Reavivados por Sua Palavra


JEREMIAS 39 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
2 de setembro de 2017, 0:20
Filed under: Sem categoria

Os primeiros versos deste capítulo mencionam a invasão de Jerusalém por Nabucodonosor e o que ele fez a Zedequias e ao povo de Judá. O rei Zedequias defendeu sua cidade por mais de dois anos, mas no décimo primeiro ano do seu reinado uma parte do muro foi derrubada. Depois de ver os chefes babilônicos entrarem na cidade, Zedequias e seus soldados fugiram de Jerusalém secretamente no meio da noite. Eles queriam fugir pela campina do Jordão, mas foram capturados perto de Jericó. Então, foram levados ao rei Nabucodonosor em Ribla, na terra de Hamate, na Síria.
Nabucodonosor matou os filhos de Zedequias e os nobres de Judá, cegou os olhos de Zedequias, prendeu-o com cadeias de bronze e o levou cativo para Babilônia. Nesse meio tempo os caldeus queimaram o palácio do rei e as casas dos judeus e derrubaram os muros de Jerusalém. Então Nebuzaradã, o capitão babilônico da guarda, deportou o resto do povo de Judá, para a Babilônia, exceto os agricultores pobres da Judéia.
Enquanto Jeremias ainda estava encarcerado no pátio da guarda, veio a ele a mensagem de Deus para que dissesse a Ebede-Meleque, que havia anteriormente salvo Jeremias de sua prisão no poço de lama, de que não morreria na invasão da cidade. Deus garantiu a sua vida. Yoshitaka Kobayashi, em https://reavivadosporsuapalavra.org/2014/06/09/.

 

Fugiram … jardim do rei … campina. Jer Jr 52:7. O “jardim do rei”, possivelmente, ficava proximo ao tanque de Siloé” (ver com. de Ne 3:15), e dali o rei passou pelo portao entre os dois muros. … Eles fugiram para o leste em direcao a planície, ou Arabá, o nome característico do vale do Jordao (ver com. de 2Sm 2:29) … Aparentemente, era intencao do rei atravessar o rio Jordao proximo a Jericó e se refugiar no campo aberto de Gileade ou entre os pretensos aliados, comoMoabe ou Amom (ver Jr 27:3). CBASD, vol. 4, p. 533.

Ribla. Esta cidade ao norte, “na terra de Hamate” [na atual Síria], era um centro de tráfego no rio Orontes, e assim provia uma sede natural para Nabucodonosor em sua invasão à Palestina. CBASD, vol. 4, p. 535.

Mandou matar … os filhos … os príncipes. O severo castigo aplicado pelo conquistador caldeu (v. 6, 7) foi devido o fato de que ele colocara a Zedequias no trono como seu suposto vassalo leal, e de o rei de Judá traiçoeiramente se rebelar contra ele (2Rs 24:17-20) e violar os mais solenes juramentos tomados no nome de Yahweh (ver PR, 447). CBASD, vol. 4, p. 535.

Vazou os olhos de Zedequias. Desta forma, duas profecias aparentemente exclusivas foram cumpridas: (1) Zedequias veria a Nabucodonosor e seria levado para Babilônia (Jr 32:4, 5) e (2) ele morreria em Babilônia, mas não a veria. CBASD, vol. 4, p. 535.

Queimaram a casa do rei. Para um relato mas detalhado desta devastação, ver Jr 52:12-14; cf. 2Rs 25:8-10. CBASD, vol. 4, p. 535.

Levou-os cativos. Para prevenir rebelião, Nabucodonosor seguiu a mesma política de deportação que fizeram os assírios antes dele (2Rs 15:29; 17:6). CBASD, vol. 4, p. 535.

10 Dos mais pobres … deixou. Sem dúvida, isto foi feito para prevenir um vazio político na terra. A doação de terra aos pobres garantiria a aliança deles aos babilônios. CBASD, vol. 4, p. 535.

11 Acerca de Jeremias. É evidente que Nabucodonosor soube do firme conselho de submissão a Babilônia, quer por meio de desertores ou espias, ou do próprio Zedequias. Assim, logo que descobriu que Jeremias tinha sido “atado com cadeias no meio de todos os do cativeiro” (Jr 40:1), ele ordenou que o profeta fosse libertado. CBASD, vol. 4, p. 535.

14 Átrio da guarda. Ver Jr 38:28. Esta declaração pode ser harmonizada com Jeremias 40:1, supondo-se que o profeta tenha sido tirado da prisão e levado como cativo, junto com os demais por poucos quilômetros, de Jerusalém a Ramá (ver com. de Jr 31:15), local em que o capitão babilônico lhe deu as boas notícias de sua libertação. O relato de Jeremias 39:14 apenas omite os eventos intermediários entre a libertação de Jeremias da prisão e sua união a Gedalias, eventos que são relatados detalhadamente (Jr 40:1-6). CBASD, vol. 4, p. 535.

Gedalias. Ver com. de Jr 26:24. Fiel à conduta de sua família, “o filho de Aicão” [“a quem o rei de Babilônia nomeou governador das cidades de Judá”, Jr 40:5] então prossegue como amigo e protetor de Jeremias. CBASD, vol. 4, p. 535.

15 Estando ele ainda detido. Os v. 15 a 18 são um relato parentético da promessa de Deus a Ebede-Meleque por causa de sua bondade para com Jeremias [“porquanto confiaste em Mim”, Jr 39:18]. CBASD, vol. 4, p. 535.

17 A ti, porém, Eu livrarei. Devido a sua lealdade para com Jeremias, Deus promete ao etíope que sua vida seria poupada da “mão dos” príncipes de Judá, que estavam irados por seu ato em relação ao profeta (Jr 38:7-13), e que ele “não cairia à espada” (Jr 39:18) dos babilônios, já que Jeremias intercederia por ele. CBASD, vol. 4, p. 535.

18 Como despojo. Um sentido idiomático para dizer que sua vida seria poupada. Num período em que milhares perderam a vida, ninguém pediria maior recompensa. CBASD, vol. 4, p. 536.


Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: