Reavivados por Sua Palavra


TEXTO PARA BLOG MUNDIAL – ÊXODO 15 – até 05/11 by jquimelli
26 de outubro de 2018, 14:08
Filed under: Sem categoria

Prezados,

tendo em vista a boa aceitação e os pedidos que abríssemos mais oportunidades para participação no Reavivados, queremos convidar você, que gosta de escrever, a nos enviar, pelo email jquimelli@gmail.com, devocional sobre Êxodo 15.

Vocês tem até dia 05 de novembro para nos enviar o seu texto.

O melhor texto será publicado no blog mundial, em inglês e aqui, no dia 16 de dezembro.

O devocional deverá ter até 200 palavras, tem uma boa estruturação (introdução/começo, desenvolvimento/meio e conclusão/fim) e boa concatenação de ideias.

Então… mãos à obra!!!



GÊNESIS 14 by jquimelli
26 de outubro de 2018, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: http://biblia.com.br/novaversaointernacional/genesis/gn-capitulo-14/

A escolha de Ló de se estabelecer perto das cidades de Sodoma e Gomorra o colocou em sério perigo. Quando Quedorlaomer, rei de Elão e seus aliados pagãos atacaram Sodoma, Ló foi levado cativo. Ao ouvir a trágica notícia, Abraão reuniu seus homens para libertar Ló. É notável que Abraão não culpou Ló por sua infeliz escolha de se estabelecer perto de Sodoma. Nem exibiu uma atitude de superioridade deixando Ló sofrer as consequências de suas más escolhas.

Há momentos em que o amor age de forma imprudente. O amor busca e recupera os que fazem escolhas erradas. Certamente há momentos em que as pessoas devem enfrentar o resultado de suas escolhas, mas também há momentos em que o amor deve agir, apesar das escolhas dos outros.

É digno de nota que quando Abraão retornou da peleja, ele deu um dízimo dos despojos a Melquisedeque, o “sacerdote do Deus Altíssimo” (v. 18 NVI). Ao devolver fielmente o dízimo, Abraão reconheceu as bênçãos de Deus sobre sua vida.

Há um outro notável ato de Abraão neste capítulo que não devemos perder: ele se recusou a tomar para si mesmo dos despojos, mesmo “uma correia de sandália” que fosse (v. 23). Ele deu tudo que foi capturado pelos seus homens ao rei de Sodoma. Corações altruístas e espírito de doação abrem caminho para que as bênçãos do armazém celeste fluam sobre nós.

Mark Finley
Evangelista

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=264
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos, Jeferson e Gisele Quimelli

Ouça este comentário em áudio:



GÊNESIS 14 – VÍDEO COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
26 de outubro de 2018, 0:55
Filed under: Sem categoria



COMENTÁRIO GÊNESIS 14 – PR. HEBER TOTH ARMÍ by Maria Eduarda
26 de outubro de 2018, 0:45
Filed under: Sem categoria

GÊNESIS 14 – O calmo e tranquilo Abrão envolveu-se em guerra e tornou-se importante vencedor. A vida humana não é pacífica. Ambição, injustiças, corrupção e opressão motivam pessoas de fé a arregaçarem as mangas e lutar pelos seus familiares.

Com pessoas orgulhosas e egoístas, a sociedade tomada pelo pecado sempre foi marcada por desafios e guerras:

• O rei de Elão evidencia que pessoas se envolvem em guerras bem distantes de suas terras; e, potências da Mesopotânia guerream contra reinos e os controlam por vários anos, mostrando que os seres humanos buscam poder oprimindo a outros (vs. 1-4);
• Quedorlaomer e mais três aliados invadiram e conquistaram mais seis grupos: Refains, zuzins, emins, horeus e toda a região dos amalequitas e amorreus – indicando a sobrevivência dos mais fortes (vs. 5-7);
• Numa revolta, os cinco reis subjugados se uniram para enfrentar Quedorlaomer com mais três reis. Os opressores continuaram invictos e, os reis de Sodoma e Gomorra fugiram desesperados (vs. 8-10).
• Sodoma e Gomorra ficaram sem proteção, então Quedorlaomer saquearam estas cidades, levaram todo o alimento e todas as ferramentas, e também Ló com tudo o que possuía (vs. 11-12).

Ao ser informado, Abrão saiu e venceu aqueles que até então eram invictos (vs. 13-17). “Com apenas 318 homens, Abrão conseguiu afugentar um exército que havia derrotado cinco reis e seus exércitos! Sua vitória reflete a escolha sábia de pessoas para executar a tarefa, bom planejamento e, é claro, a mão do Senhor que os capacitou. Lembra-nos que um líder não precisa estar cercado por multidões para ser bem-sucedido. Uma boa equipe e uma estratégia criteriosa são as chaves para o sucesso. Esse princípio se aplica para todas as instituições, inclusive aos governos. Não é o número de assessores ou ministros que importa, mas sim quem eles são e quão sabiamente planejam” (Bernabe Assohoto e Samuel Ngewa).

Quando Deus está a frente de nossas realizações…

1. Pessoas abençoadas com nossas ações ficam agradecidas, como o rei de Sodoma (vs. 17, 21-24).
2. Reis aparecem de longe para abençoar aquele que testemunhou de Deus, exemplificado por Melquisedeque. Abrão rejeita bens materiais do rei de Sodoma e dá o dízimo de todo seu patrimônio a Melquisedeque (vs. 18-20).

Cuidemos de nossos familiares e testemunhemos mais de Deus! Consagremo-nos para vencer! – Heber Toth Armí.



GÊNESIS 14 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
26 de outubro de 2018, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Abençoou ele a Abrão e disse: Bendito seja Abrão pelo Deus Altíssimo, que possui os céus e a terra” (v.19).


Este é o primeiro registro na Bíblia de guerras entre nações. Segundo o relato, havia uma espécie de acordo entre reinos. A partir do momento em que a parte mais fraca desta relação entre povos não suportou mais os danos sofridos, se rebelou e iniciou um conflito que resultaria na vitória do lado opressor e na captura de Ló, sobrinho de Abrão, bem como de “todos os bens de Sodoma e de Gomorra e todo o seu mantimento” (v.11). Quando Abrão tomou conhecimento do ocorrido, prontamente reuniu seus homens e alguns da parte de Manre, Escol e Aner, “os quais eram aliados de Abrão” (v.13).

Abrão não era um guerreiro, mas não hesitou em lutar em prol de resgatar o seu amado sobrinho. Em nome de Deus, marchou em direção a um exército bem maior e bem mais preparado, contudo, sua coragem e determinação provinham de sua fé nAquele que jamais perdeu uma só batalha, o Senhor dos Exércitos. Abrão retornou não somente com a vitória de um conflito terrestre, mas, seu encontro com Melquisedeque prefigurou a vitória do grande conflito cósmico. Além de rei, Melquisedeque também era “sacerdote do Deus Altíssimo” (v.18). Apesar de sua origem ser desconhecida, e o sacerdócio levítico só surgiria muito tempo depois pela descendência de Abrão, Melquisedeque prefigurou o sacerdócio de Cristo, que não foi “segundo a ordem de Arão”, e sim “segundo a ordem de Melquisedeque” (Hb.7:11 e 17). Ou seja, um sacerdócio superior e, portanto, originador de uma nova aliança.

Até então, a Bíblia também não havia feito referência à devolução do dízimo. A atitude de Abrão em devolver o dízimo de tudo (v.20) revela que este era um princípio que o Senhor já havia estabelecido. Não era uma barganha pela vitória obtida, mas o reconhecimento de que tudo quanto possuía e tudo quanto conquistara eram bênçãos concedidas por Deus. A devolução dos dízimos e das ofertas quando não compreendida como parte da verdadeira adoração, quando não se trata do fruto de um coração submisso e grato a Deus, torna-se tão vil quanto a oferta do rei de Sodoma, e, como Abrão, a mesma resposta é dada do Céu: “nada quero para mim” (v.24). Amados, Deus não precisa do nosso dinheiro. Ele é o Dono do ouro e da prata (Ag.2:8). O maior beneficiado no sistema de devolução dos dízimos e das ofertas sou eu e é você. Pois se “o amor do dinheiro é raiz de todos os males” (1Tm.6:10), a mordomia cristã através dos tesouros que o Senhor nos dá é uma forma de nos proteger do egoísmo e da avareza.

Dentro em breve, o Rei da Paz virá buscar os Seus verdadeiros adoradores, todo aquele que depositou o coração diariamente nos tesouros do Céu. Ele virá buscar o Seu exército que não temeu marchar em defesa da verdade e por amor a seus semelhantes. Como o exército de Abrão, e como nos dias de Noé, será um pequeno povo contra os reis desta terra. Mas, sob a bênção do nosso Sumo Sacerdote, e sob a bandeira ensanguentada do Cordeiro de Deus, marcharemos como exército triunfante rumo à Terra Prometida.

Bom dia, exército militante do Deus Altíssimo!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Gênesis14 #RPSP



GÊNESIS 14 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
26 de outubro de 2018, 0:10
Filed under: Sem categoria

731 palavras

1-24 Abraão demonstrou uma fé obediente, numa guerra arriscada, para libertar seu sobrinho Ló. Sua vitória é surpreendente, já que esta confederação de saqueadores, composta por cinco reis, havia acabado de conquistar muitos cananeus e uma confederação de cinco reis da região do mar Morto (Bíblia de Genebra).

Anrafel… Arioque… Quedorlaomer… Tidal. Os nomes dos quatro reis que aterrorizaram as cidades-estado do vale do Jordão sugere uma união etnicamente mista, incluindo grupos elamitas, amoritas, horeus e hititas (Andrews Study Bible).

Monumentos recentemente descobertos confirmam a narrativa acerca da confederação dos reis, (Comentário Bíblico Devocional – Velho Testamento).

Nenhum desses reis foi identificado concretamente em fontes extrabíblicas. Um vem de Elão (parte do Irã moderno), um da Babilônia (parte do Iraque moderno) e dois, provavelmente, da região da Turquia moderna (Bíblia de Genebra).

Mar Salgado. Isto é, o mar Morto (Bíblia NVI).

O mar Morto cobre parte do que foi, no passado, o “vale de Sidim”, onde teria sido travada a batalha, próximo às cidades de Sodoma e Gomorra (Bíblia Shedd).

Serviram. Eles foram sujeitos como vassalos ao rei de Elão, com a obrigação de pagar tributo (Bíblia de Genebra).

5-11 Havia uma grande diferença entre o vale do Eufrates e Sodoma. Os pequenos reis confederados ousaram rebelar-se contra Quedorlaomer, que veio contra eles como um furacão e subiu o vale do Jordão carregado despojos e levando Ló. Não podemos gozar das doçuras do mundo sem provar também suas amarguras (Comentário Bíblico Devocional – Velho Testamento).

refains… zuzins… emins. A menção destes gigantes derrotados enfatiza ainda mais quão impressionante foi a vitória de Abraão (Bíblia de Genebra).

12 morava em Sodoma. Note a progressiva identificação de Ló com Sodoma: acampava perto dela (13.12), morava nela e residia como um respeitado cidadão da mesma (19.1,6; cf. Sl 1.1) (Bíblia de Genebra).

13 irmãos. Ou parentes; ou, ainda aliados.  Amorreu. Ás vezes, um rermo genérico para os antigod habitantes da Palestina (48.22; Dt 1.11; Js 2.10). Manre, o amorreu, um aliado de Abrão que o acompanhou em batalha, foi abençoado através de sua identificação com Abrão (v 24; 12.3) (Bíblia de Genebra).

14 seu sobrinho. No hebraico, “seu irmão”, explicando o caráter da ação de Abrão: os justos demonstram lealdade amorosa com seus irmãos (Bíblia de Genebra). Homens dos mais capazes. Homens treinados no uso de armas. Uma força de trezentos homens era um exército considerável nos tempos de Abrão (Bíblia de Genebra).

18 Salém. Isto é, Jerusalém (Bíblia NVI).

Melquisedeque. Lit. “rei de justiça”. A palavra hebraica melech significa “rei” e zedek significa “justiça” (Bíblia de Genebra).

rei de Salém… sacerdote de Deus. A apresentação de Melquisedeque não só enfatiza que ele era um rei, mas também um sacerdote.Desta forma, ele é um tipo de Cristo, que é nosso Profeta, Sacerdote e Rei (Bíblia Shedd).

19 Deus altíssimo. No hebraico, El Elyon (Bíblia de Genebra).

20 de tudo. Dos despojos. dízimo. A décima parte. A prática de se pagar o dízimo ao rei ou a um deus era comum no antigo Oriente Próximo e é anterior à lei mosaica (28.22; 27.30-33; Nm 18.21-32). O presente de Abrão a Melquisedeque… era… uma oferta que refletia o respeito de Abrão para com Melquisedeque como sacerdote do Deus verdadeiro (Bíblia de Genebra).

23 nada tomarei de tudo o que te pertence. Em contraste com seu procedimento com relação a Melquisedeque, de quem aceitou pão e vinho (v. 18) e a quem deu o dízimo (v.20) , Abraão não queria nenhuma relação com o ímprio rei de Sodoma (Bíblia de Genebra).

O momento de sucesso é sempre um momento de perigo. O rei de Sodoma traiçoeiramente propôs que repartissem os despojos! Mas como Abraão poderia depender exclusivamente dos cuidados de Deus se enchesse seus bolsos da maculada riqueza de Sodoma?  Abrão tivera antes uma entrevista que o fortalecera. Melquisedeque era sacerdote e rei da tribo que habitava em Jeerusalém. (Ler Hebreus 7). Ele trouxe pão e vinho, e uma nova revelação do caráter do Deus no qual Abrão descansava sua alma. Que tinha ele a ver com Sodoma, ele que era filho de um Pai tão poderoso? (Comentário Bíblico Devocional – Velho Testamento).

Verifique-se o contraste nas atitudes de Abraão diante dos dois reis: o de Sodoma e o de Salém: 1) Diante do primeiro, uma demonstração de independência, enquanto, para o segundo, sua atitude é de dependência (cf Hb 7.4-10); 2) Diante do rei de Sodoma, um comportamento de igual para igual, enquanto, diante de Melquisedeque, a admissão de inferioridade; 3) Para com o rei de Sodoma, dignidade; para como rei de Salém, humildade (Bíblia Shedd).



GÊNESIS 14 – VÍDEO COMENTÁRIO PR RONALDO DE OLIVEIRA by Maria Eduarda
26 de outubro de 2018, 0:05
Filed under: Sem categoria




%d blogueiros gostam disto: