Reavivados por Sua Palavra


EZEQUIEL 12 – ACESSE AQUI O POST DESEJADO by Maria Eduarda
3 de janeiro de 2021, 1:10
Filed under: Sem categoria

TEXTO BÍBLICO EZEQUIEL 12 – Primeiro leia a Bíblia

EZEQUIEL 12 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL (Associação Geral)

EZEQUIEL 12 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COM. TEXTO ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO – PR HEBER TOTH ARMÍ

COM. VÍDEO PR ADOLFO SUÁREZ(link externo)

COM. VÍDEO PR EVANDRO FÁVERO (link externo)

COM. VÍDEO PR WEVERTON CASTRO E EQUIPE (link externo)

COM. VÍDEO PR VALDECI JÚNIOR (link externo)

COM. VÍDEO PR RONALDO DE OLIVEIRA (link externo)



EZEQUIEL 12 by Jobson Santos
3 de janeiro de 2021, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/ez/12

A mensagem de advertência dada por Ezequiel aos exilados trouxe incerteza, medo, consternação e perda de esperança. Houve alguns entre eles que disseram que a palavra do profeta demoraria muito para se cumprir ou que a visão poderia falhar. Deus afirmou por meio de Ezequiel que os eventos preditos certamente viriam, independentemente daqueles que pregavam mensagens falsas. A condenação da casa de Israel era certa por causa de sua maldade e falta de fé nas mensagens dos verdadeiros profetas (Ezequiel e Jeremias). Ainda assim, Deus alerta o povo repetidamente que Sua palavra certamente se cumpriria.

Como é trágico ver o povo escolhido de Deus não se voltar para Ele, apesar do retorno iminente dos babilônios para atacar Jerusalém. O maligno está sempre tentando anular as mensagens divinas com falsas mensagens que são facilmente aceitas pelo povo. Se nós, como o remanescente final de Deus, não endurecermos nossos corações como o Israel do passado, mas dermos ouvidos às mensagens de Deus e as praticarmos em nossa vida diária, então cumpriremos o propósito de Seu povo escolhido de compartilhar o evangelho com o mundo inteiro.

Roy Jemison Injety
Spicer College, Índia

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=1059
Tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli/Luis Uehara



EZEQUIEL 12 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
3 de janeiro de 2021, 0:50
Filed under: Sem categoria

970 palavras

1 A palavra do SENHOR. O propósito desta profecia é enfatizar a inutilidade e a loucura de se confiar na continuação do reino de Judá e da cidade de Jerusalém, bem como numa breve libertação do cativeiro babilônico. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 4, p. 672.

3 A bagagem de exílio. Isto é, o equipamento que um emigrante necessitaria: roupas, utensílios, etc. Os preparativos deviam ser feitos durante o dia , e o equipamento devia ser levado para um local conveniente. CBASD, vol. 4, p. 673.

6 Cobre o rosto. Provavelmente um sinal de como Zedequias … se disfarçaria para evitar ser reconhecido, ou talvez como sinal de dor, um símbolo da desgraça e da tristeza da partida para o exílio. CBASD, vol. 4, p. 673.

7 Assim eu fiz. Talvez Ezequiel tenha realizado o ato simbólico sem compreender plenamente o que significava. O fato de os exilados lhe perguntarem: “Que fazes tu?”(v. 9) evidencia que o ato simbólico foi realizado de fato, e não em visão. CBASD, vol. 4, p. 673.

11 Vosso sinal. Isto é, um sinal para os que estavam no cativeiro.. Eles deviam parar de depositar esperança na sobrevivência de Jerusalém. CBASD, vol. 4, p. 673.

13 Mas não a verá. O cumprimento deste detalhe da profecia é registrado em Jeremias 52:11. Antes de Zedequias ter sido levado para Babilônia, seus olhos foram vazados em Ribla; portanto, ele não viu a terra dos caldeus. CBASD, vol. 4, p. 673.

14 Espalharei. A captura do rei resultaria na dispersão do restante do exército. CBASD, vol. 4, p. 673.

16 Alguns poucos. Estes sobreviventes, ao contarem sua vergonhosa história, fariam com que os pagãos soubessem que não era fraqueza da parte do Deus de Israel que ocasionara a grande angústia e sujeição de Seu povo, mas o fato de Israel ter deixado de cumprir o propósito divino. CBASD, vol. 4, p. 673.

18 Tremor. Anteriormente (Ez 4:16), Ezequiel predissera terrível escassez. Desta vez, ele demonstraria o terror e a angústia do cerco iminente. CBASD, vol. 4, p. 673.

19 Povo da terra. Sem dúvida, alguns dos pronunciamentos proféticos de Ezequiel chegaram aos ouvidos dos habitantes de Judá. Mas as predições também eram significativas para os exilados, muitos dos quais esperavam que os restantes de Judá sobreviveriam e que Jerusalém seria poupada. O profeta lhes informou que a terra seria despojada de toda a exuberância anterior e que se tornaria em deserto e assolação. CBASD, vol. 4, p. 673.

22 Prolongue-se o tempo. Os habitantes de Jerusalém zombavam da confiabilidade das ameaças divinas. A resposta deles tomou a forma de um ditado. eles declaram, com efeito: “O tempo está passando e ainda não se cumpriu nenhuma predição de coisas boas ou más. Não há razão para esperarmos o cumprimento das predições agora.” A atitude deles reflete a tendência comum dos seres humanos pecaminosos de interpretar mal a longanimidade e a paciência de Deus (ver Ec 8:11; Am 6:3; Mt 24:48; 1Ts 5:3). Os zombadores dos últimos dias pronunciam um refrão semelhante: “Onde está a promessa da Sua vinda? … Todas as coisas permanecem como desde o princípio da criação”(2Pe 3:4). CBASD, vol. 4, p. 674.

24 Visão falsa. Os falsos profetas prediziam prosperidade e o breve retorno dos cativos de babilônia. Os verdadeiros profetas falavam de um cativeiro longo, uma grande perda de vidas e a destruição e desolação da cidade e do templo. Os zombadores provavelmente argumentavam que as predições de Ezequiel eram tão vãs quanto as que ele declarava ser as dos falsos profetas. Ao dar rápido cumprimento à calamidade predita, Deus responderia de forma eficaz a esse raciocínio, convencendo os falsos profetas de que suas profecias eram mentirosas e levando os zombadores a ver que seus argumentos eram ilógicos. CBASD, vol. 4, p. 674.

25 Em vossos dias. Os efeitos da visão não viriam sobre uma geração por vir, mas sobre a que viviam naquela época. CBASD, vol. 4, p. 674.

27 Tempos que estão mui longe. … Pode-se surgir a pergunta: “Mas, por que a aparente demora na vinda de Jesus? Falharam as palavras do Senhor?” A Inspiração faz a pergunta e dá a seguinte resposta: “Falhou, por;em, a Palavra de Deus? Absolutamente! Cumpre lembrar que as promessas e as ameaças de Deus são igualmente condicionais” (Ev, 695). …

É verdade que Cristo não voltou tão logo quanto o povo remanescente a princípio esperava, com base no cumprimento da profecia. É repetidamente atestado que era possível Cristo ter vindo antes disso (DTN, 633, 734; GC, 458; T6, 450; T8, 115, 116; T9, 29). A razão para a demora é ainda declarada nestas palavras: “A longa noite de tristeza é difícil; mas a manhã é adiada em misericórdia, porque se o Mestre viesse, muitos seriam achados desprevenidos. A recusa de Deus em permitir que Seu povo pereça tem sido a razão de tão longa demora”(T2, 194). Isto está em harmonia com a declaração de 2 Pedro 3:9. O mesmo apóstolo acrescenta que é dever do cristão apressar a vinda de Jesus (2Pe 3:12). O comentário inspirado sobre o tema deste texto diz: “É privilégio de todo cristão, não só aguardar, mas mesmo apressar a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo”(T8, 22).

Algum dia o tempo não mais se prolongará. “Ela [a vinda do Senhor] não será retardada para além do tempo em que a mensagem for levada a todas as nações, línguas e povos” (Ev, 697). Quando Deus perceber que o momento é o melhor, fará ocorrer eventos que precipitarão o fim “mais rapidamente do que os homens esperam” (GC, 531).

Contudo, o tempo definido do advento de Cristo não pode ser conhecido. E os seres humanos não devem conjecturar quanto ao tempo preciso. Excelente conselho foi dado nas seguintes palavras: “Não podereis dizer que Ele virá daqui a um ano, ou dois, ou cinco anos, nem deveis postergar Sua vinda declarando que não se ocorrerá antes de dez ou vinte anos . … Não nos é dado saber o tempo definido, nem do derramamento do Espírito Santo, nem da vinda de Cristo” (Ev, 221). … “É o dever do povo de Deus ter suas lâmpadas limpas e acesas, ser como pessoas que aguardam o Esposo, quando Ele voltar das bodas”(ME1, 189). CBASD, vol. 4, p. 674, 675.



EZEQUIEL 12 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
3 de janeiro de 2021, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Filho do homem, que provérbio é esse que vós tendes na terra de Israel: Prolongue-se o tempo, e não se cumpra a profecia?” (v.22).

A primeira rebelião do universo se deu no Céu. Liderados por Lúcifer, um anjo de luz que colocou em dúvida o amor e a justiça de Deus, uma terça parte dos anjos foram expulsos do Céu juntamente com ele (Ap.12:7-9). Em sua tentativa de provar diante dos seres não caídos que seu governo era melhor, o anjo rebelde arquitetou um plano para fazer cair o casal recém-criado. Quando Adão e sua mulher comeram do fruto, parecia que seu plano havia se cumprido e que possuía todo o direito sobre o mundo. Mas Aquele que instituíra o sábado como um memorial da criação e de Sua autoridade sobre “toda a obra que, como Criador, fizera” (Gn.2:3), logo revelou o Seu vitorioso e salvífico plano diante da “antiga serpente, que se chama diabo e Satanás” (Ap.12:9): “Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o seu descendente. Este te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar” (Gn.3:15).

Caim, Cam, Esaú, os filhos de Eli, dentre outros, são exemplos de pessoas que, por sua rebeldia, rejeitaram e perderam as bênçãos advindas de uma vida de comunhão e de obediência ao Senhor. Na promessa de que em uma mulher seria gerado o Messias, e que este destruiria de uma vez por todas o inimigo das almas, estão implícitas as duas maiores promessas de Deus à humanidade: a primeira e a segunda vinda de Cristo. No tempo determinado e cumprindo cada palavra escrita a respeito dEle nas Escrituras, Jesus Cristo veio primeira vez deixando uma marca incomparável no mundo, de forma que a Sua vida dividiu o calendário em antes e depois de Cristo. Mas o tempo de Sua visitação também foi marcado pelo desprezo e rejeição daqueles que se diziam fiéis sentinelas de Sua vinda.

Habitando “no meio da casa rebelde” (v.2), Ezequiel recebeu ordens divinas de encenar o que aconteceria à nação desobediente: “porque por sinal te pus à casa de Israel” (v.6), na esperança de que pudessem entender o recado profético (v.3). Mas cegos e surdos aos avisos do Senhor (v.2), sem compreender, perguntavam ao profeta: “Que fazes tu?” (v.9). Mas ao declarar Ezequiel: “Eu sou o vosso sinal” (v.11), e revelar o destino do príncipe de seu povo (12-13), o que se cumpriu na vida do rei Zedequias (2Rs.25:4-7), ao invés de encontrar arrependimento e contrição, encontrou resistência ainda maior no lamentável provérbio: “Prolongue-se o tempo, e não se cumpra a profecia” (v.22).

Da mesma sorte, referindo-se aos últimos dias, o apóstolo Pedro declarou: “tendo em conta, antes de tudo, que, nos últimos dias, virão escarnecedores com os seus escárnios, andando segundo as próprias paixões e dizendo: Onde está a promessa da Sua vinda? Porque, desde que os pais dormiram, todas as coisas permanecem como desde o princípio da criação” (2Pe.3:3-4). Contudo, desde a entrada do pecado no mundo, nada permanece como no princípio da criação. O pecado causou uma ruptura da humanidade com Deus e manchou de tal forma a natureza antes perfeita, que a imagem divina no homem foi severamente prejudicada e não há mais nada na natureza que possa ser comparado às primícias do Éden. Uma coisa, porém, não mudou e jamais poderá mudar: o amor de Deus por nós e Sua promessa de nos levar de volta para casa.

Independente da rebelião que há no mundo, instigada pelo primeiro rebelde, seguremos firme no leme da fé que nos conduzirá ao porto seguro. Temos um mapa fiel e infalível em mãos. Examinemos a Palavra de Deus, olhando com confiança inabalável para a promessa do segundo advento do nosso Redentor, crendo na palavra cabal e verdadeira: “Porque Eu, o Senhor, falarei, e a palavra que Eu falar se cumprirá e não será retardada; porque em vossos dias, ó casa rebelde, falarei a palavra e a cumprirei, diz o Senhor Deus” (v.25). Breve todos saberão que o Senhor é Deus. Sejamos, pois, Seus fiéis atalaias, declarando ao mundo: “Assim diz o Senhor Deus: Não será retardada nenhuma das Minhas palavras; e a palavra que falei se cumprirá, diz o Senhor Deus” (v.28). Vigiemos e oremos!

Feliz semana, atalaias dos últimos dias!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Ezequiel12 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



EZEQUIEL 12 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Maria Eduarda
3 de janeiro de 2021, 0:40
Filed under: Sem categoria

EZEQUIEL 12 – A mensagem divina proclamada por diversos métodos deve representar todo esforço de Deus para alcançar o coração dos rebeldes pecadores.

1. Ezequiel deveria encenar o destino do rei de Judá, Zedequias: Juntar seus pertences na presença dos companheiros do cativeiro, cavar buraco na parede de sua casa à noite, e fingir estar fugindo cobrindo o rosto (vs. 1-7).

• Significado profético da dramatização: Diante de Babilônia conquistar tudo em Jerusalém, Zedequias arrumaria seus pertences pessoais visando fugir da cidade à noite. O exército de Babilônia o encontraria, furaria seus olhos, e o levaria cativo (vs. 8-16).

2. Ezequiel deveria encenar o destino dos judeus: Estremecer violentamente enquanto come e bebe com receio (vs. 17-18).

• O significado profético desta dramatização: Ao serem conquistados por Babilônia, os judeus seriam acometidos de ansiedade e desespero de tal forma que não tomariam suas refeições com satisfação (vs. 19-20).

Encenação ou dramatização “era um meio de transmitir informação a alguns que de outra maneira não escutariam. Muitas pessoas ouvirão somente o que lhes interessa. Algumas vezes devem receber novo conhecimento de forma surpreendente. Os cristãos devem ver a Ezequiel como um desafio a examinar nossos meios de comunicar o evangelho. Novos enfoques podem ser mais esclarecedores que os tradicionais” (L. John McGregor).

3. Ezequiel deveria explicar e corrigir interpretações equivocadas quanto às profecias anunciadas: O profeta deveria substituir o ditado contendo ceticismo por outro – contendo realismo imediato. Aos que criam em suas profecias para um futuro distante, o profeta alertou que teriam cumprimento iminente (vs. 21-28).

Alguns princípios extraídos do texto:

• Testemunho passivo não é ideal ao comunicador do evangelho. O missionário deve ter intencionalidade com criatividade ao evangelizar os rebeldes.
• A revelação divina deve ser comunicada ao mundo. Diz Davi Bosh: “A missão deve ser teológica, assim como a teologia deve ser missiológica”.
• Pregar nem sempre é evangelizar. Muitas vezes pessoas rejeitam não o evangelho que nós pregamos, mas o método que utilizamos para proclamá-lo.
• A criatividade na proclamação da mensagem do Céu aos habitantes da Terra deve ser parte essencial a todos aqueles que querem seguir o método bíblico sem se preocupar com os resultados.
• Explicação, correção e orientação também são importantes no evangelismo.

“Senhor, ajuda-nos a sermos evangelistas eficientes, para alcançarmos mais gente para Cristo” – Heber Toth Armí.




%d blogueiros gostam disto: