Reavivados por Sua Palavra


JUÍZES 7 by Jobson Santos
18 de maio de 2019, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: http://biblia.com.br/novaversaointernacional/juizes/jz-capitulo-7/

Você está disposto a permitir Deus remover 31.700 coisas da sua vida para que você seja totalmente dependente de Deus?

De um modo contrário à razão, Deus disse a Gideão: “Você tem muitos recursos e isso atrapalha de eu te libertar. Quero que você se gabe de mim, não de sua própria força“.

Gideão pensou que precisava de mais de 32.000 homens para vencer; Deus pensou que Gideão precisava de muito menos. Muitas vezes, quando acreditamos que precisamos de muito mais – mais talento, mais força, mais promoções, mais amigos – Deus sabe que na verdade precisamos de menos. Menos do externo e mais do Eterno. Enfrentando provações tão densas quanto um enxame de gafanhotos, precisamos de menos de nossos próprios recursos e mais de Deus, nossa maior arma.

Nossa força de vontade, sabedoria ou riqueza é impotente para nos salvar de desafios tão incontáveis ​​quanto grãos de areia. Pensando erroneamente que podemos vencer problemas com recursos humanos insignificantes, nossa história se torna uma lista de esforços humano, em vez de um testemunho do poder miraculoso de Deus. Somente quando somos reduzidos a nada, a não ser Deus, podemos realmente possuir tudo o que precisamos. Deus é mais valente em nosso favor quando somos mais dependentes.

Quando você entrega os aspectos externos e confia no Eterno, os milagres acontecem.

Lori Engel
Capelã (atualmente com necessidades especiais)
Eugene, Oregon, EUA

Fonte: https://www.revivalandreformation.org/?id=464
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos, Jeferson e Gisele Quimelli



A Fonte de Harode by jquimelli
18 de maio de 2019, 0:59
Filed under: Sem categoria



JUÍZES 7 – VÍDEO COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
18 de maio de 2019, 0:55
Filed under: Sem categoria



JUÍZES 7 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ  by Maria Eduarda
18 de maio de 2019, 0:45
Filed under: Sem categoria

A essência de um fervoroso filho de Deus na Terra e de dependência constante do Deus que pode todas as coisas está em reconhecer que a entrega de ontem não funciona para a guerra de hoje. Independência de Deus hoje resulta em escravidão ao pecado amanhã!

A dependência de Deus hoje deve levar a um maior compromisso amanhã. Assim, Deus agiu pacientemente na vida de Gideão capacitando-o para liderar um grande exército.

“Da noite para o dia, o limpador de trigo se transformou em um autêntico estadista, demonstrando genuínas qualidades de liderança política e comando estratégico. Para combater um antagonista multinacional e multiétnico, conseguiu criar um exército tribal unido pelo mesmo passo comum, fiel ao mesmo Deus e motivado pelo mesmo desejo de assegurar a soberania religiosa e nacional dos hebreus e de seu território” (Elie Wiesel).

Rapidamente Gideão congregou 32.000 soldados. Ainda eram poucos para um exército inimigo com 135.000 soldados bem treinados. O que Gideão não sabia era que o Deus que ele provou sem questioná-lo agora iria colocá-lo à prova também (vs. 1-3).

Deus alegou que 32.000 soldados era demais para enfrentar 135.000 inimigos. Pediu-lhe que despedisse medrosos e tímidos. Surpreendentemente, 22.000 soldados afrouxaram. Coitado de Gideão! Agora, 10.000 contra 135.000. Para piorar, Deus ainda insistiu que eram muitos; deveria reduzir esse número: A segunda prova (vs. 4-6).

Com 300 soldados, Deus venceu para Israel um exército de 135.000 inimigos opressores (veja detalhes nos versos 7-25).

Aplicações pessoais:

1. A liderança que funciona é aquela regida por Deus. Os melhores líderes não são os mais ousados, mais habilidosos ou mais criativos, mas os mais submissos à regência divina.

2. O líder bom é aquele que amadurece permitindo que Deus o conduza pelas provas oriundas de Suas orientações. O desafio colocado por Deus seguido pela fé gera homens e mulheres vitoriosos.

3. Seguir à voz de comando de Deus em toda e qualquer situação é o segredo do verdadeiro e miraculoso sucesso enquanto atravessamos este mundo tenebroso.

4. Deus não precisa de muita gente para fazer milagres neste planeta dominado pelo diabo e seus anjos, Ele precisa de alguém que se dispõe a ser orientado por Ele.

5. Deus age quando Lhe damos permissão total.

“Senhor, opera também em mim!” – Heber Toth Armí.



JUÍZES 07 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
18 de maio de 2019, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Disse o Senhor a Gideão: É demais o povo que está contigo, para Eu entregar os midianitas nas suas mãos; Israel poderia se gloriar contra Mim, dizendo: A minha própria mão me livrou” (v.2).


Confiante de que Deus o chamou na missão de livrar Israel dos midianitas, Gideão reuniu “todo o povo que com ele estava” (v.1) para marchar contra os inimigos. Gideão certificou-se de que todos os homens de guerra o acompanhassem naquela investida, quando foi surpreendido com a ordem divina de fazer uma espécie de processo seletivo. Inicialmente, o Senhor ordenou que todos os tímidos e medrosos voltassem para casa. E pasmem! Voltaram do povo vinte e dois mil! Isto já nos diz algo muito importante, amados: o que enxergamos como sendo um exército grande e forte, pode não passar de um bando de tímidos e medrosos. A quantidade não revela a qualidade.

Na sequência, restaram dez mil homens. E disse Deus: “Ainda há povo demais” (v.4). Deus não necessita de multidões para ver cumpridos os Seus propósitos, porque o pouco com Deus se torna maioria. Ele sabia exatamente a quem usar. E daqueles dez mil, 300 foram destacados. Divididos “em três companhias” (v.16), aqueles homens estavam dispostos a compartilhar com Gideão as recompensas da confiança em Deus. Confiaram no Deus de seus pais e confiaram em seu líder, obedecendo-lhe a ordem: “Olhai para mim e fazei como eu fizer” (v.17). Com espírito humilde e manso, à semelhança do Anjo do Senhor que o elevou de agricultor à comandante da nação, Gideão tornou-se um líder digno de ser imitado.

Conhecendo-lhe o coração e de como começou a ser ameaçado pelo medo, o Senhor propôs a Gideão outra prova. Na companhia de seu servo, ele ouviu da boca de seus inimigos a confirmação de sua vitória, e “adorou” (v.15). Foi quando Deus mesmo propôs o sinal de Seu cuidado e o confirmou, que Gideão finalmente compreendeu o cerne da questão: a verdadeira adoração. Ao experimentar a benignidade do Senhor, tornou-se um eficiente instrumento para transmiti-la a seus liderados. A espada de Gideão não era outra, senão a Palavra de Deus. Tudo quanto o Senhor havia ordenado, assim fez Gideão. Quanto mais devemos lhe imitar o exemplo! “Tomai também o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a Palavra de Deus” (Ef.6:17).

Dos trezentos é dito isto: “E permaneceu cada um no seu lugar” (v.21). O Senhor tem uma obra específica para cada um de nós. Ninguém é chamado ao ócio na seara do Senhor. Há um sagrado ofício e uma santa convocação a todos os que, como Gideão, manifestam depender de Deus. Precisamos de líderes como Gideão, assim como precisamos ser um povo unido no mesmo propósito como foram os trezentos. Antes de ouvir qualquer voz humana, Gideão buscava ouvir a voz de Deus. Sua insegurança foi mudada em dependência; seu medo, em confiança; sua fraqueza, em força. E no Senhor e na força do Seu poder, liderou o pequeno grupo de valentes apenas com trombetas e cântaros iluminados. Porque onde há genuíno louvor e adoração, há o fogo do Espírito; e onde há o fogo do Espírito, a vitória é garantida.

Como Paulo, declaremos: “Pelo que sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias, por amor de Cristo. Porque, quando sou fraco, então, é que sou forte” (2Co.12:10). Vigiemos e oremos!

Feliz sábado, fortes e vitoriosos no Senhor!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Juízes7 #RPSP

Comentário em áudio:
youtube.com/user/nanayuri100



JUÍZES 7 – VÍDEO COMENTÁRIO PR RONALDO DE OLIVEIRA by Maria Eduarda
18 de maio de 2019, 0:10
Filed under: Sem categoria



JUÍZES 7 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
18 de maio de 2019, 0:05
Filed under: Sem categoria
1457 palavras

1-8 Como comandante supremo de Israel, o Senhor reduziu o exército de tal maneira que Israel soubesse que a vitória era mediante o poder dEle, e não dos israelitas. Bíblia de Estudo NVI Vida.

fonte de Harode. Esta nascente abundante, com outro nome, ainda brota de uma caverna no sopé de uma colina, ao longo do monte Gilboa. … Harode significa “trêmulo”, e a fonte pode ter recebido este nome em virtude do pânico e tremor que se apoderaram dos midianitas quando Gideão os atacou. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 1, p. 356.

É demais o povo que está contigo. Comparar com 1Sm 14:6: -“para o SENHOR nenhum impedimento há de livrar com muitos ou com poucos”. Bíblia de Estudo Andrews.

Israel poderia se gloriar contra Mim. A redução das forças de Gideão (3, 4) tinha como propósito evitar a presunção. Bíblia Shedd.

A auto suficiência é um inimigo quando nos leva a acreditar que podemos realizar o que precisa ser feito pelas nossas próprias forças. Para prevenir essa atitude entre os soldados de Gideão, Deus reduziu seu número de 32.000 para 300. … Como Gideão, devemos reconhecer o perigo de lutar com nossas próprias forças. Podemos confiar na vitória somente se colocarmos nossa confiança em Deus e não em nós mesmos. Life Application Study Bible.

Apregoa… Quem for tímido e medroso (ARA; NVI: “todo aquele que estiver tremendo de medo”). A proclamação era uma parte do aviso que Moisés ordenou que fosse feito (Dt 20:5-9), convidando os medrosos a deixar as fileiras para que sua deserção no meio da batalha não levasse outros a fugir também. “Pelo fato de seu exército ser tão pequeno em comparação com o do inimigo, Gideão se abstivera de fazer a proclamação usual” (PP, 549). Muitos dos homens se alistaram por causa dos apelos de Gideão, mas eram temerosos e descrentes. Para que não fugissem quando a batalha começasse ou tomassem a glória para si mesmos, o Senhor pediu que fossem mandados de volta. Os dois terços que saíram constituem um triste comentário sobre a amplidão da idolatria que destruiu a fé de Israel em Deus. CBASD, vol. 1, p. 356.

Gileade. Uma sugestão para este nome pode ser encontrada no nome de um ribeiro conhecido como Nahr el-Jalud.

lamberam. Os 300 permaneceram de pé, prontos para qualquer emergência. Bíblia de Estudo NVI Vida.

Uma pequena minoria se mostrou ávida por continuar em movimento e vigilante, pronta para lutar a qualquer momento. Bíblia de Estudo Andrews.

A triagem serviu para remover os infectados pela idolatria e destacar os homens de coragem e fé; homens cuja confiança em Deus não foi afetada pela prática da adoração idólatra. A fé os levava a confiar que, com Deus ao seu lado, o sucesso seria certo, apesar de estarem em menor número. Como Jônatas mais tarde lembrou ao seu escudeiro, o número deles era de pouca importância aos olhos de Deus (ver 1Sm 14:6). CBASD, vol. 1, p. 356, 357.

10 Se ainda temes atacar. Gideão já havia provado ao Senhor com um sacrifício e com o teste duplo da lã (cap. 6). Ele ainda estava com medo, em especial, porque seu exército havia sido reduzido a 300 soldados, contra uma hoste inimiga de cerca de 135 mil (8:10). Por isso, o Senhor graciosamente lhe ofereceu uma garantia adicional de uma fonte improvável: as palavras de dois soldados adversários, que predisseram o sucesso do pequeno exército de Gideão (7:13-15). Bíblia de Estudo Andrews.

Está você enfrentando uma batalha? Deus pode te dar a força que você precisa em qualquer situação.E não fique assustado pelo modo como Ele te ajuda. Como Gideão, você deve escutar a Deus e estar pronto a dar o primeiro passo. Somente após você começar a obedecer a Deus você encontrará coragem para se movimentar para frente. Life Application Study Bible.

8-14 O Senhor forneceu a Gideão informações animadoras de inteligência militar antes da batalha. Bíblia de Estudo NVI Vida.

11 até a vanguarda. Isto é, nos postos avançados ou nas sentinelas. Possivelmente o acampamento midianita incluía mulheres e crianças. Os soldados estariam postados ao redor do acampamento. CBASD, vol. 1, p. 357.

12 Os midianitas eram saqueadores montados em camelos, compostos por cinco famílias ligadas a Abraão através de Midiã, o filho de Abraão com Quetura, sua segunda esposa. Eles habitavam as regiões do deserto entre o mar Morto e o mar Vermelho. Life Application Study Bible.

13, 14 Embora revelações por meio de sonhos sejam muitas vezes mencionadas no AT, no presente caso quem sonhou e quem interpretou não eram israelitas [Cp. José e Daniel]. Bíblia de Estudo NVI Vida.

Deus capacitou Gideão a compreender o sonho e o seu significado. Assim, ele foi inspirado a cumprir confiante a comissão que lhe fora dada. CBASD, vol. 1, p. 357.

13 pão de cevada. Representa os israelitas destituídos das terras mais produtivas que foram assim obrigados a comer pão de cevada, o alimento dos pobres. Bíblia Shedd.

Como a cevada era considerada um cereal inferior, com apenas metade do valor do trigo (v. 2Rs 7.1), é um símbolo apropriado de Israel, que era numericamente inferior. Bíblia de Estudo NVI Vida.

O pão de cevada era o alimento das pessoas pobres. Pode ser uma referência velada aos israelitas, que estavam empobrecidos pelos sete anos consecutivos de opressão midianita. CBASD, vol. 1, p. 357.

15 adorou. Ao reconhecer no sinal uma evidência da presença divina em seu empreendimento, Gideão deu a resposta mais apropriada para a ocasião: ele adorou. Sua prece expressou gratidão. Muitas vezes, aqueles especialmente abençoados por Deus se esquecem de agradecer. Gideão poderia ter raciocinado que, com a urgência da tarefa e a necessidade de aão imediata, ele poderia adiar o culto de louvor para depois da vitória. Porém, deixar para mais tarde, em geral conduz ao esquecimento e á total negligência do louvor a Deus. CBASD, vol. 1, p. 357.

16 três companhias. Esta divisão dava a ilusão de grande força de ataque. Quando os midianitas vissem as tochas e ouvissem as trombetas posicionadas em diferentes locais ao redor do acampamento, suporiam que estavam cercados. O plano de ataque foi sugerido pela direção divina (PP, 550). CBASD, vol. 1, p. 357.

Comparar com Gn 14:14, 15. Em uma batalha comum, seria impossível Gideão vencer 135 mil midianitas, mesmo com 32 mil israelitas. Portanto, ele usou seus trezentos para subir furtivamente e chocar o inimigo com um barulho e clarão súbitos, com o som das trombetas, a quebra dos cântaros, as tochas e os gritos. Isso enganou os midianitas, fazendo-os pensar que seu arraial estava sendo atacado por um exército poderoso. O Senhor acrescentou pânico, os midianitas atacaram uns aos outros e fugiram. Então outros israelitas se uniram a Gideão e seu grupo, indo ao encalço dos adversários. Foi um caso clássico de cooperação entre Deus e os seres humanos. Bíblia de Estudo Andrews.

trombetas. Do heb. shofar. O chifre curvo de um carneiro. CBASD, vol. 1, p. 357.

cântaros. Potes simples feitos de barro utilizados pelo povo daquele tempo para cozinhar e também como recipientes. CBASD, vol. 1, p. 357.

19 ao princípio da vigília média (ARA; NVI: “pouco depois da meia-noite”). Depois de o inimigo ter ido dormir. Bíblia de Estudo NVI Vida.

21 permaneceu cada um no seu lugar. Ao invés de atacá-los, os 300 israelitas se detiveram nos arredores do acampamento, tocando as cornetas, agitando as tochas e gritando. O plano era incutir pânico no acampamento midianita. CBASD, vol. 1, p. 358.

22 o Senhor tomou a espada. Mesmo com a astúcia do plano ousado de Gideão, se Deus não tivesse agido precisamente para confundir o inimigo, nenhum dos 300 valentes teria sobrevivido. Bíblia Shedd.

um contra o outro. A multidão se precipitou pelo vale de Jezreel a fim de escapar pelo Jordão, na noite escura. Confundiram os que estavam à sua frente com os inimigos e apontaram as armas para estes. CBASD, vol. 1, p. 358.

rumo de Zererá. A fuga dos midianitas teria sido na mesma direção que o Jordão, para o deserto. Bíblia Shedd.

24 Gideão enviou mensageiros a todas as montanhas (NVI: “montes”) de Efraim (NVI). Gideão precisava da ajuda dos efraimitas para impedir a fuga dos midianitas para dentro do vale do Jordão. Bíblia de Estudo NVI Vida.

A tribo de Manassés e a populosa tribo de Efraim habitavam ao sul do cenário da batalha. A última não foi convocada por Gideão quando ele reuniu os hebreus. Quando as tropas midianitas começaram a fuga, Gideão enviou mensageiros velozes ao território de Efraim, pedindo que o povo de lá fosse rapidamente ao rio Jordão e assumisse a posição dos vaus para onde os efraimitas se dirigiam. Os efraimitas responderam imediatamente, bloqueando a fuga sobre os vaus do sul. Na época, o rio possivelmente estava alto, forçando o inimigo a utilizar determinados vaus. CBASD, vol. 1, p. 358.

25 Orebe, “corvo” e Zerebe, “lobo”, foram detidos pelas forças de Efraim que seguiram a sugestão de Gideão de cortarem o caminho do escape, pelo rio Jordão. Bíblia Shedd.

Nomes pitorescos para chefes do deserto. CBASD, vol. 1, p. 358.

dalém do Jordão (ARA; NVI: “do outro lado do Jordão”).




%d blogueiros gostam disto: