Reavivados por Sua Palavra


II CRÔNICAS 19 by jquimelli
31 de julho de 2016, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário devocional:

Josafá era um bom rei e líder espiritual, e corajosamente chamou seu povo à reforma espiritual e obediência a Deus. Por isso, o Senhor abençoou com “riquezas e honra” (2 Cr. 18:01). No entanto, no auge de sua prosperidade, Josafá permitiu que seu filho Jorão se casasse com a filha de Acabe, Atalia. Desta forma, Josafá e sua esposa se tornaram parentes de Acabe e Jezabel, o mais famoso casal perverso de Israel. Como consequência Deus retirou as Suas bênçãos.

Deus não tem favoritos (v. 7). Podemos esperar para nós o mesmo tratamento que nosso santo e consistente Deus dispensou a Josafá se persistirmos em andar nos caminhos da nossa própria vontade.

Por meio de Seu profeta Jeú, Deus tornou claro seu descontentamento pela ligação de amizade de Josafá com o próspero, secular e sincrético Acabe (v 2-3). Embora Josafá continuasse a trabalhar no reavivamento espiritual e reforma para o seu povo, a consequência dessa transgressão à ordem explícita de Deus é que a apostasia se alastrou no reino de Judá. A “pequena desobediência” aos mandamentos de Deus desfez anos de reformas de Josafá.

Um casamento fora da fé nunca é uma boa ideia. Assim como também não é bom qualquer tipo de conformação da vontade de Deus ao espírito e ensinamentos do mundo.

 

Fernando Canale
Andrews University

 

Também disponível em: http://www.revivalandreformation.org/bhp/pt/biblia/2ch/19 e https://www.facebook.com/ReavivadosPorSuaPalavra/
Texto original: http://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/2ch/19
Publicação anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2013/05/07/
Tradução Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli/Jobson Santos
Texto bíblico: II Crônicas 19
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana programa Crede em Seus Profetas:
http://www.revivalandreformation.org/bhp/pt/sop/pp/40 e https://credeemseusprofetas.org/



II CRÔNICAS 19 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
31 de julho de 2016, 0:50
Filed under: Sem categoria

1 Josafá, rei de Judá, voltou para casa em paz, em Jerusalém. Josafá voltou para Jerusalém são e salvo, como um homem mais triste, porém mais sábio (Comentário Adventista do 7º Dia, vol. 3, p. 272).

4 O próprio rei Josafá liderara a obra reformadora, que induziu o povo à fé e à obediência ao Senhor. As instruções deixadas aos juízes e aos sacerdotes (v.5-9) servem para qualquer líder civil ou eclesiástico: 1) Tudo deve ser feito com dedicação e cuidado (v.6 e 7); 2) Deve ser feito num espírito de reverência e de fé (v.7 e 9); 3) reconhecendo que todo poder emana de Deus, e em Seu nome deve ser usado (v.6); 4) Deus, em tudo, é o grande Exemplo de justiça e imparcialidade (v. 7); 5) Deus está presente junto aos que realmente O amam, para inspirá-los, corrigi-los e consolá-los (v. 6) (Bíblia Shedd).

5 nomeou juízes. O nome Josafá (que significa “o Senhor julga”) é apropriado para o rei que instituiu essa reforma judiciária. A organização dos tribunais de justiça por Josafá (v. 5-11) seria de interesse especial para o cronista do período pós-exílico quando os tribunais da comunidade restaurada teriam sua existência e estrutura legitimadas por esse precedente (Bíblia de Estudo NVI Vida).

5-10 Josafá nomeou sacerdotes e levitas para ajudar a administrar a lei civil. Muitos anos antes, Moisés tinha escolhido homens capazes, fiéis e honestos para ajudá-lo a julgar as disputas entre as pessoas (ex. 18.21,22). Obviamente o melhor tipo de líder é o que sempre age com reverência a Deus. Líderes efetivos fazem que o trabalho seja feito; líderes fiéis garantem que o trabalho seja feito do modo de Deus e no tempo de Deus. Ele procuram incutir a sabedoria de Deus em futuros líderes e construir os valores de Deus em toda a comunidade (Life Application Study Bible Kingsway NIV).

10 sentença contestada. Isto é, casos que poderiam chegar ao tribunal central em Jerusalém, provenientes de outras cidades. Fica claro a partir desta passagem que o tribunal da capital era um supremo tribunal de apelação (Comentário Adventista do 7º Dia,vol. 3, p. 274).

entre sangue e sangue. Para definir os casos de morte “acidental”, em “legítima defesa”, ou “assassínio” (Bíblia Shedd).



II CRÔNICAS 19 – COMENTÁRIO PR HEBER by Maria Eduarda
31 de julho de 2016, 0:45
Filed under: Sem categoria

II CRÔNICAS 19 – Todos querem ter razão, ninguém aceita estar errado. Ninguém gosta de ser repreendido, nem mesmo pelo Senhor; isso revela o orgulho humano. Por isso, repreender nunca é tarefa fácil, porém, Deus espera que Seus servos ajudem uns aos outros a fim de que se auxiliem na jornada ao Céu. O rei Josafá cometeu uma falta diante do Rei do Universo. Desagradou-O com suas atitudes; e, mereceu repreensão de Jeú, que disse: “Devias tu ajudar o ímpio, e amar aqueles que odeiam ao Senhor? Por isso virá sobre ti grande ira da parte do Senhor” (II Crônicas 19:1-2). Reflita: Como reagirias se tais palavras duras fossem dirigidas a você por ter ajudado alguém que não amava a Deus? Quais seriam tuas justificativas, desculpas e explicações? Você aceitaria passivamente tal repreensão? Veja que não é fácil ser um porta-voz de Deus, nem antes e nem agora. Como, porém, os transgressores saberiam de seus erros se alguém não os repreendessem? Depois da notícia ruim o profeta deixou uma notícia boa, a qual fez a diferença na vida do rei. O profeta concluiu dizendo-lhe: “Boas coisas, contudo se acharam em ti, pois tiraste os postes-ídolos da terra, e dispuseste o coração para buscar a Deus” (v. 3). Assim, seguindo uma sábia sequência Jeú despertou uma reação positiva em Josafá, o qual fez grandes coisas boas entre o povo de Deus. Aprenda a ser humilde e a reagir positivamente quando um servo de Deus te repreender com mansidão, desejando o teu bem!

A prosperidade de uma nação depende de uma boa política administrativa. É bem difícil hoje acreditar que a política seja positiva diante de tanta corrupção, mas segundo a Bíblia é possível! Se os políticos seguissem o exemplo do rei Josafá, o resultado político floresceria positivamente em toda a nação. Ele constituiu juízes justos (prefeitos) por toda a terra, advertindo-os a lidar de forma justa em tudo o que fizerem (II Crônicas 19:4-11). O povo de Deus precisa ajudar aos políticos de sua cidade, não só orando, como alguns fazem, mas mostrando princípios administrativos descritos na Sagrada, Santa e Perfeita Palavra de Deus! Os políticos devem saber que existe um Livro superior aos mais diversos livros da terra. Precisam crer que existe um Deus que é Soberano que não quer apenas punir o erro, mas quer ajudar a concertar erros. Eles precisam buscar conselhos do Legislador e Administrador de todo o infinito Universo; pois Ele sabe como evitar o erro e promover o que é certo. Leiam a Bíblia, tanto pessoas físicas quanto jurídicas e, cada um exerça sua função segundo os mais sábios princípios revelados na Bíblia pelo Deus que amou o mundo de tal maneira que deu Seu Filho unigênito, para que todo aquele que nEle crer não pereça, mas tenha a vida eterna (João 3:16). Não fique aí pensativo, parado e ocioso, faça alguma coisa de útil! Faça teu dia valer a pena! Faça esta mensagem ir aonde ela deve chegar!

“Bendito seja Deus pelos magistrados e ministros, escribas e estadistas, literatos e empresários” – eis as palavras expressivas do teólogo Matthew Henry. Todos deveriam ter a atitude deste teólogo. Além disso, baseado no texto de II Crônicas 19, todos, nas palavras do teólogo, deveriam trabalhar e fazer tudo “no temor do Senhor, com um coração perfeito e reto. E deviam fazer que sua preocupação constante fosse impedir o pecado, que é ofensa a Deus e traz ira sobre o povo”. Todos devem realizar bem suas funções administrativas. Precisamos lutar por uma reforma política, nas empresas, nos comércios, nas fazendas, etc. não somente para o nosso bem, mas também pelo bem das pessoas dotadas por Deus com capacidades administrativas. Deus quer salvar a todos os grandes administradores, executivos, presidentes, governadores, prefeitos, senadores, deputados, congressistas, legisladores, reis, rainhas, príncipes, etc. Como povo de Deus temos de fazer mais por eles, ainda que sejam quase inacessíveis, para Deus nada é impossível. Ore, reflita, tome uma atitude. Precisamos fazer o que deve ser feito, Deus nos deixou uma missão e nos capacita para isso. Dedique-se a fazer o que é importante e urgente. Jesus está voltando, anuncie isso a fim de que mais pessoas se preparem para encontrar-se com o Soberano Juiz de toda a Terra. Veja a ênfase bíblica: “Esforçai-vos, e o Senhor seja com os bons” (v. 11).Aceite hoje esse apelo e essa promessa de Deus a você!
– Heber Toth Armí.



II CRÔNICAS 19 – #RPSP – Comentário Rosana Barros  by Ivan Barros
31 de julho de 2016, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Disse aos juízes: Vede o que fazeis, porque não julgais da parte do homem, e sim da parte do SENHOR, e, no julgardes, Ele está convosco” (v. 6).

Após o aperto que passou ao ser enganado por Acabe, Josafá “voltou para sua casa em paz” (v. 1). Mas assim que chegou em Jerusalém, foi abordado por um mensageiro do SENHOR, que lhe deu um “puxão de orelhas”: “Devias tu ajudar ao perverso e amar aqueles que aborrecem o SENHOR? Por isso, caiu sobre ti a ira da parte do SENHOR” (v. 2). Mas, como assim? A Bíblia não nos diz que devemos ajudar e amar os nossos inimigos também? Como, pois, a atitude de Josafá provocou a ira de Deus? Realmente amados, temos o dever de amar a todos (Vide I João 4:20), PORÉM, não podemos confundir compaixão com condescendência. Já estudamos o que significa compaixão. É se colocar no lugar do outro. É sofrer junto. Já a condescendência, conforme o dicionário, é “atitude de quem concorda com algo, embora tenha vontade de o recusar”. Josafá tolerou as ações de Acabe, embora soubesse que este estava completamente longe da vontade de Deus. Ele foi conivente. Foi isto que provocou a ira do SENHOR. No entanto, Josafá não recebeu apenas uma repreensão, mas uma admoestação plena de misericórdia: “Boas coisas, contudo, se acharam em ti; porque tiraste os postes-ídolos da terra e dispuseste o coração para buscares a Deus” (v. 3).

A partir daí, Josafá dá início a uma nova reforma em seu reino. Desta vez, estabelece juízes (v. 5) para que julguem “da parte do SENHOR” (v. 6). Autoridades competentes para julgar os litígios de Judá sob a tutela do Todo-Poderoso. E uma coisa o rei lhes deseja: “o temor do SENHOR” (v. 7). A Palavra de Deus diz que “o temor do SENHOR é a sabedoria” (Jó 28:28). Temer a Deus seria o sustentáculo da justiça no ofício daqueles juízes. E a mesma coisa Josafá ORDENOU aos levitas, sacerdotes e cabeças das famílias de Israel: “Assim, andai no temor do SENHOR, com fidelidade e inteireza de coração” (v. 9). Josafá ORDENA que aqueles homens assumam a atitude de Salomão. A ordem de Josafá foi o pedido do rei Salomão: “Dá, pois, ao Teu servo coração compreensivo para julgar a Teu povo, para que prudentemente discirna entre o bem e o mal” (I Reis 3:9). Mas o que há de tão grande em tal ordem e em tal pedido? Qual é a importância de se obedecer a este princípio? Simples, meus irmãos. Se o temor do SENHOR é sabedoria, então, se tememos a Deus, fazemos o que Ele nos pede; se tememos a Deus, nossa vida é pautada no ASSIM DIZ O SENHOR; se tememos a Deus, temos amor e compaixão pelo próximo, e não nos tornamos participantes de seus pecados; se tememos a Deus, não levantamos falso juízo contra nossos semelhantes; se tememos a Deus “com fidelidade e inteireza de coração” (v. 9), o SENHOR nos torna bons (v. 11) assim como Ele é! Compreendem a necessidade de temermos a Deus, de Lhe sermos submissos? Porque somente assim Ele nos transforma segundo o Seu caráter. 

Uma das mensagens de Deus para os últimos dias, ou seja, para a nossa geração é: “Temei a Deus e dai-Lhe glória, pois é chegada a hora do Seu juízo; e adorai Aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas” (Apocalipse 14:7). Muito em breve os juízes desta terra darão lugar ao Juiz Justo, e Ele não julgará as ações de nossas mãos, mas as intenções de nosso coração. Entendem o porquê da inteireza de coração? O princípio apresentado por Salomão, reforçado por Josafá e proclamado pela primeira voz angélica deve ser a nossa motivação e escolha diária: temer a Deus de TODO o nosso coração! Então, naturalmente, Ele nos concederá sabedoria para que naquele grande Dia não tenhamos medo de Seu juízo, mas que reconheçamos no olhar do Salvador o amor que nos conduziu ao Seu eterno abraço!

Bom dia, tementes a Deus!

*Leiam #2Crônicas19

Rosana Garcia Barros 



O início do reavivamento e reforma em nossas vidas by jquimelli
30 de julho de 2016, 20:12
Filed under: Sem categoria

Reavivamento e reforma começam em nossas próprias vidas à medida que diariamente entregamos nossa vontade a Deus e escolhemos viver de acordo com “toda palavra que procede da boca de Deus” (Mateus 4:4).

Fernando Canale

Andrews University

https://reavivadosporsuapalavra.org/2013/05/07



II CRÔNICAS 18 by jquimelli
30 de julho de 2016, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário devocional:

O profeta Micaías é mencionado na Bíblia apenas nessa história, mas foi um grande homem. O ímpio rei Acabe queria lutar contra os sírios que ocupavam Ramote-Gileade (ver 1Rs 22:3) e o bom rei Josafá se juntou a ele imprudentemente. Josafá sugere, então, que busquem o conselho de Deus antes de irem à batalha. Acabe concorda e chama seus 400 profetas bem treinados.

“Sobe”, eles gritam em muito bem remunerado uníssono. “Deus a entregará em suas mãos!”

Josafá pede então por um verdadeiro profeta, alguém verdadeiramente conectado com Deus. Acabe finalmente manda chamar Micaías. Aqueles que o trazem sussurram: “É melhor que você só tenha palavras de encorajamento.”

As respostas de Micaías são uma inspiração para qualquer servo de Deus ainda hoje: “o que meu Deus disser, isso falarei” (v. 13). E, de fato, ele diz claramente ao rei Acabe: “Vi todo o Israel disperso pelos montes, como ovelhas que não têm pastor” (vers. 16). Ele profetiza a morte do rei Acabe.

Um dos falsos profetas bate-lhe no rosto. O rei de Israel manda Micaías para a prisão. Ele simplesmente responde: “Se voltares em paz, não falou o Senhor, na verdade, por mim. Disse mais: Ouvi isto, vós, todos os povos!” (verso 27).

Coragem! Compromisso total com a verdade! Disposição de lutar sozinho! Isto é o que Deus espera de você e de mim.

Sejamos corajosos!

Pastor Scott Griswold
Recrutador de Missionários
Apoio a Projetos para o Sudeste da Ásia

 

Também disponível em: http://www.revivalandreformation.org/bhp/pt/biblia/2ch/18 e https://www.facebook.com/ReavivadosPorSuaPalavra/
Texto original: http://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/2ch/18
Publicação anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2013/05/06/
Tradução Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli/Jobson Santos
Texto bíblico: II Crônicas 18
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana programa Crede em Seus Profetas:
http://www.revivalandreformation.org/bhp/pt/sop/pp/40 e https://credeemseusprofetas.org/



II CRÔNICAS 18 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
30 de julho de 2016, 0:50
Filed under: Sem categoria

1 Apesar de Josafá ser profundamente comprometido com Deus, ele arranjou que seu filho se casasse com Atalia, a filha do perverso rei Acabe de Israel, e, então, fez com ele um acordo militar. […] Esta aliança trouxe três consequências devastadoras: (1) Josafá incorreu na ira de Deus (19.2); (2) quando Josafá morreu e Atalia se tornou rainha, ela assumiu o trono e quase eliminou a descendência de Davi (22:10-12); (3) Atalia trouxe as perversas práticas de Israel para Judá, que eventualmente levou esta nação à ruína. Quando crentes em posição de liderança se aliam a não crentes, valores podem ser comprometidos e a consciência espiritual é nublada. A Bíblia sempre alerta contra a associação com não crentes (2Cor 6.14) (Life Application Study Bible Kingsway NIV).

a palavra do SENHOR. Josafá impensadamente concordou em ir com Acabe contra os siros, mas desta vez parece que sua consciência lhe disse que deveria primeiro consultar a vontade do Senhor (CBASD – Comentário Bíblico Adventista do 7 º Dia, vol. 3, p. 269).

quatrocentos homens. Tendo em vista que os profetas de Baal tinham sido mortos por Elias no monte Carmelo, estes homens eram provavelmente profetas de Aserá (Asherah) que comiam à mesa de Jezabel (1Rs 18.9) (Comentário da Andrews Study Bible, sobre a passagem paralela, 1Rs 22.6).

12 fala o que é bom. É preciso ter em pouca conta um profeta do Senhor para achar que seja possível influenciar a mensagem que ele deve transmitir (CBASD, vol. 3, p. 269).

As palavras do mensageiro refletem o espírito do mundo: “Não estrague a festa”; adira à “onda” e tudo ficará “naquela base”; “Nada de reparar, de chamar a atenção, ou de criticar; seja bonzinho” (Bíblia Shedd).

14 sobe. Micaías parecia estar falando com dramática ironia, simplesmente repetindo a falsa mensagem dos profetas mentirosos (v. 11). Evidentemente seu tom de voz deixou isso claro, como é demonstrado pela resposta de Acabe (v.15) (CBASD, vol. 3, p. 269).

17 não te disse eu […]? Acabe era um rei ímpio e sabia que não podia esperar uma boa mensagem do Senhor, mas devia ter reconhecido que, apesar disso, a mensagem divina era verdadeira. O  fato de não havê-la aceito como tal custou-lhe a vida (CBASD, vol. 3, p. 269 e 270).

18 vi. Esta é uma visão em forma de parábola e deve ser interpretada como tal. Nela, Deus é representado como se fizesse aquilo que não impede que aconteça. Deus não coage a vontade. Quando pessoas más escolhem deliberadamente seguir a mentira, Ele não intervém. Uma vez que Deus é supremo, Sua recusa de reprimir as forças do mal muitas vezes é representada como se Ele enviasse diretamente o mal. Pode-se encontrar um exemplo disso no incidente das serpentes abrasadoras (Nm 21.6). Contudo, essas “serpentes” não foram criadas de repente nem transportadas miraculosamente de outro lugar só para aquela ocasião. Na verdade, elas já infestavam a área do deserto pela qual os filhos de Israel passavam e teriam sido uma fonte real de perigo e causa de mortes frequentes se o Senhor, por milagre, não tivesse reprimido esses répteis venenosos. Mas, quando o povo se voltou contra o Senhor, que os protegia dos muitos perigos do deserto, Deus simplesmente retirou Sua proteção, e o resultado foi a morte (ver PP, 429) (CBASD, vol. 3, p. 270).

21 faze-o assim. A ordem divina na visão em forma de parábola representa a permissão divina. Satanás desejava provocar a morte de Acabe, e o Senhor não o impediu. Enquanto a mão repressora de Deus está estendida, Satanás não tem permissão para matar, mas quando a mão de Deus é removida, então o inimigo prossegue em sua obra de destruição (ver GC, p. 614) (CBASD, vol. 3, p. 270).

22 É pela boca dos profetas que o espírito mentiroso age com poder para enganar os fiéis; ainda hoje, Satanás usa as inverdades dos falsos profetas como sua arma, a mais poderosa. Os espíritos devem ser examinados pela Bíblia (Bíblia Shedd).

espírito mentiroso é um retrato do modo de agir dos profetas – dizendo ao rei o que ele queria ouvir e não o que ele precisava ouvir. Os líderes somente enfrentarão dificuldades ao se acercarem de conselheiros que somente procurem agradá-los (Life Application Study Bible Kingsway NIV).

23 deu uma bofetada em Micaías. Este insulto ao profeta do Senhor revela bem o espírito do maligno. De uma forma ou de outra, Satanás mostra sua natureza na atitude de seus emissários (CBASD, vol. 3, p. 270).

Obedecer a Deus nem sempre nos protege de maus resultados. A obediência pode, de fato, provocá-los. Mas é melhor sofrer do desagrado humano do que da ira de Deus (Mat. 10.28). Se você for ridicularizado por ser honesto, lembre-se que isso pode ser um sinal de que você está, de fato, fazendo o que é correto aos olhos de Deus (Mat 5.10-12; Rm 8.17, 35-39) (Life Application Study Bible Kingsway NIV).

28 subiram. Josafá se viu em estranha companhia e em estranhas circunstâncias. Ele havia solicitado um profeta do Senhor, e esse profeta dera sua mensagem. O

fracasso da campanha planejada fora clara e enfaticamente predito. Se Josafá tivesse então aceito a mensagem e se recusasse a acompanhar Acabe, poderia ter sido um instrumento para poupar a vida do rei de Israel e impedir a derrota desastrosa e humilhante. Josafá tinha uma solene responsabilidade nessa ocasião, mas fracassou. Pessoas boas nem sempre procedem bem e pessoas sábias nem sempre agem com tais (CBASD, vol. 3, p. 270, 271).

31 gritou. O grito de Josafá foi um pedido de ajuda, e o Senhor lhe respondeu. Este evento ele contrasta com Saul, que enfrentando a mesma ameaça, decidiu cometer suicídio (Andrews Study Bible).

Ele poderia ter aceitado o seu destino pelo fato de merecê-lo mas, em vez disso, clamou a Deus, que miraculosamente o salvou. Quando pecamos e as inevitáveis consequências se seguem, podemos ser tentados a desistir. […] Apesar de merecermos o que nos sobrevém, isto não é motivo para que não busquemos o auxílio de Deus. Se Josafá tivesse desistido, ele teria morrido. Não importa o quanto você pecou, você pode ainda clamar a Deus (Life Application Study Bible Kingsway NIV).

33 Acabe foi morto apesar da proteção da armadura humana; Josafá foi milagrosamente preservado apesar de ter sido um alvo fácil. Nisto se evidencia a providência de Deus dirigindo os imprevistos para Seus próprios fins (Bíblia Shedd).

Micaías profetizou a morte para Acabe (16,27). Então Acabe se disfarçou para enganar o inimigo. Aparentemente o disfarce funcionou, mas isto não mudou a profecia. Uma seta disparada ao acaso por um sírio encontrou uma brecha em sua armadura e o matou. Deus realiza Seus propósitos a despeito das defesas que as pessoas possam erguer. Deus pode usar qualquer coisa, até mesmo algum erro, para cumprir Sua vontade. Esta é uma boa notícia para os seguidores de Deus porque podemos confiar que Ele executará os Seus planos e manterá Suas promessas não importa quão desesperadas nossas circunstâncias estejam (Life Application Study Bible Kingsway NIV).




%d blogueiros gostam disto: