Reavivados por Sua Palavra


EZEQUIEL 27 – ACESSE AQUI O POST DESEJADO by Jeferson Quimelli
18 de janeiro de 2021, 4:00
Filed under: Sem categoria

TEXTO BÍBLICO EZEQUIEL 27 – Primeiro leia a Bíblia

EZEQUIEL 27 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL (Associação Geral)

EZEQUIEL 27 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COM. TEXTO ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO – PR HEBER TOTH ARMÍ

COM. VÍDEO PR ADOLFO SUÁREZ(link externo)

COM. VÍDEO PR EVANDRO FÁVERO (link externo)

COM. VÍDEO PR VALDECI JÚNIOR (link externo)

COM. VÍDEO PR WEVERTON CASTRO E EQUIPE (link externo)

COM. VÍDEO PR RONALDO DE OLIVEIRA (link externo)



TIRO/SOUR by Jeferson Quimelli
18 de janeiro de 2021, 0:57
Filed under: Sem categoria

A antiga cidade de Tiro se transformou na atual cidade libanesa de Sour.

A ilha de Nova Tiro que distava 800 m da antiga Tiro, no continente, foi ligada a ele através de um aterro construído pelas tropas de Alexandre, para tomar a cidade.
Com o tempo, a deposição de areia formou e ampliou praias, que transformaram Tiro em um istmo.

Veja algumas fotos da Tiro atual e desenhos que reconstituem a linha original da costa e o cerco de Alexandre:

Foto de Tiro/Sour em foto aérea de 1934.

Foto aérea atual de Tiro/Sour

Representação artística da construção do aterro para a tomada da cidade

Desenho que mostra o cerco de Tiro

A costa original e atual de Tiro/Sour

Fotos retiradas dos sites:
http://wonderland1981.wordpress.com/2012/10/11/alexander-the-great-made-the-island-of-tyre-into-a-peninsula/

http://www.emersonkent.com/map_archive/tyre.htm

http://wonderland1981.files.wordpress.com/2012/10/tyre-aerial-photo-by-france-military-1934.jpg

http://www.biblearchaeology.org/post/2010/01/26/the-biblical-cities-of-tyre-and-sidon.aspx

http://sophismata.files.wordpress.com/2009/02/tyre_today_satellite.jpg

http://sophismata.wordpress.com/2009/02/20/the-siege-of-tyre/

http://www.telegraph.co.uk/news/uknews/1551557/How-Alexander-the-Great-used-Mother-Nature.html

http://generationword.com/notes/Alexander_Battles.html

Publicado originalmente em: https://reavivadosporsuapalavra.org/2014/07/25/



EZEQUIEL 27 by Jobson Santos
18 de janeiro de 2021, 0:55
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/ez/27

Uma casa bem construída
Uma cama confortável
Água quente encanada
Aquecedor e Ar Condicionado central
Comida
Roupas

Tudo isso contribuia para uma vida agradável.

Então de repente:
Um raio
Uma explosão de gás propano
O barulho de sirenes
Um monte de cinzas

Minha casa pegou fogo. As coisas que pensei que estariam lá para sempre desapareceram em uma nuvem de fumaça.

Isso me lembra a história de Tiro. Eles estavam tão confiantes em seus bens, suas habilidades, seu poder e seu comércio magnífico. Eles pensavam que haviam encontrado felicidade e segurança. E, no entanto, um vento ruim, um naufrágio, uma série de eventos infelizes e tudo se foi. Até mesmo o respeito daqueles que os honraram antes se foi.

Isso pode acontecer a qualquer momento com qualquer um de nós. Nossa única esperança de verdadeira felicidade e segurança é investir em coisas que durarão além deste mundo.

“Não acumulem para vocês tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem destroem, e onde os ladrões arrombam e furtam. Mas acumulem para vocês tesouros no céu, onde a traça e a ferrugem não destroem, e onde os ladrões não arrombam nem furtam. Pois onde estiver o seu tesouro, aí também estará o seu coração.”. Mateus 6:19-21 NVI

Lisa Ward
Tesoureira da Igreja Cleburne Country Life, Texas, EUA

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=1075
Tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli/Luis Uehara



EZEQUIEL 27 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
18 de janeiro de 2021, 0:50
Filed under: Sem categoria

538 palavras

Este capítulo retrata Tiro como um imponente navio mercante realizando um próspero comércio entre os principais países do mundo mediterrâneo, mas que acabou naufragando em alto-mar. Bíblia de Estudo Andrews.

O lamento retrata Tiro sob a figura de um navio de luxo, totalmente equipado e com tripulação completa, que viaja por toda parte e realiza um próspero comércio, mas que afinal se vê em águas tempestuosas e naufraga. Ocasionalmente, a realidade aparece em meio à figura, o que é característico do estilo de Ezequiel.

Talvez a razão pela qual tanto espaço é dedicado a Tiro é que seu orgulho, sua ambição, organização e conduta se assemelham ao do líder rebelde, Satanás. Em Ezequiel 28:11 a 19, sob a figura do príncipe de Tiro, o profeta faz um lamento pelo anjo caído. Mais tarde, o profeta João faz uso da profecia de Ezequiel contra Tiro para proferir seu lamento pelo colapso da satânica organização religiosa de falsificação universal (Ap 18). CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 4, p. 737.

3, 4 A beleza de Tiro era a fonte de seu orgulho, e o orgulho de Tiro garantia que seria julgada. O orgulho de nossas próprias realizações deve ser um sinal de perigo para nós (ver Tiago 4:13-17). Deus não se opõe a que encontremos prazer ou satisfação no que fazemos; ele é contra a auto-estima arrogante e inflada que despreza os outros. Devemos reconhecer Deus como a base e fonte de nossas vidas. Life Application Study Bible Kingsway.

9 Gebal. É a antiga Biblos, a moderna Jebeil, que fica a 65 km de Sidom. CBASD, vol. 4, p. 738.

14 Togarma. Um nome para os armênios do norte, povo descendente de Jafé (ver com. de Gn 10:3); referiam-se a si mesmos como “a casa de Torgom“. Comercializavam cavalos e asnos e habitavam as rústicas regiões montanhosas no lado sul do Cáucaso. CBASD, vol. 4, p. 738.

16 Esmeralda. Do heb. nofek, possivelmente, a turquesa (cf. NVI, BJ). CBASD, vol. 4, p. 738.

Pedras preciosas. Do heb. kadkod, possivelmente, o rubi ou o jaspe vermelho. CBASD, vol. 4, p. 738.

22 Sabá. Os descendentes de Cuxe, o filho de Cam (ver Gn 10:7). Seu território ficava na parte sudoeste da Arábia e incluía o Iêmem. Era a terra da rainha de Sabá, que visitou Salmoão, e se destacava já naquela época pelas especiarias e pelo ouro (1Rs 10:1, 2, 10; Sl 72:10, 15; Is 60:6; Jr 6:20; ver com. de Gn 10:7). CBASD, vol. 4, p. 739.

23 Harã. O profeta deixa a Arábia e passa a falar da Mesopotâmia. Harã, onde Abraão morou por um tempo (Gn 12:4), ficava na parte noroeste da Mesopotâmia, junto ao rio Balikh, na encruzilhada e duas grandes rotas de caravanas. CBASD, vol. 4, p. 739.

26 Os teus marinheiros. São enumerados os vários tipos de homens do mar. Juntos, os que contribuíam para o poder, a glória e a riqueza de Tiro pereceram em um grande desastre. Todos foram lançados no meio do mar quando o forte navio se quebrou. CBASD, vol. 4, p. 739.

28 Praias. Ou, “os arrabaldes” (ARC). A palavra assim traduzida geralmente significa a área aberta que cerca uma cidade (ver com. [CBASD] de Js 14:4). Aqui, a referência é aos arredores das cidades. CBASD, vol. 4, p. 739.

29 Todos os que pegam no remo. O mundo mercantil chora a perda do imponente navio com todos os atos costumeiros de luto, e compõe um hino fúnebre (v. 32-36). CBASD, vol. 4, p. 739.



EZEQUIEL 27 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
18 de janeiro de 2021, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Os mercadores dentre os povos assobiam contra ti; vens a ser objeto de espanto e jamais subsistirás” (v.36).

Já não bastasse a profecia referente à sua destruição, Tiro também foi objeto de lamentação. O cântico fúnebre sobre Tiro revela um pouco mais de sua importância no cenário econômico daquela região. Os principais reinos daquele tempo foram citados pelo profeta como seus principais mercadores. Em um comércio em sistema de câmbio, as mercadorias mais preciosas e caras eram as moedas de troca e, definitivamente, Tiro podia ser considerada como a superpotência do comércio marítimo. Suas embarcações eram impecáveis e seus pilotos, os mais sábios. A busca pela primazia foi tão grande e seus esforços para isso tão eficientes, que sobre si mesma afirmava com orgulho: “Eu sou perfeita em formosura” (v.3).

Essa busca exacerbada pelo poder ou pela fama teve início no Céu, no coração de um anjo de luz. Ao contemplar a sua formosura e atentando para a sua função privilegiada, Lúcifer cobiçou ser visto pelos demais anjos como digno de admiração e até de adoração. Veremos no capítulo de amanhã como a profecia do rei de Tiro se aplica com exatidão a este ser que foi criado não para ser melhor do que os demais anjos, mas para, junto com eles, fazer parte dos propósitos eternos de Deus. O exemplo de Tiro serve para nós como um meio de aprendermos através dos seus erros. Quando a busca pelo poder ou aprimoramento excede a humildade, o ser humano esquece que o princípio do reino dos céus é o serviço.

Em Seu ministério terrestre Jesus Se deparou com uma igreja orgulhosa por suas edificações e cerimônias. Seu ministério de simplicidade e serviço tornou-se uma afronta para aqueles que ostentavam uma religião de vaidades. As aparições públicas dos líderes religiosos eram um espetáculo à parte e a reprovação de Jesus endureceu ainda mais seus corações orgulhosos: “Guardai-vos de exercer a vossa justiça diante dos homens, com o fim de serdes vistos por eles; doutra sorte, não tereis galardão junto de vosso Pai celeste” (Mt.6:1). Na primeira manifestação de admiração dos discípulos pelas construções do templo, Jesus declarou a destruição do orgulho da nação: “Não vedes tudo isto? Em verdade vos digo que não ficará aqui pedra sobre pedra que não seja derribada” (Mt.24:2).

O Senhor não condena a beleza e o esmero. De forma alguma! O que Ele condena é que essas coisas se tornem mais importantes do que o objetivo principal, o qual Ele mesmo aponta como característica dos salvos: “Porque tive fome, e Me destes de comer; tive sede, e Me destes de beber; era forasteiro, e Me hospedastes; estava nu, e Me vestistes; enfermo, e Me visitastes; preso, e fostes ver-Me” (Mt.25:35-36). Se o amor de Deus estiver em uma choupana, certamente este lugar será mais feliz e abençoado do que uma casa cuja preocupação está em revestir-se de caros ornamentos. O brilho da luz celeste e o poder do Espírito Santo não é dado e nem manifestado mediante esforço corruptível, e sim mediante perseverante confiança nas promessas de Deus (At.1:14).

Ao subir ao Céu Jesus não deixou uma igreja com edifícios terrestres, mas edificada sobre a Rocha (Mt.7:24). Os discípulos não deixaram de congregar ou de frequentar as sinagogas. Pelo contrário. Continuaram a ir à igreja como de costume, mas não mais com os olhos nas edificações, mas nas pessoas que ali estava, até mesmo aquelas que eram impedidas de ali entrar (At.3:2). O cumprimento da promessa do Consolador veio a um pequeno povo que reconheceu a sua completa dependência de Deus na missão de pregar o evangelho. Suas vidas tornaram-se verdadeiros santuários do Espírito Santo e onde quer que estivessem, em sinagogas luxuosas ou na beira de um rio, faziam “tudo para a glória de Deus” (1Co.10:31).

Precisamos reavivar esse espírito de serviço e humildade. Algo que só podemos obter na escola do Mestre divino: “Tomai sobre vós o Meu jugo e aprendei de Mim, porque sou manso e humilde de coração” (Mt.11:29). Em um tempo sobremodo solene como este, em que tantas vidas têm sido dizimadas, o Senhor não nos pede empreendimentos admiráveis, mas um coração submisso à Sua vontade, de modo que a nossa vida seja guiada pelo Espírito assim como foi com Filipe (At.8:29) e os demais apóstolos. Se o mundo necessitasse de belos edifícios de adoração e de programações bem elaboradas, já teríamos presenciado uma conversão em massa. Mas o que o mundo necessita é ver Jesus em nós, como Ele mesmo afirmou: “Nisto conhecerão todos que sois Meus discípulos: se tiverdes amor uns aos outros” (Jo.13:35). Logo o nosso Senhor virá e Ele não nos pedirá contas das coisas corruptíveis, mas das espirituais. Que Ele nos encontre “levando cativo todo pensamento à obediência de Cristo” (2Co.10:5). Vigiemos e oremos!

Bom dia, santuários do Espírito Santo!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Ezequiel27 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



EZEQUIEL 27 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
18 de janeiro de 2021, 0:40
Filed under: Sem categoria

EZEQUIEL 27 – As profecias bíblicas são muito interessantes e impressionam a cada crente que dedicar seu tempo a estudá-las.

Observe estas comparações proféticas:
• Do mesmo jeito que o julgamento de Tiro afetou suas músicas (Ezequiel 26:13), Deus extinguirá às músicas da Babilônia espiritual no fim dos tempos (Apocalipse 18:22).
• A grandiosidade de Tiro representada por um grande navio comercial (Ezequiel 26:16-17, 29), é também usada para a Babilônia mística (Apocalipse 18:17, 19, 23).
• Assim como a queda de Tiro suscitou um lamento mundial (Ezequiel 26:17; 27:30-32, 36), o mesmo se dará com a Babilônia espiritual (Apocalipse 18:9-11, 15-19).
• Tiro pereceu, embora fosse uma afamada cidade (Ezequiel 26:17), Babilônia foi devastada, embora tivesse domínio sobre os reis da Terra (Apocalipse 18:10, 18-19).
• Uma grande tempestade afundaria o navio Tiro e ele não mais seria encontrado (Ezequiel 26:19, 21; 27:26-27, 34, 36); Babilônia também será arrojada no profundo mar (Apocalipse 18:21).
• Tiro era forte no comércio internacional (Ezequiel 27:3, 36), Babilônia teve grandes comerciantes no mundo (Apocalipse 18:15, 23).
• A profecia de Ezequiel enfatiza as mercadorias de Tiro (27:27), a profecia de João enfatiza a mercadoria da Babilônia mundial (Apocalipse 18:11).
• Ezequiel declara que “lançarão pó sobre a cabeça” de Tiro (27:30); João usa a mesma expressão para a Babilônia (Apocalipse 18:19).
• Um sentimento de nostalgia é evidente na pergunta “Quem foi Tiro…?” (27:32); o mesmo sentimento se percebe em Apocalipse 18:10, 18-19.
• Tiro favoreceu o enriquecimento dos reis da Terra (Ezequiel 27:33), Babilônia enriqueceu os políticos do mundo (Apocalipse 18:9, 15).
• As riquezas de Tiro promoveram orgulho (Ezequiel 28:5), com Babilônia não foi diferente (Apocalipse 18:14-15, 17, 19).
• Deus puniria Tiro com estrangeiros de diversas nações (Ezequiel 28:7); as nações se ajuntarão num lugar chamado Armagedom, onde Babilônia enfrentará seu julgamento (Apocalipse 16:16; 17:14; 19:11, 15, 19).
• Fogo consumiu e reduziu a cinzas a megalomaníaca cidade de Tiro (Ezequiel 28:18), o mesmo castigo consumirá a megalomaníaca Babilônia apocalíptica (Apocalipse 17:16; 18:8-9).
As profecias do Antigo Testamento são a base para se entender as profecias do Novo Testamento. Quem negligencia o complemento entre o Antigo e o Novo Testamento cai em especulações teológicas sem fundamento.

O passado explica o futuro!

Vamos reavivar no estudo da Bíblia e de suas profecias para preparar-nos para o fim dos tempos? – Heber Toth Armí.




%d blogueiros gostam disto: