Reavivados por Sua Palavra


JUÍZES 8 by jquimelli
19 de maio de 2019, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: http://biblia.com.br/novaversaointernacional/juizes/jz-capitulo-8/

Logo após Gideão ter derrotado os midianitas e matado seus reis, Zeba e Zalmuna, Israel em espírito de reconhecimento e gratidão, pediu que Gideão fosse seu rei. Sábia e humildemente, Gideão desviou o louvor a Quem de direito, respondendo: “Não reinarei sobre vocês … nem meu filho reinará sobre vocês. O Senhor reinará sobre vós” (Jz 8:23 NVI).

Seria tão bom se Gideão tivesse parado aí! No crepúsculo de sua vitória militar uma tentação o aguardava. Uma tentação que se tornou uma armadilha para Gideão e sua família.

Quantas vezes as tentações mais eficazes de Satanás nos vem imediatamente após uma vitória espiritual! Esta história serve de advertência, pois quando Deus trabalha poderosamente, Satanás se esconde muito perto para tentar minimizar a sua derrota, transformando a vitória do crente em desastre.

Depois de uma vitória espiritual, que possamos responder, não como família de Gideão e seu desejo de ouro, ou como Elias a fugir de Jezabel após sua poderosa vitória no Monte Carmelo, mas, sim, como Jesus que logo após Seu batismo público enfrentou as ferozes tentações no deserto com um “está escrito!” (Mat. 4:4, 7 e 10 ).

Brennon Kirstein
Capelão da Southern Adventist University

Fonte: https://www.revivalandreformation.org/?id=465
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos, Jeferson e Gisele Quimelli



JUÍZES 8 – VÍDEO COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
19 de maio de 2019, 0:55
Filed under: Sem categoria



JUÍZES 8 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Maria Eduarda
19 de maio de 2019, 0:45
Filed under: Sem categoria

Por melhores que as pessoas sejam aqui neste mundo, a tendência mais forte será sempre para o mal. Infelizmente… Decepcionante!

A parte boa é que a Bíblia não esconde “os podres” de seus personagens. Observe, nestes dez pontos, as últimas informações sobre o juiz e libertador Jerubaal, conhecido por Gideão:

1. Reclamação dos efraimitas por Gideão não tê-los convidado à guerra (v. 1);

2. Gideão parabeniza os efraimitas por ter ajudado a batalhar contra os inimigos fugitivos (vs. 2-3);

3. Destemidamente, Gideão arrasou Sucote e Penuel por não ajudar seu esgotado exército (vs. 4-17);

4. Após executar dois reis midianitas – Zeba e Salmuna, Gideão partiu para vingar seus irmãos (vs. 18-21).

5. Realizados pelo sucesso de Gideão, os israelitas o convidaram para reinar sobre eles; porém, ele recusou com base teológica (v. 23);

6. A despeito de sua resposta correta sobre reinar, Gideão fez estola sacerdotal, a qual tornou-se objeto de adoração – idolatria – na cidade de Ofra (vs. 24-27);

7. Pelo poder divino, Gideão promoveu a paz em Israel por 40 anos (v. 28);

8. Gideão tornou-se polígamo, tomou para si muitas mulheres. Teve um filho com uma concubina que se tornou líder perverso (vs. 29-31);

9. Após a morte de Gideão, os filhos de Deus descambaram novamente; trocaram a adoração a Deus por deuses fabricados por homens (v. 33);

10. Israel esqueceu-se de Deus e desprezou a família de Gideão, o qual tanto fez pelo povo (vs. 34-35).

Devemos aprender com os acertos e os erros de Gideão. Nem tudo o que Deus revelou em Sua palavra em relação ao comportamento daqueles que Ele usou deve ser aplicado a nossa vida.

Precisamos…

• …começar bem e terminar bem a jornada da fé;
• …pedir discernimento a Deus para enxergar nossas falhas de caráter;
• …de reavivamento e reforma espirituais!

Aprendamos ainda que, a vida é injusta. Gideão foi questionado pelos efraimitas (vs. 1-3), ridicularizado pelos habitantes de Sucote e Penuel (v. 15), e, finalmente, esquecido pelo seu povo (v. 35).

Assim, quando você fizer algo bom pelas pessoas e ninguém reconhecer ou agradecer-te, não fique chateado! Deus faz um espetáculo a cada amanhecer e sua plateia dorme; ou mesmo no entardecer, e Seu povo prefere fazer qualquer coisa, menos contemplar sua obra de arte! – Heber Toth Armí.



JUÍZES 08 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
19 de maio de 2019, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Porém Gideão lhes disse: Não dominarei sobre vós, nem tampouco meu filho dominará sobre vós; o Senhor vos dominará” (v.23).


Após a vitória sobre os midianitas, Gideão ainda teve que aplacar a insatisfação dos efraimitas, que sentiram-se excluídos da batalha. Mas ao colocar a sua linhagem como sendo menor do que “os rabiscos de Efraim” (v.2), Gideão conseguiu aplacar-lhes a ira. Começava a surgir um tímido espírito de divisão entre as tribos de Israel que despontaria na futura divisão da nação.

“Cansados mas ainda perseguindo” (v.4), Gideão e seu exército de trezentos homens precisavam de provisão de alimento, o que lhes foi negado duas vezes. Gideão “deu severa lição aos homens de Sucote” (v.16) e, ao descobrir que os reis dos midianitas que estavam em seu poder haviam matado seus irmãos, “dispôs-se, pois, Gideão, e matou a Zeba e a Salmuna” (v.21).

Vendo os filhos de Israel que Gideão liderava com valentia e acumulava conquistas, desejaram, através dele, dar início a uma sucessão de reis em Israel. Tal pedido demonstrava o total descaso e distanciamento do povo para com Deus, atribuindo a um homem a vitória do Senhor. Israel ainda não havia compreendido que o homem é apenas instrumento e que o efetuar vem de Deus. Almejaram uma monarquia terrena assim como viam nos povos cananeus. Mas a resposta de Gideão frustrou-lhes os propósitos na direção de levantar quem quer que fosse para liderá-los: “Não dominarei sobre vós, nem tampouco meu filho dominará sobre vós; o Senhor vos dominará” (v.23).

Gideão não aceitou tal pedido, contudo, sua atitude posterior revelou um coração ainda dividido. Mesmo que não houvesse a intenção de tornar aquela estola de ouro um objeto de adoração, ele não consultou ao Senhor. Agindo por conta própria, lançou sobre si mesmo, sua família e todo o povo uma armadilha que novamente faria de Israel uma nação prostituída. Obscurecidos os olhos da fé, e seu desejo pelo visível e palpável tornou-se tão grande quanto o de seus inimigos.

Hoje, líderes religiosos têm sido aclamados como senhores, e Deus, tratado como um curandeiro ou banqueiro que abre as portas do cofre sem reservas. As pessoas têm seguido líderes que prometem curas e uma vida financeira abundante. E em meio a uma geração doente física e financeiramente, quem não deseja saúde e prosperidade? É errado desejar tais coisas? De modo algum. Mas é errado ir em busca de Deus apenas movido por estas coisas. Estamos buscando ao Senhor ou as bênçãos que Ele pode nos oferecer? Israel pensou: ‘Vamos seguir este homem (Gideão) pois ele é bem-sucedido em tudo o que faz!’ E multidões igualmente têm trocado o “Assim diz o Senhor” pelo “assim diz o pastor”, como bem pontua o teólogo Leandro Quadros.

Temos a Palavra de Deus como a nossa regra de fé e prática, amados! Enquanto Gideão era guiado pelas palavras do Senhor, prosperou. Mas quando tomou decisões sem consultá-Lo, teve de sofrer os prejuízos. Como diz a letra da canção: “No trono do viver só existe lugar pra um, lugar de quem governa todo o ser. No trono do viver só pode haver um senhor, se forem dois, um será amado e outro rejeitado” (Arautos do Rei). Que o Senhor reine soberano em seu coração!

Bom dia, servos do Rei dos reis e Senhor dos senhores!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Juízes8 #RPSP

Comentário em áudio:
youtube.com/user/nanayuri100



JUÍZES 8 – VÍDEO COMENTÁRIO PR RONALDO DE OLIVEIRA by Maria Eduarda
19 de maio de 2019, 0:05
Filed under: Sem categoria



Juízes 8 – Comentários selecionados by jquimelli
19 de maio de 2019, 0:05
Filed under: Sem categoria

759 palavras

1 Efraim. Aqui se manifesta o espírito independente da tribo de Efraim que, dentro de uns dois séculos, causaria a divisão definitiva dos reinos de Israel e Judá (cf. 12.1; 1Rs 12.16-17). Entende-se a hesitação da parte de Gideão em convocar os efraimitas por ser ele um membro da tribo de Manassés, o qual foi posto em segundo lugar por Jacó (Gn 48.14-22). Gideão queria evitar a aparência de quem aspirava à preeminência no poder. Bíblia Shedd.

Não são, porventura, os rabiscos de Efraim melhores que a vindima de Abiezer? (ARA; NVI: “O resto das uvas de Efraim não são melhores do que toda a colheita de Abiezer?”). O que sobra depois da colheita principal, assim como no caso dos grãos que Rute catava nos campos (v. nota em Rt 1.22). Bíblia de Estudo NVI Vida.

Abiezer O clã de Gideão. O nome significa “meu Pai (divino) é ajudador” ou “meu Pai (divino) é forte”. Bíblia de Estudo NVI Vida.

4-21 Gideão tem problemas com os homens de Sucote e de Penuel e acaba castigando os dois grupos por não lhe terem ajudado na perseguição dos líderes midianitas. Bíblia de Genebra.

Sucote. Uma cidade no caminho da invasão dos midianitas. Ela desejava manter a neutralidade, com receio da vingança dos midianitas, pois não confiava na impressionante vitória de Gideão. O mesmo acontece com os crente que, por falta de fé e por temerem o mundo, acomodam-se ao pecado. Bíblia Shedd.

cansados. Porque percorreram cerca de 80 km na perseguição. Prepararam-se, a princípio, apenas para um possível e repentino ataque nos dias da perseguição. Bíblia Shedd.

tens já sob teu poder o punho de Zeba e de Salmuna…? (ARA; NVI: “Ainda não estão em seu poder Zeba e Salmuna?”). Os oficiais de Sucote duvidavam da capacidade de Giseão para derrotar a coligação midianita e temiam represálias caso alimentassem as tropas dele. Bíblia de Estudo NVI Vida.

Peniel. O lugar onde Jacó lutara com Deus (Gn 32.30, 31). Bíblia de Estudo NVI Vida.

10  Carcor. O resto das forças midianitas, sem dúvida, se julgaria seguro naquele lugar, com boa distância, ao leste do mar Morto, sem contar com a persistência de Gideão. Bíblia Shedd.

14 por escrito. Indicação dos resultados largamente propalados da descoberta do alfabeto, possibilitando a um jovem de Sucote e a Gideão a capacidade de escrever e ler. Bíblia Shedd.

21 qual o homem, tal a sua valentia (ARA; NVI:”Isso exige coragem de homem”).

23 Não reinareiO SENHOR reinará. Gideão, da mesma forma que Samuel  (1 Sm 8.4-20), rejeitava o estabelecimento de uma monarquia porque a considerava uma substituição da soberania do Senhor. O governo de Deus sobre Israel (a teocracia) é uma questão central em Juízes. Bíblia de Estudo NVI Vida.

Esse versículo, assim como 1Sm 8.7-9, demonstra que o reinado em Israel foi um erro. Mesmo assim, Juízes demonstra que se tornara necessário [um mal menor]. Sem rei, a sociedade desintegrava-se. Bíblia de Genebra.

Dt 17:14-20 reconhecia que no futuro os israelitas quereriam um rei para exercer forte liderança humana como as das outras nações, mas sua legislação limitava os poderes de um rei israelita. Gideão entendia que um reinado humano tomaria o lugar que somente Deus deveria ter (compara com 1 Sm 8:7). Andrews Study Bible.

24 Daqui em diante, a vida de Gideão apresenta uma discrepância em face dos fatos anteriores. Aquele que atravessara o duro teste da adversidade foi mal sucedido no dia da prosperidade. Verifica-se, muitas vezes, que é mais fácil glorificar a Deus em tempo de emergência do que honrá-lO na vida cotidiana. Bíblia Shedd.

27 estola sacerdotal. A estola sacerdotal genuína do sumo sacerdote era usada para buscar a vontade do Senhor (1Sm 23.9-11; 30.7-8). Bíblia de Genebra.

um laço a Gideão e à sua casa. O pai de Gideão tinha sido idólatra (6.25) e, agora, Gideão caiu no mesmo pecado. Bíblia de Genebra.

28 quarenta anos. Número convencional de anos para representar uma geração. Bíblia de Estudo NVI Vida.

30 Teve Gideão setenta filhos. Sinal de prosperidade. Bíblia de Estudo NVI Vida.

tinha muitas mulheres. Como no caso de Salomão, em que a prosperidade trouxe desgraça pela prática desenfreada da poligamia(comum naqueles tempos). Bíblia Shedd.

O costume de então era que tais filhos (vindos de concubinas) ficassem na casa de suas mães. Bíblia Shedd.

31 Abimeleque. Significa “meu Pai (divino) é Rei”. Gideão, ao dar esse nome ao seu filho, reconhece que o Senhor (aqui chamado “Pai”) é Rei. Bíblia de Estudo NVI Vida.

33 Baal-Berite. Lit “Baal (deus) [ou senhor] da aliança”. Note-se até onde os israelitas se tinham afastado do Deus da Aliança. Bíblia Shedd.

Esse deus era uma imitação falsa do Deus que realmente era o Senhor da aliança. ver 9.4, nota. Bíblia de Genebra.




%d blogueiros gostam disto: