Reavivados por Sua Palavra


JOEL 1 by jquimelli
4 de dezembro de 2017, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário Devocional

O nome Joel (“O Senhor é Deus”) reflete o caráter imutável de Deus e Sua intervenção maravilhosa tanto na história quanto nos eventos dos últimos dias.

O livro de Joel é uma obra-prima da poesia hebraica em que o habilidoso uso da linguagem e suas vívidas figuras são empregados. As mensagens do profeta aparecem na forma de sermões dirigidos a todo Israel. Ele chama a atenção para as calamidades que Deus enviou para lembrar Seu povo da necessidade de uma reforma completa.

As expressões utilizadas na tradução da Bíblia Hebraica moderna (Tanakh) descrevem vividamente essa necessidade: “Escutem isto, ó anciãos! Ouçam, todos os habitantes da terra! Tem algo como isto ocorrido em vossos dias, ou nos dias de vossos pais? Contem aos seus filhos sobre o assunto. Os sacerdotes devem lamentar. O país é violentado. Convoquem uma reunião e clamem ao Senhor. Porque o dia do SENHOR está perto” (vv. 2 e 3).

Considerando-se que Joel também tem em mente os acontecimentos dos últimos dias, assistimos os desastres naturais se tornarem parte constante das notícias mundiais diárias.

Quando acontecerem catástrofes perto de nós ou mesmo conosco, que possamos olhar ao redor e afirmar que Deus continua no controle. Que possamos ver nestes sinais evidências de que a vinda de Cristo está próxima (Lucas 21:28) e isto nos traga consolo e esperança!

Martin Klingbeil
Professor de Estudos Bíblicos e Arqueologia
Southern Adventist University

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/joe/1 e https://www.revivalandreformation.org/?id=1123
Também disponível no blog mundial RPSP/BHP da IASD, em: https://www.revivalandreformation.org/bhp/pt/biblia/hos/
Tradução anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2014/09/10/
Equipe de tradução: Jeferson Quimelli/Pr Jobson Santos/Gisele Quimelli
Texto bíblico: Joel 1 NVI
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana do programa Crede em Seus Profetas: https://credeemseusprofetas.org/



JOEL 1 – COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
4 de dezembro de 2017, 0:55
Filed under: Sem categoria



JOEL 1 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by jquimelli
4 de dezembro de 2017, 0:45
Filed under: Sem categoria

O segundo advento de Cristo é o momento de maior expectativa do crente, o que o motiva a um preparo constante. Portanto, deveríamos aprender a observar calamidades que assolam ao mundo como avisos de que o dia do Senhor está próximo.

Em cada época o povo de Deus precisou consagrar-se, arrepender-se, converter-se e voltar a comprometer-se com Deus. Sempre foi necessário mensageiros de Deus erguerem a voz e convocar relapsos espirituais a reavivar-se e reforma-se espiritualmente.

Este capítulo nos revela dois passos usados por Joel para isso, deixando-os como legados a nós:

• Convocação da nação/igreja (vs. 1-12): “Quando ocorrem catástrofes naturais, elas provocam muitas perguntas, como: ‘Por que Deus permitiu que isso acontecesse?’, ‘Por que algumas pessoas vivem, enquanto outras morrem?’, ‘Podemos aprender uma lição com essa experiência?’. Joel não tinha dúvida de que a praga dos gafanhotos podia levar a um conhecimento mais profundo e universal de Deus. Sob inspiração divina, o profeta relacionou no capítulo primeiro a crise nacional com a situação espiritual da terra […]. Mas, ao contrário de muitos outros profetas, Joel não gastou muito tempo analisando as faltas do povo. Ele estava muito mais interessado em enfatizar a cura prescrita pelo Médico de Israel” (Zdravko Stefanovic).

• Convocação dos líderes espirituais à consagração reais (vs. 13-20): “O profeta exortou os líderes espirituais a proclamar um dia nacional de oração e jejum para que as pessoas examinassem profundamente seu coração, renunciassem seus pecados e voltassem para Deus… No fim, esse desastre [dos gafanhotos] podia levar os fies a um relacionamento mais profundo com seu Senhor” (Stefanovic).

Temos curto tempo de vida. O tempo de graça também é curto – Satanás sabe disso (Apocalipse 12:12).

“Sabendo que esse tempo é curto, Satanás se empenha ao máximo para impedir-nos de atender ao apelo da reforma e reavivamento. Agora é, porém, o tempo de implorar que Deus desmascare os embustes de Satanás. Agora, enquanto a trombeta do juízo soa das páginas de Joel, precisamos atender ao apelo para arrependimento e dedicar a vida totalmente à conclusão da obra de Deus em nossa própria pessoa e no mundo” (Leo R. Van Dolson).

• Aproveite cada oportunidade para reavivar tua espiritualidade!
• Em vez de rasgar as vestes, deve-se rasgar o coração!
• Em vez de tristezas, promovamos consagração!

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.



JOEL 1, Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
4 de dezembro de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Promulgai um santo jejum, convocai uma assembleia solene, congregai os anciãos, todos os moradores desta terra, para a Casa do SENHOR, vosso Deus, e clamai ao SENHOR” (v.14).


Apesar de seus autores serem chamados de “profetas menores”, nos livros a partir de Oseias nos são apresentadas grandiosas e solenes mensagens. O livro de Joel apresenta uma mensagem diferenciada e universal: “escutai, todos os habitantes da terra” (v.2); e que não deve ser esquecida, sendo transmitida de geração a geração (v.3). Apesar das diversas interpretações teológicas acerca do que possa significar o gafanhoto citado no verso quatro, o objetivo central está no fato de que onde há afastamento de Deus há destruição. Tanto que no verso seguinte, há um chamado ao arrependimento: “Ébrios, despertai-vos e chorai” (v.5).

O momento que é apresentado em seguida é de juízo sobre a terra, que causaria grande tristeza e lamentação. As figuras de linguagem utilizadas eram bem características da época e representavam as ocasiões mais festivas do povo de Israel: o casamento (v.8), os rituais religiosos (v.9) e a colheita (v.10 e 11). Ou seja, nada mais seria motivo de “alegria entre os filhos dos homens” (v.12).

Em seguida, há um chamado extremamente solene e urgente. Observe que ele começa pelos líderes religiosos: “Cingi-vos de pano de saco e lamentai, sacerdotes” (v.13). Os ministros de Deus são convocados a serem os primeiros a reconhecer que é tempo de angústia e de contrição diante do Senhor. O termo “passai a noite” indica um período em que o silêncio das madrugadas deve ser quebrado com as súplicas daqueles que entendem o tempo em que estão vivendo. Deve partir deles a iniciativa seguinte, de convocar “todos os moradores da terra” (v.14) a participar deste clamor coletivo.

Então, logo depois, o profeta anuncia o porquê disso tudo: “Porque o Dia do SENHOR está perto” (v.15). Você entende agora para que época especificamente esta mensagem é dirigida? Entende que você e eu estamos inseridos neste livro como dois e dois são quatro? Deus não está dizendo que devemos ser pessoas tristes e desanimadas, mas plenamente conscientes de que a nossa vida não deve se resumir aos prazeres deste mundo; que os momentos que deveriam ser de maior alegria não mais o serão para os que compreendem que o Senhor não tarda em cumprir a Sua promessa.

O tempo de angústia que diante de nós está não se resume a uma perseguição coletiva, mas à consciência individual daqueles que já estão cientes da brevidade destes últimos dias: “Embora o povo de Deus esteja rodeado de inimigos que se esforçam por destruí-lo, a angústia que sofrem não é, todavia, o medo da perseguição por causa da verdade; receiam não se terem arrependido de todo pecado, e que, devido a alguma falta, não se cumpra a promessa do Salvador: ‘Eu te guardarei da hora da tentação que há de vir sobre todo o mundo‘ (Ap 3:10)… Sofrendo embora a mais profunda ansiedade, terror e angústia, não cessam as suas intercessões. Apoderam-se da força de Deus como Jacó se apoderara do Anjo; e a linguagem de sua alma é: ‘Não te deixarei ir, se me não abençoares” (Ellen G. White, O Grande Conflito, p. 624 e 625).

Amados, Deus nos fala em linguagem que possamos compreender. O Consolador ainda está à nossa disposição para aclarar a nossa mente e nos revelar os propósitos divinos. Não temos mais tempo a perder com coisas corruptíveis. Necessitamos urgentemente de um novo Pentecostes, e este, com força superior, para que se cumpra o sinal decisivo antes da vinda do Filho do Homem: “E será pregado este evangelho do reino por todo o mundo, para testemunho a todas as nações. Então, virá o fim” (Mt 24:14).

Erguei-vos, pastores, “ministros de meu Deus” (v.13)! Humilhai-vos perante o Senhor, nosso Deus, e convocai as ovelhas a participar deste clamor coletivo que moverá o coração de Deus a abreviar os tempos e a nos fortalecer para a batalha final. Então, haverá um só povo que, ainda que separado geograficamente, estará unido pelo elo infalível da oração. “Afligem a alma perante Deus, indicando o anterior arrependimento de seus muitos pecados, e reclamando a promessa do Salvador: ‘Que se apodere de Minha força e faça paz Comigo; sim, que faça paz Comigo‘ (Is 27:5)” (Ellen G. White, O Grande Conflito, p. 625).

Clamai ao SENHOR“, “todos os moradores desta terra“, “porque o Dia do SENHOR está perto“!

Bom dia, habitantes de toda a terra!

Jornada de oração, dia 18/21: Peça ao Espírito Santo que lhe traga à memória todos os pecados dos quais ainda não se arrependeu, inclusive os que nem imagina que sejam pecados, e clame pelo perdão divino. Se possível for, faça isto de madrugada.

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus
#Joel1
#RPSP



JOEL 1 – COMENTÁRIO PR EVANDRO FÁVERO by Maria Eduarda
4 de dezembro de 2017, 0:25
Filed under: Sem categoria




%d blogueiros gostam disto: