Reavivados por Sua Palavra


JOSUÉ 17 by jquimelli
4 de maio de 2019, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: http://biblia.com.br/novaversaointernacional/josue/js-capitulo-17/

Josué 17 continua a descrição da divisão da terra de Canaã entre todas as tribos de Israel. Este capítulo se concentra no território atribuído à tribo de Manassés, localizado nas montanhas da Palestina, a meio caminho entre o Mar Morto, ao sul, e o Mar da Galiléia, ao norte. O que é de particular interesse neste capítulo é a atribuição de terras às filhas de Zelofeade (17: 3-6). A história refere-se a Números 27:1-7, onde as filhas, que perderam o pai no deserto, pedem a Moisés que lhes atribua também um pedaço de terra quando a conquista de Canaã fosse concluída.

Sendo uma sociedade patriarcal, a distribuição de terras e a herança eram concedidas apenas de pai para filho. O que você faria neste sistema se um pai morresse tendo apenas cinco filhas? Geralmente, essas filhas se tornariam dependentes da boa vontade de um tio que cuidaria delas. Mas neste caso as filhas são proativas e imploram a Moisés por sua própria herança em favor de seu pai. Quando Moisés concorda com o pedido delas, é quebrado um forte costume social patriarcal. Sem perceber, Moisés coloca em prática um processo de herança que a maioria das sociedades segue ainda hoje (leia sobre isso em Nm 27:8-11).

Somos gratos pela iniciativa e coragem dessas cinco filhas que expressaram seu pedido. Se eles não tivessem feito isso, quem sabe como as leis da herança funcionariam hoje?

Denis Fortin
Universidade Andrews
Seminário Teológico Adventista do Sétimo Dia

Fonte: https://www.revivalandreformation.org/?id=450
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos, Jeferson e Gisele Quimelli



JOSUÉ 17 – VÍDEO COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
4 de maio de 2019, 0:55
Filed under: Sem categoria



JOSUÉ 17 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ  by Maria Eduarda
4 de maio de 2019, 0:45
Filed under: Sem categoria

As promessas de Deus devem ser experimentadas individualmente. O líder espiritual é ajuda essencial, contudo, somente com tua participação e envolvimento total o cumprimento dela será completo.

Neste capítulo, Kenneth A. Mathews comenta que “Josué distribuiu a terra às famílias de Manassés ao oeste do Jordão. Ele honrou todas as promessas de Deus (Js 17.3-4), conforme mostra o fato de ter dado terra às filhas de Zelofeade (Nm 27.1-7). A exemplo de Efraim, Manassés também optou por coexistir com cidades cananeias (17.11-12) […]. Quando Efraim reclamou que sua porção era pequena demais, Josué o desafiou a aumentar o território, expulsando os cananeus (Js 17.14-18)”.

Precisamos reconhecer nossas fraquezas oriundas de nossos medos e anseios para que confiemos na força sobrenatural disponível a todo aquele que depende do Deus Todo-poderoso.

· Nossas queixas, reclamações e angústias muitas vezes se devem a nossa preguiça em cumprir exatamente tudo o que Deus revelou.

· Nossa vida limitada, raquítica e mixuruca deve-se muitas vezes à nossa mornidão espiritual, relaxo para com as promessas divinas e, nossa negligência em agarrar com fé, ousadia e determinação tudo o que Deus já nos deu.

· Nossas frustrações com as coisas, pessoas e instituições tem suas raízes em nossa preguiça, indiferença e acomodação.

Sobre as reclamações dos filhos de José (vs. 14-18), Marten H. Woudstra faz o seguinte comentário:

“Há uma semelhança formal entre essa seção e 14.6-15, mas o espírito é contrastante. A exigência de Calebe procedia da sua grande fé na palavra procedente de Deus em seu favor. Os filhos de José discordam do ‘quinhão’ que receberam, embora, na realidade, esse quinhão tivesse sido determinado por Deus. Além disso, a atitude medrosa deles relativa aos cananeus podia ser tudo, menos louvável”.

Aprecio muito o livro de Josué por vários motivos, observe com atenção estes pontos:

· RAABE, que era uma prostituta, se salva (Josué 2); BALAÃO, que era profeta de Deus, morre perdido, sem salvação (Josué 13:22; 24:9-10).

· CALEBE, que era idoso se dispõe a segunda milha e conquista lugares incríveis (Josué 14:6-15; 15:13-19); os FILHOS DE JOSÉ se acomodam, não fazem nem o que deveriam e, ainda reclamam (Josué 16:10; 17:13-18).

Estude… e, descubra mais coisas interessantes! Antes, porém, considere: Com quem você se parece mais no livro de Josué?

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.



JOSUÉ 17 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
4 de maio de 2019, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Falou Josué à casa de José, a Efraim e a Manassés dizendo: Tu és povo numeroso e forte; não terás uma sorte apenas” (v.17).


Estudando o livro de Números, vimos que as tribos de Gade, Rúben e meia tribo de Manassés, pediram herança dalém do Jordão, ou seja, não habitariam do outro lado do rio junto às demais tribos. Por isso que o capítulo se refere à herança da outra metade da tribo. Dentre esta metade que habitaria Canaã, estavam as filhas de Zelofeade. Zelofeade só havia tido filhas e estas pediram ao Senhor que tivessem parte na herança. Deus considerou o pedido justo e hoje vemos que elas também foram incluídas na divisão das terras (v.3-6).

A Bíblia diz que “os filhos de Manassés não puderam expulsar os habitantes daquelas cidades” (v.12). Então, foram até Josué e tentaram persuadi-lo a dar para eles uma herança maior, alegando ser “tão grande povo” (v.14). Mas Josué, dirigido pelo Senhor, respondeu deixando-os sem argumentos: “Se és grande povo, sobe ao bosque e abre ali clareira na terra” (v.15). Ou seja, se vocês realmente são um povo tão numeroso, porque não estão usufruindo de todo o espaço que Deus lhes deu?

No segundo argumento dos filhos de José está a resposta para a sua insatisfação: “e todos os cananeus que habitam na terra do vale têm carros de ferro” (v.16).

A principal questão não estava no fato de serem um grande povo numa terra pequena, mas um grande povo de pequena fé. Eles temeram os carros de ferro dos cananeus e provavelmente concluíram: Se pedirmos a Josué mais terras não precisaremos ter o trabalho de abrir densas florestas e nem de expulsar os cananeus. Possuíam uma região na qual não enxergavam a bênção, mas uma densa vegetação. Quantas vezes o Senhor coloca a bênção diante de nós e só conseguimos enxergar o “bosque”. Parece que tudo está fechado à nossa frente. Não há saída.

Josué creu, e foi isso que ele buscou transmitir aos filhos de José. Deus foi bem claro quando disse que precisavam expulsar os moradores da região, ou estes lhes seriam motivo de constante insegurança. O que anda nos deixando inseguros? O desejo do Pai de conduzir as tribos de José, é o mesmo que tem hoje em nos conduzir: “Dá ouvidos, ó pastor de Israel, tu que conduzes a José como um rebanho” (Sl.80:1).

Não há bosque denso demais para que o Senhor não nos abra caminho e nem inimigos fortes demais que não possa derrotar. Mas temos uma parte ativa a desempenhar na conquista da herança: enxergar além do bosque e eliminar o mal de nossa vida. Existe um denso “bosque” diante de você? Deus lhe dará forças para derrubá-lo!

Tem “cananeus” que lhe amedrontam?
Deus lhe dará forças para derrotá-los!
Bem-aventurado o homem cuja força está em Deus (Sl.84:5). Vigiemos e oremos!

Feliz sábado, povo numeroso e forte!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Josué17 #RPSP

Comentário em áudio:
youtube.com/user/nanayuri100



JOSUÉ 17 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
4 de maio de 2019, 0:05
Filed under: Sem categoria

926 palavras

1 Também caiu a sorte. Jacó preferira Efraim a Manassés (Gn 48:17-20), embora este fosse o primogênito. Nesta ocasião, Efraim foi honrado ao receber primeiro a descrição de sua herança. No entanto, Manassés era o primogênito e devia receber a “dobrada porção”(Dt 21:17) que lhe correspondia. Este capítulo trata principalmente do território destinado a Manassés a oeste do Jordão, mas se refere também à porção que a tribo tinha recebido a leste do rio. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 2, p. 261.

Basã. Moisés e Josué reconheceram a habilidade dessa família na guerra e sentiram o desejo de confiar a ela a defesa … de Basã, que fazia fronteira ao território de Israel. CBASD, vol. 2, p. 261.

Os mais filhos. baseando-se numa comparação com 1 Crônicas 7:14-19, parece mais razoável que estes seis nomes correspondam a famílias importantes, não necessariamente a seis irmãos. CBASD, vol. 2, p. 261.

Zelofeade. Héfer, um dos seis filhos de Gileade [um dos filhos de Manassés] … teve um filho, Zelofeade, que morreu no deserto sem gerar filhos. No entanto, teve cinco filhas (Nm 26:33, 34; 27:1-5). Essas jovens precisaram defender a própria causa perante Moisés, a fim de receber a herança e preservar o nome do pai. A decisão pronunciada por Moisés sob orientação divina era de que as mulheres deviam herdar a parte do pai, com a condição de que se casassem com homens da própria tribo, para manter a propriedade em posse da mesma. As irmãs se casaram com primos, cumprindo assim a ordem (Nm 27:6-11; 36:10-12). Este episódio demonstrou mais respeito pelos direitos das mulheres do que o comum naquela época. Estabeleceu o princípio de que a mulher não era mera propriedade, sem direitos próprios. Onde quer que os princípios do Deus verdadeiro são estabelecidos, a mulher é dignificada. CBASD, vol. 2, p. 262.

Desde Ser até Micmetate. A fronteira sul de Manassés, que fazia limite com Efraim, é descrita primeiramente. CBASD, vol. 2, p. 262.

Ao sul do ribeiro. A palavra usar par “ribeiro” aqui é a que significa “torrente de inverno”. … É provável que se trate do ribeiro que desemboca no Mediterrâneo, ao norte de Jope. CBASD, vol. 2, p. 262.

11 Bete-Seã. Literalmente, “casa de descanso”. Foi uma cidade da tribo de Issacar destinada a Manassés. Ficava num lugar estratégico, na conjunção de dois vales importantes para Israel: o profundo vale do Jordão e o de Jezreel. É possível que, uma vez que Manassés era uma tribo guerreira e hábil defensora de Israel, tenha sido considerado sábio permitir que os membros dessa tribo ocupassem a fortaleza e residissem nela. Nos tempos do NT, Bete-Seã era uma das maiores cidades de Decápolis, chamada de Citópolis. Para os árabes modernos, é conhecida como Tell el Hutsn, perto da moderna Beisan (Bete-Seã), que perpetua o antigo nome. CBASD, vol. 2, p. 262, 263.

En-Dor. Esta cidade ficava ao norte do monte Moré, seis quilômetros ao sul do monte Tabor e pouco mais de dez quilômetros a sudeste de Nazaré. A médium a quem Saul recorreu em desespero morava em En-Dor (1Sm 28). CBASD, vol. 2, p. 263.

13 Sujeitaram. A LXX diz: “tornaram-nos obedientes”. É provável que a cobiça os tenha levado a fazer tal concessão. Por dinheiro e poder se faz de tudo para aplacar a consciência. No entanto, dinheiro sem retidão não é capaz de enriquecer uma casa justa. Muitas pessoas serão condenadas ao juízo porque amaram mais as riquezas que a Deus. O Senhor deseja pessoas de fé e coragem que não se vendam nem se comprem, seja com dinheiro, poder ou honras. CBASD, vol. 2, p. 263.

14 Tão grande povo. Muitas pessoas reproduzem hoje a atitude dos filhos de José. Aqueles que tem uma opinião exaltada de si mesmos costumam pensar que sua grandeza deveria ser reconhecida por Deus e pelos homens; quando isso não acontece, creem que há algo de errado com o senhor ou com as pessoas. No caso em questão, já que os descendentes de José eram um povo grande devido às bençãos de Deus, deviam ter continuado a buscá-Lo em prol da continuidade das bênçãos, em vez de fazer um pedido injusto para quer Josué lhes desse uma porção maior. Sempre existe o perigo de que os abençoados por Deus atribuam a bênçãos a algum mérito próprio. Essa pode ser a razão para não receberem outros benefícios celestiais. Tendem a interpretar de modo errôneo esses favores e, embora com os lábios deem o crédito a Deus, em seu coração louvam a si mesmos. CBASD, vol. 2, p. 264.

15 Se és grande. Josué era sábio demais para questionar a presunção de efraimitas e manassitas. Na verdade, disse o seguinte a eles: “Se vocês são um povo tão grande graças às bênçãos de Deus, então Ele continuará a abençoá-los na conquista da terra. Vocês são bem capazes de cuidar de si mesmos. Dirijam-se para as vastas floresta da palestina central e tomem posse delas.” Fica claro, com base nessas declarações, que uma boa parte da Palestina central correspondia, naquela época, a uma vasta floresta com escassa população. CBASD, vol. 2, p. 264.

18 Expulsarás. Esta foi a ordem final para as tribos covardes. Ordem semelhante é dada aos que abrigam pecados acariciados. Nem um mal sequer deve ser tolerado. todo vício corruptor deve ser expulso do coração. Qualquer vestígio de tolerância ou transigência trará ruína certa. Com frequência, encaram-se os pecados assim como Israel viu os carros de ferro, os quais parecem impossíveis de se vencer. Então, tranquiliza-se a consciência, fazendo os pecados “pagarem tributo” e permitindo que permaneçam. O resultado final é  derrota certa. O medo e a falta de fé e coragem são aliados de Satanás; mas a ordem de Deus ressoa por todas as eras: “expulsarás”(ver também com. de Josué 16:10). CBASD, vol. 2, p. 264, 265.



JOSUÉ 17 – VÍDEO COMENTÁRIO PR RONALDO DE OLIVEIRA by Maria Eduarda
4 de maio de 2019, 0:02
Filed under: Sem categoria




%d blogueiros gostam disto: