Reavivados por Sua Palavra


MIQUEIAS 3 by jquimelli
23 de dezembro de 2017, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário Devocional

Existe nos Estados Unidos uma proteção legal para os funcionários públicos que descobrem e denunciam uma atividade ilegal no órgão em que trabalham. É chamada de “Lei de Proteção ao Denunciante de 1989”. Funcionários e candidatos a funcionários não podem ser discriminados por revelar uma atividade ilegal. A finalidade dessa proteção é evitar retaliação por parte daqueles em posição de autoridade contra o denunciante que relatou a má conduta.

Miquéias não tinha uma lei assim a lhe proteger dos líderes e outros profetas de Israel, porém não teve medo de fazer o que devia fazer: denunciar as injustiças. Neste capítulo, ele tem algumas mensagens muito diretas para as pessoas no poder: “Escutem, líderes e autoridades de Israel! Vocês deviam praticar a justiça e, no entanto, odeiam o bem e amam o mal.”(Miquéias 3:1-2, NTLH).

Em Atos dos Apóstolos, lemos: “Solenes são as responsabilidades impendentes sobre os que são chamados a agir como dirigentes na igreja de Deus na Terra.” (p. 92). É simples: líderes sempre terão outras pessoas olhando para eles, e por causa de sua influência expandida, eles têm mais responsabilidade de viver como exemplos cristãos em todos os aspectos da vida.

Em certo sentido, todos somos líderes, porque a liderança é influência e todos nós influenciamos a outros. Representamos mal ao Salvador a quem servimos quando não exibimos virtudes cristãs em nossas vidas. Como ao usar linguagem que humilha as pessoas, perder a calma ou não praticar a humildade.

Que, pela graça de Deus, possamos ser justos e puros, inspirando outros a serem semelhantes ao nosso Salvador.

Gordon Bietz
Ex-Reitor aposentado da Southern Adventist University

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/mic/3 e https://www.revivalandreformation.org/?id=1142
Tradução anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2014/09/29/
Equipe de tradução: Jeferson Quimelli/Pr Jobson Santos/Gisele Quimelli
Texto bíblico: Miquéias 3 NVI
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana do programa Crede em Seus Profetas: https://credeemseusprofetas.org/



MIQUEIAS 3 – COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
23 de dezembro de 2017, 0:55
Filed under: Sem categoria



MIQUEIAS 3 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by jquimelli
23 de dezembro de 2017, 0:45
Filed under: Sem categoria
Jesus morreu na cruz para libertar-nos das mazelas do pecado e da opressão dos agentes do diabo.
 
Disfarçados, os falsos líderes espirituais estão por todos os lados, inclusive (ou principalmente) entre o próprio povo de Deus. Em igrejas cristãs de todos os tipos e líderes religiosos escrupulosos dão margem aos “anti-cristos” (ateus) levantarem sua bandeira e desprezarem à igreja de Deus.
 
Fique alerta!
 
• Usar a religião para ganhar a vida, satisfazer a avareza e alimentar a ganância a tal ponto de explorar aos incautos, ávidos pela verdadeira manifestação divina, caracteriza os falsos representantes de Deus (vs. 1-3).
 
• Pior que ser um mensageiro iludido, pervertido e enganador é o pecador preferir tais pregadores e rejeitar aos verdadeiros enviados de Deus para oferecer o bálsamo refrescante do perdão, da restauração e da reconciliação (vs. 4-8).
 
• Usar a fama, a habilidade e a influência para levar os crentes ao engano, à práticas contrárias à Palavra de Deus e à doutrinas de demônios pensando estar fazendo a obra de Deus é o pensamento de todos os líderes falsos que falam em nome de Cristo (vs. 9-12).
 
Observe atentamente e com oração as análises teológicas de Paul R. House:
 
“Os profetas verdadeiros pregam, contudo sua mensagem, a mensagem de Yahweh, é rejeitada (3.4-8). Por esse motivo logo procurarão uma palavra da parte de Deus, mas não terão nenhuma resposta (3.6-7) […]. Vários textos de Isaías pronunciam ais contra os perversos. Em Amós 8.4-6, Jeremias 4.14, Ezequiel 11.12 e Provérbios 6.10 condenam-se os que planejam o mal. Êxodo 20.17 ordena a Israel que não cobice, e Amós 8.11,12 adverte das consequências da fome da Palavra de Deus. Jeremias 8.4-17 denuncia líderes perversos que levam o povo para a destruição. Poder-se-ia ampliar a lista, mas a lição está clara: Quando, em Miqueias 1-3, Deus testemunha contra o pecado, esse testemunho tem o apoio de todas as Escrituras”.
 
Precisamos, nestes últimos dias da história deste mundo…
 
1. Dar mais atenção à Palavra de Deus;
2. Estudar mais a Palavra de Deus;
3. Permitir que o Espírito Santo implante os princípios da Palavra de Deus em nossa vida;
4. Pautar nossa rotina pela revelação divina, não pelos pregadores gananciosos;
5. Viver segundo os nobres propósitos de Deus para nós.
 
Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.


MIQUEIAS 3, Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
23 de dezembro de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Eu, porém, estou cheio do poder do Espírito do SENHOR, cheio de juízo e de força, para declarar a Jacó a sua transgressão e a Israel, o seu pecado” (v.8).


Uma dura e solene repreensão foi proferida aos líderes de Israel, alcançando, por assim dizer, os quatro poderes da nação: executivo, legislativo, judiciário e religioso. Toda a esfera diretiva da nação tornara-se corrompida e, sob sua liderança, todo o povo se corrompeu. Aos olhos de seus dirigentes, os filhos de Israel eram como “pedaços de carne” para seu consumo (v.3). Fazendo o “mal nas suas obras” (v.4), não se importavam com o bem de seus liderados, declarando uma falsa paz e fazendo-os errar (v.5). O Senhor não mais os ouvia, não mais havia para eles “resposta de Deus” (v.7).

Contudo, Miqueias declarou o que deve ter provocado grande ira no coração dos falsos profetas: “Eu, porém, estou cheio do poder do Espírito do SENHOR” (v.8). Mas o que significa estar cheio do poder do Espírito Santo? Podemos encontrar a resposta na vida de Jesus. Já em Seu batismo, o mesmo Espírito que, no princípio, “pairava por sobre as águas” (Gn 1:2), foi o mesmo que pairou sobre as águas do Jordão, em forma de uma pomba (Mt 3:16). E foi pelo Espírito Santo que Jesus foi levado ao deserto “para ser tentado pelo diabo” (Mt 4:1) e fortalecido para o cumprimento de Seu ministério terrestre. Percebem a sequência? Nem todos atentam para isso, e, diante do primeiro deserto, desistem do caminho. Ou, impulsionados pelos motivos errados, pensam estar sob a direção do Espírito Santo quando, na verdade, estão sendo guiados pelo próprio coração enganoso. Este foi o caso dos líderes de Israel.

O exemplo de liderança que Cristo nos deixou é aquele que se humilha à condição de servo e considera seus subordinados mais do que a si mesmo. A cerimônia do lava-pés foi inaugurada pelo Rei do Universo como símbolo da perfeita humildade (Jo 13:15). Há muito mais nesta cerimônia do que lavar os pés de nosso cônjuge ou de quem amamos. Jesus lavou os pés dos que fugiriam no momento em que Ele mais precisaria deles. Jesus lavou os pés daquele que O trairia por três vezes; Jesus lavou os pés daquele que O entregaria à morte. Eis o mistério da verdadeira liderança: a vida de Cristo Jesus, cheia do poder do Espírito Santo!

Uma vida cheia do poder do Espírito Santo é aquela que, como Paulo, pôde afirmar: “logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim” (Gl 2:20). Miqueias exaltou o Messias como Senhor do santuário celeste (Mq 1:2), como o bom Pastor (Mq 2:12) e como Rei dos reis (Mq 2:13), inspirado pelo Espírito de Deus como um dos profetas que anunciaram o cumprimento da profecia messiânica (Mq 5:2). Certamente, Miqueias foi perseguido, ignorado e até ameaçado, como foram os demais profetas do Senhor, mas a sua vida não estava à procura de uma falsa segurança, mas escondida nAquele que é o “Príncipe da Paz” (Is 9:6).

Os líderes de Israel falharam quando permitiram que seus interesses falassem mais alto do que o clamor do Espírito Santo. Não permita que o seu coração se torne inacessível à voz do Consolador: “Hoje, se ouvirdes a Sua voz, não endureçais o vosso coração” (Hb 3:15). Então, “recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis” testemunhas de Jesus tanto em sua família, como em sua cidade, como em seu país, “e até aos confins da terra” (At 1:8). São estes os líderes que o Senhor procura para findar a Sua obra.

Oh, Deus eterno, nos toca por herança a porção dobrada do Teu Espírito!

Feliz sábado, testemunhas do verdadeiro Líder!

Desafio do dia: Oremos pelos líderes de nosso país e pelos líderes e pastores da igreja de Deus.

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus
#Miqueias3
#RPSP

Deixe um comentário:



MIQUEIAS 3 – COMENTÁRIO PR. EVANDRO FÁVERO by Maria Eduarda
23 de dezembro de 2017, 0:20
Filed under: Sem categoria



MIQUEIAS 3 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
23 de dezembro de 2017, 0:20
Filed under: Sem categoria

Todo o pecado é ruim, mas o pecado que leva os outros a se desvia é o pior. Life Application Study Bible Kingsway.

1 Cabeças de Jacó. Miqueias denuncia então as injustiças e a opressão dos líderes e dos falsos profetas. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 4, p. 1124.

2-4 Nós, como os líderes, não devemos tratar Deus como um interruptor de luz para ser ativado apenas quando precisamos. Em vez disso, sempre devemos confiar nEle. Life Application Study Bible Kingsway.

2 Arrancais. Em vez de serem pastores para guiar e proteger as ovelhas, esses líderes eram como açougueiros do rebanho, aproveitando-se dele. CBASD, vol. 4, p. 1124.

3 Comeis a carne. De um modo metafórico chocante, o profeta enfatiza a extrema cobiça e a voracidade dos líderes em seus negócios com o povo comum (ver Sl 14:4; Am 8:4). CBASD, vol. 4, p. 1124.

5-7 Nem todos os que afirmam ter mensagens de Deus realmente as tem. Miquéias profetizou que um dia os falsos profetas seriam envergonhados por suas ações. Life Application Study Bible Kingsway.

5 Acerca dos profetas. Nos v. 5 a 8 Miqueias denuncia os pecados dos falsos profetas que enganavam o povo, e pronuncia os juízos de Deus sobre eles. Eles mostram que eles pensavam apenas em si mesmos e em seu ganho. Ao se unir aos ricos, eles fecharam os olhos para as necessidades do povo e não condenavam os pecados de seu tempo. CBASD, vol. 4, p. 1125.

6 Portanto, se vos fará noite. Estas palavras de calamidade anunciada são dirigidas aos falsos profetas ou aos governantes. Miqueias informa que, no tempo da angústia, nenhuma profecia viria para orientá-los (ver 1Sm 28:6; Lm 2:9). CBASD, vol. 4, p. 1125.

7 Os videntes se envergonharão. Porque as previsões de paz eram enganadoras. CBASD, vol. 4, p. 1125.

Cobrirão o seu bigode. Cobrir o bigode ou a barba era sinal de luto e vergonha (ver Lv 13:45; Ez 24:17, 22). CBASD, vol. 4, p. 1125.

8 Cheio de poder. Em contraste com os falsos profetas que seguiam “seu próprio espírito” (Ez 13:3), Miqueias era dirigido “pelo Espírito do Senhor”” (ver 2Sm 23:2; 1Pe 1:10, 11; 2Pe 1:20, 21). … (1) … poder para proclamar a mensagem divina … (2) … palavras certas e justas… (3) …contra toda e qualquer oposição… CBASD, vol. 4, p. 1125.

Você não pode testemunhar de forma eficaz confiando unicamente em sua própria força, porque o medo impedirá que você fale de Deus. Só confiando no poder do Espírito Santo é que você pode viver e testemunhar por Ele. Life Application Study Bible Kingsway.

11 Miqueias advertiu os líderes, sacerdotes e profetas do seu tempo para que evitassem subornos. Os pastores de hoje aceitam subornos quando permitem que aqueles que contribuem muito controlem a igreja. Quando o medo de perder dinheiro dos membros influencia os pastores a permanecer em silêncio quando devem falar o que é o correto, suas igrejas estão em perigo. Devemos lembrar que o reino de Judá foi finalmente destruído por causa do comportamento de seus líderes religiosos. Um aviso semelhante deve ser direcionado para aqueles que têm dinheiro – nunca use seus recursos para influenciar ou manipular os ministros de Deus – isso é suborno. Life Application Study Bible Kingsway.

12 Sião. Originalmente, era o nome da fortaleza jebusita (2Cr 5:2; cf, 2Sm 5:7), mais tarde, porém, foi aplicado ao cume oriental todo [monte do templo] e, poeticamente, a toda a cidade de Jerusalém (ver com. do Sl 48:2). CBASD, vol. 4, p. 1126.

Monte. A altura imponente do Moriá [monte do templo] se tornaria tão desolada como o topo de qualquer montanha. CBASD, vol. 4, p. 1126.

Jerusalém seria destruída assim como Samaria foi (1:6). Isso aconteceu em 586 a.C. quando Nabucodonosor e o exército babilônico atacaram a cidade (2Rs 25). Embora Miqueias tenha culpado os líderes da corrupção, as pessoas não estavam sem culpa. Eles permitiram que a corrupção continuasse sem se voltar para Deus ou exigir justiça. Life Application Study Bible Kingsway.




%d blogueiros gostam disto: