Reavivados por Sua Palavra


AMANHÃ COMEÇAREMOS A LER SOBRE JESUS EM MATEUS! by jquimelli
25 de janeiro de 2018, 11:17
Filed under: Sem categoria

Que bênção termos lido juntos o Antigo Testamento!

Agora teremos o privilégio de ler juntos sobre a vida de Jesus no Evangelho de Mateus!



MALAQUIAS 4 by jquimelli
25 de janeiro de 2018, 1:00
Filed under: Sem categoria

Leia primeiro, em espírito de oração, o texto bíblico: http://biblia.com.br/novaversaointernacional/malaquias/ml-capitulo-4/

 

Comentário Devocional

Em Malaquias 3, Deus prometeu enviar um mensageiro especial para preparar o povo para a Sua própria vinda a este mundo. Quem seria este mensageiro?

Malaquias 4 o identifica: “Vejam, eu enviarei a vocês o profeta Elias antes do grande e temível dia do Senhor. “(Ml 4:5 NVI). Qual a aparência do Elias real? “Ele vestia roupas de pelos e usava um cinto de couro”. (2 Reis 1:7, 8).

A profecia do retorno de Elias tornou-se muito importante para os judeus. Na verdade, em cada refeição da Páscoa, os judeus deixavam um lugar extra à mesa, em antecipação do retorno de Elias.

Depois do livro de Malaquias, não haveria profetas em Israel por um longo tempo. Por 400 anos, nenhum profeta falaria. Deus parecia estar em silêncio. Mas o silêncio seria quebrado pelo nascimento milagroso do filho de Zacarias, o sacerdote (Lc 1:5-25), que passou a pregar no deserto, vestindo uma roupa de pelos e um cinto de couro. Quando perguntado se ele era Elias, João Batista simplesmente respondia: ““Eu sou a voz do que clama no deserto: ‘Façam um caminho reto para o Senhor’” (João 1: 23 NVI). Ele falaria com o espírito e o poder de Elias (Lucas 1:17).

Essa profecia de Malaquias tem também uma aplicação para os últimos dias. Um povo (Elias) preparará o caminho para a Segunda Vinda de Cristo. Eles farão isso através da pregação da Mensagem dos Três Anjos para o mundo inteiro (Apoc 14: 6-7). Essa mensagem deve alcançar toda nação, tribo, língua e povo. Está você disposto a fazer parte deste movimento que, no espírito de Elias, preparará o mundo para o retorno de Jesus?

Andy Nash
Southern Adventist University


Texto original: https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/mal/4 ou https://www.revivalandreformation.org/?id=1175
Tradução anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2014/11/01
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos/Gisele Quimelli/Jeferson Quimelli
Comentário em áudio Pr Valdeci: http://vod.novotempo.org.br/mp3/Reavivados/Reavivados25-01-2018.mp3
Leituras da semana do programa Crede em Seus Profetas: https://credeemseusprofetas.org/



MALAQUIAS 4 – COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
25 de janeiro de 2018, 0:55
Filed under: Sem categoria



MALAQUIAS 4 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Maria Eduarda
25 de janeiro de 2018, 0:45
Filed under: Sem categoria

MALAQUIAS 4 – Este é o último capítulo do profeta Malaquias. Até aqui, o Antigo Testamento, mostra-nos a vitória do bem sobre o mal, da justiça sobre a injustiça, de Deus sobre o pecado. Sim, o pecado vai ter fim, não restará nada.

Este último capítulo do Antigo Testamento, pode ser assim dividido:

• Deus revela o grande dia do acerto de contas com aqueles que não fizeram caso dEle, ignorando Seu plano de salvação (v. 1);

• O grande dia da recompensa daqueles que em primeiro lugar em sua vida e tornaram-se justos (vs. 2-3);

• Antes do veredicto final Deus que o mundo todo conheça Suas Leis e o plano da salvação, oferecendo a última oportunidade de salvação aos perdidos (vs. 4-6).

A seguir, destacarei dois pontos interessantes desse texto:

• Um dia Deus vencerá completamente sobre o mal: Raiz e ramos referem-se ao mal e seus agentes: Satanás, demônios e amantes doo pecado. “Os pecadores serão queimados como o fogo consome o restolho; eles se tornarão como cinzas sob os pés dos santos” (W. W. Wiersbe). “Naquele dia, o perverso será como restolho chocho, vazio, sem valor […] aqueles que pensam que o mal compensa, um dia saberão a diferença entre o justo e o perverso” (Hernandes Dias Lopes).
• Esse dia aponta ao final do milênio de Apocalipse 20 e à renovação da Terra em Apocalipse 21-22: Esse é o clímax final do plano da salvação. “Jesus é aquele que traz a totalidade das promessas de Deus para nós […] Aos ímpios, o fogo destrói. Aos justos, o sol traz ‘cura’ (ou ‘saúde’, que é o que se entende). Esta é a proposta do Senhor: morte ou vida” (Isaltino Coelho Filho).

Interessante que o texto mostra Deus fazendo tudo para que antes da volta de Jesus haja um despertar poderoso baseado na Palavra, visando o salvar ao maior número de pessoas (vs. 4-6).

No juízo executivo Deus aniquilará totalmente ao pecado; Satanás, os demônios e seus agentes nunca mais existirão.

Essa ação divina resultará em alegria indescritível ao Universo inteiro, os salvos saltarão de alegria como bezerros libertos da estrebaria. O Antigo Testamento não termina com maldição, mas com um alerta! Evite a maldição que resulta do pecado a fim de que te alegres eternamente! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

Conte-nos o que você achou de estudar o Antigo Testamento:



MALAQUIAS 4, Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
25 de janeiro de 2018, 0:30
Filed under: Sem categoria

“ele converterá o coração dos pais aos filhos e o coração dos filhos a seus pais, para que Eu não venha e fira a terra com maldição” (v.6).


Em todo o nosso estudo do Antigo Testamento, descobrimos pelo menos duas certezas: a primeira, é que o pecado é mau e destrói e a segunda, é que precisamos de um Salvador. O nosso destino eterno depende das escolhas que fazemos e a quem estamos servindo, hoje. A ideia que o mundo cristão em geral tem sobre “os soberbos” e os perversos (v.1) está muito aquém do conceito bíblico. Espero que tenhamos compreendido este conceito através da história de Israel. Toda a religiosidade daquela nação havia se transformado em ofensa diante do Senhor. Com a boca professavam santidade, mas na prática tornaram-se piores do que os povos vizinhos. O conhecimento de Deus não tem a ver com rituais e sacrifícios, mas com uma vida disposta a render-se à vontade de Deus ainda que “ande pelo vale da sombra da morte” (Sl 23:4).

A doutrina de que existe um inferno onde os ímpios serão consumidos por toda a eternidade acaba com as verdades de que “Deus é amor” (1Jo 4:8) e que Ele é um Juiz justo que destruirá a morte, o luto, o choro e a dor (Ap 21:4). Como o Senhor destruiu Sodoma e Gomorra com “fogo eterno” (Jd 1:7) e até hoje essas cidades não estão queimando, assim o juízo final será eterno em suas consequências, “de sorte que não lhes deixará nem raiz nem ramo” (v.1). Aprendemos com o sábio Salomão que a morte é um sono (Ec 9:5) e que, no tempo determinado pelo Senhor, Ele mesmo, “dada a Sua palavra de ordem, ouvida a voz do Arcanjo, e ressoada a trombeta de Deus, descerá dos céus, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro” (1Ts 4:16). Também aprendemos esta verdade no livro de Daniel: “Muitos dos que dormem no pó da terra ressuscitarão, uns para a vida eterna, e outros para vergonha e horror eterno” (Dn 12:2). Ora, qual seria a lógica de ressuscitar os justos para eles retornarem para um Céu que já habitavam ou os ímpios para retornarem a um lugar onde já sofriam? Ou porque Jesus ressuscitaria Lázaro para tirá-lo do Céu e devolvê-lo a este mundo escuro? Percebem? Haverá um lago de fogo para a destruição definitiva de Satanás, seus anjos e os ímpios e há um Céu para os justos, mas, me permitam usar uma linguagem popular para explicar que a Bíblia deixa claro que tanto um como o outro ainda não estão abertos ao público.

Cristo, o “Sol da justiça” (v.2), nasceu e trouxe salvação aos que temem o nome do Senhor. Em Sua primeira vinda, cumpriu com perfeição a missão que o Pai lhe confiou, ser o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. E diante de tamanho amor e graça, a Sua ressurreição nos deu a vitória sobre “o último inimigo a ser destruído”: a morte (1Co 15:26). E Aquele que foi “obediente até à morte e morte de cruz” (Fp 2:8), nos pede que lembremos “da Lei de Moisés” (v.4). Este capítulo não foi um recado apenas ao antigo Israel e mais uma profecia messiânica, mas uma mensagem ao atual “Israel de Deus” (Gl 6:16), para que esteja preparado para “o grande e terrível Dia do SENHOR” (v.5). Semelhante a João Batista que veio “no espírito e poder de Elias, para converter o coração dos pais aos filhos, converter os desobedientes à prudência dos justos e habilitar para o Senhor um povo preparado” (Lc 1:17), “antes da segunda vinda de Cristo uma obra semelhante será feita por aqueles que pregam as três mensagens angélicas ao mundo” (CBASD, v. 4, p.1247).

Lembrai-vos” (v.4) é um chamado de um Pai que deseja a felicidade eterna de Seus filhos e um reforço ao mandamento em que Ele disse: “Lembra-te” (Êx 20:8). Todos os que são tementes a Deus, estão ouvindo o Seu último chamado e buscando viver em obediência assim como foi com Noé: “Pela fé, Noé, divinamente instruído acerca de acontecimentos que ainda não se viam e sendo temente a Deus, aparelhou uma arca para a salvação de sua casa; pela qual condenou o mundo e se tornou herdeiro da justiça que vem da fé” (Hb 11:7). Contudo, infelizmente, “muitos dos que ouvem a mensagem – o maior número deles – não darão crédito à solene advertência. Muitos serão achados desleais aos mandamentos de Deus, que são uma prova do caráter. Os servos de Deus serão chamados entusiastas. Os ministros aconselharão o povo a não os ouvirem. Noé recebeu o mesmo tratamento enquanto o Espírito o impelia a dar a mensagem, quer os homens quisessem, quer não a quisessem ouvir” (Ellen G. White, TM, pág. 233, 1895).

A Bíblia diz que “Noé andava com Deus” e fazia “consoante a tudo o que Deus lhe ordenara” (Gn 6:9 e 22), salvando a si mesmo e a sua família. Está na hora, e já chegou, de erguermos um clamor tão alto quanto o foi o de Noé. É tempo de toda a Terra ser iluminada com a glória da última e solene mensagem (Ap 18:1): “Caiu, caiu a grande Babilônia e se tornou morada de demônios, covil de toda espécie de espírito imundo e esconderijo de todo gênero de ave imunda e detestável… Retirai-vos dela, povo Meu, para não serdes cúmplices em seus pecados e para não participardes dos seus flagelos” (Ap 18:2 e 4). O Espírito Santo está convocando e reunindo os filhos de Deus de todas as nações e unindo-os num só exército de oração. De todos os cantos deste mundo Deus tem ouvido o clamor do Seu povo, “os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus” (Ap 14:12). E, ao contrário do que se prega e do que se pensa, Ele não usará instrumentos grandiosos para completar a Sua obra, mas “usará maneiras e meios pelos quais se verá que Ele está tomando as rédeas em Suas próprias mãos. Surpreender-se-ão os obreiros com os meios simples que Ele usará para efetuar e aperfeiçoar Sua obra de justiça” (Ellen G. White, TM, pág. 330, 1885).

Que hoje, amanhã e cada dia até aquele grande Dia, seja esta a nossa decisão: “Eu e minha casa serviremos ao SENHOR” (Js 24:15). Já chega de tanto sofrimento! Já chega de tanta desonra ao nome do Senhor! Coloque a sua vida nas mãos do grande “EU SOU” (Êx 3:14) e permita que Ele faça de você um meio simples de pregar  “um evangelho eterno” (Ap 14:6) em sua casa e de sua casa para o mundo.

Bom dia, “vós outros que temeis” o nome do Senhor (v.2)!

Desafio do dia: Reforce o convite aos seus amigos e familiares para darmos início ao estudo do Novo Testamento.

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus
#Malaquias4
#RPSP




%d blogueiros gostam disto: