Reavivados por Sua Palavra


JONAS 3 by jquimelli
19 de dezembro de 2017, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário Devocional

Eu amo o modo como o capítulo três começa: “A palavra do Senhor veio a Jonas pela segunda vez” (NVI). Estou muito feliz por servirmos ao Deus da segunda chance, mesmo hoje!

Eu sou um exemplo perfeito de alguém que encontrou a Deus e, em seguida, foi seduzido pelo brilho e ouro do mundo. Mas, graças a Deus, Ele tomou a iniciativa de falar comigo uma segunda vez, e pela graça de Deus, na segunda vez Ele me cativou e permaneço firme até hoje!

A graça de Deus não é só para aqueles que uma vez caminharam a Seu lado e, em seguida, fugiram; é para todas as pessoas, em todos os lugares! E no dia em que Jonas entrou em Nínive com sua pregação foi a “segunda chance” para os ninivitas. Que grande evangelista Jonas deve ter sido: toda cidade de mais de cem mil pessoas responderam à sua mensagem de arrependimento e salvação!

Quando Jonas pregou pelo poder do Espírito Santo, ele balançou as portas do inferno e as pessoas foram levadas a adorar o Deus do céu.

Se você der a Deus acesso total a sua vida, hoje, para que Ele o guie e o conduza, você vai se surpreender com a transformação que irá ocorrer em você e com as vidas que você vai tocar e mudar para a eternidade!

Jim Ayer
Rádio Mundial Adventista, Presidente

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/jon/3 e https://www.revivalandreformation.org/?id=1138
Tradução anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2014/09/25/
Equipe de tradução: Jeferson Quimelli/Pr Jobson Santos/Gisele Quimelli
Texto bíblico: Jonas 3 NVI
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana do programa Crede em Seus Profetas: https://credeemseusprofetas.org/



JONAS 3 – COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
19 de dezembro de 2017, 0:55
Filed under: Sem categoria



JONAS 3 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by jquimelli
19 de dezembro de 2017, 0:45
Filed under: Sem categoria
Quando aprendemos o que é a missão divina e as lições de vida dos missionários nas páginas da Bíblia, intentaremos fazer o que Deus insistentemente nos pede.
 
• Jonas obedeceu a Deus, após a terrível, mas miraculosa, experiência dentro do peixe (vs. 1-4);
• Jonas pregou na truculenta e violenta cidade de Nínive um sermão “curto e grosso”, que resultou na conversão dos seus habitantes (vs. 5-9);
• Deus reverteu a sorte dos perversos por se converterem dos seus maus caminhos (v. 10).
 
“Apesar da mensagem lacônica [breve, curta] e da falta de sustentação para ela, os ninivitas aceitaram a advertência de Deus e realizaram obras de arrependimento. Isso envolveu até o rei. Deus observou-lhes a reação, teve compaixão deles e retirou sua ordem de destruição” (John D. W. Watts).
 
Interessante que “Nínive é uma cidade religiosa. Todas as cidades são… Jonas entrou na Nínive religiosa e tornou-se pastor naquele lugar, não para melhorar sua religião ou atender às necessidades religiosas de seu povo, mas para subverter sua religião, insinuar dúvidas quanto a sua validade e depois ajudar a lidar em fé com um Deus vivo. ‘Até quarenta dias, e Nínive será subvertida’. Ele não os acusou de fazer o mal. Não denunciou seu pecado e iniquidade. Questionou seu futuro. Ele introduziu a escatologia em sua religião orientada pelo presente, seu presente obcecado por segurança” (Eugene Peterson).
 
• Se for fundamentada na revelação de Deus, a escatologia faz tremer até os ossos dos ateus ou agnósticos.
• Se for clara e contundente, direta e relevante, um pregador das profecias bíblicas pode despertar a atenção de muitos indiferentes vivendo no corredor da morte resultante dos seus pecados.
• Se for incisiva e objetiva, a pregação sobre os acontecimentos futuros, sob a regência de Deus, será a salvação de multidões que estão prestes a sofrer destruição.
 
“Cada um dos 39 dias apresenta[va] pressão escatológica adequada à realidade do quadragésimo dia. Sob a pressão de interação escatológica, os dias se tornam um útero que contém um novo começo. Tornam-se um campo de treinamento de adoração pela fé. Os dias iluminam discernimentos capazes de detectar obediência à cruz… Sem a escatologia, perdemos o incentivo celestial à santidade, ao prêmio da vocação em Cristo Jesus” (Peterson).
 
Reavivamento e reforma exigem ousada pregação apocalíptica! Estudemos profecias! Reavivemos nossos púlpitos! – Heber Toth Armí.


JONAS 3, Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
19 de dezembro de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

 “Os ninivitas creram em Deus, e proclamaram um jejum, e vestiram-se de panos de saco, desde o maior até o menor” (v.5).


Recebendo uma segunda chance, Jonas finalmente se dispôs não mais para fugir, mas para cumprir sua missão como atalaia do Senhor. O profeta teimoso iniciou a jornada de três dias apregoando a mensagem divina àquela cidade, porque “Nínive era cidade mui importante diante de Deus” (v.3). Os resultados ali obtidos num intervalo de três dias, Moisés não pôde testemunhar em quarenta anos pastoreando Israel. As atitudes de Jonas bem refletiam o coração de seu povo: zeloso pela lei, mas intolerante quanto à misericórdia.

Ainda que não compreendesse o porquê de estar advertindo a um dos povos mais bárbaros da época, desta vez, Jonas “levantou-se… e foi” (v.3). Contudo, diferente de Abraão, quando questionou ao Senhor sobre a possibilidade de haver justos em Sodoma e Gomorra (Gn 18:22-33), Jonas esperava que a mesma destruição que baniu aquelas cidades realmente caísse sobre Nínive. A sua disposição não era a de salvar pessoas, mas a de garantir de que todas fossem advertidas de sua iminente destruição. Ele nutria em seu coração a “esperança de contemplar de camarote” as cenas de juízo que livraria o seu povo de mais um inimigo.

Porém, o que se seguiu frustrou por completo as ideias e concepções que Jonas tinha de seus ouvintes. Jonas foi testemunha ocular da maior história de conversão coletiva registrada nas páginas sagradas. A inclusão dos animais indica uma submissão total de cada criatura e o fato de que aqueles povos eram extremamente idólatras e pervertidos moralmente. Além da prática de adoração a certas espécies de animais, a prática do bestialismo ou zooerastia também era muito comum entre os povos pagãos. Os ninivitas reconheceram que tudo o que respirava estava contaminado pelas abominações que até então haviam cometido, todos, compreenderam a mensagem e arrependeram-se.

A Bíblia relata que todo o povo se arrependeu e, como um só homem, clamava a Deus pelo perdão. Toda aquela cidade foi salva por causa da pregação de um homem. Ele tinha uma mensagem de juízo para proclamar, mas, ainda que não entendesse dessa forma, uma mensagem de misericórdia. Jonas sabia que se eles se arrependessem, Deus os perdoaria. O que ele temia era exatamente isso, que Deus perdoasse aqueles que ele odiava. Os ninivitas haviam oprimido o seu povo e assassinado seus amigos e, quem sabe, familiares. Como levar salvação para este tipo de gente? O que você faria no lugar dele? E se Deus lhe pedisse para pregar para o assassino de alguém de sua família?

Um dos piores enganos de Satanás tem sido o de desvincular o amor de Deus de Sua justiça. Isto faz com que grande parte do mundo cristão pregue sobre o amor de Deus, mas descarte a justiça divina. Por isso o Antigo Testamento tem sido negligenciado como se fosse uma parte das Escrituras que perdeu o seu valor. Lançam por terra verdades que o próprio Senhor disse que jamais passariam (Is 40:8), perdendo o privilégio de proclamar a mensagem completa (2Tm 3:16-17). Assim, o amor tem sido pregado não como a essência do caráter divino, mas como um escape para se viver da forma que bem desejar. A mensagem de Jonas era de juízo, mas também era um chamado de amor para uma vida transformada.

Nestes últimos dias, Deus tem um povo com a mesma missão de Jonas, que é pregar “as verdadeiras palavras de Deus” (Ap 19:9), independente a quem seja ou de sua reação. Deus tem chamado “Jonas” modernos para difundir o Seu último chamado de juízo e de amor. Não com o mesmo sentimento que houve no profeta, mas tendo “o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus” (Fp 2:5). “Deus é amor” (1Jo 4:8), e Ele tem usado os Seus pregadores da justiça dos últimos dias, convocando, sem fazer acepção de pessoas, todos, para receberem de igual modo a salvação em Cristo Jesus. O verdadeiro amor não é uma emoção, nem tampouco desculpa para se levar uma vida libertina. O verdadeiro amor é Jesus Cristo e quem O ama segue os Seus passos (1Pe 2:21) e cumpre as Suas palavras: “Se Me amais, guardareis os Meus mandamentos” (Jo 14:15).

O fato é: assim como amou aos ninivitas, Deus te ama, quer você tenha conhecimento disto ou não, quer você aceite, quer não. No entanto, amá-Lo ou não, é uma escolha sua. Clamemos “fortemente a Deus” (v.8) e busquemos, pelo poder do Espírito Santo, a conversão diária a qual tanto necessitamos.

Desafio do dia: Assista a este testemunho poderoso e prova real de que é possível, pela graça de Deus, viver o verdadeiro amor: https://goo.gl/4rh1aN

Bom dia, convertidos pelo amor!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Jonas3 #RPSP

Deixe seu comentário:



JONAS 3 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
19 de dezembro de 2017, 0:20
Filed under: Sem categoria

1. Segunda vez. Sem repreensão pela deserção anterior de Jonas, o Senhor repete a comissão de pregar aos ninivitas. Não mais cedendo à inclinação humana, Jonas presta pronta obediência ao chamado celestial e, sem mais demora, parte para Nínive. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 4, p. 1109.

Você pode sentir desqualificado para servir a Deus por causa de erros passados. Mas servir a Deus não é uma posição conquistada – ninguém se qualifica para o serviço de Deus. Mas Deus ainda nos pede para realizar seu trabalho. Você ainda pode ter outra chance. Life Application Study Bible Kingsway.

2, 3. grande cidade. Segundo as explorações arqueológicas, Nínive tinha aproximadamente 13 km de circunferência,com uma população de 120 mil habitantes. Esse número é mencionado em 4:11. Era grande para uma cidade antiga. Bíblia de Estudo Andrews.

2. Que Eu te digo. O encargo de Jonas é dado a cada pregador da palavra. Somente a palavra de Deus deve ser proclamada do púlpito, e não a palavra do homem (ver 2Tm 4:1,2). Pessoas ansiosas e perplexas anseiam pelo conselho de Deus e não por raciocínios incertos e filosofias de seres humanos falíveis como elas mesmas. Elas preferem um “assim diz o Senhor” a um “assim diz o homem”. CBASD, vol. 4, p. 1109.

pregue contra ela a mensagem que eu lhe darei (NVI). Os profetas levavam mensagens da parte de Deus — não se tratava principalmente de previsões de acontecimentos futuros. Bíblia de Estudo NVI Vida.

3 obedeceu. Mas com relutância, pois ainda queria que os ninivitas fossem destruídos (4.1 – 5). Bíblia de Estudo NVI Vida.

Mui importante diante de Deus. Um modo idiomático de designar extrema grandeza. CBASD, vol. 4, p. 1109.

4-9 A palavra de Deus é para todos. Apesar da iniquidade do povo ninivita, eles estavam abertos à mensagem de Deus e se arrependeram imediatamente. Se simplesmente proclamarmos o que sabemos sobre Deus, podemos ficar surpresos com a quantidade de pessoas que ouvirão. Life Application Study Bible Kingsway.

4. Caminho de um dia. A declaração é, provavelmente, um registro da pregação do primeiro dia. CBASD, vol. 4, p. 1109.

Ainda quarenta dias. Isto, sem dúvida, não era o texto completo da mensagem de Jonas. Estas palavras eram, no entanto, o tema predominante na advertência. CBASD, vol. 4, p. 1109.

Subvertida. Do heb. kafak, a mesma palavra usada para descrever a destruição de Sodoma (Gn 19:21, 25, 29). CBASD, vol. 4, p. 1109.

5. creram em Deus. O arrependimento dos assírios deteve o juízo planejado. Esse arrependimento não teve um efeito duradouro, pois Nínive foi destruída posteriormente pelos medos e babilônios em 612 a.C. No entanto, na época de Jonas, a advertência divina foi levada a sério. Bíblia de Estudo Andrews.

Panos de saco. Um material grosseiro e escuro, tecido de pelo de cabra e usado em momentos de luto e de calamidade (ver Dn 9:3; Mt 11:21, Lc 10:13). CBASD, vol. 4, p. 1109.

6 rei de Nínive. Rei da Assíria. Bíblia de Estudo NVI Vida.

Ao rei. Possivelmente, Adad-Nirari III (ver p. 1099). O sentimento de contrição e de arrependimento parece ter surgido espontaneamente nas pessoas sem qualquer ordem do rei (v. 5). Deve ter sido notável ver o rei do império mais poderoso da época se humilhando “nas cinzas”, como resultado da pregação de um profeta judeu. Isto foi uma
repreensão aos orgulhosos governantes de Israel e às pessoas, que persistentemente se recusavam a humilhar o coração sob o impacto de um ministério profético ainda mais extensivo e contínuo (ver 2Rs 17:7-18). CBASD, vol. 4, p. 1109, 1110.

7. E fez-se proclamar. Quando a onda de penitência e humildade, que começou com as pessoas, chegou até o rei, ele confirmou o jejum por um decreto oficial. Seus nobres se associaram a ele na emissão deste decreto, indicando que o espírito do rei e da corte estava unido na crise. CBASD, vol. 4, p. 1110.

Nem animais. Um decreto estranho, mas deve-se lembrar que foi emitido por um rei pagão que havia sido apenas parcialmente esclarecido. CBASD, vol. 4, p. 1110.

8. E se converterão. Atos religiosos exteriores são sem valor espiritual, a menos que sejam acompanhados de
sincera reforma de caráter. CBASD, vol. 4, p. 1110.

9. Talvez Deus se arrependa. Deus muitas vezes corresponde com misericórdia quando o homem se arrepende, cancelando o castigo que tinha sido ameaçado (v. 10). V. nota em Jr 18.7 – 10. Bíblia de Estudo NVI Vida.

10. Deus se arrependeu. Deus Se arrependeu. Deus não muda, mas as circunstâncias mudam (cf. Jr 18:7-10; Ez 33:13-16). Seus pronunciamentos de juízo são, freqüentemente, profecias condicionais (ver com. de Ez 25:1; sobre o arrependimento de Deus, ver com. de Gn 6:6; 1Sm 15:11). CBASD, vol. 4, p. 1110

Os profetas com freqüência se referem à mudança no juízo planejado por Deus em resposta a súplicas ou ao arrependimento humano (ver Jr 18:7-10; Am 7:1-6). Bíblia de Estudo Andrews.

O povo pagão de Nínive acreditou na mensagem de Jonas e se arrependeu. Que efeito milagroso as palavras de Deus tinham sobre aquelas pessoas malignas! Seu arrependimento contrastava fortemente com a teimosia de Israel. O povo de Israel tinha ouvido muitas mensagens dos profetas, mas se recusaram a se arrepender. O povo de Nínive só precisou ouvir a mensagem de Deus uma vez apenas. Jesus disse que, no julgamento, os homens de Nínive condenarão os israelitas por não se arrependerem (Mateus 12:39-41). O que agrada a Deus não é tanto ouvir a Sua Palavra mas a nossa resposta obediente a ela. … Deus perdoou Nínive, assim como perdoou a Jonas. O propósito do julgamento de Deus é a correção, não a vingança. Ele está sempre pronto para mostrar compaixão a qualquer um que esteja disposto a buscá-lo. Life Application Study Bible Kingsway.



JONAS 3 – COMENTÁRIO PR EVANDRO FÁVERO by Maria Eduarda
19 de dezembro de 2017, 0:10
Filed under: Sem categoria




%d blogueiros gostam disto: