Reavivados por Sua Palavra


SALMO 21 by jefersonquimelli
23 de fevereiro de 2020, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/sl/21

Este salmo completa o ciclo de súplica e obtenção, pedido e resposta iniciado no Salmo 20. Ele era utilizado após a vitória solicitada no Salmo 20 ter sido obtida. A vontade de Deus tinha sido seguida, as orações por vitória haviam sido oferecidas, a conquista tinha acontecido. Agora o povo de Deus fielmente retorna a Deus e Lhe oferece louvor e ações de graças pelo sucesso alcançado.

É instrutivo para o crente saber que o trabalho não está completo após as orações pela vitória terem sido oferecidas e a batalha ter sido vencida. A vitória, o sucesso e suas ramificações, é mais do que apenas lutar e vencer. Há mais a fazer: o deliberado e espontâneo reconhecimento, agradecimento e louvor a Deus.

Dar toda a glória a Deus não é fácil, porque queremos a glória para nós mesmos. Deus deve receber a glória, porque Ele é a origem de todas as coisas boas e dignas de nota.

Delbert Baker
Vice Reitor da Universidade Adventista da África – Nairobi, Kenia
Ex Vice-presidente da Igreja Adventista do Sétimo Dia

Fonte: https://www.revivalandreformation.org/?id=745
Tradução: Jobson Santos, Jeferson e Gisele Quimelli



SALMO 21 – COMENTÁRIO PR. ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda



SALMO 21 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by jefersonquimelli
23 de fevereiro de 2020, 0:45
Filed under: Sem categoria

SALMO 21 – A Bíblia de Jerusalém explica que este Salmo tem “duas partes seguidas de antífonas corais (v. 8 e 14), tem acento messiânico e escatológico, fazendo com que fosse aplicado ao Cristo Rei”.

Neste Salmo “prevê-se a glória majestosa de Cristo” (vs. 1-7), comenta Merril Frederick Unger, “e celebra-se Sua vitória sobre Seus inimigos, 8-12. Então o Israel redimido cantará o hino [do versículo] 13”.

Este Salmo, “evidentemente, é o companheiro adequado do salmo 20, e está em sua posição apropriada ao lado dele. O salmo 20 antecipa o que esse vê como já realizado”, analisa Charles H. Spurgeon; e, então, faz as seguintes aplicações: “Se oramos hoje por um benefício e o recebemos, nós precisamos, antes que o Sol se ponha, louvar a Deus por essa misericórdia, ou então, caso contrário, mereceremos ser negados da próxima vez. O Salmo já foi chamado de ‘o canto triunfal de Davi’, e podemos lembrar-nos dele como sendo a Triunfante Ode Real. ‘O rei’ se sobressai nele todo, e nós o leremos com proveito verdadeiro se for doce a nossa meditação no Senhor enquanto o fazemos. Devemos coroá-lo com a glória da nossa salvação; cantando sobre Seu amor, e louvando Seu poder”.

Medite:

• Este Salmo é uma resposta ao Salmo anterior, o qual nos mostra que orar diante de uma situação desafiadora resultará em corações motivados a agradecer a Deus por Suas ações redentoras (vs. 1-7);
• Na sequência, o Salmo mostra que aqueles que experimentam as portentosas ações divinas meditam na subjugação dos inimigos de Deus e de Seu povo no fim dos tempos (vs. 8-12);
• Finalmente, o povo exalta e celebra efusivamente a força e o poder do Salvador (v. 13).

O grande conflito não será eterno, mas eterna será a vitória divina sobre todo poder maligno. O armagedom será o ápice dessa batalha cósmica e, no fim do milênio se fará execução final sobre todo o império do mal. Então, todo o universo e todos os salvos empreenderão um louvor universal ao Soberano que exterminou completamente tudo o que era mal (ver Malaquias 4:1; Apocalipse 7:7-12; 19:1-3; 20:14-15).

O plano divino está em andamento, cabe a cada pessoa a decisão de não ficar de fora dele. Confie, entrega-te a Deus! Ore e celebrarás!

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.



SALMO 21 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
23 de fevereiro de 2020, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Satisfizeste-lhe o desejo do coração e não lhe negaste as súplicas dos seus lábios” (v.2).

O que era uma súplica tornou-se em ação de graças. Mas tem algo de muito curioso neste Salmo. Na verdade, o texto não diz que a guerra acabou, contudo, que Deus alcançará os inimigos do rei (v.8), apanhará os que o odeiam (v.8), ”os consumirá… os devorará” (v.9), e assim, o salmista descreveu uma sequência de ações de Deus, todas no futuro.

Agora percebam o que fez Davi compor este Salmo mesmo em face de iminentes guerras: “O rei confia no Senhor” (v.7). Compreendem, amados? A Bíblia não diz que o rei confiará quando ele sair vencedor da guerra, e sim que ele confia. Ele tinha a firme certeza de que sairia vitorioso. Não é sem propósito que a confiança em Deus faz parte integrante dos oito remédios naturais que Ele nos deixou.

Notem também que Davi iniciou dizendo que se alegrava na força de Deus e exultava em Sua salvação (v.1). “A misericórdia do Altíssimo” (v.7) era o fundamento da confiança de Davi. A motivação do rei não era de vencer a guerra, mas de ter vida: “Ele te pediu vida, e Tu lha deste” (v.4). Não esta vida que logo perece, mas a longevidade eterna: “Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância” (Jo.10:10). 

Por mais que se multiplicassem os inimigos, em momento algum o salmista revelou medo ou dúvida, pois confiava em Deus e em Sua misericórdia. Afinal de contas, os seus inimigos tornavam-se, automaticamente, inimigos de Deus (v.8). Todos os que odiavam a Davi, consequentemente, odiavam ao Senhor também, e dEle receberiam o devido juízo, pois “aquele que não ama a seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus, a Quem não vê” (1Jo.4:20).

Meus irmãos, precisamos exercitar a nossa confiança em Deus a cada dia. Conforme o salmo de hoje, confiar no Senhor:

1. Satisfaz o desejo do nosso coração (v.2);

2. Faz com que nossas orações sejam atendidas (v.2);

3. Supre a nossa vida “das bênçãos de bondade” (v.3);

4. Concede-nos a coroa da salvação (v.3; Leia Ap.2:10);

5. Preserva-nos para a vida eterna (v.4);

6. Transforma-nos em bênçãos eternas (v.6);

7. Enche a nossa vida de alegria (v.6).

É privilégio nosso confiar em Deus e desfrutar da sensação de paz “que excede todo o entendimento” (Fp.4:7). Como ouvi em um sermão anos atrás: “No final tudo dá certo na vida do cristão, se ainda não deu certo é porque ainda não chegou ao final”. Portanto, não permita que inimigos abalem a sua fé, mas que a sua fé, unida a um coração agradecido, lhe faça louvar o poder de Deus antes mesmo que ele se manifeste. Vigiemos e oremos!

Feliz semana, homens e mulheres de fé!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Salmo21 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



SALMO 21 – COMENTÁRIO PR. RONALDO DE OLIVEIRA by Maria Eduarda
23 de fevereiro de 2020, 0:10
Filed under: Sem categoria



SALMO 21 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jefersonquimelli
23 de fevereiro de 2020, 0:05
Filed under: Sem categoria

424 palavras

Na sua estrutura, o salmo fica emoldurado pelos  v. 1, 13 (“na tua força, ó SENHOR” ocorre nos dois versículos) e se centraliza em torno do v. 7, que proclama a confiança que o rei tem no Senhor e na segurança que o amor inesgotável de Deus lhe oferece. Bíblia de Estudo NVI Vida.

É um salmo de gratidão pelo êxito da campanha militar pela qual o salmo anterior tinha suplicado. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 3, p. 766.

Na Tua força. Os carros e cavalos não teriam poder contra a força de Deus (ver Sl 20:7). CBASD, vol. 3, p. 766.

o rei. Os v. 1 a 7 expressam a gratidão da congregação pela vitória que Deus concedeu ao Rei. Sempre se deve reconhecer de forma pública uma oração concedida. CBASD, vol. 3, p. 766.

Satisfizeste-lhe o desejo do coração. A oração em favor do rei (Sl 20:4) foi atendida. … Pode-se esperar que a oração seja atendida quando os desejos do ser humano correspondem aos desejos de Deus e quando a vontade de quem ora está sujeita à vontade dEle (ver DTN, 668). CBASD, vol. 3, p. 766.

Pois o puseste por bênção. Ou, “pois o colocou para ser bênção” [como Abraão (Gn 12:2)] … Era propósito de Deus que o rei – e todo filho Seu – fosse não apenas um recipiente de Suas bênçãos, mas um instrumento para comunicá-las (ver também Is 19:24; Ez 34:26). CBASD, vol. 3, p. 766.

tua presença ( NVI; ARA: “tua destra”). Teu favor, que é o motivo supremo da alegria,por ser a bênção suprema, e a fonte originária de todas as bênçãos. Bíblia de Estudo NVI Vida.

7 O centro do salmo … O participante da liturgia (talvez um sacerdote ou levita) proclama as razões da segurança do rei. Bíblia de Estudo NVI Vida.

Um bom líder confia no Senhor e descansa sobre Seu infalível amor. Muitos líderes confiam em sua própria esperteza, apoio popular ou poder militar. Mas Deus está acima destes “deuses”. Se você aspira à liderança, mantenha o Senhor Deus no centro de sua vida e descanse nEle. Sua sabedoria é o melhor força que você poderá ter. Life Application Study Bible Kingsway.

11 não conseguirão. Os planos do ser humano, por melhores que sejam, falharão se Deus estiver contra eles. CBASD, vol. 3, p. 766.

13 Exalta-Te, SENHOR. Como o Salmo 20, o 21 termina com uma oração. O salmista encerra, pelos lábios da congregação, seus desejos bons e suas profecias em favor do rei. Ele se dirige a Deus e ora para que Ele Se revele como a fonte de força de Seu povo (como no v. 1). Este é um quadro final de louvor universal (ver Ap 7:10-12; 12:10; 19:1-3). CBASD, vol. 3, p. 767.




%d blogueiros gostam disto: