Reavivados por Sua Palavra


EZEQUIEL 22 – ACESSE AQUI O POST DESEJADO by Jeferson Quimelli
13 de janeiro de 2021, 4:00
Filed under: Sem categoria

TEXTO BÍBLICO EZEQUIEL 22 – Primeiro leia a Bíblia

EZEQUIEL 22 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL (Associação Geral)

EZEQUIEL 22 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COM. TEXTO ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO – PR HEBER TOTH ARMÍ

COM. VÍDEO PR ADOLFO SUÁREZ(link externo)

COM. VÍDEO PR EVANDRO FÁVERO (link externo)

COM. VÍDEO PR VALDECI JÚNIOR (link externo)

COM. VÍDEO PR WEVERTON CASTRO E EQUIPE (link externo)

COM. VÍDEO PR RONALDO DE OLIVEIRA (link externo)

COM. VÍDEO PR MICHELSON BORGES (link externo)



EZEQUIEL 22 by Jobson Santos
13 de janeiro de 2021, 0:55
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/ez/22

A lista de pecados entre o povo de Deus é chocante: idolatria, assassinato, sacrifício de crianças, adultério, incesto, extorsão e suborno nos tribunais, roubo, opressão dos pobres pelos ricos e a negação do direito aos estrangeiros. A lista é extensa (v. 7-12). E o pior: a podridão começa de cima para baixo, com os líderes (v. 6). Sem dúvida alguma Deus intervirá e aqueles que agora parecem tão valentes entrarão em colapso.

É necessário encontrar rapidamente alguém para reconstruir os muros enquanto ainda há tempo. E se os muros não estiverem ainda completos no momento em que forem necessários, então temos que encontrar alguém que se interponha na brecha, evitando, assim, que o desprazer de Deus seja derramado (v. 30).

Existe somente Um que é qualificado e aceitou ficar na brecha. Ele é ao mesmo tempo Filho de Deus e Filho do Homem. Ele se posiciona na brecha, pondo fim ao desagrado de Deus e salvando a Israel.

Ele ocupou o nosso lugar, mas eu também sou chamado para estar com Ele na brecha, intercedendo por minha comunidade, por meu pais e pelo mundo. “Não agirá com justiça o Juiz de toda a terra?” (Gênesis 18:25).

Ross Cole
Avondale College, Austrália

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=1070
Tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli/Luis Uehara



EZEQUIEL 22 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
13 de janeiro de 2021, 0:50
Filed under: Sem categoria

1164 palavras

O cap. 22 pode ser dividido em três partes: os v. 1 a 6, que são uma lista dos pecados de Jerusalém; os v. 17 a 22, que apresentam uma parábola extraída do refino de metais; os v. 23 a 31, que falam da corrupção geral que permeia todas as classes sociais. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 4, p. 718.

2 Cidade sanguinária. Os assassinatos judiciais e o oferecimento de crianças a Moloque, sem dúvida, estavam entre os crimes que deram a Jerusalém este título. CBASD, vol. 4, p. 718.

3 Para que venha o seu tempo. O tempo de punição. CBASD, vol. 4, p. 718.

5 As que estão perto. A referência é, sem dúvida, às cidades próximas e distantes. CBASD, vol. 4, p. 718.

6 Segundo o seu poder. Os príncipes de Judá desconsideravam a justiça e governavam segundo seus caprichos. CBASD, vol. 4, p. 718.

Derramar sangue. A frase ocorre três vezes (v. 6, 9, 12). Ela encabeça três enumerações dos pecados de Israel; na primeira, são mencionados pecados de desumanidade e profanação (v. 6-8); na segunda, pecados de idolatria, incesto e lascívia (v. 9-11); na terceira, pecados de avareza e cobiça (v. 12). CBASD, vol. 4, p. 718.

13 Bato as Minhas palmas. Aqui, um gesto de indignação (ver Ez 6:11; 21:14, 17). CBASD, vol. 4, p. 718.

16 Serás profanada. Versões antigas colocam o verbo na primeira pessoa: “Serei profanado através de ti à vista das nações” (ver Ez 20:9; 36:20). CBASD, vol. 4, p. 718.

17-22 Os v. 17 a 22 são uma parábola baseada no processo de derretimento da prata. A fornalha é Jerusalém (v. 19). O povo é o metal (v. 20) que demonstrou ser escória (v. 18). CBASD, vol. 4, p. 718.

23-31 Os v. 23 a 31 constituem a terceira seção do capítulo (ver com. do v. 1). Apresentam outra enumeração dos pecados de Israel, indicando que neles todas as classes sociais estavam envolvidas. CBASD, vol. 4, p. 719.

25 Conspiração dos seus profetas. Os falsos profetas já haviam sido denunciados no cap. 13. A obra deles era um contínuo estorvo à obra dos verdadeiros profetas. Não é de se admirar, em vista das declarações contraditórias de ambos os grupos, que o povo estivesse confuso e que achasse uma desculpa plausível para não obedecer às instruções divinas.

A mesma confusão existe no mundo religioso hoje. Devido ao fato de haver diversas ramificações cristãs, e de que pode haver pessoas piedosas em diferentes segmentos religiosos, muitos concluem que, afinal, faz pouca diferença em que se crê.

O único antídoto seguro contra a influência dos falsos profetas é saber, por meio de investigação pessoal, o que é a verdade. Não é seguro depender da pesquisa, das opiniões ou da sabedoria de qualquer outra pessoa (OP, 30; T5, 686; GC, 593, 594.

Devido à previsão do aparecimento de muitos falsos profetas nos últimos dias, Jesus repetidamente advertiu contra os enganos sutis (ver Mt 24:4, 5, 11, 24). Ele menciona que esses profetas enganariam, “se possível, os próprios eleitos”(Mt 24:24). Diz também que recorreriam a “grandes sinais e prodígios”, um recurso quase inexistente no tempo de Ezequiel.À medida que o grande dia do Senhor se aproxima, Satanás tem intensificado os esforços na obra do engano. Cada vez mais, à medida que os anjos celestiais vão soltando os “ventos”da Terra, ele assumirá o controle do mundo. Sob a aparência de religião e por meio de milagres ele aumentará o domínio sobre os habitantes do planeta.

“E adorá-la-ão todos os que habitam sobre a Terra, aqueles cujos nomes não foram escritos no Livro da Vida do Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo” (Ap 13:8). Portanto, precisamos de um conhecimento pleno das Escrituras para distinguir entre o falso e o verdadeiro (GC, 593, 594). CBASD, vol. 4, p. 719.

26 Transgridem a Minha Lei. Era trabalho especial dos sacerdotes dar instruções sobre os requisitos divinos e observar e ensinar a distinção entre o santo e o profano (Lv 10:10), bem como instruir o povo quanto à adequada observância do sábado. Em tudo isto, no entanto, eles eram infiéis. CBASD, vol. 4, p. 719.

Escondem os olhos. Esta acusação encontra notável paralelo no contexto dos últimos dias. As profecias do Apocalipse (12-14) sugerem que Deus requer uma reforma em relação ao verdadeiro dia de descanso, o sábado do sétimo dia. Esta reforma deve preparar o mundo para a segunda vinda de Cristo. A mensagem tem sido proclamada. A reação tem sido a mesma que a dos dias de Ezequiel: as pessoas escondem os olhos da obrigação de observar o o verdadeiro dia de repouso; tapam os ouvidos frente às claras evidências bíblicas e declaram: “Não penso assim”. CBASD, vol. 4, p. 719.

27 Príncipes. Do heb. sarim, membros da classe governante e chefes das famílias importantes. CBASD, vol. 4, p. 719.

28 Profetas lhes encobrem … visões falsas … mentiras. Ver com. [CBASD] de Ez 13:10. Há vozes no mundo religioso para apoiar quase todo tipo de crença.

Alguns critérios ajudam a distinguir entre o que é representado pela “cal” e o que é genuíno. Esses critérios devem ser usados para testar qualquer crença que supostamente afirme basear-se na Bíblia. Servem também como um sistema de orientação para a pesquisa bíblica, prevendo falsas conclusões.

1. A Bíblia deve ser estudada com oração. … A prática correta da oração coloca a pessoa em condições de receber a verdade celestial.

2. É preciso haver disposição para seguir a luz revelada (Jo 7:17). … Deus reserva a compreensão da verdade aos que estão dispostos a andar na luz que lhes ilumina a mente. A recusa obstinada de andar nesta luz fecha a porta para uma compreensão mais plena da verdade.

3.O texto bíblico deve ser interpretado segundo o contexto geral de toda a Escritura. Corretamente entendida, a Bíblia não se contradiz. Se a conclusão de uma passagem fica em contradição com outra passagem, essa conclusão deve ser reestudada. … .

4. A Bíblia deve ser interpretada à luz de seu próprio contexto. O estudante deve notar cuidadosamente o contexto da passagem em consideração a fim de descobrir do que o texto trata especificamente. … .

5. A Bíblia deve ser sua própria intérprete. Muitas vezes o Espírito Santo não dá uma interpretação imediata do símbolo empregado, mas é de se esperar que o mesmo Espírito explique em outra parte a linguagem obscura para que as pessoas compreendam o significado. …

Em resumo, o procedimento adequado para se descobrir o que a Bíblia ensina é tomar tudo o que ela diz sobre o assunto em questão antes de tirar qualquer conclusão. Atentar para o quadro completo envolvido impede conclusões apressadas e mesmo uma interpretação antibíblica. CBASD, vol. 4, p. 719, 720.

29 O povo da terra. A acusação passa ao povo comum. CBASD, vol. 4, p. 720.

30 Busquei … um homem. Ver Jr 5:1. CBASD, vol. 4, p. 720.

E se colocasse na brecha. Deus chama pessoas para reparar a brecha na lei de Deus. … Acerca dos que empreendem essa tarefa, declara-se: “Os teus filhos edificarão as antigas ruínas; levantarás os fundamentos de muitas gerações e serás chamado reparador de brechas e restaurador de veredas para que o país se torne habitável” (Is 58:12). CBASD, vol. 4, p. 720.

31 O fogo do Meu furor. Esta é obviamente uma linguagem figurativa, na qual os vários juízos de Deus são retratados como fogo. O fogo consome, e o efeito desses juízos é o de consumir aqueles sobre quem eles forem derramados. No fim dos tempos, os que rejeitam a misericórdia divina experimentarão o fogo literal (Ap 20:9). CBASD, vol. 4, p. 720.



EZEQUIEL 22 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
13 de janeiro de 2021, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Busquei entre eles um homem que tapasse o muro e se colocasse na brecha perante Mim, a favor desta terra, para que Eu não a destruísse; mas a ninguém achei” (v.30).

Costumamos fazer listas para muitas coisas. Geralmente, fazemos lista de compras, por exemplo, para não esquecer nenhum item necessário. No capítulo de hoje, Deus também fez uma lista com a mesma finalidade: “Faze-lhe conhecer, pois, todas as suas abominações” (v.2). A rebelião de Israel e as abominações que praticava fizeram com que esquecesse do que realmente importava: “mas de Mim te esqueceste, diz o Senhor Deus” (v.12). A apostasia da nação eleita foi a razão de sua própria ruína. Em sua lista de abominações, um era o motivo pelo qual a apostasia havia se instalado: a desobediência aos mandamentos de Deus. Acompanhem comigo:

1. Idolatria (v.3): quebra do 1° e do 2° mandamentos (Êx.20:3-6);
2. Infamação ao nome de Deus (v.5): quebra do 3° mandamento (Êx.20:7);
3. Profanação do sábado do Senhor (v.8 e 26): quebra do 4° mandamento (Êx.20:8-11);
4. Desprezo pelo pai e pela mãe (v.7): quebra do 5° mandamento (Êx.20:12);
5. Derramamento de sangue (v.3): quebra do 6° mandamento (Êx.20:13);
6. Imoralidade sexual (v.10 e 11): quebra do 7° mandamento (Êx.20:14);
7. Exploração por extorsão (v.12): quebra do 8° mandamento (Êx.20:15);
8. Calúnia (v.9): quebra do 9° mandamento (Êx.20:16);
9. Cobiça (v.11 e 25): quebra do 10° mandamento (Êx.20:17).

O descaso para com a Lei de Deus fez da casa de Israel uma escória entre as nações (v.18). Escolhida para fazer a diferença como povo da aliança do Senhor, seus líderes eram os primeiros a transgredir a Lei e a profanar as “coisas santas” (v.26). Entre “o santo e o profano” e entre “o imundo e o limpo” não faziam mais diferença; “e, assim” o Senhor era “profanado no meio deles” (v.26). Eram todos “como lobos que arrebatam a presa para derramarem o sangue, para destruírem as almas e ganharem lucro desonesto” (v.27). Prediziam mentiras afirmando que o Senhor havia dito, “sem que o Senhor tenha falado” (v.28).

A pergunta é: estamos longe daquela realidade? A igreja cristã tem sido alvo de duros ataques por parte de líderes religiosos que, sob a bandeira de falsas doutrinas, lançam por terra o “assim diz o Senhor” a fim de praticarem extorsão. “Andam roubando” (v.29) e criam uma imagem distorcida acerca da verdadeira piedade cristã. O apóstolo Pedro, inspirado por Deus, já nos havia advertido acerca destes falsos mestres: “E muitos seguirão as suas práticas libertinas, e, por causa deles, será infamado o caminho da verdade; também, movidos por avareza, farão comércio de vós, com palavras fictícias; para eles o juízo lavrado há longo tempo não tarda, e a sua destruição não dorme” (2Pe.2:2-3).

O evangelho de Cristo é pregado com o terrível engano de que, debaixo da graça, estamos “livres” para ignorar os mandamentos de Deus. Hoje lemos a que desgraça é levada uma nação pela desobediência. Jesus mesmo deixou bem claro que a Sua vida na Terra não tinha o objetivo de revogar a Lei, mas de cumpri-la (Mt.5:17) “e fazê-la gloriosa” (Is.42:21). A Lei que lembra o fim da escravidão do povo de Deus, “Eu sou o Senhor, teu Deus, que te tirei da terra do Egito, da casa da servidão” (Êx.20:2), é a mesma que Tiago chama de “lei da liberdade” e pela qual seremos todos julgados (Tg.2:12). “Pois qualquer que guarda toda a lei, mas tropeça em um só ponto, se torna culpado de todos” (Tg.2:10).

A maravilhosa graça de Jesus nos liberta do pecado e nos habilita a obedecer aos Seus mandamentos por amor. Pois “todo aquele que é nascido de Deus não vive na prática do pecado” (1Jo.3:9). E o que é o pecado? “O pecado é a transgressão da lei” (1Jo.3:4). Quando entregamos íntegra e sinceramente o nosso coração a Jesus, Ele perdoa os nossos pecados, olha para nós com olhar de compaixão e nos dá a seguinte ordem: “vai, e não peques mais” (Jo.8:11). Ao contrário do que a maioria tem pregado nos púlpitos com o fim de ajuntar multidões, o evangelho de Cristo é aquele que escandaliza as multidões (Jo.6:61 e 66).

Eis que está às portas o grande Dia do Senhor e, “muitos, naquele dia” (Mt.7:22) hão de reivindicar o seu lugar no Reino dos Céus por causa de suas obras, mas Jesus deixa bem claro que nem todo o crente professo “entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de Meu Pai, que está nos céus” (Mt.7:21). Não compactuemos, portanto, da triste situação de Israel! Que, pela graça de Jesus, sejamos aquele “um homem” ou mulher fiel a quem Deus procurou no meio do Seu povo e não encontrou (v.30). Que nossa vida seja uma declaração da verdade e uma prova de amor para com o Deus que nos amou primeiro (1Jo.4:19). Vigiemos e oremos!

Bom dia, livres em Jesus!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Ezequiel22 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



EZEQUIEL 22 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
13 de janeiro de 2021, 0:40
Filed under: Sem categoria

EZEQUIEL 22 – O mal tomou conta do mundo. É uma pandemia que deixou o mundo em pandemônios.

Pior que os mais terríveis vírus, o pecado se alastrou em cada canto de nosso planeta e faz estragos na vida de seus habitantes.

Com esta revelação ao profeta Ezequiel, Deus almejava mostrar aos judeus e a nós uma lista de pecados e o juízo que eles atraem aos que os praticam. Veja com atenção estes pontos:
1. Leia a lista de pecados do povo de Deus que os levou à desgraça (vs. 1-6).
2. A degradação resultante do pecado na vida daqueles que foram chamados para revelar Deus ao mundo (vs. 17-22).
3. A negligência nacional é resultado de negligências espirituais individuais. Ninguém se dispôs a influenciar para o bem, então Deus colocaria um freio nos efeitos do mal disciplinando aos negligentes e indiferentes (vs. 23-31).

“A única coisa que podia impedir a Deus de derramar sobre uma nação ímpia Sua ira seria a presença de um intercessor”, afirma Siegfried J. Schwantes.

Hoje temos brechas em nossa vida espiritual, em nossa família, em nossas escolas, em nossas igrejas, etc. O inimigo aproveita qualquer brechinha para penetrar e implantar o mal.

Os demônios são como animais de rapina que fazem suas habitações nas ruínas de nossos muros. Os puros princípios morais das Escrituras estão ruindo não só em nossa igreja e sociedade, mas principalmente em nossa família.

Orgulho, inveja, desrespeito ao templo do Espírito Santo, vaidade, avareza, materialismo, egoísmo e tantas outras características satânicas têm solapado nosso muro de proteção contra as desgraças…

Precisamos…
• …parar de transgredir a Lei de Deus, devemos observá-la integralmente e influenciar com palavras e atitudes a outros a fazerem o mesmo.
• …parar de profanar as coisas santas de Deus e convidar outros a honrarem e prezarem pelas coisas espirituais.
• …deixar a indiferença e ter ousadia para fazer a diferença para atrair outras pessoas que levantem a bandeira da verdade em um mundo tomado pela imoralidade, perversidade, promiscuidade.
• …mostrar nosso compromisso com o Criador que deixou o sábado como evidência de uma aliança com o pecador.
• …destruir o pecado que está ruindo nossa vida espiritual, nossa família e igreja.
• …erguer muros que protejam nossa sociedade e espiritualidade.
• …priorizar Deus e Sua Palavra!

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

[Nota do admin: este post foi publicado originalmente em 12/07/2017 e é mais atual que nunca]




<span>%d</span> blogueiros gostam disto: