Reavivados por Sua Palavra


Sofonias 3 by Jobson Santos
5 de janeiro de 2018, 5:25
Filed under: acontecimentos finais | Tags: ,

Comentário devocional:

No capítulo três, o profeta muda abruptamente de assunto da ira de Deus contra as nações vizinhas para a situação de Jerusalém. Deus vai direto ao ponto ao descrever o núcleo do problema do antigo Israel, assim como em nossas vidas: a falta de vontade de ouvir a Deus, de aceitar a correção. O versículo 9 marca um ponto de virada surpreendente no capítulo: Deus vai purificar o Seu povo e reuni-los. A purificação não é um processo fácil.

Deus purifica os nossos lábios, para que possamos verdadeiramente adorá-Lo e servi-Lo com integridade. A única coisa que temos a fazer é responder a sua intervenção a nosso favor, e Ele continuará a trabalhar em nós e através de nós. Assim, a promessa se ​​tornará realidade: O remanescente de Israel confiará no nome do Senhor.

Os versículos 14 a 20, representam uma jóia na Bíblia: Deus nos convida a cantar, a nos alegrar-nos porque Ele está agindo a favor do seu povo, e porque o próprio Deus está se alegrando por nossa causa. O versículo 17 diz: Ele terá grande prazer em você; em Seu amor Ele não vai mais lhe repreender, mas se deleitará em você com júbilo.

Que quadro! Deus alegrando-se em nós a ponto de cantar de alegria! A imagem que me vem à mente é a imagem de um noivo adornando a sua noiva com belas roupas e depois regozijando-se por vê-la tão bela. Deus está nos tratando de uma forma maravilhosa e surpreendente. Louvemos ao Senhor por aquilo que Ele é!

Norbert Zens
Tesoureiro da Divisão Inter Europeia
Bern, Suiça

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/zep/3 ou https://www.revivalandreformation.org/?id=1155  
Tradução anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2014/10/12  
Equipe de tradução: Jeferson Quimelli/Pr Jobson Santos/Gisele Quimelli
Texto bíblico: Sofonias 3 NVI
Texto bíblico: Sofonias 3 NVI
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana do programa Crede em Seus Profetas: https://credeemseusprofetas.org/


SOFONIAS 3 – COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
5 de janeiro de 2018, 0:55
Filed under: Sem categoria



SOFONIAS 3 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Maria Eduarda
5 de janeiro de 2018, 0:45
Filed under: Sem categoria

SOFONIAS 3 – Se Deus fosse injusto, Seu caráter seria inconsistente. Como não é, Sua justiça exige providências contra o pecado que assola o mundo e tudo o que nele há. Logo, é necessário um julgamento rigoroso.

A santa ira de Deus move Suas ações, não sem antes revelar Sua infinita bondade e expressar Sua graça. Quanto mais entendimento se adquire sobre a santidade de Deus e Sua ira contra o pecado, mais valor se dará a Sua graciosa graça.

Talvez por isso Arthur W. Pink analisa: “Um estudo da concordância mostrará que nas Escrituras há mais referências à cólera, fúria e ira de Deus do que ao Seu amor e bondade”. Entretanto, este destaque à justiça só dá maior valor ao Seu amor e graça. Pois, onde estaríamos agora se não fossem estes últimos atributos divinos?

O capítulo de nossa meditação pode ser assim esboçado:

1. Juízo sobre Jerusalém: a cidade da paz, não será poupada, nem as igrejas cristãs. Desobediência, resistência à correção, incredulidade e impiedade, ganância, leviandade, hipocrisia, tudo será castigado (vs. 1-7).

2. Um remanescente sobrará e será consolado, pois Deus vingará os perversos na segunda vinda de Cristo; e, os poucos fiéis serão ricamente abençoados: salvação plena (vs. 8-20).

Revelado por Deus, “…o plano da redenção tinha um propósito ainda mais vasto e profundo do que a salvação do homem. Não foi para isto apenas que Cristo veio à Terra; não foi simplesmente para que os habitantes deste pequeno mundo pudessem considerar a lei de Deus como devia ela ser considerada; mas foi para reivindicar o caráter de Deus perante o Universo” (Patriarcas e Profetas, cap. 4, p. 68/37).

Infelizmente, diante de tudo o que já foi revelado na Bíblia e no sacrifício de Cristo, apenas poucas pessoas se salvarão. Contudo, se não fosse a graça de Deus, nem mesmo estes se salvariam. “Portanto, cante, filha de Sião! Celebre, Israel! Filha de Jerusalém, alegre-se! Faça festa! […] Não há mais o que temer do mal, nunca mais” (vs. 14-15).

Para quem não se preparou, o dia do juízo será um terror; para os fiéis, será a maior demonstração de amor depois do Calvário! Os salvos estarão para sempre com a bênção da presença do Senhor: “As tristezas acumuladas… vão desvanecer…” (vs. 18-20). Louvado seja Deus!

Temos muitas razões para buscar reavivamento! Deus quer executar Seus maravilhosos planos em nossa vida! – Heber Toth Armí



SOFONIAS 3, Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
5 de janeiro de 2018, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Mas deixarei, no meio de ti, um povo modesto e humilde, que confia em o nome do SENHOR” (v.12).


Opressora, rebelde e manchada foram os adjetivos dados a Jerusalém. Maculada pelas iniquidades e abominações que praticava, a cidade “santa” tornou-se em covil de “leões” e de “lobos” (v.3), injustos, “levianos, homens pérfidos” (v.4), levando todo o povo à queda. Até o santuário havia sido contaminado com as práticas pagãs e a Lei do Senhor violada (v.4). Não havia mais pudor ou sentimento de vergonha que despertasse o povo a reconhecer a sua terrível condição. “Manhã após manhã” Deus trazia à luz “o Seu juízo” (v.5), mas os habitantes de Jerusalém já não atendiam “a ninguém”, nem aceitavam disciplina, não confiavam “no SENHOR”, nem se aproximavam “do seu Deus” (v.2). Que coisa triste, não é mesmo? Mas será que estamos longe desta realidade?

Diante da realidade de um mundo governado pela mídia, paulatinamente, as influências midiáticas foram sendo inseridas no meio cristão. O que antes era sutil está exposto e já atingiu um ponto em que se tornou muito difícil fazer diferença entre crentes e descrentes. Na verdade, os costumes que antes caracterizavam o meio evangélico e o tornavam diferente, não só na aparência, mas também no comportamento, foram sendo engolidos pela “ditadura” deste século, enfraquecendo e destruindo a base da sociedade: a família.

O que enfrentamos hoje é uma verdadeira guerra onde, ironicamente, o inimigo é convidado para entrar em nossa casa. A televisão e a internet tornaram-se armas mortíferas à disposição de todos. Desde o mais infante até o mais ancião têm sido contaminados com a “magia” que bloqueia a mente para as coisas santas e que realmente edificam. Quando o assim diz o SENHOR é trocado pelo assim diz a mídia que eu devo ser, criancinhas tornam-se a autoridade da casa, adolescentes desafiam seus pais, pais negligenciam seu dever como sacerdotes do lar, mães trocam sua sagrada obra de educar por trabalho e aparência, fazendo de cada família um verdadeiro campo de batalha.

Logo, “toda esta terra será devorada pelo fogo” do zelo do Senhor (v.8) e Deus suscitará “lábios puros” (v.9), reunirá os Seus “adoradores, que constituem” os filhos de Sua dispersão, que Lhe oferecerão sacrifícios agradáveis (v.10). Ou seja, de cada canto deste planeta Deus reunirá “um povo modesto e humilde, que confia em o nome do SENHOR” (v.12). Estes, “os restantes de Israel, não cometerão iniquidade, nem proferirão mentira, e na sua boca não se achará língua enganosa, porque serão apascentados, deitar-se-ão, e não haverá quem os espante” (v.13).

Jesus disse que Ele é o bom Pastor e que as Suas ovelhas são todos aqueles que Lhe reconhecem a voz. A que voz temos dado ouvidos? Não nos enganemos amados! Se preferimos gastar o nosso tempo na televisão, nas redes sociais e navegando na internet em detrimento de ganhar tempo estudando a Palavra de Deus, orando e cumprindo com fidelidade a parte que nos corresponde como membros de uma família, estamos seguindo ao estranho. E Jesus afirmou que as Suas ovelhas “de modo nenhum seguirão o estranho; antes, fugirão dele” (Jo 10:5).

Foge enquanto há tempo! Como fez José diante da tentação da mulher de Potifar (Gn 39:12), fuja para longe do que lhe afasta do bom Pastor. “O SENHOR, teu Deus, está no meio de ti, poderoso para salvar-te” (v.17), a você e sua família (At 16:31). No dia em que o Juiz de toda a terra Se levantar será para dar a sentença final a todas as nações (v.8) e o Seu desejo é que invoquemos o Seu nome enquanto temos oportunidade, porque “todo aquele que invocar o nome do SENHOR será salvo” (Jl 2:32). Como fez Elias (1Rs 18:30), restaure o altar do Senhor em sua casa. A mudança deve iniciar na sua e na minha vida e então contagiar, primeiramente, os de casa.

Jesus tem pressa de voltar e recolher para Si “o fruto do penoso trabalho de Sua alma” (Is 53:11). Que “naquele dia” (v.16), estejamos cantando, rejubilando, regozijando e exultando “de todo o coração” (v.14) e que possamos dizer: “Eis-me aqui, e os filhos que o SENHOR me deu” (Is 8:18).

Bom dia, “povo modesto e humilde” (v.12)!

Desafio do dia: Se o culto familiar ainda não é uma realidade em sua casa, decida, hoje, em nome de Jesus, restaurar o altar do Senhor. Prepare um lindo culto de pôr do sol junto com sua família.

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus
#Sofonias3
#RPSP




%d blogueiros gostam disto: