).

· O líder espiritual envolveu-se com bebidas e glutonarias: Na casa do sogro havia comida suficiente para alegrar-se e fartar-se, a ponto da intemperança afetar as decisões do levita (vs. 4-10).

· O líder espiritual saiu tarde, não encontrou hospedagem, mas o pecado da falta de hospitalidade: Jebus (Jerusalém) estava ocupada por estrangeiros pagãos; porém, na tribo de Benjamim, a coisa estava pior que entre os pagãos. Até que um idoso, dedicado trabalhador, ofereceu hospedagem (vs. 11-21).

· O líder espiritual foi alvo de depravação sexual: Vieram os filhos de Belial com objetivos homossexuais, violação e homicídio e rodearam a casa do idoso. O levita, após ter sua esposa abusada sexualmente durante a noite e encontrá-la morta pela manhã, sem ter a quem recorrer por justiça, esquartejou seu corpo em 12 pedaços e o enviou às 12 tribos do povo de Deus (vs. 22-30).

O levita, que deveria exercer liderança espiritual, estava desfocado, perdido, desviado. Foi atrás de prostituta, banqueteou-se na casa de seu pai intemperantemente, foi indiferente ao abuso e violação de sua concubina; depois, sem consideração, a fez em pedaços e espalhou pela terra.

Esse quadro lembra Sodoma e Gomorra, mas será que não lembra nossa sociedade atual também? Isso é o resultado de afastar-se de Deus e de Suas leis descritas em Sua Palavra.

Fique longe do pecado…

· …sexual e infidelidade conjugal;

· …da glutonaria;

· …da falta de hospitalidade;

· …da brutalidade e depravação moral;

· …da indiferença (omissão).

O pecado embrutece e endurece o coração; afaste-se urgentemente dele: “O levita não apenas entregou a esposa às perversões daquela turba impiedosa, como também conseguiu deitar-se e dormir enquanto abusavam da mulher na rua!” (Warren Wiersbe).

ATENÇÃO: O caos social é resultado da indiferença aos divinos princípios espirituais!

Como cristãos, precisamos influenciar; não ser influenciados pela sociedade imoral! Devemos viver sábia e ousadamente cada um dos princípios revelados! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.



JUÍZES 19 – VÍDEO COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
30 de maio de 2019, 0:55
Filed under: Sem categoria



JUÍZES 19 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
30 de maio de 2019, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Nunca tal se fez, nem se viu desde o dia em que os filhos de Israel subiram da terra do Egito até ao dia de hoje; ponderai nisso, considerai e falai” (v.30).

Após a leitura deste terrível relato (creio eu que seja o mais desagradável para as mulheres), surgem alguns questionamentos: Como pode uma história tão horrível estar nas páginas da Bíblia Sagrada? Deus não poderia ter apenas citado que Israel cometeu muitas maldades e pronto? Precisava contar os detalhes? É que são nos detalhes que percebemos os pecados que levaram o povo a uma apostasia sem limites. O concubinato nunca foi plano de Deus, mas havia se tornado costume em Israel, onde as mulheres concubinas não possuíam os mesmos direitos das esposas e, em sua maioria, eram tratadas como mercadoria.

A rejeição por parte da concubina provavelmente se tenha dado por razão de maus tratos. Passado algum tempo, porém, o levita “foi após ela para falar-lhe ao coração, a fim de tornar a trazê-la” (v.3). Apresentou-se como um homem agradável e ganhou a afeição de seu sogro. Todavia, aquele homem com título de líder religioso logo provaria a sua covardia e insanidade. Não encontrando quem os recebesse em Gibeá, eis que “um homem velho” (v.16) os acolheu em sua casa. “Enquanto eles se alegravam” (v.22), enquanto ignoravam seus corações endurecidos pelo pecado, enquanto buscavam prazer em coisas temporais, estavam prestes a tornarem-se cúmplices de um crime hediondo.

A casa do homem velho foi cercada por “filhos de Belial” (v.22), que insistiam para que o homem lhes entregasse o levita a fim de que pudessem abusar dele. Juízes 19 não nos faz lembrar de Gênesis 19? Da mesma forma que Ló chegou a oferecer suas filhas virgens para aplacar a fúria dos sodomitas, aquele homem ofereceu sua filha virgem e a concubina do levita para que delas abusassem. Por razões que não conhecemos, apenas a concubina foi lançada à mão daqueles monstros, sofrendo um estupro sem precedentes. Creio que este seja o crime mais temido por toda mulher. Agora imaginem ser entregue pelo próprio marido para sofrer tamanha maldade! Pior ainda, sendo o seu marido um sacerdote, um líder religioso! Este episódio é uma prova inequívoca do que o homem sem Deus é capaz de fazer.

No caso de Ló, suas filhas foram poupadas e os anjos os conduziram em segurança para fora daquela cidade perversa. E por que a pobre da concubina não foi poupada também? Não sei, amados. Só sei de uma coisa: ela não foi a única vítima da perversidade de Israel. A sua triste morte ilustra a situação do ser humano longe do Criador: pior do que um animal. O esquartejamento da concubina também é um registro que reflete esse cenário. “Nunca tal se fez, nem se viu desde o dia em que os filhos de Israel subiram da terra do Egito até ao dia de hoje; ponderai nisso, considerai e falai”. Três ações diretas que deveriam abrir os olhos de Israel para o grande horror em que estavam vivendo.

A condição espiritual de Israel tornou-se deplorável. Mas por pior que fossem suas atitudes, até então, nada se comparava com aquela brutal covardia. E ainda mais covarde foi a atitude do levita, que foi conivente com aquele crime a fim de salvar sua própria vida. A multiplicação da iniquidade naqueles dias aponta para uma sociedade insensível e egoísta, aponta para o tempo do fim: “E, por se multiplicar a iniquidade, o amor se esfriará de quase todos” (Mt.24:12). Certamente aquela concubina gritou por socorro. Hoje, podemos ouvir gritos de socorro da parede ao lado de nossa casa, da mesa de um colega de trabalho, dos corredores da escola. Ao nosso redor, eis o cenário da dor! Não permita que o seu coração se torne insensível às necessidades de seus semelhantes, mas que, como os anjos que livraram Ló e suas filhas, sejamos instrumentos de Deus, levando o evangelho de Cristo e a esperança de Sua breve volta a um mundo que está em contagem regressiva. Ponderai nisso, considerai e falai. Vigiemos e oremos!

Bom dia, arautos do evangelho eterno!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Juízes19 #RPSP

Comentário em áudio:

youtube.com/user/nanayuri100



JUÍZES 19 – VÍDEO COMENTÁRIO PR RONALDO DE OLIVEIRA by Maria Eduarda
30 de maio de 2019, 0:05
Filed under: Sem categoria



JUÍZES 19 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
30 de maio de 2019, 0:05
Filed under: Sem categoria

1088 palavras

As semelhanças entre esta história e a narrativa de depravação de Sodoma (Gn 19) são muitas para ser apenas coincidência. O escritor deliberadamente enfoca essa história para comparar a depravação moral de Israel com aquela do povo de Sodoma. … É importante destacar que o narrador não julga as ações dos personagens. Não devemos assumir que hospedeiro do levita estava correto ao preferir estupro heterossexual em vez de estupro homossexual. Ele fez isso porque lhe pareceu bem aos seus próprios olhos. Da mesma forma, a falta de hospitalidade não é o verdadeiro problema aqui, como alguns comentaristas têm sugerido. A violência cometida por esses homens não decorre de falta de espírito hospitaleiro, mas, sim, é proveniente de corações maus e depravados. A narrativa deixa claro que o crime aqui é estupro e assassinato, perpetrado pelos homens de Gibeá. Tão horrível quanto esses atos tenham sido, a pior e mais chocante parte é que foram filhos de Israel quem os cometeram. Estupro e assassinato não eram menos comuns no antigo Oriente Próximo do que são hoje. Mas se pudessem ocorrer em outras nações, tais atrocidades não poderiam ter ocorrido entre o povo escolhido de Deus. Mesmo em uma época em que “não havia rei em Israel”, eles deveriam ter um padrão de viver mais elevado do que as nações vizinhas. A insistência do levita para ir a uma cidade israelita em vez de uma cidade estrangeira (19:12) só enfatiza este ponto: os israelitas deveriam ser pessoas melhores. Justo Morales, em https://reavivadosporsuapalavra.org/2012/12/02/.

uma concubina Ela poderia ser uma esposa de categoria inferior, sem o mesmo status de uma segunda esposa. Não era um caso passageiro, mas aparentemente um relacionamento regular e duradouro, como revela o fato de que, apesar da infidelidade dela ter sido repreensível, o marido a procurou para conseguir uma reconciliação (CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia-, vol. 2, p. 428).

o deixou Do modo como ele a tratou depois (v. 25), não se admira que ela o tenha abandonado (Andrews Study Bible).

saiu alegre a recebê-lo A afoita hospitalidade do pai da concubina indica que a separação foi, possivelmente, considerada como uma desgraça para a família. O pai se mostrou disposto a apresentar desculpas e sua insistência para que o levita passasse vários dias com a família evidenciou que se alegrava na reconciliação (CBASD, vol. 2, p. 428).

seu sogro … o deteve O pai da moça insistiu com o levita para que ficasse mais tempo do que ele desejava. … Era evidente que ele não desejava que o casal discutisse novamente. Estava fazendo todo o possível para consolidar o relacionamento deles (CBASD, vol. 2, p. 428).

10 não quis passar ali a noite O levita reconheceu que seria difícil partir no dia seguinte, como já havia ocorrido nos dois dias anteriores. Por isso recusou o convite e iniciou  jornada para casa nesse horário impróprio. Os resultados foram desastrosos, como mostra o que vem a seguir … O autor de Juízes contrasta a hospitalidade exagerada do sogro com a absoluta falta de hospitalidade que logo o levita experimentou em Gibeá. Quanto ao levita, sua experiência foi a mesma de muitas almas fracas e vacilantes que adiam desnecessariamente e então fazem um esforço apressado e excessivo (CBASD, vol. 2, p. 428 e 429).

10-12 Jebus … cidade estranha [de estrangeiros] Antes da conquista de Jerusalém por Davi (2 Sm 5.6s), essa cidade era a fortaleza dos jebuseus e denominada Jebus. Ficava apenas a uns 10 km ao norte de Belém, a mesma cidade onde Jesus nasceu (Andrews Study Bible).

16 homem velho Este homem, conterrâneo do viajante, não era benjamita. Isto explica, em parte, as atitudes dos cidadãos de Gibeá para com ele (Bíblia Shedd).

22 filhos de Belial. Literalmente, “filhos da inutilidade”. A expressão era usada para descrever pessoas inúteis, más, vis, sem lei, brigões, etc. Posteriormente, a palavra Belial se tornou nome próprio, um sinônimo para Satanás (2Co 6:15, ARC), (CBASD, vol. 2, p. 430).

24 minha filha virgem e a concubina dele trarei para fora. Esta proposta, feita pelo velho anfitrião (comparar com a oferta similar de Ló, Gn 19:8) é terrível aos leitores modernos, que farão qualquer coisa para proteger mulheres. Devemos lembrar que Juízes está simplesmente relatando o que aconteceu dentro do contexto de outra cultura, que foi desenvolvida por homens, não por Deus. A Bíblia não apresenta aquela cultura como nosso padrão (Andrews Study Bible).
Apesar de se apreciar o desejo dele em manter o código de hospitalidade, a natureza da oferta causa horror. Reflete o baixo conceito da mulher na Antiguidade (CBASD, vol. 2, p. 430).
Para se manter uma lei ética, quebra-se outra que, no moderno sistema de valores, seria infinitamente mais importante (Bíblia Shedd).

25 pegou da sua concubina (ARC) O verbo traduzido como “pegou” éhazaq. Significa “agarrar” ou “pegar à força”. O esposo agarrou a indefesa mulher e forçou-a a sair (ver ACF, NVI). Natrualmente a concubina resistiu a um ato tão estúpido. A atitude do levita (não do dono da casa, conforme diz a ARA) foi de extrema covardia  (CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia-, vol. 2, p. 430).

26 caiu à porta Num último alento, ela voltou para casa onde estava o homem que deveria protegê-la, mas que a desamparou na hora da ameaça. Ela teve forças para se arrastar até a porta, mas não conseguiu bater para entrar. Caiu morta ali (CBASD, vol. 2, p. 430).

28 vamos Depois de uma experiência como essa, o levita se dirigiu a ela com uma indiferença chocante, de modo que o leitor passa a esperar qualquer coisa da parte dele. Não admira que a mulher já o tivesse abandonado uma vez (CBASD, vol. 2, p. 430).

29 despedaçou O verbo usado no original é o mesmo usado para o ritual dos sacrifícios (Êx 29.17; Lv 1:6; 8:20) (Bíblia Shedd).

30 nunca tal se fez O levita havia calculado bem. A história desse feito despertou a indignação moral de todos os hebreus na Palestina. Eles reconheceram que fora um crime tão tremendo que nem mesmo a época tão agitada em que viviam e a falta de um governo central poderiam servir como excusa para a impunidade (CBASD, vol. 2, p. 431).

Nota: Apesar do objetivo principal da chocante história de Jz 19 seja revelar as raízes da guerra civil de Jz 20, dos benjamitas contra o restante dos israelitas, não deixa de ressaltar no texto a falta generalizada de valor da mulher na cultura da época (revelada desde a experiência de Ló em Sodoma) e a insensibilidade e brutalidade do levita, que deveria ser um exemplo, enquanto líder religioso. A violência doméstica ou mesmo o silêncio quanto ao conhecimento dele são consideradas como sendo feitas ao próprio Jesus (” A Mim me fizeste…” Mt 25:40) e devem ser veemente combatidos por aqueles que se dizem cristãos.



JUÍZES 18 by jquimelli
29 de maio de 2019, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: http://biblia.com.br/novaversaointernacional/juizes/jz-capitulo-18/

Recomendamos também o texto devocional da rodada anterior em: https://reavivadosporsuapalavra.org/2016/02/25/juizes-18/

O resultado natural de rejeitar o plano de Deus e fazer as coisas do nosso jeito é um comportamento cruel e desprezível.

Como os Danitas tinham sido infiéis ao plano de Deus, eles não conseguiram derrotar e expulsar os habitantes que ocupavam a terra que Deus originalmente lhes havia designado. Eles, então, procuraram um caminho mais fácil, mesmo que isso significasse tirar proveito da indefesa Laís. Migrar para o norte a fim de assassinar um povo que vivia tranquilo e não ameaçador era apenas mais um sinal de infidelidade ao plano de Deus. Ao invés de construir suas vidas nas promessas de Deus, eles construíram sua cidade nas ruínas de vidas perdidas.

Com que frequência também identificamos os vulneráveis e os atacamos?

Muitas vezes, as ovelhas de Deus se tornam lobos de Satanás. Determinados a obter aquilo que achamos que é nosso direito, despojamos o direito dos outros, sejam emocionais, espirituais ou físicos. Pensando que nossos direitos são maiores que os direitos dos outros, atacamos os vulneráveis agindo como lobos entre ovelhas. Em vez de confiar no caminho de Deus que é o amor, fazemos planos escusos a fim de alcançar nossos objetivos, mesmo que isso signifique prejudicar a vida de alguém.

Sempre que meus direitos imaginários ameaçam o bem-estar de outra pessoa, corro o risco de me tornar um agressor.

Karen Lifshay
Corista da Igreja Adventista de Hermiston
Oregon, EUA

Fonte: https://www.revivalandreformation.org/?id=473
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos, Jeferson e Gisele Quimelli



JUÍZES 18 – VÍDEO COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
29 de maio de 2019, 0:56
Filed under: Sem categoria




%d blogueiros gostam disto: