Reavivados por Sua Palavra


MIQUEIAS 7 by jquimelli
27 de dezembro de 2017, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário Devocional

Ouvir aos noticiários te deixa angustiado? Ouvimos histórias do mundo todo acerca de limpezas [matanças] culturais e étnicas, de guerras, fome e tragédias. Miqueias certamente sentia desespero pelo que via, mas ele se sentiu confortado ao saber que no final tudo será consertado e a justiça voltará a reinar.

O livro de Miqueias se encerra como começou, com o encorajamento de que o juízo está chegando e as coisas voltarão ao que eram originalmente no plano de Deus. Portanto, o juízo é uma boa notícia!

O apóstolo Paulo diz que juízo e do evangelho estão ligados: “Isso tudo se verá no dia em que Deus julgar os segredos dos homens, mediante Jesus Cristo, conforme o declara o meu evangelho.” (Rom 2:16, NVI). O julgamento é parte da boa notícia do evangelho. Os justos serão libertos do mal.

No Apocalipse, o anjo traz as boas novas do julgamento vindouro: “Temam a Deus e glorifiquem-no, pois chegou a hora do seu juízo.”(Apoc 14:7 NVI).

O juízo é uma boa notícia porque a decisão foi estabelecida na cruz. Nós nos aproximamos da graça de Deus com confiança porque estamos cobertos pela justiça de Cristo. E, pelos Seus méritos, nossos pecados são perdoados e nossa transgressão é esquecida (v. 18). Jesus é nosso sumo sacerdote, juiz, advogado e testemunha. E não devemos ter medo.

Gordon Bietz
Ex-Reitor aposentado da Southern Adventist University

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/mic/7 e https://www.revivalandreformation.org/?id=1146
Tradução anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2014/10/03/
Equipe de tradução: Jeferson Quimelli/Pr Jobson Santos/Gisele Quimelli
Texto bíblico: Miquéias 7 NVI
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana do programa Crede em Seus Profetas: https://credeemseusprofetas.org/



MIQUEIAS 7 – COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
27 de dezembro de 2017, 0:55
Filed under: Sem categoria



MIQUEIAS 7 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Maria Eduarda
27 de dezembro de 2017, 0:48
Filed under: Sem categoria

MIQUEIAS 7 – Em seu livro pioneiro intitulado “Em busca de sentido” Viktor F. Frankl, prisioneiro de um campo de concentração nazista, observou que as pessoas que criavam fantasias e geravam esperanças surrealistas de sair do campo de concentração, e em seguida tinham sua esperança frustrada, entravam em um colapso nervoso, ficavam mais dispostas a doenças e morriam pouco tempo depois.

A esperança é a mola propulsora aos pecadores para enfrentarem com fé as dificuldades que visam minar os princípios divinos.

As promessas de Deus não promovem esperanças surrealistas. No decorrer da trajetória israelita, Deus sempre levantou profetas para avivar sua esperança. No cristianismo não é diferente – leia com atenção ao livro de Apocalipse.

Agora volte ao último capítulo do profeta Miqueias. Veja com atenção cada um destes pontos:

• Diante do desespero da religião decadente, de uma sociedade depravada, de líderes políticos corrompidos e laços familiares em extinção (vs. 1-6), só resta esperar em Deus (v. 7).
• Diante de qualquer situação caótica, deplorável e desesperadora, a intervenção divina pode promover disciplina, correção, instrução, esperança e restauração. Através da esperança Deus anseia moldar o coração de Seu povo carente de direção (vs. 8-14);
• Diante das impossibilidades do povo, Deus é capaz de operar grandes maravilhas que, com as quais, impactará o coração dos incrédulos e pagãos (vs. 15-17);
• Diante das terríveis e tenebrosas façanhas do pecado e do destino assustador do pecador, só a misericórdia, compaixão e perdão divino para levar-nos a confiar e esperar no Deus que é fiel às Suas promessas (vs. 18-20).

Miqueias significa “quem é como Deus?”; ele termina seu livro com a pergunta: “Quem, ó Deus, é semelhante a ti, que perdoas…?” A resposta é obvia: Ninguém é como Deus!

Observe atentamente com oração:

• Quando o trio do mal (pecado, transgressão e iniquidade) se levanta contra nós, Ele envia o trio do bem (misericórdia, compaixão e perdão) a favor de nós.
• Quando os deuses pagãos exigia o sacrifício dos filhos da humanidade, Deus entrega Seu próprio Filho para nascer, viver e morrer pela humanidade.
• Quando Deus oferece o perdão para quem perece a destruição, não há como não cantar e testemunhar alegremente de um Deus sem rival, incomparável em Seus feitos.

Com uma mensagem como esta só nos resta esperar nEle! – Heber Toth Armí.

Escreva como a mensagem de Miqueias te impressionou:



MIQUEIAS 7, Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
27 de dezembro de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Tornará a ter compaixão de nós; pisará aos pés as nossas iniquidades e lançará todos os nossos pecados nas profundezas do mar” (v.19).


A corrupção havia atingido um grau tão elevado em Israel, que até os mais retos dos homens foram comparados a espinheiros (v.4). Não havia mais quem fosse confiável (v.5), nem mesmo os da própria família (v.6). E esta advertência não ficou num passado remoto, mas foi descrita por Jesus como a realidade do mundo nos últimos dias: “Assim, os inimigos do homem serão os da sua própria casa” (Mt 10:36). “Estarão divididos: pai contra filho, filho contra pai; mãe contra filha, filha contra mãe; sogra contra nora, e nora contra sogra” (Lc 12:53).

Miqueias, porém, escolheu desviar os seus olhos da terrível condição em que se encontrava e olhar para a salvação: “Eu, porém, olharei para o SENHOR e esperarei no Deus da minha salvação; o meu Deus me ouvirá” (v.7). Deus tiraria o Seu povo do lamaçal do pecado e o salvaria “para o reino do Filho do Seu amor” (Cl 1:13). Apesar da certeza de ter de enfrentar um juízo, ele não seria de condenação, mas um juízo remissivo.

O Deus que deixou o Seu trono de glória vindo a este mundo como um servo sofredor é o mesmo que deseja perdoar todos os nossos pecados e lançá-los em um abismo inalcançável. A nossa confiança não deve estar depositada em pessoas, por mais que as amemos. A nossa confiança deve estar alicerçada em Cristo, que nos ama com amor eterno (Jr 31:3). Aquele que “não nos trata segundo os nossos pecados, nem nos retribui consoante as nossas iniquidades” (Sl 103:10).

O desejo do Senhor é o de converter “o coração dos pais aos filhos e o coração dos filhos aos seus pais” (Ml 4:6), e esta também é uma obra do Espírito Santo nos últimos dias. Mas esta derradeira obra só tem cumprimento na vida daqueles que, pela fé, aceitam o perdão do bom Pastor e o apascentar de Seu bordão (v.14). O perdão é a única dádiva divina pela qual pedimos e não precisamos esperar. Ela é imediata e plenamente eficaz.

Bem-aventurado aquele cuja iniquidade é perdoada, cujo pecado é coberto” (Sl 32:1). Sigamos, pois, o conselho divino: “Se o Meu povo, que se chama pelo Meu nome, se humilhar, e orar, e Me buscar, e se converter dos seus maus caminhos, então, Eu ouvirei dos céus, perdoarei os seus pecados e sararei a sua terra” (2Cr 7:14), e seremos verdadeiramente felizes.

Bom dia, povo do Deus que “tem prazer na misericórdia” (v.18)!

Desafio do dia: Escreva uma oração em forma de carta para Jesus. Abra o seu coração para Aquele que deseja entrar (Ap 3:20).

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus
#Miqueias7
#RPSP

Deixe um comentário:



MIQUEIAS 7 – COMENTÁRIO PR EVANDRO FÁVERO by Maria Eduarda
27 de dezembro de 2017, 0:15
Filed under: Sem categoria




%d blogueiros gostam disto: