Reavivados por Sua Palavra


Estudo sobre Isaías 1 – Lições da Bíblia by Jeferson Quimelli
2 de janeiro de 2021, 17:21
Filed under: Sem categoria

Você, que está neste trimestre estudando o Livro de Isaías, pode acessar aqui os comentários sobre Isaías 1



EZEQUIEL 11 – ACESSE AQUI O POST DESEJADO by Jeferson Quimelli
2 de janeiro de 2021, 1:10
Filed under: Sem categoria

TEXTO BÍBLICO EZEQUIEL 11 – Primeiro leia a Bíblia

EZEQUIEL 11 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL (Associação Geral) 

EZEQUIEL 11 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COM. TEXTO ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO – PR HEBER TOTH ARMÍ

COM. VÍDEO PR ADOLFO SUÁREZ(link externo)

COM. VÍDEO PR EVANDRO FÁVERO (link externo)

COM. VÍDEO PR VALDECI JÚNIOR (link externo)

COM. VÍDEO PR WEVERTON CASTRO E EQUIPE (link externo)

COM. VÍDEO PR RONALDO DE OLIVEIRA (link externo)

COM. VÍDEO PR MICHELSON BORGES (link externo)



EZEQUIEL 11 by Jobson Santos
2 de janeiro de 2021, 0:55
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/ez/11

Os vinte e cinco líderes de Judá que Ezequiel viu avaliaram a sua situação em Jerusalém como muito melhor que a de seus compatriotas que estavam no exílio. Afinal, eles estavam na Cidade Santa, a cidade de Davi , e os exilados estavam longe, vivendo em cativeiro. Mas a mensagem de Deus através de Ezequiel é solene. A glória de Deus havia abandonado aqueles que professavam ser algo que não eram e sua situação parecia muito sombria.

Mas a glória de Deus não os havia deixado completamente. A sentença contra essas pessoas não significava o fim do povo de Deus. Um remanescente sempre existiu. Havia um remanescente dos fiéis de Deus (alguns em Babilônia e outros em Judá) e, em pouco tempo, eles iriam experimentar a restauração.

Assim como no tempo de Ezequiel, hoje também existem aqueles que presumem ter a salvação por uma religião formal ou professam uma coisa enquanto vivem outra. Mas existe ainda um remanescente. Para estes, a salvação só é recebida por ter a glória de Deus, a Sua presença, no templo do coração.

Eric Bates
Diretor do Ministério da Família
Associação da Carolina, EUA.

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=1059
Tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli/Luis Uehara



EZEQUIEL 11 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
2 de janeiro de 2021, 0:50
Filed under: Sem categoria

1376 palavras

1 Então. Os eventos do cap. 11 [v. 1-21] não se seguem cronologicamente aos dos cap. 9 e 10 [os v. 22-25 seguem o cap. 10]. A visão parece retornar para dar detalhes adicionais quanto à condição moral dos líderes de Jerusalém. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 4, p. 668.

Jazanias. O nome significa “Yahweh ouve”. Alguns sugerem que, por causa de seu significado, os nomes aqui dados tinham o propósito de revelar as falsas esperanças com que o povo se iludia. … Pelatias, “Yahweh liberta; … Se a ênfase está no significado dos nomes, a repentina morte de Pelatias (v. 13) teria causado forte impressão. Por outro lado, Jazanias e Pelatias talvez tenham sido destacados simplesmente porque fossem bem conhecidos como líderes da apostasia. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 4, p. 668.

3 Não está próximo. O hebraico desta frase quase proverbial está expresso de forma tão concisa que chega a ser obscuro. A passagem diz, literalmente: “não perto de construir casas. Ela [a cidade] a panela, nós a carne”. Pode ser uma referência irônica à mensagem que Jeremias enviara aos cativos em Babilônia para que construíssem casas e procurassem se colocar em posições confortáveis, porque o cativeiro seria longo. Esta mensagem deixou muito enraivecidos muitos dos cativos, que enviaram cartas a Jerusalém exigindo que Jeremias fosse punido (Jr 29:24-28). É possível que a frase dos príncipes estivesse contradizendo a mensagem de Jeremias, ao declarar: “Não está próximo o tempo de construir casas para um longo cativeiro.” CBASD, vol. 4, p. 668, 669.

3, 7, 1 panela. Ver Jr 1:13. Os príncipes comparam a panela com Jerusalém, oferecendo proteção para a população (a “carne”) dentro dela. Deus vira a metáfora para baixo: a carne se refere aos sentenciados à morte por juízes corruptos. Depois a rejeita por completo: Jerusalém não era um lugar de confiança. O Senhor julgaria pessoalmente a Israel. Bíblia de Estudo Andrews.

panela. A metáfora da panela parece ser extraída de Jeremias (ver Jr 1:13). O significado pode ser que, assim como uma panela protege do fogo a carne que está dentro dela, as paredes da cidade protegeriam seus habitantes do exército dos caldeus. A LXX coloca a frase na forma de uma pergunta que espera resposta positiva: “Não está próximo o tempo de construir casas?”A atitude, expressa dessa forma, reflete claramente a jactanciosa confiança própria dos habitantes de Jerusalém (ver Jr 28:3). Jeremias aconselhara os judeus que estavam na cidade a sair e a se render aos caldeus (Jr 21:9). Eles rejeitaram insolentemente o conselho, escolhendo permanecer na “panela”. Essa ideia se encaixa no contexto do capítulo, porque a narrativa prossegue mostrando que esse privilégio lhes seria negado. Também é possível que a metáfora signifique que, assim como a “panela” é o lugar onde deve estar a “carne”, Jerusalém seria o lugar onde devem estar seus habitantes, deixando implícito que eles permanecerão (ver Jr 13:12). CBASD, vol. 4, p. 669.

5 Eu as conheço. Devido a Sua onisciência, Deus conhece os verdadeiros objetivos, desejos e motivos por trás dos atos exteriores (ver 1Cr 28:9; Pv 15:11; Jr 17:10). CBASD, vol. 4, p. 669.

6 Os vossos mortos. Mencionados dessa forma para sugerir execuções praticadas sem o aval de Deus. Pode ser também uma referência aos que foram mortos como resultado das atrocidades dos babilônios. Devido à apostasia moral e religiosa, os líderes de Jerusalém eram responsáveis por essa matança. CBASD, vol. 4, p. 669.

7 São a carne. As pessoas se gabavam da proteção que a cidade desfrutava e não tinham qualquer intenção de atender às instruções de Jeremias para sair dela e se render aos caldeus (Jr 21:9). Mas a solene advertência de Ezequeil era de que apenas os que foram mortos teriam o privilégio de permanecer dentro da cidade; os vivos enfrentariam seu destino fora dos muros. CBASD, vol. 4, p. 669.

10 Caireis à espada. (ver 2Rs 25:6, 7). CBASD, vol. 4, p. 669.

13 Morreu. Ezequiel viu a morte de Pelatias só em visão, mas o incidente foi preditivo, sem dúvida (ver sobre a morte de Hananias em Jr 28:17). CBASD, vol. 4, p. 669.

15 Apartai-vos. Uma expressão de confiança arrogante e destituída de simpatia pelos exilados. Os habitantes de Jerusalém exibiam para com os que foram levados para Babilônia uma atitude como “sou mais santo que tu”. CBASD, vol. 4, p. 670.

16 santuário, por um pouco de tempo. Deus ainda se importava com seu povo e estaria presente, mesmo quando este fosse para o exílio, e o templo ficasse em ruínas. Bíblia de Estudo Andrews.

o seu Deus. Declaração sobre a essência do relacionamento de aliança entre Deus e Seu povo (14:11; 36:28; 37:27; ver Êz 6:7; Jr 7:23). Bíblia de Estudo Andrews.

19 Um só coração. CBASD, vol. 4, p. 670. Unidade de propósito e de ação caracterizariam o novo Israel de Deus. Infelizmente, a queda de Israel impediu que a promessa se cumprisse. Jesus orou para que esta bênção pudesse se concretizar para a igreja. Sua oração teve cumprimento temporário no ardor da igreja primitiva, de quem “era um o coração e a alma”(At 4:32). Infelizmente, a unidade durou pouco. Lobos vorazes, não poupando o rebanho, entraram e dividiram os crentes (At 20:29). Tem havido desunião na cristandade desde então, e esta condição continuará até que, no retorno do Senhor, “todos cheguemos à unidade da fé” (Ef 4:13). CBASD, vol. 4, p. 670.

Coração de pedra. O modo pelo qual Deus salva tem sido o mesmo em todas as eras, mas houve uma revelação gradual do propósito divino; não porque Deus conserve as pessoas em ignorância para sua desvantagem, mas porque a a resistência delas em aceitar as revelações do Deus muitas vezes coloca uma limitação no que Deus pode revelar. Preciosos raios de luz, quando rejeitados, tornam impossível o envio de mais iluminação. Isso foi o que ocorreu com Israel. Se os exilados que retornaram tivessem entrado plenamente na experiência aqui descrita, teria sido enviada luz cada vez maior. Infelizmente, eles se contentaram com as restrições nocivas impostas por sua interpretação da antiga aliança, e assim a luz mais plena do evangelho veio somente com o Messias. CBASD, vol. 4, p. 670.

20 Andem nos meus estatutos. Apenas os que têm coração renovado pela graça divina podem guardar a lei de Deus, porque “o pendor da carne … não está sujeito à lei de Deus, nem mesmo pode estar”(Rm 8:7). A promessa de poder capacitador através da habitação interior do Espírito Santo era uma característica essencial da eterna aliança de Deus com a humanidade. Israel havia deixado de perceber isso. Os homens creram que a salvação podia ser conseguida por seus próprios esforços. Recusaram-se submeter-se à justiça que vem de Deus (Rm 10:3). Não viram necessidade de um salvador nem de conversão. Rejeitaram a experiência que, unicamente, os capacitaria para guardar a lei divina. CBASD, vol. 4, p. 670.

Eu serei o seu Deus. CBASD, vol. 4, p. 671. O cumprimento final desta gloriosa promessa ocorrerá no fim do milênio (Ap 21:3). CBASD, vol. 4, p. 671.

21 Cujo coração … farei recair sobre sua cabeça as suas obras. A responsabilidade humana, por causa do livre-arbítrio, faz com que alguns escolham “coisas detestáveis”. Deus desejaria que todos fossem salvos, mas Ele não força a Sua vontade. Consequentemente, os que se perderem perecerão como resultado de sua própria escolha, e não por causa de qualquer falha por parte da graça de Deus. CBASD, vol. 4, p. 671.

22, 23 Na carruagem-trono cercada por querubins, Deus se afasta do meio da cidade e para no monte das Oliveiras. Embora Ezequiel não veja o destino final, fica claro que o Senhor havia partido da cidade, deixando-a entregue a seu destino. Bíblia de Estudo Andrews.

23 O monte. Provavelmente o que ficou conhecido, mais tarde, como Monte da Oliveiras, uma cadeia de colinas com três picos principais que estão 823 m acima do nível do mar, localizados do outro lado do vale de Cedrom, a leste de Jerusalém. A cidade propriamente dita tem uma altitude de 777 metros. O local onde a gloria divina repousou depois de deixar o templo (DTN, 829) foi o lugar do qual Jesus, mais tarde, “vendo a cidade, chorou” (Lc 19:37-41). Foi daí que Ele anunciou a segunda destruição da cidade rebelde e obstinada (Mt 24) e proclamou os sinais do Seu segundo advento. Deste mesmo lugar, Ele ascendeu visivelmente ao céu (Lc 24:50, 51; At 1:11, 12), e sobre esta elevação descerá a nova Jerusalém (Zc 14:4, 5, 9; ver GC, 662, 663). CBASD, vol. 4, p. 671.

23, 24 Caldeia. Babilônia. Acaba a visão (ver 8:1) e Ezequiel conta aos cativos aquilo que ele vira. Bíblia de Estudo Andrews.

25 Falei aos do cativeiro. Os anciãos de Judá (Ez 8:1), provavelmente, esperaram até Ezequiel sair de sua visão e estariam preparados para receber a comunicação vinda do Senhor. CBASD, vol. 4, p. 671.

 



EZEQUIEL 11 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
2 de janeiro de 2021, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Caiu, pois, sobre mim o Espírito do Senhor e disse-me: Fala: Assim diz o Senhor: Assim tendes dito, ó casa de Israel; porque, quanto às coisas que vos surgem à mente, Eu as conheço” (v.5).

Há poucos dias fiquei sabendo do falecimento de um pastor muito querido que, mesmo depois de jubilado, possuía um lindo ministério de evangelismo. Provavelmente ele nem lembrasse de mim e de minha família, mas ao saber do ocorrido, ficamos muito tristes e meu filho mais velho logo lembrou: – Era aquele pastor daquela música, mãe, “O Senhor é o meu Pastor”? Todas as vezes que este querido ministro ia pregar, ele gostava de introduzir o sermão com o louvor do Salmo 23, e isso ficou bem gravado na mente de meu filho. É provável que o anúncio de Deus acerca da condição dos líderes espirituais da nação e a morte de um deles tenha despertado a memória de Ezequiel aos anos em que ele crescia naquele meio e até mesmo a admiração e respeito que nutria por eles. A morte de Pelatias (v.13) e o conhecimento sobre o futuro dos demais encheu o seu coração de tristeza e aflição.

Profetizar “contra eles” (v.4) certamente foi uma tarefa muito dura e difícil para Ezequiel. Vemos a obra constante do Espírito Santo erguendo o profeta de seu estado de contrição e caindo sobre ele (v.5) a fim de que pudesse ouvir as palavras do Senhor. O ministério profético era um serviço privilegiado, mas angustiante. Geralmente, Deus chamava homens e mulheres para declarar palavras de advertência e repreensão aos de seu próprio povo. Quando Jonas fugiu de seu chamado a pregar aos ninivitas, considerou ser tarefa demasiado difícil para cumprir. Contudo, eu creio que não exista tarefa mais desafiadora do que a que deva ser realizada aos de casa.

O próprio Jesus foi o mais experimentado dos homens, de forma que “Veio para o que era Seu, e os Seus não O receberam” (Jo.1:11). Quando em Nazaré, onde havia crescido, mesmo reconhecido como detentor de sabedoria e poder jamais vistos, Jesus “não fez ali muitos milagres, por causa da incredulidade deles” (Mt.13:58). O Senhor sabe o que se passa em nossa mente e o que de fato move as nossas ações (v.5). Ele não leva em conta quanto trabalho fazemos, mas o que nos move a realizá-los. Ao profeta foi revelado que havia pecados ocultos na vida daqueles líderes e que seu serviço no templo na verdade se tratava de um desserviço, pois que maquinavam vilezas e aconselhavam perversamente (v.2).

Amados, temos tantos que amamos e admiramos neste mundo, como homens e mulheres de Deus. E o Senhor nos deixou esse sentimento de respeito e admiração uns pelos outros como uma bênção. Mas isso se torna uma maldição se depositamos toda a nossa confiança em seres humanos tão falíveis quanto nós. Não foi fácil para Ezequiel declarar ao povo “todas as coisas que o Senhor [lhe] havia mostrado” (v.25), mas ele assim o fez porque Deus ocupava lugar de primazia em seu coração. Nenhum profeta foi afligido com mensagens de juízo sem receber o consolo e a bendita esperança da restauração.

Ainda que as estrelas mais brilhantes percam a sua luz, precisamos manter os nossos olhos nAquele que é “a Luz do mundo” (Jo.8:12). Jesus Cristo, o Sol da Justiça, incide Seus raios de fé e de amor esperando que nos coloquemos em lugar de recebê-los. Muitos que um dia estiveram sob Sua santa incidência têm se colocado sob a sombra de seus pecados ocultos até que estes os lancem no abismo onde nenhuma luz há. Oh, meus irmãos, como o Espírito deseja novamente erguê-los! Como há, agora, grande comoção no Céu pelos que ainda perecem na escuridão do pecado! Olhemos para Jesus! Olhemos para a Luz do mundo! E por mais difícil que possamos considerar a nossa missão nesses últimos dias, somos testemunhas de Jesus com um único e claro objetivo: “buscar e salvar o perdido” (Lc.19:10).

Cumpra-se na igreja de Deus, hoje, as palavras do Senhor: “Dar-lhes-ei um só coração, espírito novo porei dentro deles; tirarei da sua carne o coração de pedra e lhes darei coração de carne; para que andem nos Meus estatutos, e guardem os Meus juízos, e os executem; eles serão o Meu povo, e Eu serei o seu Deus” (v.19-20). Que o Senhor encontre em nós um coração aberto ao trabalho do Espírito Santo para que se cumpra em nós “tanto o querer como o realizar, segundo a Sua boa vontade” (Fp.2:13). Vigiemos e oremos!

Feliz sábado, testemunhas de Jesus!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Ezequiel11 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



EZEQUIEL 11 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
2 de janeiro de 2021, 0:40
Filed under: Sem categoria

EZEQUIEL 11 – Não é fácil ser profeta de Deus. Além de muitas vezes falar poderosamente e não obter nenhum resultado, às vezes, o profeta tem que enfrentar gente da pesada.

• O Espírito Santo leva Ezequiel para conhecer a trama maligna de um grupo de 25 homens perversos, depois recebe a incumbência de profetizar contra eles (vs. 1-4).
• Além desses homens terem ofendido a santidade divina com suas atitudes, eles massacraram, exploraram e assassinaram pessoas. O profete deferia confrontar estes homens cruéis (vs. 5-12)
• Ezequiel ficou preocupado com o que vê e com o futuro do povo de Deus; então, Deus lhe revelou Seus planos para encher seu coração aflito de esperança. Deus ainda estava com Seu povo, não o havia abandonado definitivamente (vs. 13-21).
• A glória de Deus é vista, então, a mover-se a um monte que fica ao leste de Jerusalém. E, novamente o Espírito Santo transporta Ezequiel de volta aos exilados em babilônia (vs. 22-25).

Icabode (“foi-se a glória”) não foi uma visão ou revelação de Deus; foi, na verdade, a interpretação equivocada da mulher de Fineias estando à beira da morte num trabalho de parto, depois da morte do Sumo Sacerdote Eli, seu sogro; e a arca da aliança fora tomada pelos filisteus (ver I Samuel 4:17-22).

Entretanto, Deus não abandonou Seu povo naquela ocasião. Nem o abandonou quando este, com todos os seus pecados, se afastou deliberadamente de Sua presença. “A glória do Deus de Israel estava no alto, sobre eles” (v. 22).

Deus não desistira de Seu povo, apesar da terrível apostasia, rebeldia e rebelião em que mergulhara. Por isso a disciplina, a qual não é destrutiva, é corretiva.

• O que Deus tem para Seu povo após o exílio babilônico?

“Eu os trarei de volta dos lugares pelos quais foram espalhados e darei novamente a terra de Israel a vocês. Também darei a vocês um novo coração. Porei em vocês um novo espírito. Arrancarei o coração de pedra e porei, no lugar, um novo coração, muito firme. Assim, vocês obedecerão aos meus estatutos e se guardarão em obedecer aos meus mandamentos. Vocês serão o meu povo, e eu serei o seu Deus!”

Ainda este é o alvo divino para toda a humanidade. Permitiremos que Deus faça isso em nós? – Heber Toth Armí.




%d blogueiros gostam disto: