Reavivados por Sua Palavra


SALMO 81 – BUSQUE AQUI O POST DESEJADO by Jeferson Quimelli
23 de abril de 2020, 1:10
Filed under: Sem categoria

TEXTO BÍBLICO SALMO 81 – Leia a Bíblia antes

SALMO 80 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL (Associação Geral)

COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COM. TEXTO ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO PR. HEBER TOTH ARMÍ

COM. VÍDEO PR ADOLFO SUAREZ (link externo)

COM. VÍDEO PR EVANDRO FÁVERO (link externo)

COM. VÍDEO PR RONALDO DE OLIVEIRA(link externo)

COM. VÍDEO PR MICHELSON BORGES (link externo)

COM. VÍDEO PR WEVERTON E EQUIPE (link externo)

COM. VÍDEO PR VALDECI JÚNIOR (link externo)



SALMO 81 by Jeferson Quimelli
23 de abril de 2020, 0:55
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/sl/81

Há uma bela promessa apresentada na leitura de hoje: “Se o meu povo apenas Me ouvisse, se Israel seguisse os Meus caminhos, com rapidez eu subjugaria os seus inimigos e voltaria a minha mão contra os seus adversários!” (verso 13 NVI).

Deus quer nos salvar. Você pode ouvir o anseio em sua voz? Apesar dos israelitas terem rejeitado a Deus, ele ainda os chama de “Meu povo.” Em Mateus 23:37 Jesus implorou a Seu povo: “Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas e apedrejas os que lhe são enviados! Quantas vezes eu quis reunir os seus filhos, como a galinha reúne os seus pintinhos debaixo das suas asas, mas vocês não quiseram”.

Você já ouviu a voz de Jesus, implorando que você permita compartilhar com Ele a sua vida? Que você O permita consolar e proteger você como uma mãe galinha cuida de seus pintinhos? Jesus muitas vezes se refere a si mesmo como aquEle que cuida de nós. Ele próprio Se chama: “O Bom Pastor”. Ele diz: “As minhas ovelhas ouvem a minha voz; Eu as conheço e elas Me seguem” (João 10:27).

Pintinhos. Ovelhas. Jesus quer cuidar de você . Ele quer proteger e cuidar de você. Ele deseja lhe manter perto dEle e ficar entre você e seus inimigos.A minha oração hoje é que eu e você nos rendamos ao Seu amor.

Kimberly Bobenhausen
Southern Adventist University, Tennessee USA

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=805
Tradução: Jeferson Quimelli/Pr Jobson Santos/Gisele Quimelli



SALMO 81 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
23 de abril de 2020, 0:50
Filed under: Sem categoria

734 palavras

O Salmo 81 é um hino festivo e foi composto para ser cantado em um dos grandes festivais hebraicos, possivelmente a Páscoa ou a Festa do Tabernáculos. Começa com uma convocação para participar na adoração do festival (v. 1-5) e então apresenta o significado da festividade, ao relembrar o relacionamento de Deus com Israel no passado e a admoestação a Seu povo, insistindo para que andem em Seus caminhos (v. 6-16). Na primeira parte é o salmista quem fala; na segunda, Deus fala ao povo, solicita obediência em vista das bênçãos passadas e promete bênçãos futuras como resultado. Nos rituais das sinagogas modernas o Salmo 81 é cantado no dia do Ano Novo judaico. CBASD, vol. 3, p. 923.

1-5 As datas festivas de Israel lembravam a nação dos grandes milagres de Deus. Eram momentos de alegria e tempos para renovar as forças para as lutas diárias da vida. No Natal, o seu pensamento gira principalmente em torno de presentes? A Páscoa é apenas uma antecipação quente da primavera? [NT: Isso no hemisfério norte; Aqui, a Páscoa antecipa o outono. Na analogia, a Páscoa não deve servir apenas para troca e consumo de chocolate].  Lembre-se das origens espirituais desses dias especiais e use-os como oportunidades para adorar a Deus por sua bondade para você, sua família e sua nação. Life Application Study Bible Kingsway.

Cantai de júbilo. Indicando grande fervor e sinceridade (ver 2Cr 20:19; Sl 3:3). CBASD, vol. 3, p. 923.

2-4 Deus instituiu a música para os cultos do templo (1Cr 25). Música e adoração andam de mãos dadas. A adoração envolve a pessoa toda, e a música ajuda a elevar os pensamentos e emoções para Deus. Através da música, podemos refletir sobre nossas necessidades e deficiências, bem como celebrar a grandeza de Deus. Life Application Study Bible Kingsway.

Trombeta. Do heb. shofar, diferente de chatsotserah, também traduzido como “trombeta” (ver p. 23, 24). CBASD, vol. 3, p. 923.

4 Os festivais deviam ser guardados alegremente porque Deus os apontou e eles eram considerados como um privilégio especial do Seu povo (ver Lv 23:23-25). CBASD, vol. 3, p. 923.

José. A nação de Israel, representada por José, possivelmente devido a sua proeminência durante a peregrinação no Egito (Sl 80:1; cf. Gn 49:26). Literalmente, ele foi o “salvador” de seu povo. CBASD, vol. 3, p. 923.

Contra a terra. Possivelmente se referindo à época do êxodo, particularmente às pragas. Talvez seja feita uma referência especial à décima praga, que ocasionou a libertação dos israelitas. CBASD, vol. 3, p. 923.

Peso. Os escravos egípcios carregavam suas cargas sobre os ombros. Deus removeu o fardo da escravidão libertando os hebreus do Egito (ver Êx 1:11-14; 5:4-17). CBASD, vol. 3, p. 924.

Dos cestos. Possivelmente seja uma referência ao cesto em que os escravos carregavam a argila para fazer os tijolos. CBASD, vol. 3, p. 924.

Meribá. Vre Êx 17:1-7; Nm 20:13; cf. Sl 78:20. CBASD, vol. 3, p. 924.

Povo Meu. Embora rebelde, Israel ainda era o povo de Deus (ver v. 11). O Senhor não havia rejeitado Seu povo. CBASD, vol. 3, p. 924.

Deus alheio. Uma alusão ao segundo mandamento do decálogo (ver Êx 20:4-6; Dt 5:8-10). CBASD, vol. 3, p. 924.

10 Eu sou o SENHOR, teu Deus, que te tirei da terra do Egito. Ver Êx 20:2; cf. Dt 5:6. Tendo em vista a tendência humana ao esquecimento, esta lembrança era continuamente necessária. CBASD, vol. 3, p. 924.

12 Deixei-o. O Espírito de Deus não age para sempre no homem (ver Gn 6:3). Quando o ser humano persiste na rebelião e na dureza de coração, Deus permite que siga seu caminho e sofra as consequências de suas escolhas. O governo de Deus é baseado no livre-arbítrio moral. Deus não força a vontade. Ele adverte a pessoa que a desobediência traz a ruína, mas não impede suas escolhas obstinadas. CBASD, vol. 3, p. 924.

13-16 Deus providenciou em Sua aliança que Ele restauraria Seu povo se eles O escutassem e voltassem para Ele (Êx 23: 22-27, Lv 26: 3-13, Dt 7: 12-26, 28: 1-14) . Life Application Study Bible Kingsway.

13 Meu povo. Ver com. do v. 8. O discurso muda a direção: do Israel do passado passa para o Israel atual, mostrando quais seriam os resultados da fiel obediência aos mandamentos de Deus. CBASD, vol. 3, p. 924.

Ah! Se Meu povo Me escutasse, se Israel andasse nos Meus caminhos! Ver Dt 5:29; 32:29; Is 48:18; Lc 19:42. “De todas as lamentáveis palavras escritas ou faladas, as mais dolorosas são estas: ‘Poderia ter sido!’” (John Greenleaf Whittier, “Maud Muller”). CBASD, vol. 3, p. 924.

16 Mais fino. Quando Deus concede Seus dons, Ele escolhe o melhor. Não há mesquinhez na generosidade do Pai. CBASD, vol. 3, p. 924.

Mel que escorre da rocha. O melhor e mais puro mel, armazenado pelas abelhas na rocha montanhosa. CBASD, vol. 3, p. 924.



SALMO 81 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
23 de abril de 2020, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Ah! Se o Meu povo Me escutasse, se Israel andasse nos Meus caminhos!” (v.13).

Quando o Senhor deu a Moisés os Seus estatutos quanto ao funcionamento e manutenção do santuário, estabeleceu todo o serviço com ordem e decência, a cargo dos levitas. Da tribo de Levi, Asafe e sua descendência foram eleitos, nos dias de Davi, para ministrar o louvor no tabernáculo. Em vinte e quatro grupos de doze cantores cada, “instruídos no canto do Senhor” (1Cr.25:7), eles se revezavam em turnos, de forma que sempre houvesse louvor na Casa de Deus. E “Asafe, Jedutum e Hemã”, ministravam os louvores “debaixo das ordens do rei” (1Cr.25:6).

Uma das festas mais alegres instituídas por Deus a Israel era a Festa dos Tabernáculos. Era ela a última festa anual, anunciada ao som de trombeta (v.3). Por sete dias, o povo se alegrava e erguia as vozes em louvor e adoração ao Senhor, habitando em tendas e gozando das bênçãos das colheitas das vinhas e dos olivais. Esta celebração simbolizava o período em que Israel habitou em tendas no deserto, mas também aponta para o momento final, quando o povo de Deus viajará por “sete dias ascendendo para o mar de vidro”, para a cidade celestial (Primeiros Escritos, p.16).

Mas assim como a desobediência e a murmuração prolongaram o deserto para o antigo Israel, vivemos em tempo de prorrogação. “Ouve, povo Meu” (v.8), tem sido o constante clamor do Senhor. Por Sua longanimidade, tem suportado este planeta que não passa de uma ranhura em Seu universo perfeito. Por Seu imenso e intenso amor pela humanidade caída, Jesus segura o sopro da última trombeta (1Ts.4:16) enquanto aguarda o último pecador arrependido. Estamos chegando ao fim do grande dia da expiação. Em nossa angústia, clamemos ao Senhor, e Ele nos livrará (v.7). Apeguemo-nos à forte destra do Senhor, “força nossa” (v.1) e, muito em breve, Ele livrará nossos “ombros do peso” (v.6) do pecado.

“Ah! Se o Meu povo Me escutasse”, diz o Senhor. “Mas o Meu povo não Me quis escutar a voz” (v.11). “Assim, deixei-o andar na teimosia do seu coração; siga os seus próprios conselhos” (v.12). Como filhos desobedientes e néscios, muitos têm vivido sob a falsa ilusão de uma religião de títulos. Como fazer parte de Israel não era sinônimo de amizade com Deus, ter o nome no rol de membros da igreja também não é. Enoque, Noé, Abraão, Moisés, dentre outros, ouviam a voz de Deus porque mantinham comunhão com Ele. Sua voz lhe era familiar porque constituía seu prazer andar na Lei do Senhor.

Como pais podemos ensinar nossos filhos no caminho em que devem andar, mas chegará o tempo em que eles terão de decidir sozinhos se permanecerão nele ou se andarão “na teimosia do seu coração” (v.12). Da mesma sorte, o nosso Pai celeste nos aponta o Seu “caminho sobremodo excelente” (1Co.12:31), mas Ele nunca nos obrigará a seguir por ele. Em meio a um cristianismo barato de louvores incoerentes, que, pela graça de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, façamos parte do povo que O louva com a vida e o coração, “os que guardam os mandamentos de Deus e têm o testemunho de Jesus” (Ap.12:17). Então, logo ouviremos o som de nosso resgate soando pela abóbada celeste e anunciando a nossa salvação que durará “para sempre” (v.15). Vigiemos e oremos!

Bom dia, povo do advento!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Salmo81 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



SALMO 81 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
23 de abril de 2020, 0:40
Filed under: Sem categoria

SALMO 81 – Ingratidão é uma reação péssima diante de um bem feito por alguém. Pior ainda é quando a ingratidão é demonstrada a Deus por pessoas que receberam grandes bênçãos dEle..

Deus libertou Israel do Egito miraculosamente, porém, os ex-escravos negligenciaram o reconhecimento que Deus merecia; nós também recebemos Jesus de presente, maior que Moisés, para nos libertar de nossa condição deprimente, porém, muitos de nós, não regozijamos em Deus e não proclamamos Suas obras a nosso favor como deveríamos fazer.

Portanto, devemos parar e meditar, relembrar e refletir mais nos grandes feitos de Deus no mundo. Precisamos olhar para o Calvário lendo o relato inspirado nos Evangelhos, a fim de que sejamos mais impulsionados a exultar e regozijar, louvar e adorar, Aquele que deu Sua vida para nos salvar da escravidão do pecado e das garras do diabo.

A Palavra de Deus nos conclama a notar o grande livramento operado por Deus em nosso favor (vs. 5-16) a fim de que louvemos a Ele com toda nossa força, com nossa voz e com instrumentos musicais em todos os momentos (vs. 1-4).

Quando se discerne o sinal de alerta de Deus e obedecemos a Sua voz, Ele enche a existência do indivíduo obediente de grandiosas bênçãos (vs. 10, 16), e abate e humilha aos que se levantam orgulhosamente contra Seus servos (vs. 13-15).

Quando negligenciamos e desprezamos a Palavra de alerta de Deus e nos rebelamos demonstrando claramente nossa rebeldia, colheremos os azedos e amargos frutos inevitáveis desse caminho (vs. 11-12).

A desobediência resulta em horríveis tragédias para quem quer que seja. Só é desobediência quando se sabe o que deve ser feito e não faz, ou seja, rebeldia, rebelião. Em relação a Deus, desobediência resulta em…
1. Desprezo (v. 11);
2. Abandono (v. 12);
3. Endurecimento do coração (v. 12);
4. Distância de Deus (v. 12);
5. Manchar Sua imagem, pois pessoas se identificam com Ele, mas agem contrariamente a Sua vontade (v. 13);
6. Impedimento das vitórias que Deus quer dar (v. 14);
7. Impedimento das derrotas dos inimigos (v. 15);
8. Impedimento da prosperidade familiar, municipal, estadual, nacional e mundial (v. 16).

Vale a pena, no presente, avaliar o que Deus fez no passado, para redirecionar nossa vida para o futuro.

Amigos, reavivemo-nos! – Heber Toth Armí




%d blogueiros gostam disto: