Reavivados por Sua Palavra


ÊXODO 14 by jquimelli
15 de dezembro de 2018, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: http://biblia.com.br/novaversaointernacional/exodo/ex-capitulo-14/

O capítulo da travessia pelo Mar Vermelho parece um filme moderno que envolve ação, terror, adrenalina. Seria mais ou menos assim: bem ali atrás está o bandido te alcançando, ele te persegue ferozmente. Sua fragilidade o faz sentir vontade de baixar a guarda, entregar os pontos. Então se levanta alguém e diz que é possível sim passar pelo mar. Parece mais fácil retroceder, se entregar, continuar a vida de escravidão. Nesse ínterim, você clama desesperadamente por socorro, e a voz de Deus diz: “Por que clamas a mim? … Marche” (15).

Dar o primeiro passo é nossa resposta positiva ao livramento do Senhor. As próximas cenas são rápidas. O povo marcha, o mar se abre, os inimigos são destruídos e o povo é posto em liberdade.

O mar está à sua frente e o inimigo te alcançando? Dê o primeiro passo, marche em direção à vitória, confie, acredite, coloque a sua vontade ao lado da vontade do Senhor. Ele pelejará por você!

O relato da libertação dos exércitos inimigos quando não havia saída humana nos assegura que quando confiamos nEle e seguimos as suas orientações Deus pelejará por nós e fará grandes proezas. E como consequência, desejaremos louvá-Lo e exaltá-Lo pelo que Ele é e faz.

Juliana Lang da Silva
Professora e secretária
Atualmente dona de casa e mãe de Laura (5 anos) e Pedro (2 anos)
Gravataí, Brasil

Fonte: https://www.revivalandreformation.org/?id=310 e https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/exo/14
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos, Jeferson e Gisele Quimelli

Ouça em áudio (Voz: Valesca Conty):



ÊXODO 14 – VÍDEO COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
15 de dezembro de 2018, 0:55
Filed under: Sem categoria



ÊXODO 14 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Maria Eduarda
15 de dezembro de 2018, 0:45
Filed under: Sem categoria

Há neste texto estupendas orientações espirituais. Este capítulo “é uma das passagens mais emocionantes da Bíblia”, destaca William MacDonald.

Acompanhe este emocionante relato; antes, porém, observe estes pontos propostos por Eugene H. Merril:

  1. Mais uma vez Deus endureceu o coração do faraó, de modo que, pela sua derrota, o Egito soubesse que Javé é Deus (vs. 1-18);
  1. Através de uma noite inteira de angústia, a presença do Senhor guardou Israel dos exércitos do Egito (vs. 19-20);
  1. Então Javé, no ato redentor mais maravilhoso do AT, abriu o mar para que Seu povo passasse com segurança, enquanto seus inimigos pereciam (vs. 21-31).

Esta passagem fala dos limites humanos que dão oportunidade de Deus revelar Seu ilimitado poder (vs. 1-4). Demonstra que embora inimigos de Deus alcancem Seu povo que o medo pareça estrangular a fé, demonstrar confiança nas ordenanças de Deus possível a vitória que parecia impossível (vs. 5-14).

Um homem de fé faz toda a diferença em uma nação desnorteada, aflita e desesperada. A voz de Moisés ecoando imperativamente apelando ao povo que “marche” frente ao mar deve motivar-nos a entregar-nos a Deus como instrumento Seus a fim de ver milagres acontecerem: O mar se abriu em dois para dois milhões de pessoas passarem (vs. 15-22).

A tentativa frustrada dos egípcios deve gravar em nosso coração e razão que é loucura/idiotice batalhar contra Deus mesmo que tenhamos à nossa disposição o melhor, mais bem preparado e equipado exército do mundo. Quando Deus entra em cena e faz justiça, a salvação do povo de Deus está na destruição de Seus inimigos (vs. 23-31).

Compartilho mais: Em minha Bíblia anotei frases de um sermão que ouvi deste capítulo:

  • A fé é o medo de joelho clamando a Deus por ajuda (vs. 9-10);
  • O problema do ponto-de-vista humano foi a solução oportuna para Deus revelar Seu poder (vs. 11-12);
  • Deus não ajuda a quem se ajuda, Ele ajuda a quem não pode se ajudar (vs. 13-14);
  • Nossos extremos são as oportunidades de Deus (vs. 15-16).

Erwin Lutzer enfatiza que…

  • Deus nos conduz a lugares de aperto;
  • Em cada lugar apertado Deus provê uma forma de escape;
  • Nossos lugares apertados devem tornar-se os lugares apertados de Deus.

Sendo Deus poderoso: Que impede reavivar-nos? – Heber Toth Armí



Êxodo 14 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
15 de dezembro de 2018, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Disse o Senhor a Moisés: Por que clamas a Mim? Dize aos filhos de Israel que marchem” (v.15).

Os filhos de Israel receberam a ordem de Deus de retroceder de sua marcha para acamparem-se “junto ao mar” (v.2). Aquela parada logo chegou aos ouvidos de Faraó, que tomando os filhos de Deus por “desorientados na terra” (v.3), reuniu toda a sua força bélica e partiu para o que pensara ser uma batalha ganha. A reação temerosa do povo ao avistar Faraó e seu exército é uma prova de que as manifestações sobrenaturais não são em si suficientes para sustentar a fé. Mesmo depois de terem sido testemunhas oculares dos grandes prodígios do Senhor, Israel precisava aprender a indispensável e diária lição da confiança em Deus. Lição esta que confirmaria a fé de uns e a descrença de outros.

Antes de Israel estar cercado por um exército covardemente armado e pelas águas do mar, estava cercado pelo medo. Creio que Moisés seria severamente agredido ou quem sabe morto, não fosse a imediata intervenção divina. O Senhor dos Exércitos se interpôs entre os egípcios e o Seu povo. Para os egípcios a nuvem de Deus “era escuridade”, mas para os filhos de Israel “esclarecia a noite” (v.20). Para os filhos da desobediência, Deus e Seus feitos não são dignos de consideração, mas para os filhos da obediência, Deus e Seus milagres lhes ilumina a vida. Andando “pelo meio do mar em seco” (v.22), Israel não tinha mais o mar como um obstáculo intransponível, mas como um muro de proteção “à sua direita e à sua esquerda” (v.29) e como o carrasco de seus inimigos.

Sem dúvida alguma, este foi o episódio que mais marcou o início da jornada de Israel. Deus já havia provado ser o Criador do céu, através das pragas da chuva de pedras e da escuridão, além de revelar-Se como o Criador da terra, transformando o pó da terra em piolhos. Chegada era a hora de revelar-Se como o Criador do mar, o que foi notoriamente visto pelos egípcios e reconhecido pelos israelitas. A verdadeira liberdade consiste na adoração Àquele que fez “os céus e a terra, o mar e tudo o que neles há” (Êx.20:11). Logo, o Senhor lembraria o Seu povo do selo de Sua criação (Êx.20:8). O sábado é o presente do Criador à criatura como memorial eterno da criação e da redenção.

Nos dias em que antecedem o triunfante retorno de Cristo, a realidade que nos cerca deixa cada vez mais claro de que “o mundo inteiro jaz no maligno” (1Jo.5:19). Para onde olhamos há inimigos e um mar de tribulações. E muitos, encurralados pelas circunstâncias, têm acreditado que atentar contra a própria vida é a única saída. Outros, buscam logo um culpado ou um alvo para descarregar as suas emoções. Alguns ainda, frustrados, julgam ser melhor voltar à escravidão do pecado do que colocar o pé na água. E no meio deste emaranhado de situações, o Espírito Santo não desiste de nos consolar: “Não temais; aquietai-vos e vede o livramento do Senhor que, hoje, vos fará” (v.13).

Que neste sábado do Senhor, você não olhe para os inimigos ou para a fúria do mar. Que os teus olhos se abram para ver “o Anjo de Deus” (v.19), que te protege por detrás e por diante. Que, pelos olhos da fé, você enxergue a gloriosa nuvem que ilumina o teu caminho e que não permite que o inimigo toque em um só fio do teu cabelo. Acredite, assim como foi com Israel, o mar passa, os inimigos passam, o deserto desta vida já tem hora e data marcadas para terminar e, muito em breve, nos uniremos às vozes do Céu, dizendo: “O reino do mundo se tornou de nosso Senhor e do Seu Cristo, e Ele reinará pelos séculos dos séculos” (Ap.11:15).

Feliz sábado, povo que marcha para o Céu!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Êxodo14 #RPSP



ÊXODO 14 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
15 de dezembro de 2018, 0:05
Filed under: Sem categoria

760 palavras

1-4 Um reflexo do plano da salvação, o livramento do Mar Vermelho não foi um pensamento posterior de Deus, mas foi iniciado por Ele. Andrews Study Bible.

2 As cidades aqui mencionadas até hoje não foram localizadas com certeza, mas parecem se tratar de pontos um pouco ao norte dos limites atuais do Mar Vermelho. Bíblia Shedd.

serei glorificado. Sl 76.10 nos ensina que até a ira dos homens há de glorificar a Deus. Isto quer dizer que nem as piores circunstâncias terrestres (Tg 1.20) podem ofuscar a glória de Deus, mas, sim, até mesmo contribuir para ela, juntamente com o resto do universo (Sl 19.1). Bíblia Shedd.

Que é isto que fizemos? Isto [o ataque aos israelitas] não foi uma decisão arbitrária somente do faraó. Ele teve amplo apoio de seu exército que também queria vingança. Andrews Study Bible.

10-11 temeram …. disseram.  A primeira reação (ficar aterrorizado) é natural; a segunda (reclamar) estabeleceu um padrão para as crises posteriores (15:24; 16:2; 17:3). Andrews Study Bible.

11 Por que nos trataste assim, fazendo-nos sair do Egito? A primeira de uma longa série de queixas e lamúrias que Moisés precisou enfrentar por quarenta anos. O libertador de um povo com espírito de escravidão, tem uma tarefa das mais difíceis. Vê-se que quem escravizava o povo não era só o Faraó, mas também a própria mente mesquinha que achava melhor viver como boi ou cavalo, apenas com a comida garantida. Bíblia Shedd.

13 aquietai-vos e vede. Aqui está a importantíssima doutrina da fé. O povo, tendo finalmente obedecido à chamada de Deus para sair da escravidão e tão somente servi-Lo, se viu numa situação humanamente impossível, por ter seguido às instruções do servo de Deus. Então veio a hora de parar de debater, de se preocupar, e começar a possuir esta fé dinâmica que, embora pareça ser “apenas ficar quieto”, é, na verdade, o canal pelo qual a plenitude do poder intervém. É um exemplo da fé salvadora, que aceita a obra de Cristo e não se apóia na força humana. Bíblia Shedd.

15 clamas. Devemos entender aqui que Moisés estivera orando. Bíblia de Genebra.

18 saberão. Apesar do peso das pragas e punições, é melhor reconhecer a Deus aqui na terra, do que ser forçado a reconhecê-Lo no dia do julgamento. Daí se compreende que os milagres do Êxodo deram uma oportunidade para a salvação dos egípcios. Bíblia Shedd.

19 Anjo … nuvem. O Anjo do Senhor é identificado com a própria presença de Deus na nuvem (23.20-22). Bíblia de Genebra.

19-31 O Anjo do Senhor, a nuvem, e o próprio Deus são utilizados intercambiadamente besta seção. Andrews Study Bible.

21-22 As imagens utilizadas aqui e amplificadas no cap. 15 são as da criação. Deus está re-criando um povo. Assim como o Espírito de Deus pairava sobre as águas (Gn 1:2), Moisés manteve seu bastão sobre o mar. Deus então separou a água na criação assim como separou o mar, fazendo nos dois casos aparecer a terra seca (Gn 1:9). Andrews Study Bible.

21 vento oriental. Deus envia o vento para realizar os seus propósitos, mas um poder sobrenatural maior do que isso foi necessário para manter a água de cada lado da rota de escape para, em seguida, devolver a água com força suficiente para destruir o exército de Faraó. Bíblia de Genebra.

24-25 Na vigília da manhã. A última vigília estaria entre 2 às 6h da manhã. O grande aparato do exército egípcio, em especial seus carros de guerra, encontram seu maior obstáculo ao entrarem em batalha com o Deus vivo. Mesmo os egípcios tinham de conhecer Deus. Andrews Study Bible.

26-28 Note a criação em reverso, ecoando o caos de Gn 1:2. A terra seca desaparece quando o mar retorna, afogando os egípcios. Andrews Study Bible.

30 Israel viu os egípcios. Os que estavam sempre perante os israelitas como perseguidores temíveis, agora não passavam de cadáveres. Também o crente, pela fé, deve encarar os problemas da vida, já vencidos por Cristo. Bíblia Shedd.

30-31 Deus escolhe fortalecer a liderança de Moisés ao trabalhar através dele e não agir sozinho. Estes são versos chaves. É somente aqui que o povo finalmente deixa a influência egípcia e se torna livre. Eles foram testemunhas de seu livramento dramático iniciado e completado por Deus. Andrews Study Bible.

31 temeu  confiou no Senhor e em Moisés, seu servo. Infelizmente esta confiança dependia da prosperidade dramática visível, enquanto Moisés, o herói da fé, vivia como “quem vê aquele que é invisível” (Hb 11.27). Bíblia Shedd.

Nesse ponto, Israel é uma comunidade que professa fé. Mais tarde, no deserto, eles apostatarão e ficarão sujeitos à ira de Deus (Nm 14; Sl 95). A igreja, como uma comunidade que professa fé, deve evitar esse exemplo. Bíblia de Genebra.



ÊXODO 14 – VÍDEO COMENTÁRIO PR RONALDO DE OLIVEIRA by Maria Eduarda
15 de dezembro de 2018, 0:05
Filed under: Sem categoria




%d blogueiros gostam disto: