Reavivados por Sua Palavra


SALMO 75 – BUSQUE AQUI O POST DESEJADO by Jeferson Quimelli
17 de abril de 2020, 1:10
Filed under: Sem categoria

TEXTO BÍBLICO SALMO 75 – Leia a Bíblia antes

SALMO 75 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL (Associação Geral)

COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COM. TEXTO ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO PR. HEBER TOTH ARMÍ

COM. VÍDEO PR EVANDRO FÁVERO (link externo)

COM. VÍDEO PR ADOLFO SUAREZ (link externo)

COM. VÍDEO PR RONALDO DE OLIVEIRA(link externo)

COM. VÍDEO PR WEVERTON E EQUIPE (link externo)

COM. VÍDEO PR MICHELSON BORGES (link externo)

COM. VÍDEO PR VALDECI JÚNIOR (link externo)



SALMO 75 by Jeferson Quimelli
17 de abril de 2020, 0:55
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/sl/75

Quem entre nós não notou que aqueles que pouco se importam com a religião muitas vezes vivem na riqueza e no luxo? Parece que eles sempre conseguem as oportunidades e as férias que achamos que os que temem a Deus merecem. Aqueles que ignoram a Deus prosperam em seus negócios e sua riqueza se multiplica muito, de forma que parece que eles nem sequer têm de trabalhar. Chegamos ás vezes a pensar que Deus não deseja que o seu povo se torne rico.

O primeiro erro neste pensamento é que, na verdade, nem todos os ímpios são “bem-sucedidos”. Tendemos a nos esquecer daqueles que foram vítimas de suas próprias más estratégias. A segunda distorção é achar que esta situação é permanente. O salmista nos garante que isso não vai durar para sempre. Deus vai acabar com esta injustiça no devido tempo escolhido por Ele. Em terceiro lugar, o ímpio não tem uma consciência tranquila, um travesseiro macio, e a confiança em um Deus soberano que cuida dele.

Muitas vezes nos questionamos a respeito dos rumos que nossa vida está tomando. Temos nossas próprias idéias a respeito do que deveríamos fazer, onde deveríamos estar e, especialmente, quando certos acontecimentos deveriam acontecer. Porém, talvez o luxo e o sucesso não sejam bons para o nosso relacionamento com Deus. Ele deseja que reconheçamos a nossa dependência dEle. E não quer que O busquemos pelos motivos errados.

Em um determinado momento eu cheguei a fazer um acordo com Deus de que se as coisas não mudassem num prazo de dez anos, eu ficaria livre para proceder do jeito que eu quisesse. Felizmente, Deus ignorou o meu cronograma e seguiu o seu próprio. A maioria de nós, se não todos, tem descoberto com o passar do tempo que o cronograma de Deus é muito melhor.

Gordon Christo
India

Fonte: https://www.revivalandreformation.org/?id=799 e https://reavivadosporsuapalavra.org/2017/01/14/
Tradução: Jobson Santos, Jeferson e Gisele Quimelli



SALMO 75 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
17 de abril de 2020, 0:50
Filed under: Sem categoria

396 palavras

O Salmo 75 é um hino que celebra a libertação das mãos do inimigo. … Como os Salmos 46 e 47, aos quais de certa forma este se assemelha, o poema é vividamente dramático, em especial, na apresentação de Deus como o justo juiz. O salmo afirma que Deus faz tudo no tempo devido e reprova a impaciência humana. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 3, p. 908.

1 Graças Te rendemos. O emprego da primeira pessoa do plural sugere que o salmo foi escrito para adoração pública. A repetição da frase confere ênfase litúrgica. CBASD, vol. 3, p. 908.

Tempo determinado. Do heb. mo’ed, “determinar o tempo”, “assembleia”, “lugar de reunião”. Deus é apresentado como o orador. Ele escolhe o tempo oportuno, o momento exato, mais apropriado para seus propósitos. A impaciência humana pretende ir adiante de Deus (vr Hc 2:3). CBASD, vol. 3, p. 908.

Retamente. Quando Deus julga, a justiça é feita a todos (ver 2Sm 23:3; Sl 58:1). CBASD, vol. 3, p. 908.

Vacilem. Quando o país parece estar prestes a se dissolver diante do invasor, Deus intervém para sustentar-lo. Sem Deus, tudo se arruinaria. CBASD, vol. 3, p. 908.

Colunas. A terra é comparada a um forte edifício sustentado por colunas. CBASD, vol. 3, p. 908.

Auxílio. Literalmente, “levantar”. O êxito não advém de vantagens geográficas naturais ou de nações que habitam as regiões das quatro direções, mas da conformidade do ser humano com o plano eterno de Deus (ver CBV, 476, 477). A resposta final vem de Deus (ver v. 7). CBASD, vol. 3, p. 908.

7 Abate. Isto acontece tanto com pessoas quanto com nações (ver 1Sm 2:7, 8; Sl 147:6; Dn 2:21; 4:17). CBASD, vol. 3, p. 909.

Cálice. Representa-se a Deus segurando um cálice para que a humanidade o beba (ver com. de Sl 60:3; cf. Is 51:17, 22; Ap 14:9, 10). CBASD, vol. 3, p. 909.

Cheio de mistura. O vinho é misturado com especiarias, para torná-lo anda mais forte e aumentar o seu poder intoxicante (ver Pv 9:2; 23:30; Is 5:22). CBASD, vol. 3, p. 909.

Escórias. Os ímpios devem esvaziar o cálice, bebendo todo o seu conteúdo. ate quadro impressionante do juízo justo d Deus tem o propósito de provocar temor ao pecado. CBASD, vol. 3, p. 909.

Abaterei. O sujeito deste verso pode ser Deus. A linguagem hebraica utiliza bastante o recurso de trocar de forma repentina o pronome pessoal. O salmista talvez fale por Deus, ou pelo povo, mas com a certeza de que Deus os ajudará a derrotar o ímpio. O salmo termina com uma declaração universal do governo just ode Deus. CBASD, vol. 3, p. 909.



SALMO 75 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
17 de abril de 2020, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Pois disseste: Hei de aproveitar o tempo determinado; hei de julgar retamente” (v.2).

Já ouviram essa frase: “Deus é amor, mas também é justiça”? Na verdade, ela não faz jus ao que a Bíblia nos ensina. O correto, seria dizer: “Deus é amor e também é justiça”. Esses dois atributos divinos não podem separar-se, mas ligados um ao outro revelam a natureza do caráter de Deus. Foi na força deste dueto indivisível que Jesus viveu nesta Terra e deu à humanidade prova suficiente de Seu amor leal e justiça salvífica.

O amor de Deus tem sido banalizado por ensinamentos com fundamento arenoso. Baseados em suas próprias convicções e visando seus próprios interesses, muitos ministros do engano têm arrebanhado multidões ao apresentar ao mundo um Deus que é somente amor, omitindo o fato de que “Deus é o juiz” (v.7). Desconsiderando a exortação e a repreensão, suas mensagens visam dizer o que as pessoas querem ouvir, e não o que elas precisam ouvir. Há, porém, nesses lugares, muitos fiéis que hão de obedecer ao último chamado de Deus.

Quando estudamos o amor de Deus revelado em Jesus Cristo é como se em nossa cegueira fôssemos recuperando a visão aos poucos, à medida que prosseguimos em conhecê-Lo. O mistério da piedade, até então oculto, foi revelado na cruz, onde o amor prevaleceu, e no túmulo vazio, onde a justiça teve o seu triunfo. “Porquanto Deus enviou o Seu Filho ao mundo, não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por Ele” (Jo.3:17). E porque o Seu amor foi o perfeito cumprimento da Lei, que Ele voltará para “julgar vivos e mortos” (2Tm.4:1).

O mesmo Deus que ama o pecador e deseja justificá-lo, é Aquele que lhe diz: “vai e não peques mais” (Jo.8:11). Jesus veio como o nosso modelo de fidelidade e obediência. Sua vida estava em completa harmonia com as Escrituras. As acusações dos escribas e fariseus não passavam de uma reação ao conflito que tinham de enfrentar consigo mesmos todas as vezes que se deparavam com o “Maravilhoso Conselheiro” (Is.9:6). Pois “foi do agrado do Senhor, por amor da Sua própria justiça, engrandecer a lei e fazê-la gloriosa” (Is.42:21), a “lei da liberdade” (Tg.2:12), pela qual haveremos de ser julgados.

Também é por amor da Sua própria justiça, que Jesus virá segunda vez. Não mais para beber do cálice que, com rogos, clamou para não beber (Mt.26:39), mas para buscar aqueles pelos quais suportou tamanho mal. Contudo, aos que rejeitaram os apelos divinos e a validade de Sua Lei, beberão “do vinho da cólera de Deus, preparado, sem mistura, do cálice da Sua ira” (Ap.14:10). Este mundo de pecado está quase chegando ao seu “tempo determinado” (v.2), e os ímpios terão de sofrer os resultados de suas más escolhas, “mas a força do justo será exaltada” (v.10). Que, pela graça de Deus, possamos declarar a cada dia até aquele Grande Dia: “Quanto a mim, exultarei para sempre; salmodiarei louvores ao Deus de Jacó” (v.9). Vigiemos e oremos!

Bom dia, justificados pelo amor de Cristo!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Salmo75 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



SALMO 75 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
17 de abril de 2020, 0:40
Filed under: Sem categoria

SALMO 75 – Orações realizadas sob a regência do Espírito Santo são atendidas em sua plenitude pelo Deus que age em prol dos humildes.

“A resposta da oração do salmo 74 está no salmo 75. O Senhor se levantará para defender Sua causa (Salmo 74:22) e suprimir a toda a rebeldia. O cumprimento desse salmo aguarda o momento histórico do retorno de Cristo à Terra para estabelecer o Seu reino de justiça” – comenta William MacDonald.

Os arrogantes e soberbos, os orgulhosos e indisciplinados, os blasfemadores e impenitentes, todos sentirão na pele as consequências de suas próprias loucuras, se não no presente, certamente no futuro, quando Jesus vier como reto Juiz para executar Seu juízo sobre cada habitante deste mundo.

O Salmo em questão, com seus dez versículos, apresenta pelo menos três pontos relevantes para os que querem a solução de seus problemas:
1. A fé colocada em Deus leva o pecador a ser um adorador agradecido. Sim! A fé eleva o indivíduo a render graças quando tudo está cinzento, quando a realidade a nossa volta é desfavorável, quando o único que temos de bom no presente são as lembranças da atuação divina no passado, quanto tudo parece perdido, quando estamos no fundo do poço… e, ainda temos esperança (v. 1).
2. O governo de Deus, ainda que pareça imperceptível quando as coisas não estão como gostaríamos que estivessem, é real e soberano não só sobre a Terra, mas sobre o Universo. Sua regência lida com a arrogância, o orgulho e a violência na medida certa, na hora certa e do modo certo. Devemos ter pena dos que rejeitam a Sua graça (vs. 2-8).
3. Como o salmista, devemos contar a história divina e cantar louvores ao Deus que exalta aos humildes e humilha aos que se exaltam. Devemos celebrar ao Deus que é Juiz acima de todo juiz, que reina/preside/governa acima de todo rei/presidente/governador para erradicar o mal pela raiz (vs. 9-10).

Devemos alertar a todas as pessoas como fez Asafe: “Não levante o punho contra o Deus Altíssimo. Não erga a voz contra a Rocha eterna. Ele é único de leste a oeste; do deserto às montanhas, não há outro igual” (vs. 5-6).

Pelo contrário, humilhe-se e renda-se ao Deus que atende nossas orações – Heber Toth Armí.




%d blogueiros gostam disto: