Reavivados por Sua Palavra


SALMO 77 – BUSQUE AQUI O POST DESEJADO by Jeferson Quimelli
19 de abril de 2020, 1:10
Filed under: Sem categoria

TEXTO BÍBLICO SALMO 77 – Leia a Bíblia antes

SALMO 77 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL (Associação Geral)

COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COM. TEXTO ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO PR. HEBER TOTH ARMÍ

COM. VÍDEO PR EVANDRO FÁVERO (link externo)

COM. VÍDEO PR ADOLFO SUAREZ (link externo)

COM. VÍDEO PR RONALDO DE OLIVEIRA(link externo)

COM. VÍDEO PR WEVERTON E EQUIPE (link externo)

COM. VÍDEO PR MICHELSON BORGES (link externo)

COM. VÍDEO PR VALDECI JÚNIOR (link externo)



SALMO 77 by Jeferson Quimelli
19 de abril de 2020, 0:55
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/sl/77

Há muitas coisas tristes acerca da autopiedade. Uma delas é que ninguém mais sabe o que está acontecendo. A autopiedade nos devora silenciosamente. Se não detectada, ela pode nos causar grave dano, muito mais do que os eventos que a originaram. O problema com a autopiedade é que ela nunca melhora a nossa situação. Na verdade, ela pode prejudicar a nossa saúde causando depressão e stress

Consideremos a vida de Elias, por exemplo. Deus tinha demonstrado um grande apoio ao profeta quando juntos acabaram com o culto a Baal e exterminaram todos os falsos profetas, trazendo a nação de Israel de volta para Deus. Parecia que nada era impossível para Deus. No entanto, horas depois, o valente profeta fugiu de uma única mulher. Imagine o efeito que o conhecimento disso causou sobre as milhares de pessoas que tinham acabado de voltar a adorar o poderoso Deus de Elias!

Durante os primeiros dez versos nossos salmista se demora na autopiedade referindo-se a si mesmo e aos seus questionamentos, mais de dez vezes. Felizmente ele tomou uma decisão muito importante nos versos 11 e 12: “Recordarei os feitos do Senhor; recordarei os teus antigos milagres. Meditarei em todas as tuas obras e considerarei todos os teus feitos”.

Ao demorar-se em Deus e seu poder, o abatimento do salmista termina. Ao meditar nas obras de Deus, ele é erguido acima de seus próprios problemas.

Gordon Christo 
India

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=801
Tradução: Jeferson Quimelli/Pr Jobson Santos



SALMO 77 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
19 de abril de 2020, 0:50
Filed under: Sem categoria

527 palavras

O Salmo 77 é o registro poético de uma alma que tenta encontrar uma razão para o aparente abandono de Deus e descobrir uma saída da escuridão. Finalmente supera sua tristeza ao relembrar as misericórdias de Deus para com Israel no passado. O salmo se divide em duas partes. O v. 11 marca a transição do pesar e do protesto para a esperança e a confiança. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 3, p. 912.

2 No dia da minha angústia. Os v. 2 e 3 expressam a realidade e a intensidade da oração. Tudo o que o salmista fazia, até meditar em Deus, parecia apenas intensificar sua dor. CBASD, vol. 3, p. 912.

Recusa. A experiência do salmista deve confortar aqueles que não conseguem encontrar uma resposta imediata aos questionamentos sinceros da alma (ver Gn 37:35; Jr 31:15). CBASD, vol. 3, p. 912.

3 Passo a gemer. Quanto mais o salmista meditava sobre a administração incompreensível do governo de Deus, mais triste ele ficava e mais inclinado a se rebelar. CBASD, vol. 3, p. 912.

4. Não me deixas pregar os olhos. Literalmente, “Tu sustentas as vigílias dos meus olhos”. Na maneira de ver do salmista, Deus o mantém acordado para que medite a noite toda. CBASD, vol. 3, p. 912.

6 De noite. O salmista mostra preferência por meditar e orar na quietude da noite (ver Sl 16:7; 17:3). CBASD, vol. 3, p. 912.

8 Graça. Ou, “amor”, do heb. chesed (ver nota adicional ao Salmo 36). CBASD, vol. 3, p. 912.

9 Benigno. O salmista parece sentir que Deus esqueceu-se de um dos principais atributos de Seu caráter (Ver Êx 34:6). CBASD, vol. 3, p. 912.

10 Minha aflição. O salmista não encontra falta em Deus, mas reconhece sua própria fraqueza de espírito e sua capacidade de entender os caminhos de Deus. CBASD, vol. 3, p. 912.

11 Recordo. Este verso marca a transição do pesar e do protesto, da primeira seção do poema, para a esperança e a confiança da segunda seção. CBASD, vol. 3, p. 912.

13 De santidade. Embora o ser humano não possa compreendê-lo, o caminho de Deus é sempre santo, justo e bom (ver Gn 18:25). CBASD, vol. 3, p. 913.

15 Com o Teu braço. O braço é símbolo de força (ver Êx 6:6; Sl 10:15; 98:1). CBASD, vol. 3, p. 913.

16-20 Os v. 16 a 20 são uma descrição bem compacta e, contudo, dramática do milagre da libertação no Mar Vermelho. Esses versículos fofrnecem valiosos adicionais à narrativa do êxodo (ver PP, 287; comparar com a narrativa em Êx 14:27-29). CBASD, vol. 3, p. 913.

16 Viram-Te as águas. É sublime o recurso de personificação utilizado pelo salmista, que representa as águas como que reconhecendo a presença do Senhor e fugindo de medo dEle, para abrir caminho a Seu povo. CBASD, vol. 3, p. 913.

16 Temeram. Literalmente, “eles se contorciam em dor”, como dores de parto. CBASD, vol. 3, p. 913.

19 O Teu caminho. Embora invisível, Deus estava com Seu povo ao atravessar o leito seco do mar (ver Êx 15:13; Sl 78:52, 53). Deus está sempre com Seus filhos qiando estes seguem Sua direção.. CBASD, vol. 3, p. 913.

20 De Moisés e de Arão. Deus era o verdadeiro Líder. Moisés e Arão eram Seus instrumentos (ver Nm 33:1). Assim como Deus libertou Israel no Mar Vermelho, libertará Seu povo em tempos de perigo. Esta percepção deve nos ajudar a sempre depositar a confiança nEle. O salmista termina expressando confiança no poder redentor de Deus. CBASD, vol. 3, p. 913.



SALMO 77 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
19 de abril de 2020, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Recordo os feitos do Senhor, pois me lembro das Tuas maravilhas da antiguidade” (v.11).

O mundo tem vivido dias escuros e de insegurança. Não há registros na História sobre algo que tenha atingido todo o mundo de forma tão avassaladora e tão rápida. A célere propagação de um vírus microscópico mudou drasticamente o ritmo do planeta e o que antes considerávamos coisas simples, como a liberdade de ir e vir, ou viajar nas férias, tornou-se para muitos lembranças de um passado feliz. Olhando para o passado com saudosismo e para o futuro com pessimismo, a alegria tem dado lugar à angústia e a esperança, ao desânimo.

Asafe estava passando por um momento de forte tribulação. Em uma súplica sincera, o salmista abriu o coração através de questionamentos sobre a ação e a presença de Deus em seus dias de aflição. Relembrando as obras do Senhor em favor de Seu povo, ele reconheceu que se deixou levar pela tristeza, ao declarar: “Então, disse eu: isto é a minha aflição” (v.10). Deus sempre está à nossa disposição, ainda que seja para ouvir nossas lamentações e pesares. Mas precisamos ter cuidado para não sobrepor as nossas aflições em detrimento do que verdadeiramente é remédio para a alma: a confiança em Deus.

Foi quando caiu em si, que Asafe mudou completamente o seu discurso, exaltando a Deus e as Suas obras. Olhou para o passado com alegria e vislumbrou o futuro com esperança. Disse ele: “O Teu caminho, ó Deus, é de santidade. Que deus é tão grande como o nosso Deus?” (v.13). Ontem, assistindo a um documentário sobre a dimensão do Universo e a grandeza das obras de Deus ( https://youtu.be/Zk_Ne2dJxYk ), meus olhos foram ainda mais abertos para o Seu amor por um planeta que não passa de uma poeira cósmica entre galáxias incontáveis. E se Ele Se importa conosco a ponto de tornar-Se semelhante a nós e dar-Se em sacrifício por nós, podemos, como o salmista, exclamar em louvor e adoração: “Tu és o Deus que opera maravilhas e, entre os povos, tens feito notório o Teu poder” (v.14). Louvado seja o nome do nosso grande Deus!

É exatamente agora, neste momento de tempestade, que o Consolador deseja nos conduzir como Seu rebanho (v.20). Como Asafe, no dia de sua angústia, procure o Senhor (v.2) e Ele lhe mostrará a Sua misericórdia. Como escreveu Ellen White: “Nada temos que recear quanto ao futuro, a menos que esqueçamos a maneira em que o Senhor nos tem guiado, e os ensinos que nos ministrou no passado” (Testemunhos Seletos, v.3, 443). Vigiemos e oremos!

Feliz semana, guiados pelo Espírito Santo!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Salmo77 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



SALMO 77 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
19 de abril de 2020, 0:40
Filed under: Sem categoria

SALMO 77 – Martin Luther King fez a seguinte análise:

“Há tanta frustração no mundo porque confiamos em deuses e não em Deus. Ajoelhamo-nos diante do deus da ciência somente para descobrir que ele nos deu a bomba atômica, produziu medos e ansiedades que a ciência nunca poderá mitigar. Cultuamos o Deus do prazer somente para descobrir que as emoções passam e as sensações são efêmeras. Curvamo-nos perante o deus do dinheiro somente para aprender que há coisas como amor e amizade que o dinheiro não pode comprar, e que num mundo de possíveis depressões, quebras de bolsas de valores e maus investimentos comerciais, o dinheiro é uma divindade bastante incerta. Esses deuses transitórios não são capazes de salvar o coração humano e de lhe dar felicidade. Só Deus é capaz disso. É a fé nEle que devemos redescobrir”.

Contudo, quantas vezes buscamos ao Senhor e não obtemos resposta alguma? O silêncio de Deus resulta em sentimentos ruins tanto quanto os problemas da vida sem Deus. Orar e não obter respostas produz frustrações e aumenta o desespero. Quem nunca teve essa experiência?

Asafe oferece-nos lições valiosíssimas para orientar nossa vida de incertezas. Cada um de nós deveria alimentar nosso coração com as verdades do salmo 77:

1. A dor do presente dificulta a oração incessante. Quando a angústia é grande demais ela furta nossa capacidade até de orar ao Deus onipotente, além de acabar com nosso sono e ofuscar nossa visão de Deus (vs. 1-4, 7-10).
2. Em meio às dores causadas na alma pela angústia, é possível unir-se ao salmista e relembrar com nostalgia os dias de alegria registrados na memória. Refletir ajuda-nos a redefinir nossa vida miserável (vs. 5-6).
3. Sufocado pela asfixiante dor no peito é possível voltar-se para o que Deus tem feito visando vencer o desânimo; recordar os atos de Deus cura a angústia da alma, pois dá certeza de Suas destrezas e esperança no cumprimento de Suas promessas (vs. 11-20).

Num mundo de frustrações, só é possível vencer com fervorosas orações. Numa sociedade e religiosidade de decepções, somente uma existência dedicada à consagração a Deus produz vigor. Relembrar a atuação divina leva-nos a recobrar ânimo a tal ponto de cantar e celebrar.

Experimente colocar tudo isso em prática: Reavivar-te-ás! – Heber Toth Armí




%d blogueiros gostam disto: