Reavivados por Sua Palavra


ÊXODO 23 by jquimelli
24 de dezembro de 2018, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: http://biblia.com.br/novaversaointernacional/exodo/ex-capitulo-23/

Porque Deus é justo, Ele chama Seu povo a ser justo e correto em suas relações uns com os outros. Expandindo o nono mandamento, “não dirás falso testemunho,” Israel é avisado de que essa ordem não se limita a comportamento em tribunais. A nossa interação cotidiana deve ser livre de falso testemunho, fofoca ou calúnias. Não devemos seguir a multidão e sermos influenciados pela pressão dos colegas, mas devemos fazer nossos próprios julgamentos e defender o que é direito.

Se Israel permanecer fiel a Deus, Ele enviará Seu Anjo, Cristo (PP 232, 311, 366), para ir antes deles. A aliança no Sinai é concluída com a promessa da intervenção de Deus em suas batalhas na conquista de Canaã. Israel recebe a certeza de que o próprio Deus enviará o Seu medo diante deles, e que Ele destruirá seus inimigos, incluindo o envio de vespas para expulsar as nações cananitas. Nesta promessa de libertação, Israel é instruído a confiar em Deus, na obra que Ele realizaria.

Muitas vezes em nossas vidas nós procuramos fazer o que Deus quer fazer por nós. Estamos dispostos a confiar na promessa de que Ele irá adiante de nós, para que possamos ser testemunhas de Seus poderosos atos?

Michael Hasel
Departamento de Arqueologia
Southern Adventist University

Fonte: https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/exo/23
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos, Jeferson e Gisele Quimelli

Ouça em áudio (Voz: Valesca Conty)



ÊXODO 23 – VÍDEO COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
24 de dezembro de 2018, 0:55
Filed under: Sem categoria



ÊXODO 23 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Maria Eduarda
24 de dezembro de 2018, 0:45
Filed under: Sem categoria

Não existem leis de Moisés. Todas as leis na Bíblia são divinas. Deus é inventor das leis bíblicas. Ele é o Legislador. Como Deus não é amoral, Ele deseja uma vida moralmente elevada a Seus filhos neste mundo imoral.

A Lei de Deus combate o pecado, promove a justiça e estabelece o amor. Sem amor regendo cada decisão e cada ato não é possível viver o ideal estipulado na mais nobre Lei existente no Universo.

Observe as prescrições do sábio Legislador:

1. Leis sobre honestidade, justiça: Boatos são proibidos, testemunhas maliciosas devem ser rejeitadas, a prática do mal é intolerável, perverter o certo é abominável, o suborno e a opressão são condenáveis, etc.; Deus é o Juiz e Ele não justifica o ímpio (vs. 1-9).

2. Leis sobre o descanso semanal e anual: O propósito destas leis é inibir a ganância, a avareza, a ambição, o materialismo, o egoísmo, etc. A cada seis anos de trabalho a terra deveria ser deixada aos carentes dentre o povo durante todo o sétimo ano. Além disso, a cada seis dias trabalhados, o sétimo deveria ser de descanso aos escravos e animais. Precisamos prevenir-nos contra a egolatria e a idolatria. (vs. 10-13).

3. Leis sobre três festas anuais: Ao ir à presença de Deus, ninguém deveria aparecer de mãos vazias. Deus dá recursos aos fieis para que estes festejem em Sua presença. Deus aprecia festas. Ele instituiu festas…

• …dos Pães ásmos/ázimos (Páscoa);
• …da Sega dos primeiros frutos/primícias;
• …da colheita (ou dos tabernáculos);

Após estas leis reveladas a Moisés, Deus prometeu enviar Seu anjo adiante dele ao conduzir o povo à Terra Prometida. Não somente o anjo, mas terrores e vespões iriam à frente do povo para confundir e afugentar inimigos (vs. 20-33).

O poder de Deus manifesta-se em Seu povo quando este se compromete com Seus estatutos. Desprezar as leis divinas implica rejeitar o Legislador. Ignorar as Leis de Deus significa desacatar à maior autoridade do Universo.

Submeter-se inteiramente a Deus (o que inclui observar fielmente Suas leis) resulta em vitórias, sucesso, milagres, saúde e prosperidade que impressionará o mundo pagão. O plano divino é abençoar a todos; Sua estratégia inicial foi abençoar Israel: “A salvação vem dos judeus” – Jesus declarou (João 4:22).

Oremos: “Abençoa-nos, Senhor!” – Heber Toth Armí.



ÊXODO 23 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
24 de dezembro de 2018, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Eis que Eu envio um Anjo adiante de ti, para que te guarde pelo caminho e te leve ao lugar que tenho preparado” (v.20).


A necessidade de Israel de chegar ao lar não era maior do que a necessidade de estar preparado para lá entrar. O cuidado de Deus em ensinar Suas leis ao povo promoveria este preparo e fundamento sólido de sua fé. Semelhante ao Egito, as nações que habitavam em Canaã eram pagãs e idólatras. Sua cultura e costumes eram totalmente contrários ao estilo de vida designado por Deus ao Seu povo. Em cada “Não” declarado pelo supremo Legislador, há uma grande carga de sabedoria e de amor. A postura dos filhos de Israel frente à maldade deste mundo precisava ser diferente se quisessem possuir a terra prometida.

Enquanto ainda acampavam, tinham de aprender a viver em comunidade de forma harmônica com o Senhor e uns com os outros. Todos precisavam colaborar a fim de que pudessem avançar nesse sentido. E as leis de Deus lhes seriam uma espécie de “GPS”, iluminando-lhes o caminho. Uma das coisas de que o Senhor deixou bem claro é que o nosso dever cristão de perdoar os inimigos e de fazer-lhes o bem não pode ser confundido com dar-lhes a mão e ser coniventes com suas maldades. Há uma linha divisória entre o bem e o mal. Não há como permanecer fiel seguindo os critérios da maioria que segue para o mal. E isto deve ser ainda mais operante na vida daqueles que detém algum tipo de autoridade. Justificar o ímpio ou aceitar suborno são práticas que jamais devem compor o currículo daqueles que professam ser forasteiros a caminho do Lar.

Como Criador, o Senhor conhece cada uma das necessidades da Terra para que permaneça em seu curso natural. O ano sabático, além de servir como um ano especial de caridade aos pobres, também dava descanso ao solo já tão manchado pelo pecado. Fosse até o dia de hoje observado este estatuto, e como seria diferente qualidade do solo e alimentos. De igual forma, Deus também estabeleceu um repouso para o homem, o sábado; um descanso semanal para renovar as nossas energias e uma lembrança eterna de Sua criação, a fim de que nem lembremos ou falemos “do nome de outros deuses” (v.13).

O próprio Senhor Se autodenominou “Anjo” (v.20). O Anjo que ia adiante do Seu povo. Jesus, o Bom Pastor guiou Israel no deserto. Se os filhos de Israel dessem ouvidos à Sua voz, Ele os conduziria em segurança à Canaã. Mas às portas de entrar no lugar prometido, as fronteiras revelariam as tentações que precisavam vencer, pois a ordem foi bem clara: “Não adorarás os seus deuses, nem lhes darás culto, nem farás conforme as suas obras” (v.24). A promessa e as bênçãos condicionais se assemelham à realidade dos nossos dias. Jesus prometeu estar conosco “todos os dias, até à consumação do século” (Mt.28:20). Mas, para isso, precisamos reconhecer-Lhe a voz e rejeitar “a voz dos estranhos” (Jo.10:4-5).

Diante de um mundo cercado pela maldade e falta de amor, e ao mesmo tempo sendo um mostruário de deuses modernos, não podemos fazer qualquer tipo de aliança “com eles, nem com os seus deuses” (v.32). Diferente do antigo Israel, não marchamos em um deserto literal rumo a um lugar nesta Terra. Marchamos, porém, no deserto espiritual rumo ao Lar dos Céus. Jesus não frequentou os prostíbulos, as tabernas ou lugares escusos de Israel, mas ao lançar o convite: “Vinde a Mim” (Mt.11:28), prostitutas, ébrios e pecadores de toda estirpe iam ter com Ele. Não precisamos nos vestir da aparência do mal para conquistar pessoas para Cristo. Precisamos nos vestir de Cristo se quisermos conquistar pessoas para o Reino de Deus.

Que neste dia em que o mundo se veste de Papai Noel, Cristo seja visto em você!

Bom dia, reflexos de Cristo!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Êxodo23 #RPSP

Comentários em áudio:
https://www.youtube.com/user/nanayuri100

https://www.youtube.com/channel/UCzzqtmGdF4UqBopc6CRiqLA



ÊXODO 23 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
24 de dezembro de 2018, 0:05
Filed under: Sem categoria

1607 palavras

1 notícias falsas. Esta ordem é uma ampliação do nono mandamento, que proíbe a calúnia e a difamação. … Embora a palavra “testemunho” indique que a lei tem a ver principalmente com a forma de se proceder num tribunal, não se limita a isso. CBASD, Comentário Bíblico Adventista do 7º Dia, vol. 1, p. 673. [Nota do compilador: talvez nos dias de hoje poderíamos incluir nesta categoria as muito conhecidas fake news.]

3 Apesar da lei ter o objetivo de proteger o pobre (ver v. 6), ela não devia ser mal utilizada para favorecer o pobre contra o rico. Andrews Study Bible.

Isso … simplesmente sustém uma justiça imparcial, que não deve favorecer o pobre nem o rico. Inclinar-se para qualquer um dos lados significaria perversão da justiça (Lv 19:15). CBASD, vol. 1, p. 673.

4 A inimizade pessoal não pode paralisar a vida normal da sociedade, nem secar as fontes de compaixão e de piedade. Quantas vezes o povo paralisa as fontes de alimentação da nação para a extorquir com um preço mais alto! Bíblia Shedd.

O princípio do NT de amar os inimigos (Mt 5:43-48) tem suas origens nessa lei. Andrews Study Bible.

7 1Rs 21.10-13 é uma ilustração vivido da violação dessa lei. Bíblia de Estudo NVI Vida.

10-12 As duas leis do sábado diferem em sua motivação (16:23; 20:10; 31:15-17). Enquanto que a criação e a santidade de Deus formam a motivação das outras citações, aqui o foco se encontra em prover descanso e alívio para os mais sobrecarregados, tanto humanos quanto animais. Andrews Study Bible.

10-13 O quarto mandamento, o do sábado (20.8-11), aqui se aplica à terra, à obra humana, e aos animais. O sétimo ano é para a terra descansar (que, aliás, é uma necessidade agrícola) , e tudo que ela produz sozinha é para alívio dos pobres, juntamente com a fauna terrestre e as aves. Bíblia Shedd.

Os setenta anos de cativeiro tiveram o objetivo de compensar a não observância dos anos sabáticos (2Cr 36:17-21). CBASD, vol. 1, p. 674.

13 Em tudo o que vos tenho dito, andai apercebidos. Tudo o que Deus nos diz na Sua Palavra é para nos ensinar a amá-Lo, confiar nEle e servi-lO na terra e nos céus. As leis que aqui aparecem são para separar o povo de Deus de todo sintoma de paganismo, da idolatria e do deslize mental que o acompanha. Assim, a primeira Epístola de João, que tanto fala do amor de Cristo e da vida espiritual, se encerra com as palavras: “Filhinhos, guardai-vos dos ídolos” (1Jo 5.21).

do nome de outros deuses nem se ouça de vossa boca. Como proteção contra a idolatria, o povo de Deus sequer deveria mencionar nomes de deidades pagãs. Esta proibição estava baseada no princípio de que a familiaridade com o mal com frequência leva à sua prática. Se esta ordem tivesse sido cumprida, o perigo da idolatria teria sido removido por completoCBASD, vol. 1, p. 674.

14-19 As três festas religiosas [que simbolizavam as três grandes intervenções espirituais de Deus: Páscoa, Pentecoste e Volta de Jesus] em que o povo todo se reunia para o culto solene. Quando o povo se tornou em uma grande nação, tais festas se realizavam no Templo de Jerusalém. Bíblia Shedd.

Na terra prometida, a vida giraria em torno do calendário agrícola. Em Canaã, o plantio e a colheita estavam intimamente ligados à adoração de ídolos que se supunham garantir fertilidade. Essas leis visavam proteger da idolatria ao ligar Deus à vida diária e identificá-Lo como a fonte de todas as bênçãos. Andrews Study Bible.

15 Pães asmos. Continuação da festa da Páscoa, na qual se dava graças a Deus pela libertação da escravidão. Bíblia Shedd.

Apesar desta ser a época do festa da colheita da cevada na primavera, Deus estabelece como motivação a libertação do Egito e não apenas um festival de colheita. Andrews Study Bible.

Começava com a Páscoa e uma santa convocação, durava sete dias e terminava com outra santa convocação (Lv 23:5-8). Comiam-se pães sem fermento durante esses dias, em comemoração à saída apressada do Egito (Êx 12:33, 34, 39). O fermento era símbolo do pecado e do erro (Mt 16:6, 11, 12; 1Co 5:6-8). O pão sem fermento representava a libertação do pecado por meio dAquele que é o pão da vida (Jo 6:35, 48, 51). Um molho das primícias era oferecido perante o Senhor (Lv 23:9-14). … Quando o Salvador ofereceu-Se a Si mesmo no Calvário cessou o significado da Páscoa, pois ela apontava para Ele (1Co 5:7). O rito da Ceia do Senhor foi instituído como um memorial do mesmo evento (Lfc 22:14-20). CBASD, vol. 1, p. 675.

16 Guardarás a Festa da Sega, dos primeiros frutos do teu trabalho. É o Pentecoste, a festa das semanas, assim chamada por contar sete semanas ou cinquenta dias, desde o começo dos produtos da terra até ao dia da festa. “Pentecostes” é a transcrição do numeral grego que significa “cinquenta”. É a festa de gratidão por todos os benefícios de Deus na vida diária.  Bíblia Shedd.

Cinquenta dias eram contados a partir do dia em que o molho da colheita era oferecido (Lv 23:15-21). O 50º dia era chamado de “a festa da semanas”, pois sete semanas inteiras o separavam da Páscoa. Na época do NT era chamado de Pentecostes, que deriva de uma palavra grega [da tradução Septuaginta, do AT] que significa “quinquagésimo”. CBASD, vol. 1, p. 675.

… e a Festa da Colheita. Celebrada depois de colher tudo aquilo que o ano produziu. Naqueles dias, todos viviam em tendas de ramos e folhas, para lembrar-se do tempo, no deserto, quando Deus supria tudo sem a contribuição do esforço humano. Bíblia Shedd.

Em outras passagens é comum o nome “Festa dos Tabernáculos” [tendas], pois o povo devia fazer tendas para habitar durante a festa (Lv 23:33-36; Dt 16:13-15; 31:10; Jo 7:2). Este festival de oito dias começava no dia 15 de tisri, que se dava no final de outubro ou começo de novembro. CBASD, vol. 1, p. 675, 676.

17 Mulheres e crianças são poupadas da cansativa jornada. Andrews Study Bible.

18 Não oferecerás o sangue do Meu sacrifício com pão levedado. Este sacrifício era o cordeiro pascal, uma vez que a proibição de se usar “pão levedado” e qualquer parte que restasse do cordeiro” até pela manhã” tinha a ver apenas com essa oferta (Êx 12:1-11; Dt 16:1-5). O cordeiro pascal era a mais importante de todas as ofertas, pois tipificava o sacrifício de Cristo, o verdadeiro cordeiro pascal (1Co 5:7). de fato, Deus podia chamá-Lo de “Meu sacrifício”. CBASD, vol. 1, p. 676.

19 a primícia do frutos. Isto significava tanto “o melhor” dos primeiros frutos (Nm 18:12) como “os primeiros frutos” (Nm 18:13). Assim como esses primeiros frutos da colheita da terra eram apresentados a Deus, Cristo se apresentou ao Pai como o primeiro fruto da colheita da ressurreição (Jo 20:17; 1Co 15:20-23). CBASD, vol. 1, p. 676.

não cozinharás. Cozinhar os cabritos dos sacrifícios no leite de sua mãe era uma prática dos cananeus. Provavelmente, esta ordem foi dada para evitar que esse rito pagão, proibido por Deus, fosse realizado entre Seu povo. CBASD, vol. 1, p. 676.

Essa lei é repetida mais duas vezes (34:26; Dt 14:21). Provavelmente ela aponta para um tratamento sensível à criação não-humana e a proteção à relação mães-filhos de vários animais. Ver tb 22:30; Lv 22:27-18; Dt 22:6-7 para exemplos disso com cordeiros, bezerros e pássaros. Andrews Study Bible.

A gula humana não pode suprimir a compaixão. Bíblia Shedd.

20-33 Deus tem autoridade para nos dar Suas Leis, pois Ele criou o mundo e nos tirou da escravidão (20.2). Mas à autoridade, Deus sempre acrescenta Sua graça e Seu amor. Bíblia Shedd.

21 Nele está o Meu nome. Aqui a primeira pessoa da Divindade, o Pai, fala da segunda pessoa da Divindade, Seu Filho. Esta declaração indica que o “anjo” que leva o nome de Deus é igual ao próprio Deus (ver Jo 1:1-3, 14; Cl 1:13-19; Hb 1:8). CBASD, vol. 1, p. 677.

23 Eu os destruirei. Destruí-las como nações, não como indivíduos, pois eles deviam ainda ser conquistados como prosélitos à fé de Israel (2Sm 23:39; 24:18-25; 2Cr 8:7-9). CBASD, vol. 1, p. 677.

24 Não adorarás os seus deuses, nem lhes darás culto. Deve-se lembrar que a adoração idólatra daqueles povos pagãos era licenciosa e degradante ao extremo. As cerimônias de algumas deidades pagãs eram contaminadas por sacrifícios humanos e corrompidas com prostituição. a iniquidade dessas nações estava agora completa (ver Gn 15:16). Não é de se surpreender que estavam prestes a encher a medida da ira de Deus ( ver com [CBASD] de G 15:16). CBASD, vol. 1, p. 677.

25 e Ele [o Senhor]  retirará do vosso meio as enfermidades. O povo de Deus deve orar em favor dos doentes. a paz com Deus lança fora as múltiplas doenças causadas pelos vícios, pela preocupação, pelo ódio e pelo medo. Bíblia Shedd.

O viver saudável nos protege de enfermidades da mente bem como do corpo. Da mesma forma, a piedade promove o bem-estar físico (ver DTN, 827). CBASD, vol. 1, p. 677.

26 completarei o número dos teus dias. Da mesma forma, o ideal para o crente é ir amadurecendo, até a velhice, para depois ser colhido como um feixe de trigo, a seu tempo (Jó 5.26). Bíblia Shedd.

27 Enviarei o Meu terror. Ver o cumprimento desta promessa em Números 22:3; Josué 2:9, 11; e 9:24. Os inimigos dos israelitas realmente bateram em retirada frente à derrota (Nm 21:3, 24, 35; Js 8:20-24; 10:10, 11). Se Israel tivesse obedecido a Deus de forma plena, Ele teria quebrantado todo o poder das nações cananéias. CBASD, vol. 1, p. 677.

29 num só ano. Seria impossível cultivar uma terra abandonada, de uma hora para outra. Bíblia Shedd.

Quando Israel, o reino hebreu do norte, foi despovoado pela remoção das dez tribos ao cativeiro, houve um crescimento notável de leões que devoraram os poucos remanescentes (2Rs 17:24, 25). CBASD, vol. 1, p. 677.

31 Porei os teus limites. Estes limites só foram demarcados 400 anos depois, sob o reinado de Davi e  Salomão (1Rs 4:21, 24; 2Cr 9:26). CBASD, vol. 1, p. 677.

32 Não farás aliança. Uma vez que os tratados de paz comuns dessa época continham um reconhecimento dos deuses das nações e palavras de louvor a eles, alianças com povos pagãos incluiriam o reconhecimento de seus deuses. CBASD, vol. 1, p. 678.



ÊXODO 23 – VÍDEO COMENTÁRIO PR RONALDO DE OLIVEIRA by Maria Eduarda
24 de dezembro de 2018, 0:05
Filed under: Sem categoria




%d blogueiros gostam disto: