Reavivados por Sua Palavra


JUÍZES 14 by jquimelli
25 de maio de 2019, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: http://biblia.com.br/novaversaointernacional/juizes/jz-capitulo-14/

Você faz mau uso da verdade? Sansão fez isso. Deus não só livrou Sansão de um leão que estava esperando para emboscá-lo, mas depois Deus usou sua carcaça morta para abençoar Sansão com uma lição objetiva. Em vez de agradecer a Deus pela lição e compartilhá-la, Sansão a usou mal. Ele reteve a verdade de sua família e depois a pendurou como um enigma diante de seus convidados, atormentando-os por uma semana. Quando os filisteus finalmente descobriram a resposta, “sua ira foi despertada”. Juízes 14:19. Isso equivale a conhecer a verdade e dizer aos seus entes queridos: “Ha, ha, ha, sei de algo que você não conhece”. Os “amigos” de Sansão estavam furiosos. Você gostaria que seu médico dissesse: “Eu sei o que está matando você, mas não vou lhe contar?”

Como você vai responder a Deus pelas verdades que você conhece? Você está compartilhando a verdade do amor de Deus pela humanidade? Deixe sua família saber o quanto você os ama contando as boas novas e se alegrando com eles quando eles entenderem. “Da mesma forma, eu digo a você, há alegria na presença dos anjos de Deus por um pecador que se arrepende.” Lucas 15:10.

Karen Lifshay
Corista da Igreja Adventista de Hermiston
Oregon, EUA

Fonte: https://www.revivalandreformation.org/?id=471
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos, Jeferson e Gisele Quimelli



JUÍZES 14 – VÍDEO COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
25 de maio de 2019, 0:55
Filed under: Sem categoria



JUÍZES 14 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ  by Maria Eduarda
25 de maio de 2019, 0:45
Filed under: Sem categoria

Quando permitimos que o coração fale mais alto que a Palavra de Deus em nossa vida, nossas emoções dominam levando-nos para fora do belíssimo plano que Deus sonhou para nós.

Reflita nesta reflexão escrita pelo Dr. Siegfried J. Schwantes sobre Sansão:

“Sansão acabou caindo nas mãos do inimigo, porque jamais caiu em si mesmo. Dominou o leão no caminho de Timnate, mas nunca dominou o próprio eu. Gostava de propor enigmas, mas só tarde resolveu o enigma de sua vida. Fixou os olhos no brilho ofuscante de uma falsa Dalila e acabou cego. Buscou uma liberdade falsa, e terminou escravo. Não quis trilhar a senda da retidão e findou dando voltas e mais voltas empurrando as moendas do cárcere. Incendiou com o auxílio das raposas as searas inimigas, mas permitiu que a raposinha dos vícios destruísse sua própria vida. Carregou os portões de Gaza sobre os ombros, mas foi esmagado sobre os pecados de Gaza. Brincava de deixar-se amarrar, e amarrado ficou. Gostava de folia e seu penúltimo ato foi servir de palhaço, perante algozes. Felizmente arrependeu-se na undécima hora e procurou redimir uma vida fracassada com um último arroubo de esforço de fé. Venceu, mas quão gloriosa teria sido sua carreira, tivesse aceito a diretriz divina para sua vida”.

Caso queiras aprender para não cometer os mesmos erros, invista tempo com a Bíblia, atente às diretrizes divinas para sua vida:

• As raízes dos problemas no matrimônio surgem antes do casamento, são observáveis no namoro (vs. 1-7). Desconsiderar sábios conselhos paternais, e, investir em jugo desigual, resultam em caos total (Deuteronômio 7:3-4).

• As causas dos problemas no casamento podem sabiamente e racionalmente serem identificadas no namoro (vs. 8-17). Chantagem emocional, falta de confiança e traição resultam em maldição.

• As razões dos problemas no namoro estouram no casamento; a arte de estragar casamento reside em não saber lidar com problemas no namoro (vs. 18-20). Guiar-se pela emoção e não pela revelação é o trampolim da autodestruição.

Relacionamentos que Deus nunca planejou para Seus filhos são causas de muitas desgraças familiares e, também, da verdadeira religião. Casamentos impróprios aos olhos de Deus dão-nos uma vida que nunca planejaríamos para nós.

O divórcio de Sansão se deu na lua-de-mel para chamar nossa atenção. Fiquemos atentos! – Heber Toth Armí.



JUÍZES 14 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
25 de maio de 2019, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Porém, seu pai e sua mãe lhe disseram: Não há, porventura, mulher entre as filhas de teus irmãos ou entre todo o meu povo, para que vás tomar esposa dos filisteus, daqueles incircuncisos? Disse Sansão a seu pai: Toma-me esta, porque só desta me agrado” (v.3).


No capítulo anterior estudamos sobre o nascimento de Sansão, suas implicações e missão. A Bíblia não relata a infância de Sansão, mas revela o mais importante: a bênção de Deus estava sobre ele. Entre o desejo de Deus em nos abençoar e a nossa aceitação em fazer a vontade dEle há um espaço chamado livre arbítrio. E Sansão resolveu usar desta liberdade para se casar com a mulher que seus olhos cobiçaram. Entretanto, surge uma intrigante questão no versículo quatro. Vejamos: “Mas seu pai e sua mãe não sabiam que isto vinha do Senhor…”. Parece que tudo ficou confuso agora, não é mesmo? Mas eu lhes convido a analisar o contexto:

Deus escolheu Sansão para ser libertador de Israel, correto? Correto. Ele cresceu debaixo da bênção de Deus, certo? Sim. Então, isto o obrigava a sempre fazer a vontade de Deus, certo? Errado! Apesar do sábio Salomão dizer que é nosso dever temer a Deus e guardar os Seus mandamentos (Ec.12:13), não é algo que nos é imposto. Quando Adão e Eva pecaram, bastava Deus ter os destruído e criado outros em seu lugar. Mas Ele não fez isso. Não faz parte de Seu caráter justo e de amor agir de tal forma. Por que, pois, a Bíblia diz que aquela união em jugo desigual vinha de Deus? Em Êxodo 34:12 e 16, lemos: “Abstém-te de fazer aliança com os moradores da terra para onde vais, para que te não sejam por cilada…e tomes mulheres das suas filhas para os teus filhos, e suas filhas, prostituindo-se com seus deuses”. Esta ordem do Senhor era para preservar o povo de duas coisas: da corrupção moral dos pagãos, e da idolatria que os faria esquecer do Senhor e de Seus mandamentos (Êx.20).

Muitas vezes tomamos a direção contrária à vontade de Deus, mas Ele, que sonda os corações, sempre faz de tudo para trazer Seus filhinhos novamente para o caminho seguro. Ao colocar um leão no caminho de Sansão, Deus provou ainda estar com ele mesmo diante de sua constante rebeldia. A princípio, não foi o melhor dos encontros e nem tampouco era o que podemos chamar de caminho seguro, mas foi o que Deus usou para evitar um casamento que seria bem pior do que enfrentar uma fera. E Deus usou da ocasião para que Sansão ferisse os filisteus, dando início ao cumprimento da missão que lhe foi designada como libertador de seus irmãos.

Assim como o Espírito Santo fez Sansão matar aquele leão com as próprias mãos, Deus não permite que as dificuldades sejam maiores do que a força que Ele nos promete para vencê-las. Porém, quando escolhemos o caminho fácil, aparentemente sem “leões”, ou sem ninguém para interferir em nossos gostos e vontades, acontece como naquele casamento; há um curto período de festa e de alegria, mas no fim percebemos a amargura de nossas más escolhas e que elas afetam não somente a nós, mas a todos os envolvidos. Entendem agora o sentido do versículo quatro? Não que Deus aprovasse aquele casamento, mas que o usaria para tentar salvar Sansão de si mesmo, de seu egoísmo e presunção. Ele podia ser o homem mais forte fisicamente, mas havia se tornado o mais débil espiritualmente.

Aquela ilustração da colmeia na boca do leão era a tentativa de Deus de dizer a Sansão que o caminho que ele havia escolhido era um caminho de perigo, mas que se ele obedecesse à Sua Palavra, o Senhor o levaria a saborear o doce sabor da vitória. Como o salmista, sigamos o caminho que conduz à vida: “De todo mau caminho desvio os pés, para observar a Tua Palavra… Quão doces são as Tuas palavras ao meu paladar! Mais que o mel à minha boca!” (Sl.119:101 e 103). Escolha ser fiel, enfrente seus “leões” com Deus, e Ele lhe dará a mais doce vitória. Vigiemos e oremos!

Feliz sábado, fortes no Senhor!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus  #Juízes14 #RPSP

Comentário em áudio:
youtube.com/user/nanayuri100



JUÍZES 14 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
25 de maio de 2019, 0:05
Filed under: Sem categoria

1113 palavras

Desceu. A elevação de Zorá é de 356,7 m, enquanto que a de Timna é de apenas 243,9 m. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 2, p. 403.

Timna. Identificada como Tell Batash no vale de Soreque, a oeste de Bete Semes [“Casa do Sol”]. Os arqueólogos têm descoberto a camada filistéia dessa cidade. Bíblia de Estudo NVI Vida.

viu ali uma mulher (NVI). Esta era a fraqueza de Sansão (comparar com 16:1, 4). Bíblia de Estudo Andrews.

A palavra [“mulher”, em vez de “virgem” ou “moça”] pode indicar que o novo relacionamento de Sansão poderia ser com uma viúva ou divorciada, apesar de jovem (PP, 562), ou mostra desprezo por ela (ver Jz 16:4). Muitos dos incidentes da vida de Sansão ocorreram em suas relações com mulheres. Embora forte fisicamente, era fraco em poder moral e autocontrole. O contato prematuro com idólatras rompeu a fortaleza de sua alma. CBASD, vol. 2, p. 403.

tomar esposa dos filisteus. Como alguns jovens, hoje em dia, Sansão não fez caso da lei de Deus, contrária ao casamento misto (Êx 34.16; Dt 7.3), nem se submeteu à vontade dos pais. Bíblia Shedd.

Casar com uma odiada filisteia seria uma desgraça para a família de Sansão. Life Application Study Bible.

Esse casamento deve ter sido muito triste para Manoá e sua esposa porque sabiam que Sansão havia sido chamado para uma obra especial. É tarefa de pais tementes a Deus tentar dissuadir os filhos de se casarem com pessoas de crença diferente. CBASD, vol. 2, p. 404.

só desta me agrado. Literalmente, “ela é a certa aos meus olhos”. A paixão o cegou; não viu a inadequação dela para se tornar a companheira de vida e parceira de alguém que seria um líder em Israel. Uma pessoa sábia e temente a Deus reconhecerá que há outros critérios importantes a serem considerados, como atitudes básicas, convicções religiosas e ideais. CBASD, vol. 2, p. 404.

isto vinha do Senhor. Embora o desejo de Sansão fosse pecaminoso, Deus o usou visando Seus próprios propósitos de exercer o juízo contra os filisteus. Bíblia de Genebra.

Em vista do perigo do desaparecimento da fé e do culto ao Deus verdadeiro, houve necessidade de reconhecer-se que os filisteus eram inimigos, e não apenas portadores de uma nova e valiosa cultura. Bíblia Shedd.

vinhas de Timna. O vale de Soreque (onde Timna se localizava) e suas áreas ao redor eram notáveis pelas vinhas luxuriantes. Bíblia de Estudo NVI Vida.

leão. Antigamente, os leões eram comuns no sul de Canaã (v. 1Sm 17.34; 2Sm 23.20; 1Rs 13.24; 20.36). Bíblia de Estudo NVI Vida.

Os leões eram comuns nos desertos ao sul de Judá e no vale do Jordão, mas desapareceram na época das cruzadas. CBASD, vol. 2, p. 404.

sem nada ter na mão. …era política dos filisteus forçar os hebreus a andarem desarmados, com a proibição de nenhum deles atuar como ferreiro (1Sm 13:19-22).

O corpo do leão morto. Por natureza, as abelhas evitam todo tipo de decomposição e putrefação. Ao que tudo indica, chacais e abutres já tinham despojado a carne dos ossos e o calor os secara. Permaneceu somente o esqueleto. Um enxame construiu um ninho na cavidade formada pelas costelas. CBASD, vol. 2, p. 405.

nas mãos. Sansão carregava nas mãos os favos de mel, comendo dele. … Sem dúvida essa era uma violação do voto de nazireu devido ao fato de o mel ter sido tirado de um esqueleto, o que o tornaria imundo, e alimento imundo era proibido (Jz 13:7). CBASD, vol. 2, p. 405.

11 como o vissem, convidaram trinta companheiros. O fato de os filisteus sentirem necessidade de cercá-lo de 30 jovens, ao que parece para a segurança deles caso Sansão se tornasse agressivo, indica que ele deveria ter aparência extraordinariamente forte. Bíblia de Estudo Andrews.

12 enigma. A utilização de enigmas em festividades é antiga e é o entretenimento favorito. Grandes quantias eram oferecidas pela solução desses enigmas. Tornava a ocasião mais alegre e divertida. CBASD, vol. 2, p. 405.

camisas. A melhor tradução seria “vestes de linho” (NVI). Acredita-se que eram grandes peças de linho fino que poderiam ser usadas como vestimenta externa durante o dia ou uma manta para dormir á noite. CBASD, vol. 2, p. 405.

14 não puderam decifrar o enigma. O enigma era injusto, pois se baseava em uma experiência pessoal única de Sansão (v. 5, 6, 8, 9). Bíblia de Estudo Andrews.

15 para que não queimemos a ti. Os filisteus eram brutais e traiçoeiros mesmo com seu próprio povo. Para não perder uma aposta, eles forçaram a mulher com ameaças. Não foi uma ameaça vã porque, mais tarde, eles realmente queimaram a ela e ao pai (ver Jz 15:6). CBASD, vol. 2, p. 406.

16 chorou diante dele. O enigma de Sansão tornou o casamento numa ocasião de angústia, não de alegria. O choro e a preocupação da noiva e os convidados carrancudos deveriam ter servido como uma advertência de que a associação com filisteus traria angústia e tristeza. CBASD, vol. 2, p. 406.

18 se vós não lavrásseis com minha novilha.  Significa “se não tivésseis manipulado minha mulher”. Se eles não houvessem ameaçado sua mulher, eles não teriam descoberto a resposta ao enigma. Life Application Study Bible.

19 o Espírito do Senhor de tal maneira Se apossou dele. O Senhor deu poder a Sansão quando estava para que atacasse os inimigos de Israel, iniciando uma cadeia de retaliação cada vez maior. Bíblia de Estudo Andrews.

Sansão usou impulsivamente para fins egoístas o especial dom que Deus lhe deu.Hoje, Deus distribui conhecimentos e habilidades para todos na igreja (1Co 12.1ss). O apóstolo Paulo declara que estes dons devem ser usados “para que o corpo de Cristo seja construído”; isto é, para construir a igreja (Ef 4:12). Usar estas habilidade para propósitos egoístas é roubar a igreja e crentes seguidores de força. Ao usar os dons que Deus lhe concedeu, esteja certo de ajudar outros, não apenas a si mesmoLife Application Study Bible.

20 ao companheiro de honra. Esse não era um costume, mas uma tentativa de um pai envergonhado em salvar as aparências (15.1-2). Até mesmo os filisteus continuavam a referir-se a Sansão como “o genro do timnita” (15.6). Bíblia de Genebra.

Caso Sansão tivesse aproveitado essa experiência e permitido que o vazio e o desapontamento causados pelo pecado o guiassem a buscar um caminho melhor, Deus o aceitaria e permitiria que liderasse Israel em completo triunfo contra os filisteus. No entanto, Deus continuou a trabalhar por meio de Sansão na medida em que ele permitia. A experiência de Sansão indica que Deus não abandona imediatamente os Seus servos quando eles caem em pecado. Ele pode continuar a abençoar os esforços deles apesar de conscientemente desrespeitarem algumas exigências divinas. Como não existe nenhuma pessoa perfeita, Deus não poderia utilizar instrumentalidades humana se abençoasse somente os esforços dos puros. Sendo assim, ninguém deve interpretar que as bênçãos do Céu demonstram que Deus aprova todas as obras de Seus servos (CBASD, vol.2, p. 407).



JUÍZES 14 – VÍDEO COMENTÁRIO PR RONALDO DE OLIVEIRA by Maria Eduarda
25 de maio de 2019, 0:05
Filed under: Sem categoria




%d blogueiros gostam disto: