Reavivados por Sua Palavra


EZEQUIEL 33 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
24 de janeiro de 2021, 0:50
Filed under: Sem categoria

1068  palavras

33:1 – 39:29 A partir deste ponto, o ministério de Ezequiel assume uma nova direção. Após o juízo [destruição de Jerusalém], vem a graça divina e a promessa de restauração do povo na era messiânica… O plano de Deus envolve, em primeiro lugar, cura e reconstrução de relacionamentos saudáveis, bem como a renovação de lugares e o derramamento de bênçõas. É uma mensagem de esperança, e Ezequiel desempenha um papel pastoral no consolo do povo do Senhor. Bíblia de Estudo Andrews.

1-11 atalaia. O papel de Ezequiel como atalaia é repetido e intensificado … Ele deveria conclamar o povo a se preparar para o retorno da presença e da glória de Deus. Esta seção é encerrada com um apelo duplo ao arrependimento. A restauração começa com o chamado divino para uma mudança de pensamento e também de atitudes, refletindo uma transformação interior. . Bíblia de Estudo Andrews.

1 A palavra do SENHOR. A profecia (v. 1-20) não é datada; mas, pelas circunstâncias relatadas nos v. 21 e 22, parece razoável supor que foi dada na noite anterior à chegada do mensageiro que levou a notícia da queda de Jerusalém. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 4, p. 756, 757.

2 Fala aos filhos de teu povo. Inicia-se uma nova fase do ministério de Ezequiel, e seu encargo profético é renovado. CBASD, vol. 4, p. 757.

10 Como, pois, viveremos? O estado de espírito dos ouvintes de Ezequiel havia mudado. Antes, o profeta encontrara descrença e escárnio (Ez 12:22). O povo tentou desculpar sua transgressão afirmando que estava sendo punido, não por seus próprios pecados, mas pelos de seus pais (18:12). Diante do fato da destruição de Jerusalém, eles já não podiam contradizer as palavras do profeta. Em desespero, o que estavam dizendo, era: “Se tudo isso é punição por nossos pecados, que esperança há para nós?”. CBASD, vol. 4, p. 757.

11 Não tenho prazer. Ezequiel anima seus concidadãos com a certeza de que Deus não tem prazer na morte deles. O que ele deseja é que se arrependam e vivam (2Pe 3:9). Seu plano é que o castigo do cativeiro seja salutar e produza arrependimento. Ele adverte que nenhum ato anterior de justiça cobriria a transgressão presente (v. 12). Ao mesmo tempo, nenhuma iniquidade cometida no passado excluiria o pecador da graça presente. CBASD, vol. 4, p. 757.

12 A justiça do justo. Os v. 12 a 20 resumem brevemente o ensino do cap. 18 sobre o assunto da responsabilidade individual. CBASD, vol. 4, p. 757.

13 A justiça é um dom de Deus e deve ser aceita e praticada. O egocentrismo e a confiança orgulhosa levam à destruição. O Senhor nunca castiga inocentes. Bíblia de Estudo Andrews.

21 No ano duodécimo. Isto é, do cativeiro de Joaquim. … Se os anos de cativeiro forem computados pelo sistema não inclusivo … , o quinto dia do décimo mês pode ser datado de janeiro de 585 a.C., cerca de seis meses após a queda da cidade [Jerusalém], que ocorreu em julho de 586. CBASD, vol. 4, p. 757.

O primeiro fugitivo de Jerusalém anuncia a queda da cidade depois de sua chegada em 8 de janeiro de 585 a.C. Bíblia de Estudo Andrews.

22 Abrira-se-me a boca. Ver com. [CBASD] de Ez 24:27 [Ezequiel é informado de que, quando recebesse a notícia da queda da cidade (ver com. [CBASD] de Ez 33:21, 22), voltaria a falar (ver Ez 3:26, 27). CBASD, vol. 4, p. 757.

23 Então, veio a mim. Não são fornecidas as datas para as profecias que começam aqui e se estendem até o final do cap. 39. Os cap. 40 a 48 são datados de 12 anos após a queda de Jerusalém. É provável que as profecias pertencentes a esta série tenham sido apresentadas de tempos em tempos durante esse período de 12 anos. CBASD, vol. 4, p. 757.

24 Os moradores destes lugares desertos. Os pobres dentre o povo foram deixados na terra [de Judá] como vinheiros e lavradores, e a eles se uniram judeus que fugiram de países vizinhos (ver 2Rs 25:12, 22; Jr 52:16). Esta mensagem tem o objetivo de combater um ditado que era corrente entre esse grupo. CBASD, vol. 4, p. 757.

Abraão era um só. Estas palavras expressam as arrogantes declarações dos que haviam sido deixados na terra [de Judá] pelos babilônios. O que eles declaravam era que, se Abraão, sendo um só, recebeu a posse da terra, eles, sendo muitos, certamente poderiam reivindicá-la e tomar posse das propriedades dos que foram exilados. Em resposta, o profeta afirma que o fato de alguém ser descendente de Abraão não representava nenhuma vantagem, porque Deus estava interessado em qualificações de caráter; e o fato de eles serem muitos não tinha qualquer relevância para a questão.

Muitos confiam em sua ligação com uma organização religiosa, em vez de buscar a santidade de coração, que é unicamente o que capacita a permanecer em pé no ;ultimo dia. Depositam confiança em números e popularidade. Em última análise, a verdadeira religião é algo pessoal, e cada um precisa buscar a própria salvação com temor e tremor. A ligação com a igreja organizada é o resultado natural e esperado de uma genuína experiência pessoal, mas isso, em si mesmo, não constitui o fundamento da esperança de ninguém. CBASD, vol. 4, p. 757, 758.

25 Comeis a carne com o sangue. Ver Gn 9:4; cf. Lv 3:17; 6:26; 17:10-14; Dt 12:16. As pessoas deixadas na terra não mostravam qualquer disposição para se afastar dos pecados de seus pais. O povo vivia em aberta rebelião contra as ordens expressas de Deus (ver Jr 42-43). CBASD, vol. 4, p. 758.

26 Vós vos estribais sobre a vossa espada. Eles se apoiavam em seus atos de violência. Assassinatos eram comuns (ver Jr 49). CBASD, vol. 4, p. 758.

29 todas as abominações. Todas as coisas detestáveis; uma síntese de práticas inaceitáveis (18:12, 13), que constituíam graves ofensas ao Senhor. Em Ezequiel, a lista inclui idolatria (5:11; 7:20: 11:18, 21; 33:25), adultério (22:11; 33:26) e violência (8:17). Fora de Ezequiel, a lista abrande sacrifício de filhos (Dt 12:31; 2Rs 16:3), comer alimentos imundos (Dt 14:3), abuso de poder (Pv 16:12), falsos pesos e medidas (Dt 23:13-15; Pv 11:1), salário de prostituição (Dt 23:18), orgulho no coração (Pv 16:5) e a oração de um transgressor da lei (Pv 28:9). Bíblia de Estudo Andrews.

30 Os filhos. O profeta é advertido a não se deixar enganar pela deferência exterior do povo. CBASD, vol. 4, p. 758.

De ti. O profeta, provavelmente, nunca tivera tantos ouvintes, e que fossem aparentemente tão promissores. Ele é advertido quanto ao fato de essas pessoas serem meros ouvintes da palavra, e não praticantes (ver Mt 7:21-27; Tg 1:22-25). CBASD, vol. 4, p. 758.

31 Aqui está o motivo para o povo de Deus ter precisado passar pelo exílio: sua religião era falsa e superficial, não mudava o coração. Bíblia de Estudo Andrews.

32 Canções de amor. Literalmente, “canção de amores”ou “canção de enamorados”. Eles se reuniam como se fossem ouvir um concertista. CBASD, vol. 4, p. 758.


Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.



%d blogueiros gostam disto: