Reavivados por Sua Palavra


SALMO 72 – BUSQUE AQUI O POST DESEJADO by Jeferson Quimelli
14 de abril de 2020, 6:00
Filed under: Sem categoria

TEXTO BÍBLICO SALMO 72 – Leia a Bíblia antes

SALMO 72 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL (Associação Geral)

COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COM. TEXTO ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO PR. HEBER TOTH ARMÍ

COM. VÍDEO PR ADOLFO SUAREZ (link externo)

COM. VÍDEO PR RONALDO DE OLIVEIRA(link externo)

COM. VÍDEO PR WEVERTON E EQUIPE (link externo)

COM. VÍDEO PR EVANDRO FÁVERO (link externo)

COM. VÍDEO PR MICHELSON BORGES (link externo)

COM. VÍDEO PR VALDECI JÚNIOR (link externo)



SALMO 72 by Jeferson Quimelli
14 de abril de 2020, 0:55
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/sl/72

Qual é o tamanho da sua lista de desejos? Quando Deus perguntou a Salomão, o que ele queria, ele pediu apenas uma coisa – sabedoria.

Alguém perguntou à mulher que havia trabalhado na cozinha durante quase toda a sua vida o que ela pediria se lhe fossem concedidos três desejos. Sem pensar, ela respondeu: “alimento suficiente para todas as crianças”. Como seu segundo desejo, ela disse: “Talvez uma máquina de lavar roupas”. Ao ser encorajada a expressar o seu terceiro desejo, ela pensou um pouco e disse: “Eu não sei. Dois desejos são suficientes”. Muitos de nós também teríamos que pensar um pouco, não pela ausência de um terceiro desejo, mas para conseguirmos reduzir a nossa lista a apenas três!

A sabedoria e o acurado senso de justiça de Salomão tornaram-se lendários. Sua fidelidade a Deus resultou na prosperidade da nação. E Deus concedeu-lhe ainda outras bênçãos – vitórias nas guerras, que lhe trouxeram considerável riqueza, e vida longa .

Infelizmente, Salomão desperdiçou grande parte da sua longa vida porque abandonou a Deus. Ele perseguiu fama e honra. Procurou a felicidade em bens materiais. Mais tarde, porém, Ele percebeu que a felicidade é um dom de Deus, mas havia perdido tempo valioso.

Não desperdicemos nosso tempo correndo atrás daquilo que é ilusório. Usemos os dons recebidos para abençoar as nações (v. 17, NVI) e para encher a terra com a glória de Deus, o seu caráter (v. 19, NVI).

Gordon Christo
India

Fonte: https://www.revivalandreformation.org/?id=796 e https://reavivadosporsuapalavra.org/2017/01/11//
Tradução: Jobson Santos, Jeferson e Gisele Quimelli



SALMO 72 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
14 de abril de 2020, 0:50
Filed under: Sem categoria

509 palavras

O salmo 72 retrata um rei ideal num mundo ideal, e ao menos em partes, prenuncia e descreve o reino e o reinado de Cristo, o Messias (ver PR, 868). … Este belo poema descritivo, que conclui o Livro Dois do Saltério, foi provavelmente composto por Davi para seu filho Salomão quando foi coroado rei, como incentivo para que fosse um rei consagrado. Isso se fonfirma no subtítulo do salmo na KJV: “Um salmo para Salomão”. A ARA, no entanto, diz: “Salmo de Salomão”. É quase uma transcrição das últimas palavras de Davi, conforme registradas em 2 Samuel 23:1-5.CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 3, p. 898, 899.

1 Concede ao rei. O salmo se inicia com uma oração por um rei ideal. O reinado de Salomão teria sido um reinado justo como o descrito neste salmo se ele tivesse seguido o conselho divinamente inspirado de seu pai (ver PR, 26). CBASD, vol. 3, p. 899.

Os teus juízos. O rei ideal toma decisões em harmonia com a vontade divina (ver com. de Dt 1:17). CBASD, vol. 3, p. 898.

2 Os teus aflitos. O julgamento justo para os pobres, que com frequência são vítimas de injustiça, requer justiça imparcial (ver com. de Dt 1:17). CBASD, vol. 3, p. 899.

3 Paz. A paz reinará na terra como resultado da justiça (ver Is 32:15-17). A paz traz bênçãos materiais a um povo, ao passo que a guerra traz desolação. O Messias, o rei justo, será um rei de paz (ver Is 9:5, 6; 11:9; Zc 9:10; cf. Hb 7:2). CBASD, vol. 3, p. 899.

6 Como chuva. O governo do rei ideal, o Messias, é como a chuva suave, que faz brotar pasto fresco e verdejante. CBASD, vol. 3, p. 899.

9 Lambam o pó. Figura que descreve uma pessoa prostrada com a cabeça tocando o solo, simbolizando, na cultura oriental, completa submissão (ver Is 49:23). CBASD, vol. 3, p. 899.

10 Sabá. No sudeste da Arábia, de onde uma rainha saiu para visitar Salomão, em 1 Reis 10:10 e 15. CBASD, vol. 3, p. 899.

Presentes. Ver o cumprimento disto na época de Salomão, em 1 Reis 10:10 e 25. CBASD, vol. 3, p. 899.

14 Redime. Do heb. ga’al (ver com. de Rt 2:20), “agir como um parente”. CBASD, vol. 3, p. 899.

17 Subsista. Este versículo terá seu cumprimento final e completo no reino de Cristo sobre toda a Terra (ver PP, 755). CBASD, vol. 3, p. 900.

As nações lhe chamem bem-aventurado. Ver Mt 21:9; 29:39; Lc 19:38. Este versículo descreve a glorificação final do Messias (cf. Mt 25:31). CBASD, vol. 3, p. 900.

18 Deus de Israel. Ver com. de Sl 41:13. Os v. 18 e 19 constituem uma doxologia que marca a conclusão do Livro Dois. CBASD, vol. 3, p. 900.

19 Amém e amém. Ver com. do Sl 41:13; cf. Sl 89:52. No AT, a repetição de “amém”com a conjunção ocorre apenas nas doxologias dos salmos. CBASD, vol. 3, p. 900.

20 Orações de Savi. É provável que este versículo seja uma inscrição de identificação (um colofão), no final do Livro Dois, para indicar que há mais salmos de Davi nos Livros Um e Dois do que no Livro Três, que tem o nome de Davi em apenas um subtítulo. Porém, é também possível que o versículo se refira ao Salmo 72 apenas para dar a entender que nesse momento Davi não tinha mais nada a pedir. CBASD, vol. 3, p. 900.



SALMO 72 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
14 de abril de 2020, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Subsista para sempre o seu nome e prospere enquanto resplandecer o sol; nele sejam abençoados todos os homens, e as nações lhe chamem bem-aventurado” (v.17).

Este Salmo, de autoria atribuída a Salomão, descreve a bênção divina sobre o rei justo. O governo íntegro e caridoso, onde todos são julgados e atendidos com justiça, é revelado como um lugar de paz e prosperidade. E os aflitos e necessitados, como os mais beneficiados. É um reino conhecido de todas as nações e que exerce influência e domínio “até aos confins da Terra” (v.8). Seu rei é digno do respeito de “todos os reis” (v.11) e todas as nações o servem e lhe dão presentes voluntários. Certamente, semelhante rei e governo seria o sonho de consumo da maioria.

Quando o rei de Babilônia, Nabucodonosor, teve o famoso sonho da estátua de metais, e o profeta Daniel, divinamente instruído, lhe deu a revelação do sonho, a sua significação apontava para os grandes reinos da Terra, desde Babilônia até Roma pagã e a Europa moderna, cujo metal, representado pelo ferro estava misturado com o barro. A queda de cada reino e ascensão do próximo provou a veracidade da profecia e tem apontado para os momentos finais dos reinos da Terra com a chegada da “pedra… cortada sem auxílio de mãos” (Dn.2:34), que representa “um reino que não será jamais destruído… mas ele mesmo subsistirá para sempre” (Dn.2:44).

O Rei deste reino eterno esteve entre nós, acudindo “ao necessitado” que clamava “e também ao aflito e ao desvalido” (v.12). Ele teve “piedade do fraco e do necessitado” e salvou “a alma aos indigentes” (v.13) e desprezados da Terra. Cada alma era preciosa aos Seus olhos, de maneira que ninguém que fosse ao Seu encontro era lançado fora. Em Sua companhia havia “abundância de cereais” (v.16) e suprimento espiritual para redimir a “alma da opressão e da violência” (v.14). O Rei da Glória deixou escrito com sangue o Seu infinito amor pela humanidade e breve voltará para levar o povo do Seu reino.

Enquanto finda os preparativos para receber os que nEle creram (Jo.14:1-3), Jesus continua Sua obra intercessora “a favor dos que hão de herdar a salvação” (Hb.1:14), que se apressa para o fim. Seu coração divino-humano pulsa no ritmo dos alegres cânticos dos anjos que enchem o Céu na expectativa de reunir os escolhidos de Deus, “dos quatro ventos, de uma a outra extremidade dos céus” (Mt.24:31). Independente dos reinos injustos e corruptos desta Terra, devemos viver como aqueles que “aspiram a uma pátria superior, isto é, celestial. Por isso, Deus não Se envergonha deles, de ser chamado o seu Deus, porquanto lhes preparou uma cidade” (Hb.11:16).

Aguardemos, com paciência e perseverança, a nossa tão sonhada redenção. Olhemos para Jesus, o nosso Rei justo e fiel, que em breve voltará para nos levar ao Seu reino eterno. “Bendito para sempre o Seu glorioso nome, e da Sua glória se encha toda a Terra. Amém e Amém!” (v.19). Vigiemos e oremos!

Bom dia, cidadãos do reino de Deus!

Desafio da semana: Aconselho os irmãos a acompanharem a jornada de leitura do livro “Eventos Finais” (https://youtu.be/CnS8TBgQ948). Que através desta leitura, nossos olhos sejam abertos para compreender o quão perto estamos do grande Dia do Senhor.

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Salmo72 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



SALMO 72 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
14 de abril de 2020, 0:40
Filed under: Sem categoria

SALMO 72 – As palavras da Bíblia são preciosas orientações para a vida. Encontramos em cada leitura sólido alimento para nossa alma. Sem ela ficamos raquíticos espiritualmente. Ela nos liga a Deus, que preenche de satisfação ao nosso coração.

Como um legado deixado por Salomão, esse salmo está recheado de sábios ensinamentos. Embora seja aplicável diretamente ao escritor, o Salmo vai muito além, aponta para o autor: Deus e Seu Filho, Jesus Cristo.

1. Embora um bom político possa fazer muito para promover a justiça, o Messias com Seu caráter divino, é quem irá implantar retidão, justiça e paz no coração de Seus súditos. Essa consciência e oração de abertura deveria ser proferida por todo líder em sua função (vs. 1-2).

2. Conquanto a profecia descrita nos versículos 3 a 19 seja mais plenamente aplicada a Cristo em Seus diversos detalhes, é possível que aqueles que morrem para o EU para que Cristo viva em Seu lugar apresente vislumbres desse cumprimento profético:
a) Cristo julga a Terra, mas os salvos participarão com Ele do processo desse julgamento (I Coríntios 6:1-2).
b) Cristo governa todo o Universo, porém, os salmos terão o privilégio de participar dessa administração (Apocalipse 3:21).
c) Cristo promove a paz, Seus súditos, antes mesmo de adentrar aos Céus, são pacificadores aqui na Terra (Mateus 5:9).
d) Cristo se compadece dos pobres e infelizes, assim cada representante dEle deve mostrar tal preocupação e atender aos carentes com amor no coração (Mateus 25).
e) Cristo irá reinar eternamente, e com Ele os salvos de todos os tempos; Sua regência irá erradicar ao pecado, trará copiosas e constantes chuvas de bênçãos à Terra, os justos florescerão e não restará espaço nenhum no Universo para o Diabo e seus súditos.
f) Cristo será honrado e exaltado por todos os povos como Rei dos reis, Seu reino será universal. Todos os Seus súditos acompanharão cada fase do desenvolvimento de Seu governo com alegria e exultação.

Salomão, filho de Davi, herdeiro de um grande reino, não titubeou em exaltar o ministério do Messias que viria. Nós, que aguardamos a segunda vinda do Messias não podemos fazer menos do que Ele. Podemos dar os primeiros passos testemunhando do Reino que muito em breve suplantará todos os reinos corruptos…

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí




%d blogueiros gostam disto: