Reavivados por Sua Palavra


OSEIAS 7, Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
26 de novembro de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria


“A soberba de Israel, abertamente, o acusa; todavia, não voltam para o SENHOR, seu Deus, nem O buscam em tudo isto” (v.10).


A iniquidade dos regentes de Israel levou todo o povo a práticas abomináveis e descaso para com Deus. Disposto a mudar-lhes a sorte, o Senhor desejava restaurar os filhos do Seu povo e trazê-los de volta a Si. Contudo, rejeitaram o chamado do Altíssimo e dEle fugiram (v.13).

A negativa partia do princípio de que ninguém havia que invocasse ao Senhor (v.7). Ninguém havia que O buscasse ou desejasse estar em Sua presença. A situação deles era cômoda e, em meio a malícias e mentiras, ocupavam o coração com as efêmeras alegrias deste mundo, debaixo de roupas de “religioso”.

No capítulo vinte e três do livro de Mateus, Jesus proferiu severas advertências contra os líderes da época. E a primeira delas exemplifica bem a situação de Israel: “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas, porque fechais o reino dos céus diante dos homens; pois vós não entrais, nem deixais entrar os que estão entrando!” (Mt 23:13). Ao invés de serem instrumentos de salvação, suas vidas tornaram-se uma barreira impedindo que muitos conhecessem, de fato, a Deus.

A ostentação e o orgulho tornaram os líderes do povo uma espécie de casta inalcançável. Colocando-se acima de tudo e de todos, abandonaram a essência da liderança celestial: a humildade e o serviço abnegado. E, tomados de um espírito soberbo, rejeitaram o único Mestre: “Vós, porém, não sereis chamados mestres, porque um só é vosso Mestre, e vós todos sois irmãos” (Mt 23:8).

A primeira vez que os discípulos de Jesus foram chamados de cristãos se deu em Antioquia, após a dispersão “por causa da tribulação que sobreveio a Estêvão” (At 11:19). Ali, e nas cidades circunvizinhas, o evangelho foi pregado com inteireza de coração, pois “a mão do Senhor estava com eles” (At 11:21). Era isso que Deus esperava do antigo Israel e é isso que Ele espera do Seu Israel moderno. O Senhor não leva em conta o parecer ser dEle, mas o ser dEle “em espírito e em verdade” (Jo 4:24). Ele não deseja ouvir “uivos” (v.14) “santos”, mas clamores de corações que reconhecem a sua real condição: inteiramente dependentes da graça de Jesus.

A verdade é esta, amados: diante de Deus, não há distinção entre líderes e subordinados. Somos todos irmãos e filhos do mesmo Pai (Mt 23:9). Todos carecemos da mesma graça, da mesma misericórdia e do mesmo Mediador, Jesus Cristo (1Tm 2:5). Ele mesmo nos deixou exemplo, quando, como Mestre, Se humilhou à condição de servo (Jo 13:14). Portanto, liderar não é mostrar serviço, mas servir para mostrar Jesus. E isto só acontece quando estamos sob a liderança do Espírito de Deus.

Que o Espírito Santo lidere a minha e a sua vida, então, sucederá que a letra da canção se cumprirá em nossa vida: “E se alguém vier atrás de mim, por onde eu for, vai ver que Cristo e eu deixamos uma pegada só” (Hino 481 do Hinário Adventista do Sétimo Dia).

Bom dia, liderados pelo Espírito Santo!

Jornada de Oração, dia 10/21: Oremos pelos pastores e líderes do “Israel de Deus” (Gl 6:16).

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus
#Oseias7
#RPSP


Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: