Reavivados por Sua Palavra


APOCALIPSE 20 by jquimelli
10 de outubro de 2018, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: http://biblia.com.br/novaversaointernacional/apocalipse/ap-capitulo-20/

Apocalipse 19 termina com a destruição da besta e do falso profeta no lago de fogo e a morte dos ímpios. Apocalipse 20 vai descrever a destruição de Satanás e a segunda morte dos ímpios. Satanás é chamado aqui de antiga serpente relembrando Gênesis 3, pois o que acontecerá com ele a seguir, é cumprimento do que Deus havia prometido a Adão e Eva em Gênesis 3:15, esmagar (Rm 16:20) a cabeça da serpente. Enquanto Satanás está preso, os que não adoraram a besta reinam com Cristo (Ap. 20:4) e ironicamente os que a adoraram para não morrer (Ap. 13:15) estão mortos (Ap. 19:20-21; 20:5). Os mártires que clamavam por juízo (Ap. 6:9-10) agora não apenas recebem o juízo, mas estão assentados nos tronos para julgar (Ap. 20:4).

Apocalipse 20 nos assegura que todas as promessas de Deus se cumprirão, que logo haverá a erradicação final do pecado e da morte. Então teremos novos Céus e Nova Terra (Ap. 21:1), não haverá mais maldição (Ap. 22:3) e teremos acesso novamente a árvore da vida (Ap. 22:14). O que pode ser melhor que isto? Não troque a vida eterna pelas ilusões do mundo, lembre-se, Deus quer passar a eternidade contigo.

Flávio da Silva de Souza
Professor de Teologia Sistemática
SALT – Seminário Latino Americano de Teologia

Fonte: https://www.revivalandreformation.org/?id=1433
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos, Gisele Quimelli e Jeferson Quimelli



APOCALIPSE 20 – VÍDEO COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
10 de outubro de 2018, 0:55
Filed under: Sem categoria



APOCALIPSE 20 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by jquimelli
10 de outubro de 2018, 0:45
Filed under: Sem categoria

APOCALIPSE 20 – O problema do pecado é mais complexo do que imaginamos; todavia, por mais complicado que seja solucionar esse problema universal, o bem terá a palavra final sobre o mal.

Observe o desenvolvimento da solução:

• A primeira parte da solução: Expulsar Satanás do Céu (Apocalipse 12:7-9);
• A segunda parte consistiu em avisar Adão e Eva (após a queda) que o descendente da mulher esmagaria a cabeça da serpente-Satanás (Gênesis 3:14-15; Gálatas 4:4; Apocalipse 12:1-5).
• A terceira parte é a segunda vinda de Cristo com Seus anjos em glória, para retirar os salvos de mundo para um período de mil anos na Casa do Pai (João 14:1-3; Filipenses 3:20-21; Apocalipse 19:1-20:1-4).

O crente fiel aguarda com expectativa o cumprimento total das promessas divinas espalhadas pela Bíblia; esperam o momento quando a existência e a presença do pecado serão definitivamente erradicadas, evidenciando a vitória total do Soberano do Universo.

O Deus misericordioso derramou Seu amor através de Jesus para que, ao aceitarmos Seu amor, sejamos mais que vencedores no Senhor.

Da perspectiva correta, o milênio é mais positivo que negativo. Leia o capítulo 20, depois considere estes pontos:

• O milênio provê um período necessário ao amadurecimento da problemática do mal e desenvolvimento de uma congruência universal de apoio absoluto à solução provida pela Trindade na questão do pecado.

• Como um tempo de reflexão e análise universal, na Terra como no Céu, se dedicará tempo suficiente a repassar as decisões do Conselho da Corte Celestial. Nenhuma reflexão discordará da conclusão comum. Satanás e seus anjos serão os próprios objetos de análise e reflexão; no Céu, os salvos participarão na avaliação dos rebeldes e corruptos (I Coríntios 6:2-3).

• As duas reflexões (a demoníaca no mundo caótico e, aquela que acontecer nos procedimentos judiciais no Céu) convergirão na aceitação de que as decisões judiciais da Trindade são verdadeiramente justas. Ninguém terá qualquer dúvida (Filipenses 2:9-11; Apocalipse 16:5).

A quarta parte da solução acontece no final do milênio! Ainda que Deus esteja interessado em resolver o problema do pecado, não o fará de forma arbitrária nem autoritária, ou sem dar qualquer explicação. Seu intuito maior não é aniquilar pecadores, mas salvá-los. Contudo, Ele respeita a decisão de cada um.

O milênio será bênção para os salvos! Então, prepare-se!

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.



APOCALIPSE 20 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
10 de outubro de 2018, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Bem-aventurado e santo é aquele que tem parte na primeira ressurreição; sobre esses a segunda morte não tem autoridade; pelo contrário, serão sacerdotes de Deus e de Cristo e reinarão com Ele os mil anos” (v.6).


Continuando a narração do retorno de Jesus, como o Cavaleiro que “Se chama Fiel e Verdadeiro” (Ap.19:11), da derrota da besta e do falso profeta e destruição dos ímpios, João viu “descer do céu um anjo” tendo “na mão a chave do abismo e uma grande corrente” (v.1). As cadeias deste anjo vingador representa a prisão de Satanás (v.2), que ficará nesta terra destruída durante mil anos sem ter a quem tentar, já que “os restantes dos mortos” permanecerão nesse estado até que se completem “os mil anos” (v.5). Já estudamos o que as Escrituras dizem sobre o estado dos mortos: “e o pó volte à terra, como o era, e o espírito [Ruah, fôlego], volte a Deus, que o deu” (Ec.12:7). Somos a junção de pó da terra mais fôlego de vida. Portanto, nós não temos uma alma, somos “alma vivente” (Gn.2:7).

Nesse contexto, entendemos melhor sobre a ressurreição. De forma geral, haverá duas ressurreições: “os que tiverem feito o bem, para a ressurreição da vida; e os que tiverem praticado o mal, para a ressurreição do juízo”, disse Jesus (Jo.5:29). Enquanto isso, os mortos estão em um estado de sono, como bem falou Jesus antes de ressuscitar a Lázaro: “Nosso amigo Lázaro adormeceu, mas vou para despertá-lo” (Jo.11:11). Ora, se Lázaro estivesse desfrutando do Céu ao lado de Deus, será que Jesus o teria trazido de volta a este mundo de pecado? Certamente que não. O sábio Salomão também escreveu: “Porque os vivos sabem que hão de morrer, mas os mortos não sabem coisa nenhuma, nem tampouco terão eles recompensa, porque a sua memória jaz no esquecimento” (Ec.9:5).

Quando Jesus voltar em glória, com os Seus santos anjos, soada a trombeta de Deus, “os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro” e os vivos serão transformados e todos levados para junto de Cristo nas nuvens, dando início à viagem intergaláctica até à Cidade Santa, a Nova Jerusalém (1Ts.4:16). Os ímpios serão mortos e os que já estavam mortos (ímpios), permanecerão em seus túmulos até que se passem os mil anos. “Quando, porém, se completarem os mil anos, Satanás será solto da sua prisão” (v.7), haverá a segunda ressurreição e ele reunirá aquela multidão “como a areia do mar” (v.8) a fim de guerrear contra “o acampamento dos santos” (v.9), “a santa cidade, Jerusalém, que [descerá] do Céu, da parte de Deus” (Ap.21:9). Mas antes que haja cumprido o seu diabólico objetivo, descerá “fogo do céu”, que o destruirá, juntamente com seus anjos e com todos os ímpios, de uma vez por todas (v.9).

Antes disso, haverá um julgamento, um acerto de contas. Cristo, Aquele que Se assenta no trono de Deus (v.11), julgará a cada um “segundo as suas obras, conforme o que se acha escrito nos livros” (v.12). Existem registros no santuário celeste. A obra de expiação de Cristo no lugar Santíssimo, desde 1844, tem sido uma obra de purificação dos registros dos santos, dos que verdadeiramente se arrependeram e daqueles que hão de se arrepender de seus pecados antes que termine o período de graça. Ninguém escapará do juízo divino, até o mar dará “os mortos que nele estavam” (v.13). Serão “julgados, um por um, segundo as suas obras” (v.13).

O Senhor virá para destruir definitivamente o pecado e toda a maldade e, infelizmente, todo aquele que não for “achado inscrito no Livro da Vida” (v.15), que não aceitou o chamado de amor do Salvador, procurando viver como o antigo Israel, como quem não tem Rei, cada um fazendo o que acha ser correto a seu próprio critério, sem o temor do Senhor (Jz.21:25), terá de sofrer o dano da “segunda morte, o lago de fogo” (v.14). Esta nunca foi a vontade de um Deus que pacientemente espera por nós “não querendo que nenhum pereça, senão que todos cheguem ao arrependimento” (2Pe.3:9). O nosso tempo de espera pelo retorno de Jesus nunca poderá ser comparado ao tempo em que Deus espera até o último inscrito no Livro da Vida! Mas, no tempo determinado, Ele terá de dar fim ao pecado e cumprir Sua derradeira promessa. E está perto, meus irmãos! Está muito perto o Dia em que nossos olhos contemplarão a Redenção! Que, até lá, avancemos, buscando “as coisas lá do alto, onde Cristo vive” (Cl.3:1).

Bom dia, inscritos no Livro da Vida do Cordeiro!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Apocalipse20 #RPSP



APOCALIPSE 20 – COMENTÁRIOS ADICIONAIS by jquimelli
10 de outubro de 2018, 0:10
Filed under: Sem categoria

6545 palavras

O milênio – O fim do grande conflito

‘Apocalipse 20 descreve o julgamento dos ímpios pelos justos que estarão no Céu, durante o Milênio. Satanás e os anjos maus ficarão retidos na Terra desolada. No fim do Milênio, o pecado e os pecadores serão eliminados do Universo.” – LES893, p. 172.

“O estudo dos mil anos de Apocalipse 20 é essencial por diversas razões: 1ª Ele aumenta nossa compreensão da vindicação final do caráter de Deus no fim do grande conflito; 2ª Indica a recompensa dos justos e sua obra depois da Segunda Vinda de Jesus; e 3ª Correta compreensão do Milênio evita que aceitemos ensinos que se opõem ao que diz a Bíblia, tais como a doutrina do arrebatamento secreto antes do Milênio e a teoria da ‘segunda oportunidade’ durante o Milênio.

“Precisamos estudar muito bem o assunto de Apocalipse 20, para ter plena certeza do que cremos a esse respeito.” – LES893, p. 162 e 163.

20:1 E vi descer do céu um anjo, que tinha a chave do abismo e uma grande cadeia na sua mão.

20:2 Ele prendeu o dragão, a antiga serpente, que é o Diabo e Satanás, e o amarrou por mil anos.

Prendeu o dragão – “O Apocalipse descreve alguns acontecimentos impressionantes que acompanharão o momento do retorno de Cristo, em que será preso Satanás (Apocalipse 16:18, 20, 21). Com os fiéis no Céu e os ímpios mortos (II Tessalonicenses 1:7, 8, 2:8), a Terra ficará como no princípio (Gênesis 1:2), sem forma e vazia, sem luz nem vida, como a descreve Jeremias 4:23-28. Esse é o abismo no qual ficará Satanás durante o milênio. …

“Como num dia de chuva o pedreiro que devia levantar-nos as paredes nos diz: ‘Estou atado de pés e mãos’, a cadeia das circunstâncias enumeradas … será o instrumento com o qual o anjo prenderá a Satanás durante o milênio.” – SRA/EP, p. 46.

                Milênio – “Não há razão para interpretar os mil anos como tempo profético, aplicando o princípio do dia-ano, porque o Milênio ocorrerá após o tempo histórico.” – LES893, p. 171.

O ensino sobre o Milênio abrange importantes doutrinas bíblicas. … as considerações bíblicas sobre este assunto se acham contidas em Apocalipse 19:11 a 20:15. A seqüência começa com a Segunda Vinda de Cristo e termina na fase executiva do juízo final em que os ímpios são destruídos no lago de fogo. Portanto, as doutrinas bíblicas que fazem parte deste assunto são as seguintes:

“1) A volta visível e pessoal de Cristo; 2) a ressurreição dos justos no começo do Milênio, e a dos ímpios no fim dos mil anos; 3) o estado dos mortos; 4) o juízo final; 5) Satanás; 6) a destruição dos perdidos; 7) a Nova Terra e a Nova Jerusalém, o lar dos remidos.” – LES893, p. 163.

O MILÊNIO

(Mil Anos Entre as Duas Ressurreições)

Tempo Presente Primeira Ressurreição MILÊNIO Segunda Ressurreição Eternidade
Era Cristã

Últimos dias

Conclusão da mensagem de Apoc. 14:6-14

Cristo vem buscar os santos

Ressuscitam os justos mortos

Os santos são levados para o Céu

Ímpios morrem

Satanás é preso

Os santos reinam com Cristo no Céu

Terra desolada

Satanás preso

Cristo vem com os santos

Desce a cidade Santa

Ímpios mortos ressuscitam

Satanás é solto

Destruição dos ímpios

Nova Terra

Os santos possuem o reino para sempre

                Diagrama que “expõe os acontecimentos que ocorrerão no começo e no fim do Milênio, e também as condições que existirão durante esse período de tempo”, segundo LES893, p. 163 e 164.

20:3 Lançou-o no abismo, o qual fechou e selou sobre ele, para que não enganasse mais as nações até que os mil anos se completassem. Depois disto é necessário que ele seja solto por um pouco de tempo.

Satanás lançado no abismo – “Note que é o anjo de Deus que tem a chave. Portanto, Satanás não conseguirá evitar ser lançado no abismo e retido ali.” – LES893, p. 166

Prisão desolada. Como vimos, a Terra ficará completamente desolada, sem nenhum habitante humano. Quando a palavra hebraica usada para designar o estado da Terra em Gênesis 1:2 foi traduzida para a Septuaginta (versão grega do Antigo Testamento), usou-se o vocábulo abussos (‘abismo’.) A mesma palavra foi usada em Apocalipse 20:1. A Terra será reduzida a seu estado de desolação anterior.

No livro do Apocalipse o diabo é identificado como rei do ‘abismo’ ou do ‘poço do abismo’ (Apoc. 9:1, 2 e 11; 11:17; 17:8). O diabo e os anjos maus habitam no ‘abismo’. É o lugar do qual surgem os enganos satânicos. Visto que a terra é o campo de ação do diabo, deduzimos que ela é o ‘abismo’ em que ele será confinado durante o Milênio. O diabo e seus demônios ficarão ‘presos’ no sentido de que não terão ninguém para tentar durante mil anos.” – LES893, p. 167.

“Na septuaginta (a versão grega, antes da Era Cristã, da Bíblia Hebraica), abussos(abismo) é usado para designar o oceano primitivo (Gen. 1:2), as profundezas do mar (Jô 28:14) e as profundezas da Terra (Deut. 8:7; Sal. 71:20). Paulo usa uma vez a palavra abussos para designar a sepultura (Rom. 10:7).

“Das nove vezes que abussos aparece no Novo Testamento, sete ocorrem no Apocalipse. Abussos é um lugar que pode ser aberto ou fechado com uma chave (Apoc. 9:1 e 2; 20:1-3); poderes do mal residem ali (Apoc. 9:2 e 3); um governante dirige esses poderes (Apoc. 9:11); a besta surge desse abismo, o que sugere que também retornará a ele (Apoc. 11:7; 17:8).

“O uso de abussos no Apocalipse denota que esse vocábulo é empregado para descrever a habitação de Satanás na Terra. Como ele é simbolizado pelo dragão vermelho e pela besta escarlate (Apoc. 12:3 e 9; 17:3, 7 e 8), precisa de uma toca ou covil – o abismo. E visto que o ‘dragão’ foi atirado para a Terra (Apoc. 12:9), a Terra é na realidade o seu covil.” – LES893, p. 166.

“A Terra tinha a aparência de um deserto solitário. Cidades e vilas, derribadas pelo terremoto, jaziam em montões… . Aqui deverá ser a morada de Satanás com seus anjos maus por mil anos. Aqui estará ele circunscrito, para errar para cá e acolá, sobre a superfície da Terra, e para ver os efeitos de sua rebelião contra a lei de Deus.” – História Redenção, p. 415, citado em LES893, p. 167.

Que simbolismo do Antigo Testamento representa a prisão de Satanás durante o Milênio? Lev. 16:7-10 e 20-22.” – LES893, p. 167.

                Lev. 16:7-10 e 20-22: “Também tomará os dois bodes, e os porá perante o Senhor, à porta da tenda da revelação. E Arão lançará sortes sobre os dois bodes: uma pelo Senhor, e a outra por Azazel. Então apresentará o bode sobre o qual cair a sorte pelo Senhor, e o oferecerá como oferta pelo pecado; mas o bode sobre que cair a sorte para Azazel será posto vivo perante o Senhor, para fazer expiação com ele a fim de enviá-lo ao deserto para Azazel.”

“Quando Arão houver acabado de fazer expiação pelo lugar santo, pela tenda da revelação, e pelo altar, apresentará o bode vivo; e, pondo as mãos sobre a cabeça do bode vivo, confessará sobre ele todas as iniqüidades dos filhos de Israel, e todas as suas transgressões, sim, todos os seus pecados; e os porá sobre a cabeça do bode, e enviá-lo-á para o deserto, pela mão de um homem designado para isso. Assim aquele bode levará sobre si todas as iniqüidades deles para uma região solitária; e esse homem soltará o bode no deserto.”

“A remissão do pecado e a eliminação dos registros do pecado no santuário eram efetuados nos serviços diários e no serviço anual, em virtude do derramamento de sangue. A responsabilidade pelo pecado era colocada sobre a cabeça do bode emissário, que representava a Satanás. E então esse bode era levado para o deserto.

Devido aos crimes contra Deus e a humanidade. ‘Ocorre agora o acontecimento prefigurado na última e solene cerimônia do dia da expiação. Quando se completava o ministério no lugar santíssimo, e os pecados de Israel eram removidos do santuário em virtude do sangue da oferta pelo pecado, o bode emissário era então apresentado vivo perante o Senhor; e as iniqüidades dos filhos de Israel, e todas as suas transgressões, segundo todos os seus pecados’, pondo-os sobre a cabeça do bode. Lev. 16:21. Semelhantemente, ao completar-se a obra de expiação no santuário celestial, na presença de Deus e dos anjos do Céu e do exército de remidos, serão então postos sobre Satanás os pecados do povo de Deus; declarar-se-á ser ele o culpado de todo o mal que os fez cometer. E assim como o bode emissário era enviado para uma terra não habitada, Satanás será banido para a Terra desolada, que se encontrará como um deserto despovoado e horrendo.’ – O Grande Conflito, págs. 663 e 664. (Grifo acrescentado.)“ – LES893, p. 167 e 168.

Não mais engane as nações – “Que acontecerá com os ímpios que estiverem vivos por ocasião da segunda Vinda de Jesus? Apoc. 19:20 e 21; comparar com II Tess. 1:7 e 8; 2:8.” – LES893, p. 164.

II Tess. 1:7 e 8: “e a vós, que sois atribulados, alívio juntamente conosco, quando do céu se manifestar o Senhor Jesus com os anjos do seu poder em chama de fogo, e tomar vingança dos que não conhecem a Deus e dos que não conhecem a Deus e dos que não obedecem ao evangelho de nosso Senhor Jesus;

II Tess. 2:8: “e então será revelado esse iníquo, a quem o Senhor Jesus matará como o sopro de sua boca e destruirá com a manifestação da sua vinda;”

“As Escrituras não dizem que haverá uma ressurreição geral dos ímpios na Segunda Vinda de Jesus. Haverá uma ressurreição especial de alguns ímpios e de alguns justos, pouco antes da volta de Cristo. (ver Dan. 12:2; Apoc. 1:7; S. Mar. 14:62; O Grande Conflito, pág. 643; Primeiros Escritos, pág. 285.) Visto que os ímpios vivos serão destruídos por ocasião da volta de Jesus, podemos deduzir que durante o Milênio não haverá ímpios vivendo aqui na terra. (ver também Apoc. 6:14-17.)” – LES893, p. 164.

20:4 Então vi uns tronos; e aos que se assentaram sobre eles foi dado o poder de julgar; e vi as almas daqueles que foram degolados por causa do testemunho de Jesus e da palavra de Deus, e que não adoraram a besta nem a sua imagem, e não receberam o sinal na fronte nem nas mãos; e reviveram, e reinaram com Cristo durante mil anos.

Julgamento – “Jesus foi preparar lugar para os salvos no Céu, para onde Ele os levará (São João 14:1-3). Portanto, o juízo de que está falando a Bíblia ocorrerá no Céu.

“Esse juízo não afeta os justos, os quais foram julgados antes da segunda vinda de Cristo … . Neste juízo são julgados os ímpios que participarão da segunda ressurreição (Apocalipse 20:12, 13), ao diabo e a seus anjos, e se lhes determina o castigo que merecem.

“Este juízo também serve para que os santos compreendam por que não se salvaram algumas pessoas que eles consideravam justas. Tal juízo desfará toda a dúvida da mente dos redimidos acerca da malignidade do pecado e a justiça e o amor de Deus.

“O Todo-poderoso ficará vindicado ante o Universo, e a compreensão de Sua justiça garantirá a estabilidade eterna da criação.” – SRA/EP, p. 45.

A segunda fase do julgamento.  Desde 1844 até o fim do tempo da graça, o julgamento no Céu abrange a investigação dos registros das pessoas que aceitaram a Cristo nalguma ocasião da história terrestre. Todos aqueles cuja profissão de fé for considerada genuína serão levados para o Céu por ocasião do Segundo Advento de Cristo. Durante o Milênio, na segunda fase do julgamento, serão investigados os registros dos que rejeitaram a Cristo. Este será o julgamento dos ímpios mortos. O verso 4 nos diz que aqueles a quem for ‘dada autoridade de julgar’ estarão com Cristo durante mil anos.

Quem serão aqueles que irão julgar? São mencionados dois grupos especiais em Apocalipse 20:4. Primeiro há os mártires de todas as épocas; e, depois, os que aceitaram a mensagem do terceiro anjo e rejeitaram a imagem e o sinal da besta nos últimos dias (Apocalipse 13). Ambos os grupos demonstraram corajosamente sua total lealdade a Deus, em face de terríveis provações e ameaças. Apocalipse 20:6 indica que os remidos de todas as épocas ‘reinarão’ com Cristo durante o Milênio.

Quem será julgado por eles? O apóstolo Paulo diz que ‘os santos hão de julgar o mundo’ e ‘os anjos’. (Ver I Cor. 6:2 e 3; comparar com S. Judas 6.) A obra dos salvos, durante o Milênio, será julgar os ímpios de todas as épocas, incluindo os anjos maus.

“’Em união com Cristo julgam os ímpios, comparando seus atos com o código – a Escritura Sagrada, e decidindo cada caso segundo as ações praticadas no corpo. Então é determinada a parte que os ímpios devem sofrer, segundo suas obras; e registrada em frente ao seu nome, no livro da morte. Igualmente Satanás e os anjos maus são julgados por Cristo e Seu povo.’ – O Grande Conflito, pág. 666.

“Esta fase do juízo abrange aquele que não se achou inscrito no livro da vida (Apocalipse 20:15). Será realizado pelo Senhor junto com os redimidos durante o milênio (Apocalipse 20:4; I Coríntios 6:2, 3). Este juízo é para benefício dos santos que glorificaram a Deus ao comprovar a justiça de Deus expressa nos Seus juízos.” – SRA/EP, p. 80.

Qual é o propósito mais amplo dessa segunda fase do julgamento? No começo do grande conflito, Satanás acusou a Deus de ser injusto. No decorrer desse conflito na Terra, a humanidade muitas vezes expressou as acusações de Satanás. A segunda fase do julgamento é de capital importância para os santos. Ao ser examinado cada caso, ficará bem claro que Deus concedeu a cada pessoa a oportunidade de salvar-se; Ver-se-á que elas rejeitaram os Seus convites e que Ele foi totalmente justo ao excluí-las do reino eterno. Pelos séculos intermináveis da eternidade ninguém terá dúvida alguma quanto à misericórdia e justiça de Deus. Ninguém quererá rebelar-se contra Ele. Os registros do grande conflito terão provado definitivamente que Seu amor é infinito.” – LES893, p. 168 e 169.

Questões elucidadas para os remidos e para os perdidos.  De acordo com Apocalipse 22:11 e 12, o tempo da graça para os seres humanos terminará antes da Volta de Cristo. Podemos supor que isto se dará quando for concluído o juízo que precede o Segundo Advento. A prova mundial no tocante ao sinal da besta e ao selo de Deus, dividirá a última geração em dois grupos. Assim será determinado o destino de todas as pessoas – vivas ou mortas – antes que Cristo volte com o Seu galardão. Ninguém poderá ser salvo no julgamento durante o Milênio ou na fase executiva do juízo final, que se seguirão à volta de Cristo.

“O juízo que precede o Segundo Advento proporcionará aos seres celestiais que não caíram amplas informações sobre as questões do grande conflito (Dan. 7:10); e o julgamento durante o milênio e a fase executiva do juízo final elucidarão as questões para os remidos e para os perdidos, respectivamente. Esses processos do julgamento nos dizem muita coisa sobre o caráter de nosso Criador. Ele quer que os seres inteligentes do Universo compreendam cabalmente a natureza do pecado e como o Céu lidou com ele. Todos verão e reconhecerão que Deus foi infinitamente misericordioso e justo.” – LES893, p. 168

Julgados pelas coisas que estavam escritas nos livros – “Quais são os três benefícios que resultam do juízo investigativo que precede o Segundo Advento?

1 – Ele é para benefício de Deus. Naturalmente, não Lhe revelará quem será salvo. Isso Ele já sabe. A principal finalidade do juízo investigativo é vindicar o caráter de Deus, defasando as dúvidas que Satanás suscitou acerca da justiça de Suas leis e de Seu trato com os seres criados. Ele demonstra claramente que Deus não destruirá seres rebeldes ou pecaminosos sem conceder a essas pessoas todas as oportunidades e recursos que o Céu pode prover para reconciliá-las com Deus. O Senhor precisa demonstrar que tratou a todos com imparcialidade, antes de excluir alguém da primeira ressurreição. E também que um número significativo de seres humanos mostrou-se sensível a tudo que Ele fez para salvá-los, sendo habilitados por Sua graça a guardar os Seus mandamentos.” – LES892, p. 75.

“[2 ] O juízo que precede o Segundo Advento é para o benefício dos habitantes do Universo que não caíram. O objetivo é que, ’pela Igreja, a multiforme sabedoria de Deus se torne conhecida agora pelos principados e potestades nos lugares celestiais’ (Efés. 3:10). Daniel viu a presença de ‘milhares de milhares …, e miríades de miríade’ (Dan. 7:10) no julgamento celestial que precede o Segundo Advento. O desígnio de Deus é que ‘a angústia’ não se levante ‘por duas vezes’ (Naum 1:9). Por isso, é essencial que nenhum habitante do Universo tenha qualquer dúvida da justiça de Deus.

[3 -] Esse julgamento é também para aqueles que agora vivem sobre a Terra. Cristo quer que os crentes vivos entrem numa relação com Ele que suporte o escrutínio (ou exame minucioso) do Universo.” – LES892, p. 74.

20:5 Mas os outros mortos não reviveram, até que os mil anos se completassem. Esta é a primeira ressurreição.

As duas ressurreições – “A primeira parte de Apocalipse 20:5 deve ser considerada como estando entre parêntesis. A última parte do verso 5 e todo o verso 6 se acham ligados ao assunto do verso 4. A ressurreição da vida, que Jesus predisse em S. João 5:29, é a ressurreição dos ‘bem-aventurados e santos’, no começo dos mil anos. A ressurreição da condenação é a ressurreição dos ‘restantes dos mortos’, no fim dos mil anos.

As duas ressurreições. É importante notar que Apoc. 20:5 e 6 está em harmonia com as outras partes das Escrituras que falam sobre o estado dos mortos. Estes permanecem inconscientes na sepultura até serem ressuscitados. (ver I Reis 2:2 e 10; Atos 2:29 e 34; Jó 14:12-15; Sal. 146:3 e 4; Ecles. 9:5, 6 e 10.) Tanto os justos como os ímpios vão para a sepultura ao morrer. Na Bíblia não existe o que se chama de ‘Purgatório’. (ver Jô 3:11-19.)

“Haverá duas ressurreições: uma dos justos, e outra dos ímpios. Jesus, que ressuscitará ambos os grupos, ensinou esta verdade (S. João 5:28 e 29), e o apóstolo Paulo reafirmou-a (Atos 24:15).

“Apocalipse 20:4-6 declara que essas ressurreições gerais dos justos e dos ímpios não ocorrerão ao mesmo tempo, mas estarão separadas pelo período de mil anos. A primeira ressurreição – a dos justos – dar-se-á por ocasião da Segunda Vinda de Cristo. Os ímpios mortos ressuscitarão na ressurreição geral no fim dos mil anos.

“Depois de referir-se aos mártires, a Bíblia na Linguagem de Hoje traduziu Apocalipse 20:4 e 5 desta maneira: ‘Tornaram a viver e reinaram com Cristo durante os mil anos. (Os outros mortos não tornaram a viver até terminarem os mil anos.) Esta é a primeira ressurreição.’ “ – LES893, p. 169 e 170.

Visto que todos os ímpios estarão mortos e todos os justos estarão no Céu, não haverá nenhum ser humano durante o Milênio. Qual será a condição da terra durante esse tempo? Apoc. 16:18 e 20; II S. Ped. 3:10; Jer. 4:23-27.” – LES893, p. 165.

                II S. Ped. 3:10 – “Virá, pois, como ladrão o dia do Senhor, no qual os céus passarão com grande estrondo, e os elementos, ardendo, se dissolverão, e a terra, e as obras que nela há, serão descobertas.”

                Jer. 4:23-27 – “Observei a terra, e eis que era sem forma e vazia; também os céus, e não tinham a sua luz. Observei os montes, e eis que estavam tremendo; e todos os outeiros estremeciam. Observei e eis que não havia homem algum, e todas as aves do céu tinham fugido. Vi também que a terra fértil era um deserto, e todas as suas cidades estavam derrubadas diante do Senhor, diante do furor da sua ira. Pois assim diz o Senhor: Toda a terra ficará assolada; de todo, porém, não a consumirei.”

“O grande terremoto final certamente deixará o mundo num estado de caos e destruição. Jeremias estava predizendo a vinda dos babilônios para destruir o Israel apóstata e seu país. Mas a visão que ele teve também se aplica ao fim do tempo, quando os acontecimentos daquela época se repetiriam em escala mundial.

“Nos escritos dos profetas do Antigo Testamento há muitas passagens que falam de destruição, devido ao pecado, no dia do Senhor, seguida de um período de desolação e, depois, por um tempo de restauração. Embora não haja outras passagens na Bíblia – além de Apocalipse 20 – que falem de um período de mil anos em que a terra ficará completamente desolada, há muitas passagens que descrevem a desolação da Terra. Note algumas:

Dia do Senhor                    Desolação da terra                           Restauração

Isa. 64:1-3                           Isa. 64:10-12                                      Isa. 65:9, 10 e 17-25

Isa. 66:14-16                       Isa. 66:24                                            Isa. 66:22 e 23

Eze. 33:21 e 27                   Eze. 33:28 e 29                                   Eze. 34-11-16 e 22-24

Sof. 1:2-18                           Sof. 2:4-7, 9, 11, 13-15; 3:6 e 8      Sof. 2:9; 3:9-20

“As passagens acima têm uma aplicação histórica que era um tipo da situação que existirá no fim do tempo. Nem todos os aspectos da situação inicial se aplicam à situação secundária. Mas as semelhanças são consideráveis. Dias do Senhor locais e históricos apontavam para o Dia do Senhor do fim do tempo.” – LES893, p. 166

20:6 Bem-aventurado e santo é aquele que tem parte na primeira ressurreição; sobre estes não tem poder a segunda morte; mas serão sacerdotes de Deus e de Cristo, e reinarão com ele durante os mil anos.

Santo – “De acordo com a revelação bíblica, quem é santo? No sentido etimológico da palavra, que dizer separado. É por isso que a Bíblia Sagrada diz que a igreja deve ser santa, sem mácula nem ruga (Efésios 5:27). Os santos, dos quais fala a Bíblia Sagrada, não são mortos nem são estátuas. São os membros de igreja que se separam do pecado e seguem a Cristo, respeitando os princípios da Palavra de Deus. Você, eu, todos nós somos chamados por Deus para ser esses santos. (I S. Pedro 1:15-16; II S. Pedro 3:11; I S. Pedro 2:9; Colossenses 1:22).” – SRA/EP, p. 45

Primeira ressurreição – “Quais são as duas ressurreições sobre as quais nosso Senhor Jesus Cristo falou quando esteve na Terra? São João 5:28, 29. Resp.: a. ‘Os que tiverem feito o bem para a ressurreição da vida; …’ (São João 5:29 p.p.). b. ‘…Os que tiverem praticado o mal para a ressurreição da condenação’ (São João 5:29 ú.p.). …

“Este versículo [Apoc. 20:6] diz que são os justos que voltarão à vida (ressuscitarão) e reinarão com Cristo mil anos. Este é o milênio bíblico que começa com a primeira ressurreição. …

“A primeira ressurreição ocorrerá quando Jesus voltar em glória e majestade.” – SRA/EP, p. 44.

“A profecia a respeito do milênio (Apoc. 19:11 a 20:15) profere uma bênção sobre os que ressuscitam na ‘primeira ressurreição’, pois não morrerão nunca mais (segunda morte), mas reinarão com Cristo (Apoc. 20:6). Nesta passagem não é declarado quando se dará a ‘primeira ressurreição’. Para obter esta informação precisamos volver-nos para outros textos, como I Tess. 4:16-18 e I Cor. 15:51-54, que situam essa ressurreição na Segunda Vinda.” – LES893, p. 165.

I Tess. 4:16-18: “Porque o Senhor mesmo descerá do céu com grande brado, à voz do arcanjo, ao som da trombeta de Deus, e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois nós, os que ficarmos vivos seremos arrebatados juntamente com eles, nas nuvens, ao encontro do Senhor nos ares, e assim estaremos para sempre com o Senhor. Portanto, consolai-vos uns aos outros com estas palavras.”

I Cor. 15:51-54: “Eis aqui vos digo um mistério: Nem todos dormiremos mas todos seremos transformados, num momento, num abrir e fechar de olhos, ao som da última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos serão ressuscitados incorruptíveis, e nós seremos transformados. Porque é necessário que isto que é corruptível se revista da incorruptibilidade e que isto que é mortal se revista da imortalidade. Mas, quando isto que é corruptível se revestir da incorruptibilidade, e isto que é mortal se revestir da imortalidade, então se cumprirá a palavra que está escrito: Tragada foi a morte na vitória.”

“’Os mortos em Cristo’ (I Tess. 4:16) abrangem os justos que morreram desde o tempo de Abel até o fim do tempo. ‘Porque assim como em Adão todos morrem, assim também todos serão vivificados em Cristo.’ I Cor. 15:22 e 23. Esse ‘todos’ inclui os santos do Antigo Testamento, bem como os do Novo Testamento.” – LES893, p. 164.

A vida depois da morte começa na ressurreição. A Segunda Vinda de Cristo é o grande dia da vitória para o Céu. Cristo, o Salvador que possui a natureza humana, virá buscar os Seus, conforme prometeu (S. João 14:1-3). Os anjos, que formam os ‘carros de fogo’ mencionados na Bíblia (II Reis 2:11; Sal. 68:17), reunirão os remidos ‘para o encontro do Senhor nos ares’ (S. Mat. 24:31; I Tess. 4:17).

“A Bíblia nunca recomenda que o crente encontre conforto na idéia de que na ocasião da morte ele passará a desfrutar as glórias do Céu. A ênfase incide sempre sobre a esperança da ressurreição. (Ver S. João 11:24). A ressurreição de Jesus consolidou a esperança cristã de que Ele despertará os crentes falecidos quando voltar à Terra (S. João 6:40).

Os justos terão corpo imortal. ‘Nossa identidade pessoal é preservada na ressurreição, se bem que não as mesmas partículas de matéria ou substância material que foram para a sepultura. … Nenhuma lei de Deus na natureza demonstra que Ele restitui as mesmas partículas de matéria que compunham o corpo antes da morte. Deus dará aos justos mortos o corpo que Lhe aprouver.’ – Comentários de Ellen G. White, SDABC, vol.6, pág. 1.093. (Ver I Cor. 15:35-49.)” – LES893, p. 165.

Para onde serão levados os justos ressuscitados e os justos que estiverem vivos por ocasião da Segunda Vinda de Jesus? S. João 14:1-3; Apoc. 7:9-17.

“Jesus chamou o lar dos salvos após a Sua volta de ‘casa de Meu Pai’. Ele disse que voltaria para levar-nos ao lugar para o qual ascenderia em breve (S. João 14:2 e 3).

“O apóstolo João viu os remidos, logo depois de ter sido completada a redenção deles, em pé ‘diante do trono de Deus’, servindo-O ‘de dia e de noite no Seu santuário’ (Apoc. 7:15). O trono de Deus está dentro do Seu templo no Céu. (Ver Apoc. 4:1 e 2; 11:19; 15:5.) No fim do Milênio, o trono de Deus  será estabelecido na terra.” – LES893, p. 164 e 165.  

“A ressurreição de Cristo torna possível a ressurreição dos justos mortos. Se Ele não tivesse Se levantado dentre os mortos ‘os que dormiram em Cristo pereceram’ (I Cor. 15:18). Fiéis que viveram antes ou depois da cruz não teriam esperança de vida se Jesus não tivesse ressuscitado.” – LES963, lição 12, p. 6.

20:7 Ora, quando se completarem os mil anos, Satanás será solto da sua prisão,

Solto – “Ao ressuscitarem os ímpios, desaparecem as circunstâncias que impedem Satanás de atuar, pois terá a quem tentar. Apocalipse 20:8 demonstra que apesar dos mil anos de prisão, Satanás não mudará.” – SRA/EP, p. 46.

“Durante mil anos Satanás não terá ninguém para tentar ou enganar. Com a ressurreição dos ímpios (verso 5), a qual é a segunda ressurreição de Apocalipse 20 e S. João 5, ele reassumirá sua atividade. O ‘pouco tempo’ de que fala o verso 3 certamente indica que esse período será limitado. ‘Os que tiverem praticado o mal ressuscitarão para serem condenados.’ S. João 5:29, NIV.

                “A segunda ressurreição. ‘Com majestade terrível e pavorosa, Jesus chama então os ímpios mortos; e eles surgem com o mesmo corpo fraco, doentio, que foram à sepultura. Que espetáculo! Que cena! Na primeira ressurreição todos saem com imortal frescor, mas na segunda, os indícios da maldição são visíveis em todos. Os reis e os nobres da terra, os vis e desprezíveis, os doutos e os ignorantes, surgem juntamente. Todos contemplam o Filho do homem.’ – Primeiros Escritos, pág. 292.” – LES893, p. 170.

20:8 e sairá a enganar as nações que estão nos quatro cantos da terra, Gogue e Magogue, cujo número é como a areia do mar, a fim de ajuntá-las para a batalha.

Gogue e Magogue – O juízo executivo. O quadro apresentado em Apocalipse 20:7-9 é extraído de Ezequiel 38 e 39, que descrevem as forças de ‘Gogue, da terra de Magogue’, vindo como tempestade sobre Israel, nalgum ponto depois do seu retorno do exílio em Babilônia. O ataque nunca aconteceu porque Israel se afastou de seu concerto com Deus e rejeitou o Messias.

“Em visão, o apóstolo João previu forças do mal de aspecto semelhante atacando o Israel espiritual (os remidos) e a Nova Jerusalém no fim do Milênio. São organizadas pelo derrotado Satanás, o qual faz a última tentativa física para destruir o povo de Deus. Os salvos estarão novamente sobre a Terra, mas protegidos pelos muros da Cidade Santa. (Comparar Apoc. 21:2 com 20:9.)” – LES893, p. 171.

20:9 E subiram sobre a largura da terra, e cercaram o arraial dos santos e a cidade querida; mas desceu fogo do céu, e os devorou;

Cercaram Nova Jerusalém – “Aquilo que ele fará no fim do Milênio, procurando tomar a Cidade Santa e arrebatá-la de Deus, não é diferente do que esteve fazendo anteriormente. Sua história consistiu em batalhar contra Deus e acusa-Lo, atacar a Cristo, e enganar as pessoas, levando-as a servirem e adorarem a ele e aos poderes do mal por meio dos quais tem atuado.” – LES893, p. 170.

“Que cena do julgamento final ocorrerá pouco antes da destruição dos ímpios? Apoc. 12:11-13; comparar com Zac. 14:9.” – LES893, p. 170.

Zac. 14:9 – “E o Senhor será rei sobre toda a terra; naquele dia um será o Senhor, e um será o seu nome.”

A recompensa dos justos. “Jesus e toda a hoste Angélica, e todos os santos, com as brilhantes coroas sobre as cabeças, ascendem ao cimo do muro da cidade. Jesus fala com majestade, dizendo: ‘Eis, pecadores, a recompensa do justo! E contemplai, Meus remidos, a paga dos ímpios!’“ – Primeiros Escritos, p. 293 e 294.

O Rei é coroado. “Na presença dos habitantes da terra e do Céu, reunidos, é efetuada a coroação final do Filho de Deus.” – O Grande Conflito, p. 272.

“Que cena impressionante ocorrerá então? Rom. 14:11; Fil. 2:9-11.” – LES893, p. 171.

Rom. 14:11 – “Porque está escrito: Por minha vida, diz o Senhor, diante de mim se dobrará todo joelho, e toda língua louvará a Deus.”

Fil. 2:9-11 – “Pelo que também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu o nome que é sobre todo nome; para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é Senhor, para glória de Deus Pai.”

Todo joelho se dobrará. “Como que extasiados, os ímpios contemplaram a coroação do Filho de Deus… . Prostrando-se, adoram o Príncipe da vida… . E agora Satanás se curva e confessa a justiça de sua sentença.” – O Grande Conflito, p. 675-677.

Fogo do céu os devorou – ‘As forças do mal serão devoradas pelo fogo que descerá do céu (Apoc. 20:9). O elemento destruidor produzirá ó lago de fogo’ no qual os ímpios serão punidos e consumidos. (Ver Apoc. 20:14 e 15.) O diabo também será ‘lançado para destro do lago de fogo e enxofre’ (Apoc. 20:10).” – LES893, p. 171.

“II São Pedro 3:10-12 leva-nos a crer que este fogo incendiará toda a Terra.” – SRA/EP, p. 114.

20:10 e o Diabo, que os enganava, foi lançado no lago de fogo e enxofre, onde estão a besta e o falso profeta; e de dia e de noite serão atormentados pelos séculos dos séculos.

Fogo eterno – “Um fogo que não se apaga é um fogo que arde enquanto lhe resta uma partícula de combustível. Quando tudo o que pode ser queimado estiver consumido, o fogo desaparece. Isto é o que diz Malaquias 4:1-3, onde é dito que os ímpios arderão como restolho; que não ficaria deles nem raiz nem ramo; e que serão reduzidos a cinzas. Exatamente o mesmo explica Apocalipse 20. O fogo que cairá sobre o diabo, seus anjos e os adeptos do pecado, arderá sem cessar até que os consuma (20:9); ou seja, até terminar com eles. Por isso se diz que esta é ‘a segunda morte’ (20:14). Terminado o combustível, terminará o fogo. Por isso esse fogo será de conseqüências eternas, irreversíveis. Será a segunda morte.” – SAR/EP, p. 115.

“Quando o Apocalipse fala do fogo eterno, o faz numa linguagem que confunde aqueles que crêem que este durará toda a eternidade. Felizmente, no mesmo livro se explica o que Deus quis dizer, para que não fique dúvida a este respeito. Deus não está dizendo que por 80 anos de pecado alguém terá de arder milhões de anos na eternidade sem fim, pois quando o Senhor vier, dará ‘a cada um segundo as suas obras’ (Apocalipse 22:12). O sentido é que desse fogo não se poderá escapar, porque é um fogo de conseqüências eternas (Exemplo: Isaías 47:14). …

“A Bíblia Sagrada mostra antecedentes para ajudar-nos a entender bem este assunto. Por exemplo, São Pedro diz que o castigo de Deus sobre Sodoma e Gomorra é ‘posto como exemplo a quantos venham a viver impiamente’. (II S. Pedro 2:6). São Judas 7 diz especificamente que ‘Sodoma e Gomorra, e as cidades circunvizinhas… são postas para exemplo do fogo eterno, sofrendo punição’.

“O próprio São Pedro diz que foram reduzidas a cinzas (II S. Pedro 2:6), não continuam ardendo hoje, o que mostra que esse castigo ilustrativo não é eterno em duração, mas é eterno em conseqüências.

“Eles não sobreviveram ao fogo, o qual foi irreversível em suas conseqüências.” – SRA/EP, p. 114.

Atormentados pelos séculos dos séculos – “As versões correntes dão a entender que a besta e o falso profeta estiveram queimando durante todo o período dos mil anos. Mas não há evidências bíblicas em defesa desse conceito. É melhor traduzir Apoc. 20:10 dando-lhe o sentido de que o diabo foi lançado no lago de fogo e enxofre onde foram lançados a besta e o falso profeta. (O verso é omitido no texto grego e precisa ser suprido.) Esse triunvirato (o dragão, a besta e o falso profeta) sofrerá a mesma espécie de destruição. Os três serão destruídos pelo fogo que durará até que seja cumprida sua missão de punição e morte.” – LES893, p. 172.

20:11 E vi um grande trono branco e o que estava assentado sobre ele, de cuja presença fugiram a terra e o céu; e não foi achado lugar para eles.

20:12 E vi os mortos, grandes e pequenos, em pé diante do trono; e abriram-se uns livros; e abriu-se outro livro, que é o da vida; e os mortos foram julgados pelas coisas que estavam escritas nos livros, segundo as suas obras.

“O julgamento perante o grande trono branco, a fase executiva do juízo final (Apoc. 20:11-15) abrange o mesmo aspecto que Apoc. 20:9. Simplesmente declara de modo mais pormenorizado que acontecerá entre o ataque à Cidade Santa por Satanás e as hostes dos perdidos, e sua destruição pelo fogo. A fase executiva do juízo final é descrita por Jesus de outra perspectiva (S. Mat. 25:31-46). Tanto os salvos como os perdidos receberão sua recompensa ou retribuição. Os justos herdarão o reino eterno (S. Mat. 25:34). Os ímpios sofrerão destruição – a segunda morte.” – LES893, p. 172.

20:13 O mar entregou os mortos que nele havia; e a morte e o além entregaram os mortos que neles havia; e foram julgados, cada um segundo as suas obras.

20:14 E a morte e o inferno foram lançados no lago de fogo. Esta é a segunda morte, o lago de fogo.

Por que não haverá ressurreição da ‘segunda morte’? Apoc. 20:9, 10, 14 e 15.

                “A certeza dada aos cristãos em todas as épocas é a de que a derrota de Satanás é inevitável. O Calvário significou a sua ruína. Se lançamos a nossa sorte com Cristo, é-nos assegurado o livramento e a vida eterna. (Ver Apoc. 12:10; Heb. 2:14; S. João 12:31.)” – LES893, p. 171.

Heb. 2:14 – ”Portanto, visto como os filhos são participantes comuns de carne e sangue, também ele semelhantemente participou das mesmas coisas, para que pela morte derrotasse aquele que tinha o poder da morte, isto é, o Diabo;”

João 12:31 – “Agora é o juízo deste mundo; agora será expulso o príncipe deste mundo.”

“Só os vencedores em Cristo não sofrerão o dano da segunda morte (Apocalipse 2:11). A diferença entre a primeira morte e a segunda é que da segunda não há ressurreição. É a morte eterna. Como diz Ezequiel 28:19 sobre o altivo rei de Tiro, figura de Satanás (que também será lançado no lago de fogo): ‘jamais subsistirás’. Neste dia se cumprirá de forma irreversível a penalidade do pecado, que é a morte (Romanos 6:23). A Bíblia diz: ‘A alma que pecar, essa morrerá’ (Ezequiel 18:4).” – SRA/EP, p. 114.

20:15 E todo aquele que não foi achado inscrito no livro da vida, foi lançado no lago de fogo.

 

Lançado no lago de fogo – “Jesus mencionou a João no Apocalipse, 15 vezes o lago de fogo, a fim de que compreendêssemos que isto constituía uma parte necessária do plano da salvação, para abolir o pecado e preparar um lugar seguro para o remanescente fiel. São Pedro também fala disto ao declarar: ‘Porque o Senhor sabe livrar da provação os piedosos, e reservar, sob castigo, os injustos para o dia do juízo’ (II São Pedro 2:9). Quando São Pedro diz que serão castigados no dia do juízo, está destacando que Deus é justo. Não lança ninguém no fogo sem que primeiro haja sido julgado e condenado. Isto coincide com o que diz nosso Senhor Jesus Cristo (São Mateus 13:40-42) e com Apocalipse 20, onde fica claro que o fogo não é agora, mas depois do milênio.” – SRA/EP, p. 113.

“O JUÍZO EXECUTIVO será o fim da rebelião e da trágica aventura do pecado. O Senhor extirpará para sempre Satanás, seus anjos, os adeptos de sua rebelião e todo vestígio do pecado. Esta fase do juízo é necessária para dar lugar aos ‘novos céus e nova Terra, nos quais habita justiça’ (II São Pedro 3:13).”

“Assim como o câncer tem de ser eliminado ou do contrário se multiplicará até causar a morte e a destruição, o pecado, que é a transgressão da lei (I São João 3:4), tem de ser erradicado, do contrário transtornaria o Universo. Se insisto em contaminar-me com o pecado, é lógico que serei destruído com ele. Deus não pode permitir que o pecado contamine o novo reino que Ele estabelecerá, por isso acabará com o pecado, com seu instigador e com seus adeptos.” – SRA/EP, p. 114.

Bibliografia

Anderson, Roy A., O Apocalipse Revelado, Casa Publicadora Brasileira, Tatuí, SP.

LES892 – Battistone, Joseph J. – Lições da Escola Sabatina, 2º Trimestre de 1989, nº 374, Casa Publicadora Brasileira, Tatuí, SP.

LES893 – Coffman, Carl – Lições da Escola Sabatina, 3º Trimestre de 1989, nº 375, Casa Publicadora Brasileira, Tatuí, SP.

LES963 – Gulley, Norman R. – Lições da Escola Sabatina, 3º Trimestre de 1996, Casa Publicadora Brasileira, Tatuí, SP.

SRA/EP – Belvedere, Daniel – Seminário As Revelações do Apocalipse, Edição do Professor, Casa Publicadora Brasileira, Tatuí, SP, 2ª ed., 1987.

White, Ellen G., Primeiros Escritos, Casa Publicadora Brasileira, Tatuí, SP,., 1987.

Seventh Day Adventist Bible Commentary.

White, Ellen G., Atos dos Apóstolos, Casa Publicadora Brasileira, Tatuí, SP,., .

White, Ellen G., Grande Conflito, Casa Publicadora Brasileira, Tatuí, SP,., .

Strand, Kenneth A., Interpreting the Book of Revelation. Ann Arbor Publishers, Naples, Florida.

White, Ellen, G., Caminho a Cristo, Casa Publicadora Brasileira, Tatuí, SP.

 

Publicado anteriormente em: http://apocalipsecomentadoversoaverso.blogspot.com/2015/07/apocalipse-20.html




%d blogueiros gostam disto: