Reavivados por Sua Palavra


SALMO 69 – BUSQUE AQUI O POST DESEJADO by Jeferson Quimelli
11 de abril de 2020, 2:00
Filed under: Sem categoria

TEXTO BÍBLICO SALMO 69 – Leia a Bíblia antes

SALMO 69 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL (Associação Geral)

COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COM. TEXTO ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO PR. HEBER TOTH ARMÍ

COM. VÍDEO PR EVANDRO FÁVERO (link externo)

COM. VÍDEO PR ADOLFO SUAREZ (link externo)

COM. VÍDEO PR RONALDO DE OLIVEIRA(link externo)

COM. VÍDEO PR WEVERTON E EQUIPE (link externo)

COM. VÍDEO PR MICHELSON BORGES (link externo)

COM. VÍDEO PR VALDECI JÚNIOR (link externo)



SALMO 69 by Jeferson Quimelli
11 de abril de 2020, 0:55
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/sl/69

À luz da instrução de Jesus para que amemos os nossos inimigos, como devemos lidar com os salmos nos quais os inimigos são amaldiçoados? Davi, apesar de sua vida de dedicação a Deus, ainda não havia chegado a compreender de uma maneira experiencial de que abençoar é melhor do que amaldiçoar. Muitos capítulos de sua vida teriam sido bem menos estressantes se Ele tivesse aprendido a confiar em Deus completamente, deixando com Ele a tarefa de julgar e condenar seus inimigos.

Nossa antipatia para com nossos detratores os afeta menos do que afeta a nós. O perdão de Jesus a Seus algozes (“…porque eles não sabem o que fazem… “), não os tornaram bons. Eles ainda irão enfrentar o seu castigo. O perdão refletiu a atitude de pena de Jesus por eles. Quando perseguido, a atitude de perdão pode trazer paz. Ele coloca você acima da dor, da autopiedade, da dúvida. No devido tempo os maus serão julgados e condenados por Deus, portanto você não precisa gastar suas energias odiando-os e amaldiçoando-os.

Talvez você esteja passando por uma situação em que pessoas estão lhe difamando e perseguindo. Abra o seu coração a Deus. Revele a Ele os seus sentimentos mais profundos, incluindo os negativos. Mas, ao mesmo tempo, siga o caminho superior apontado por Jesus. O caminho da confiança em Deus e do perdão aos inimigos.
Outra importante lição que extraímos deste Salmo é que os sofrimentos que passamos foram também experimentados por Jesus. Temos um intercessor que nos ama com amor eterno e de uma maneira que jamais entenderemos. Ele trilhou o caminho que hoje estamos passando e, portanto, nos compreende, consola e pode nos dar a vitória contra o mal.

Gordon Christo
India

Fonte: https://www.revivalandreformation.org/?id=793 e https://reavivadosporsuapalavra.org/2017/01/08/salmo-69-2/
Tradução: Jobson Santos, Jeferson e Gisele Quimelli



SALMO 69 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
11 de abril de 2020, 0:50
Filed under: Sem categoria

775 palavras

O Salmo 69 é o lamento de um homem afligido e atormentado pela hostilidade de seus companheiros, que sofre por causa de sua fé em Deus. Embora o salmista descreva seu próprio sofrimento, escritores do NT demonstraram que várias passagens se aplicam tambem a Cristo, que sofreu sem ter pecado. Paulo confirma que Davi é o autor deste salmo (Rm 11:9). CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 3, p. 892.

1 Salva-me. No v. 1 está a tônica do salmo. CBASD, vol. 3, p. 892.

2 Que não dá pé. Isto é, “sem chão para pisar”. CBASD, vol. 3, p. 892.

Corrente. Do heb. shiboleth, “uma corrente de ‘agua”, traduzido como “ribeiro” em Isaías 27:12. Shiboleth é a palavra que os efraimitas não foram capazes de pronunciar quando confrontados por Jefté. CBASD, vol. 3, p. 892.

3 Clamar. Do heb. qara’, pedir auxílio. CBASD, vol. 3, p. 892.

Secou-se-me. Isso de tanto falar (ver com. do Sl 22:15). CBASD, vol. 3, p. 892.

4 Os que, sem razão, me odeiam. Jesus usou estas palavras para falar de Si mesmo (ver Jo 15:25). CBASD, vol. 3, p. 892.

6 Por minha causa. O salmista promete não fazer nada que envergonhe os filhos de Deus. O princípio enunciado aqui é um excelente lema para uma conduta cristã digna. Jamais se deve fazer algo que venha desonrar a causa de Deus. CBASD, vol. 3, p. 892.

7 Por amor de Ti. A causa real era a devoção do salmista a Deus. Os percadores desprezam os que servem a Deus (ver MDC, 32). A conduta dos filhos de Deus envergonha os ímpios. CBASD, vol. 3, p. 893.

8 Tornei-me estranho a meus irmãos. Com este versículo e também com os v. 9 e 20, Cristo predisse, por meio de Davi, o tratamento que Ele receberia na Terra (ver AA, 225). CBASD, vol. 3, p. 893. CBASD, vol. 3, p. 893.

Aos filhos de minha mãe.  Numa sociedade como a dos hebreus, filhos de um mesmo pai com frequência não tinham a mesma mãe (ver Sl 50:20). CBASD, vol. 3, p. 893.

9 O zelo da Tua casa. O santuário é o objeto do zelo do salmista. Davi demonstrou seu zelo ao trazer a arca para o monte Sião (ver 2Sm 6:12-19) e ao desejar construir uma habitação permanente para o Senhor em Jerusalém (ver 2Sm 7:2). fez o mesmo ao reunir material para a construção que não lhe foi permitido erigir (ver 1Cr 28:14-18; 29:2-5). e ao instruir Salomão com respeito ao templo (1Cr 28:9-13). Quando Jesus expulsou os cambistas  e os mercadores do templo, os discípulos se lembraram do que foi escrito dEle: “o zelo da Tua casa me consumirá” (ver Jo 2:16; DTN, 158; AA, 225). Na obra de Deus não existe lugar para servos displicentes. CBASD, vol. 3, p. 893.

As injúrias. Paulo aplicou esta passagem a Cristo, que “não agradou a Si mesmo”(ver Rm 15:3; cf. Sl 89:50, 51; Jr 20:8). CBASD, vol. 3, p. 893.

11 Escárnio. Do heb. mashal, “dito proverbial” ou “zombaria”; traduzido como “ditado”no Sl 44:14. CBASD, vol. 3, p. 893.

12 Os que à porta se assentam. Pode ser uma referência aos magistrados (ver com. de Rt 4:1), que se uniam à ralé para ridicularizar o salmista, ou uma alusão aos preguiçosos que se sentavam junto às portas da cidade (ver com. do Sl 9:14). CBASD, vol. 3, p. 893.

Beberrões. Literalmente, “bebedores de bebida forte”. O salmista era tema de zombaria de canções satíricas e obscenas de homens embriagados (ver Sl 35:15, 16); ele era alvo de zombaria nas piadas mais baixas (ver Jó 30:9). CBASD, vol. 3, p. 893.

13 Em tempo favorável. Literalmente, “tempo de favor”. CBASD, vol. 3, p. 893.

17 Responda-me depressa. O salmista não tem dúvidas de que irá perecer se não receber logo auxílio. CBASD, vol. 3, p. 893.

20 Opróbrio. Os v. 20 e 21 tem aplicação messiânica (ver Mt 27:34, 48; DTN, 746; AA, 225; PR, 691). CBASD, vol. 3, p. 893.

Por piedade. Comparar com Is 63:5. No Getsêmani o Salvador desejou que alguém o amparasse no Seu sofrimento (ver DTN, 687, 688). Mais tarde, foi abandonado por todos os discípulos (ver Mt 26:56; Mc 14:50). O versículo expressa completa solidão. CBASD, vol. 3, p. 894.

21 Alimento. Do heb. baruth, “pão da consolação”, cujo significado é o alimento fornecido ao enlutado por seus amigos. O emprego da palavra enfatiza a hipocrisia da atitude de seus inimigos. CBASD, vol. 3, p. 894.

Fel. Do heb. ro’sh, “erva venenosa”, traduzido como “veneno”(Dt 32:33; Jó 20:16) e “erva venenosa”(Os 10:4). Segundo Marcos 15:23, o “fel” oferecido a Jesus eera mirra. CBASD, vol. 3, p. 894.

22 Sua mesa torne-se-lhes. O v. 22 dá início a uma série de imprecações que continua até o v. 28. CBASD, vol. 3, p. 894.

25 Morada. O salmista ora para que a morada de seus inimigos seja assolada e que eles pereçam. Este texto se aplica ao cargo que Judas ocupava (ver At 1:20). CBASD, vol. 3, p. 894.

31 Um boi ou um novilho. O mais perfeito sacrifício levítico não se compara ao sacrifício de um coração agradecido. CBASD, vol. 3, p. 894.

32. Reviva. Isto é, seja encorajado, reavivado (ver Sl 22:26). CBASD, vol. 3, p. 894.

34 Céus. O chamado para louvar a Deus inclui toda a criação. CBASD, vol. 3, p. 894.



SALMO 69 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
11 de abril de 2020, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Por alimento me deram fel e na minha sede me deram a beber vinagre” (v.21).

Este Salmo, intitulado de “O lamento do Messias”, possui algumas referências acerca do sofrimento de Cristo, principalmente no que diz respeito aos Seus últimos momentos de vida na Terra. Rejeitado pelos Seus (Jo.1:11) e até pela própria família (Jo.7:5), Jesus viveu o ministério da reconciliação oferecendo-Se a Si mesmo na vida e na morte. Movido por terna compaixão e amor abnegado, Suas obras testificavam da riqueza de Sua graça para com a humanidade caída. E, no silêncio da madrugada, o Homem de dores ascendia aos Céus as orações mais altruístas que este mundo jamais testemunhou.

Olhando para as cenas finais do Calvário, percebemos o claro contraste entre criatura e Criador. Nos momentos finais de Sua paixão, Aquele que curou multidões só pôde contar de perto com a companhia de João e de Sua mãe. Onde estavam os Seus seguidores? Onde estavam as multidões que O aclamaram como um rei em Sua entrada triunfal em Jerusalém? Sua morte ignominiosa foi vista como uma derrota, devido à cegueira espiritual predominante. Não puderam reconhecer o cumprimento das profecias messiânicas e perderam o privilégio único de, apontando para a cruz, como o Batista, declarar a vitoriosa afirmação: “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!” (Jo.1:29).

A morte que nos trouxe a vida foi suficiente e eficaz. Até mesmo em Sua morte e sepultamento, Jesus respeitou o mandamento que estabeleceu desde o Éden como memorial da criação (Gn.2:1-3). Nas horas do sábado, o nosso Salvador descansou e selou este dia como memorial da redenção. Sua agonia encontrou o repouso no cumprimento de Sua imutável Lei. Assim também somos chamados, hoje, a descansar no repouso de Cristo. E, assim como Ele ressuscitou ao terceiro dia, aguardar o cumprimento da fiel promessa de Sua segunda vinda.

O Senhor não nos deixou na ignorância, amados. Temos em mãos a Sua santa Palavra. “Vejam isso os aflitos e se alegrem”, e, “quanto a vós outros que buscais a Deus, que o vosso coração reviva” (v.32). Diante da turbulência que estamos vivendo, não precisamos andar desanimados, mas louvando “com cânticos o nome de Deus” (v.30), pois Jesus mesmo nos deixou escrito: “Ora, ao começarem estas coisas a suceder, exultai e erguei a vossa cabeça; porque a vossa redenção se aproxima” (Lc.21:28). Não precisamos cair no mesmo erro daqueles que não souberam reconhecer as profecias messiânicas, mas que, com o coração reavivado pela bendita esperança, olhemos “firmemente para o Autor e Consumador da fé, Jesus, O qual, em troca da alegria que Lhe estava proposta, suportou a cruz, não fazendo caso da ignomínia, e está assentado à destra do trono de Deus” (Hb.12:2). Vigiemos e oremos!

Feliz sábado, salvos em Jesus!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Salmo69 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



SALMO 69 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
11 de abril de 2020, 0:40
Filed under: Sem categoria

SALMO 69 – Você esteve em uma situação de quase afogar-se na piscina ou no mar, quanto mais você se cansava tentando se salvar mais afundava? ou, numa situação como na areia movediça, cada decisão e cada reação parecia levar-te para mais fundo?

Um beco sem saída, um problema sem solução, encurralado pela vida… O desespero faz uma visita, a angústia vem de mudança, o sofrimento invade o coração…

Incompreendido pela família, desvalorizado pelo chefe e colegas de trabalho, criticado pelos membros da igreja, alvo de zombaria dos amigos, inimigos por todos os lados, traído por pessoas que você confiava, se esta parece ser a tua história, saiba que Davi e Jesus também tiveram tal experiência.

• Jesus era problemático?
• Davi era causador de confusão?

Na verdade, era o contrário, as pessoas ao redor deles não toleravam os traços de Deus em Davi e, muito menos em Jesus.

Ainda hoje é assim, quando mais parecido com Jesus você for, mais invejosos, arrogantes e orgulhosos vão tentar interpor o teu caminho. Portanto, dê uma atenção ao Salmo em questão: Os cristãos…

• …passam por momentos de aflições, tudo parece sufocante, às vezes se sentem até desamparados em meio à solidão, quase perdem as forças, parece não aguentarem mais (vs. 1-5).
• …são alvos de insultos, envergonhados publicamente, são atacados pelas línguas destruidoras; consequentemente, choram e gemem; por isso até os bêbados e párias da sociedade fazem piadas com os que amam e servem a Deus (vs. 6-12).
• …apesar das afrontas e oposições, não desistem de Deus; pelo contrário, mais se apegam a Ele. A oração é o meio de buscar consolação, libertação e salvação de forma paciente, confiante na misericórdia divina (vs. 13-19). Paulo amplia esse ensinamento sugerido por Davi: “Regozijai-vos na esperança, sede pacientes na tribulação, na oração, perseverantes” (Romanos 12:12).
• …sabem a quem recorrer quando a situação está difícil. Suas orações imprecatórias logo se tornarão louvor e adoração, além de obterem coragem para testemunhar ousadamente de um juízo vindouro a todos os indivíduos deste mundo (vs. 20-36).

O Novo Testamento refere-se a Jesus com este Salmo devido a Seu sofrimento. Embora Jesus tenha sofrido bem mais que Davi, também deixou-nos um legado ainda maior, mais nobre: Em vez de amaldiçoar Seus inimigos, pediu perdão para eles. Aprendamos! – Heber Toth Armí




%d blogueiros gostam disto: