Reavivados por Sua Palavra


EZEQUIEL 33 – ACESSE AQUI O POST DESEJADO by Jeferson Quimelli
24 de janeiro de 2021, 1:10
Filed under: Sem categoria

TEXTO BÍBLICO EZEQUIEL 33 – Primeiro leia a Bíblia

EZEQUIEL 33 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL (Associação Geral)

EZEQUIEL 33 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COM. TEXTO ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO – PR HEBER TOTH ARMÍ

COM. VÍDEO PR ADOLFO SUÁREZ(link externo)

COM. VÍDEO PR EVANDRO FÁVERO (link externo)

COM. VÍDEO PR VALDECI JÚNIOR (link externo)

COM. VÍDEO PR WEVERTON CASTRO E EQUIPE (link externo)

COM. VÍDEO PR RONALDO DE OLIVEIRA (link externo)

COM. VÍDEO PR MICHELSON BORGES (link externo)



EZEQUIEL 33 by Jobson Santos
24 de janeiro de 2021, 0:55
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/ez/33

Deus nos fez vigias, guardiães das almas. Comissionados como atalaias espirituais, devemos impedir os ataques de nosso inimigo maligno e estar sempre atentos ao bem-estar de nossos protegidos.

Os vigias de Deus estão armados com a Espada do Espírito, empunhando Sua autoridade e poder para proteger corações e mentes das ameaças espirituais. As palavras certas, nos momentos certos, podem ajudar a vencer as batalhas que ferem os corações feridos.

Como vigias de Deus, devemos evitar todas as distrações que possam potencialmente prejudicar aqueles a quem protegemos. Um sábio vigilante não permite que nada o impeça dos deveres de proteção designados por Deus. Se suas escolhas de estilo de vida o cegam para as realidades espirituais do presente ou para a condição espiritual dos corações das pessoas, então você é um vigilante inadequado para a missão de Deus. É hora de se preparar!

Alertar os filhos de Deus sobre os perigos espirituais e psicológicos não é uma tarefa para agradar às pessoas ou para os fracos de coração. Requer a disposição de falar verdades duras, alertar sobre as consequências, ser gentil e voltado para a graça, mas com apaixonada urgência. É preciso ser capaz de amar e advertir.

Olhe ao seu redor. Quem está sob ataque, cedendo às artimanhas do diabo?

Você é o vigia de Deus. Soe o alarme!

Lori Engel
Capelã (atualmente com deficiências),
Eugene, Oregon, EUA

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=1081
Texto da rodada anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2017/10/23/ezequiel-33-2/
Tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli/Luis Uehara



EZEQUIEL 33 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
24 de janeiro de 2021, 0:50
Filed under: Sem categoria

1068  palavras

33:1 – 39:29 A partir deste ponto, o ministério de Ezequiel assume uma nova direção. Após o juízo [destruição de Jerusalém], vem a graça divina e a promessa de restauração do povo na era messiânica… O plano de Deus envolve, em primeiro lugar, cura e reconstrução de relacionamentos saudáveis, bem como a renovação de lugares e o derramamento de bênçõas. É uma mensagem de esperança, e Ezequiel desempenha um papel pastoral no consolo do povo do Senhor. Bíblia de Estudo Andrews.

1-11 atalaia. O papel de Ezequiel como atalaia é repetido e intensificado … Ele deveria conclamar o povo a se preparar para o retorno da presença e da glória de Deus. Esta seção é encerrada com um apelo duplo ao arrependimento. A restauração começa com o chamado divino para uma mudança de pensamento e também de atitudes, refletindo uma transformação interior. . Bíblia de Estudo Andrews.

1 A palavra do SENHOR. A profecia (v. 1-20) não é datada; mas, pelas circunstâncias relatadas nos v. 21 e 22, parece razoável supor que foi dada na noite anterior à chegada do mensageiro que levou a notícia da queda de Jerusalém. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 4, p. 756, 757.

2 Fala aos filhos de teu povo. Inicia-se uma nova fase do ministério de Ezequiel, e seu encargo profético é renovado. CBASD, vol. 4, p. 757.

10 Como, pois, viveremos? O estado de espírito dos ouvintes de Ezequiel havia mudado. Antes, o profeta encontrara descrença e escárnio (Ez 12:22). O povo tentou desculpar sua transgressão afirmando que estava sendo punido, não por seus próprios pecados, mas pelos de seus pais (18:12). Diante do fato da destruição de Jerusalém, eles já não podiam contradizer as palavras do profeta. Em desespero, o que estavam dizendo, era: “Se tudo isso é punição por nossos pecados, que esperança há para nós?”. CBASD, vol. 4, p. 757.

11 Não tenho prazer. Ezequiel anima seus concidadãos com a certeza de que Deus não tem prazer na morte deles. O que ele deseja é que se arrependam e vivam (2Pe 3:9). Seu plano é que o castigo do cativeiro seja salutar e produza arrependimento. Ele adverte que nenhum ato anterior de justiça cobriria a transgressão presente (v. 12). Ao mesmo tempo, nenhuma iniquidade cometida no passado excluiria o pecador da graça presente. CBASD, vol. 4, p. 757.

12 A justiça do justo. Os v. 12 a 20 resumem brevemente o ensino do cap. 18 sobre o assunto da responsabilidade individual. CBASD, vol. 4, p. 757.

13 A justiça é um dom de Deus e deve ser aceita e praticada. O egocentrismo e a confiança orgulhosa levam à destruição. O Senhor nunca castiga inocentes. Bíblia de Estudo Andrews.

21 No ano duodécimo. Isto é, do cativeiro de Joaquim. … Se os anos de cativeiro forem computados pelo sistema não inclusivo … , o quinto dia do décimo mês pode ser datado de janeiro de 585 a.C., cerca de seis meses após a queda da cidade [Jerusalém], que ocorreu em julho de 586. CBASD, vol. 4, p. 757.

O primeiro fugitivo de Jerusalém anuncia a queda da cidade depois de sua chegada em 8 de janeiro de 585 a.C. Bíblia de Estudo Andrews.

22 Abrira-se-me a boca. Ver com. [CBASD] de Ez 24:27 [Ezequiel é informado de que, quando recebesse a notícia da queda da cidade (ver com. [CBASD] de Ez 33:21, 22), voltaria a falar (ver Ez 3:26, 27). CBASD, vol. 4, p. 757.

23 Então, veio a mim. Não são fornecidas as datas para as profecias que começam aqui e se estendem até o final do cap. 39. Os cap. 40 a 48 são datados de 12 anos após a queda de Jerusalém. É provável que as profecias pertencentes a esta série tenham sido apresentadas de tempos em tempos durante esse período de 12 anos. CBASD, vol. 4, p. 757.

24 Os moradores destes lugares desertos. Os pobres dentre o povo foram deixados na terra [de Judá] como vinheiros e lavradores, e a eles se uniram judeus que fugiram de países vizinhos (ver 2Rs 25:12, 22; Jr 52:16). Esta mensagem tem o objetivo de combater um ditado que era corrente entre esse grupo. CBASD, vol. 4, p. 757.

Abraão era um só. Estas palavras expressam as arrogantes declarações dos que haviam sido deixados na terra [de Judá] pelos babilônios. O que eles declaravam era que, se Abraão, sendo um só, recebeu a posse da terra, eles, sendo muitos, certamente poderiam reivindicá-la e tomar posse das propriedades dos que foram exilados. Em resposta, o profeta afirma que o fato de alguém ser descendente de Abraão não representava nenhuma vantagem, porque Deus estava interessado em qualificações de caráter; e o fato de eles serem muitos não tinha qualquer relevância para a questão.

Muitos confiam em sua ligação com uma organização religiosa, em vez de buscar a santidade de coração, que é unicamente o que capacita a permanecer em pé no ;ultimo dia. Depositam confiança em números e popularidade. Em última análise, a verdadeira religião é algo pessoal, e cada um precisa buscar a própria salvação com temor e tremor. A ligação com a igreja organizada é o resultado natural e esperado de uma genuína experiência pessoal, mas isso, em si mesmo, não constitui o fundamento da esperança de ninguém. CBASD, vol. 4, p. 757, 758.

25 Comeis a carne com o sangue. Ver Gn 9:4; cf. Lv 3:17; 6:26; 17:10-14; Dt 12:16. As pessoas deixadas na terra não mostravam qualquer disposição para se afastar dos pecados de seus pais. O povo vivia em aberta rebelião contra as ordens expressas de Deus (ver Jr 42-43). CBASD, vol. 4, p. 758.

26 Vós vos estribais sobre a vossa espada. Eles se apoiavam em seus atos de violência. Assassinatos eram comuns (ver Jr 49). CBASD, vol. 4, p. 758.

29 todas as abominações. Todas as coisas detestáveis; uma síntese de práticas inaceitáveis (18:12, 13), que constituíam graves ofensas ao Senhor. Em Ezequiel, a lista inclui idolatria (5:11; 7:20: 11:18, 21; 33:25), adultério (22:11; 33:26) e violência (8:17). Fora de Ezequiel, a lista abrande sacrifício de filhos (Dt 12:31; 2Rs 16:3), comer alimentos imundos (Dt 14:3), abuso de poder (Pv 16:12), falsos pesos e medidas (Dt 23:13-15; Pv 11:1), salário de prostituição (Dt 23:18), orgulho no coração (Pv 16:5) e a oração de um transgressor da lei (Pv 28:9). Bíblia de Estudo Andrews.

30 Os filhos. O profeta é advertido a não se deixar enganar pela deferência exterior do povo. CBASD, vol. 4, p. 758.

De ti. O profeta, provavelmente, nunca tivera tantos ouvintes, e que fossem aparentemente tão promissores. Ele é advertido quanto ao fato de essas pessoas serem meros ouvintes da palavra, e não praticantes (ver Mt 7:21-27; Tg 1:22-25). CBASD, vol. 4, p. 758.

31 Aqui está o motivo para o povo de Deus ter precisado passar pelo exílio: sua religião era falsa e superficial, não mudava o coração. Bíblia de Estudo Andrews.

32 Canções de amor. Literalmente, “canção de amores”ou “canção de enamorados”. Eles se reuniam como se fossem ouvir um concertista. CBASD, vol. 4, p. 758.



EZEQUIEL 33 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
24 de janeiro de 2021, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Eles vêm a ti, como o povo costuma vir, e se assentam diante de ti como Meu povo, e ouvem as tuas palavras, mas não as põem por obra; pois, com a boca, professam muito amor, mas o coração só ambiciona lucro” (v.31).

Amados, o texto de hoje exige cuidadosa reflexão e um profundo exame de coração. O chamado profético na vida de Ezequiel foi feito com palavras nada fáceis de se ouvir e, quem dirá, de se executar. O Senhor foi bem claro ao dizer ao profeta que se ele não falasse as Suas palavras, seria culpado não apenas pela desobediência, mas pela morte de todo aquele que deixasse de ouvi-las (Ez.3:18). Ainda atônito diante de seu comissionamento profético, Ezequiel foi levantado pelo Espírito Santo como atalaia de Israel. Ou seja, ele seria um porta-voz do Senhor para seu próprio povo e teria de adverti-lo quando este era “casa rebelde” (Ez.3:27).

A presunção e o orgulho são os maiores “vilões” na vida do povo de Deus. Ezequiel teve de enfrentar a hostilidade de Israel, que andava “confiando na sua justiça” (v.13). O pecado é como uma doença terminal. Ninguém fica curado de um câncer, por exemplo, porque tomou o medicamento necessário apenas um dia, ou porque o tomou esporadicamente. Mas é preciso seguir e respeitar o tratamento prescrito. Assim também acontece com relação ao pecado. Se não seguirmos as orientações deixadas por Deus em Sua Palavra, vigiando e orando, diariamente, e não as praticarmos como Ele deseja que as pratiquemos, os nossos atos de justiça de nada valerão. Afinal, eles são “como trapo da imundícia” (Is.64:6).

O discurso de Ezequiel não era nada maleável e nem deixava margem a aliviar a deplorável situação do povo. Porém, é impressionante observar qual foi a reação dos filhos de Israel. Em todos os lugares de Jerusalém, uns falavam aos outros a respeito do profeta, dizendo: “Vinde, peço-vos, e ouvi qual é a palavra que procede do Senhor” (v.30). Em linguagem atual, era como se dissessem: “Vocês precisam ouvir este homem! Só pode ser o Espírito Santo na vida dele!” Entendem, amados? É preciso que isso fique bem claro em nossa mente.

Só que a conclusão dada por Deus é uma triste realidade que não foi exclusividade do antigo Israel. Eis o que o Senhor revelou ao Seu atalaia no verso trinta e um:

Eles vêm a ti, como o povo costuma vir”. Isto é, iam ouvir o profeta guiados pelo costume e não por um coração humilde e disposto a se arrepender.
… e se assentam diante de ti como Meu povo”. Aparentemente, o profeta tinha uma linda visão de uma plateia de filhos de Deus.
… e ouvem as tuas palavras”. O seu público estava atento ao que era dito.
… mas não põem por obra”. Mas não estava disposto a praticar o que ouvia.
… professam muito amor”. Era um povo que jurava amores com os lábios.
… mas o coração só ambiciona lucro”. Mas que, na prática, só visava agradar o próprio “eu”. Como afirmou Jesus: “Este povo honra-Me com os lábios, mas o seu coração está longe de Mim” (Mt.15:8).

Será que essa atitude ficou no passado? Infelizmente não. Estamos diante de um mundo doente e em processo de metástase. E as pessoas trocam a cura por paliativos que apenas retardam o fatídico fim. Me dói o coração ao pensar na possibilidade de que muitos que acompanham este projeto de estudo da Bíblia têm só lido os comentários, mas não têm se debruçado sobre a Palavra viva para dela extrair a cura! Prosseguem em sua vida religiosa morna, sendo coniventes com o pecado e achando que desta forma haverão “de possuir a terra” (v.25) que o Senhor tem preparado para os Seus santos (Ap.14:12).

Convertei-vos, convertei-vos dos vossos maus caminhos” (v.11), diz o Senhor Deus. “Porque haveis de morrer”, meus irmãos, se Jesus nos oferece a cura para nosso estado terminal, de graça? Semelhante ao tempo em que o Senhor ordenou que Ezequiel guardasse silêncio, Deus também Se manteve em silêncio por um tempo. Até que levantou um povo para chamar de Seu e lhe convocou como Seu atalaia dos últimos dias, dando-lhe uma profetiza, uma atalaia. Então, o silêncio acabou! É tempo não apenas de falar, mas de “tocar a trombeta e avisar o povo” (v.3) de que, ou ele se converte, ou “ele morrerá” (v.13).

Não é tempo de ouvir as solenes advertências do Senhor como quem ouve “canções de amor” (v.32). É tempo de aceitarmos ser confrontados pela Palavra de Deus e incomodados pelo Espírito Santo por causa dos pecados que ainda acariciamos. É tempo de intenso clamor pelo derramamento da plenitude do Espírito Santo. É tempo de permitir que Deus nos torne exatamente aquilo que Ele deseja que sejamos. É tempo de proclamar o amor de Deus tal qual ele é, e não como o mundo diz ser. Amar ao próximo não tem nada a ver com deixar que ele viva do jeito que quiser, mas tem tudo a ver com conduzi-lo a viver do jeito que Deus quer. Porque Ele julgará “cada um segundo os seus caminhos” (v.20).

Muito em breve, o Senhor tornará “a terra em desolação e espanto” (v.29). Mas Ele não nos deixou ignorantes quanto a isso, e revelou Seus propósitos à Sua serva Ellen G. White, cuja boca, “uma vez aberta” (v.22) não guardou silêncio e, inspirada pelo Espírito Santo, deixou escrito mais de cem mil páginas de palavras que nos levam a amar a Bíblia e a praticar os seus ensinos. Portanto, não espere que venha o pior para reconhecer “que houve no meio deles um profeta” (v.33). Mas vá direto à fonte e escute, com atenção e humildade, a voz de uma atalaia de Deus que aceitou “tocar a trombeta” (v.3) que nos guiará para Casa. Vigiemos e oremos!

Bom dia, “Israel de Deus” (Gl.6:16)!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Ezequiel33 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



EZEQUIEL 33 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
24 de janeiro de 2021, 0:40
Filed under: Sem categoria

EZEQUIEL 33 – Sem avivamento não existe avanço na missão. Sem derramamento do poder do Espírito Santo não existe motivação para evangelizar. Sem consciência da revelação de Deus e do plano da salvação para os perdidos, não existe responsabilidade na salvação de pessoas.

Quando você quiser ser um cristão mais bíblico, consagre-se mais ao estudo da Bíblia; quando desejar uma igreja mais fervorosa, comece você a buscar mais fervor; quando desejar mais frequência aos cultos, experimente dar o exemplo frequentando todos os cultos da semana. Só assim você poderá ver a mudança que você espera na igreja.

A responsabilidade na religião é grande, portanto devemos prestar muita atenção no capítulo em questão. Leia-o e deixe o Espírito Santo falar ao teu coração:
• Como uma sentinela que ignora sua função e a morte de uma nação é responsabilidade dela, o servo de Deus que não anunciar o perigo aos pecadores serão culpados e condenados pela morte dos injustos; porém, se avisar, e o injusto rejeitar, o servo será inocentado (vs. 1-8).
• O mais difícil é dizer ao povo de Deus quando este está no caminho errado; mas Deus quer que a sentinela tenha coragem e ousadia, pois Deus quer desse povo o arrependimento e a salvação (vs. 9-11).
• O evangelista e o missionário podem parecer sem lógica; entretanto caso alguém se converta e abandonar seus erros e entrega-se a Deus para ser transformado por Ele, certamente terá seus pecados cancelados e receberá a vida eterna (vs. 12-20).
• Muitas vezes Deus envia atalaias ousadas, corajosas e responsáveis não para converter as pessoas, pois Deus sabe quando isso não acontecerá; todavia, quer as pessoas saibam que Ele agiu, enviou profetas para avisar do destino do caminho do pecado ignorado pelos desavisados (vs. 21-33).

Medite atenciosamente:
• Como Deus não tem prazer na morte do perverso, Ele envia mensageiros para tentar mudar a sua sorte. Ou somos perversos ou somos os evangelistas. Ou seja, quem não se preocupa com a salvação dos outros deve se preocupar com a própria salvação.

Igrejas que não evangelizam devem ser evangelizadas. A igreja que não tem alvo missionário deve ser alvo de algum missionário, pois ela está perdida pensando estar salva. Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.




%d blogueiros gostam disto: