Reavivados por Sua Palavra


SALMO 19 by jefersonquimelli
21 de fevereiro de 2020, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/sl/19

A beleza e o poder do sol, da lua e das estrelas são vistas por todos os seres humanos. Desde que foram criados, eles têm sido uma testemunha contínua da glória de Deus. O testemunho deles não depende de nenhuma linguagem humana. “O sol, a lua e as estrelas são os pregadores itinerantes de Deus. Em sua jornada eles são apóstolos, confirmando aqueles que consideram o Senhor, e juízes, condenando aqueles que adoram ídolos” (Charles Spurgeon).

As obras da criação nos mostram o poder do amor de Deus em relação a nós e são uma representação visual da Lei de Deus. “Faríamos bem em ler frequentemente o décimo nono salmo, para que possamos entender como o Senhor vincula Sua lei às Suas obras criadas” (Ellen White, 3BC 1143). As leis de Deus são perfeitas.

Devemos meditar na criação de Deus e procurar encontrar Suas impressões digitais ao nosso redor. Isso elevará nossas mentes e nos levará a uma comunicação mais próxima com Jesus. Deveríamos orar diariamente para que o Espírito Santo nos conduza em pensamento e ação e proteja nossa mente do mal.

Cheri Holmes
Enfermeira
Lynden, Washington, EUA

Fonte: https://www.revivalandreformation.org/?id=743
Tradução: Jobson Santos, Jeferson e Gisele Quimelli



SALMO 19 – COMENTÁRIO PR. ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
21 de fevereiro de 2020, 0:55
Filed under: Sem categoria

55



SALMO 19 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by jefersonquimelli
21 de fevereiro de 2020, 0:45
Filed under: Sem categoria

SALMO 19 – Este Salmo é o “maior poema do Livro dos Salmos e um dos maiores poemas líricos do mundo” – declarou o ex-ateu e filósofo C. S. Lewis.

Este salmo trata de três fontes que testemunham de Deus:

1. A natureza (todo o Universo) com sua complexidade harmoniosa e exuberante beleza aponta para um engenheiro e arquiteto incomum, com obras sobrenaturais (vs. 1-6).

2. A revelação escrita (a Torah) em sua profundidade, extensão e perfeição evidencia a existência de um Autor por trás dos escritores que extrapola as habilidades humanas (vs. 7-11).

3. O crente proclama o evangelho. Após meditar nas realidades que confirmam a existência de um Deus sábio, organizado e poderoso, Davi testemunha: “Essas são as palavras da minha boca, as quais vou degustando enquanto oro. Acolhe-as quando as deposito sobre o altar de manhã, Ó Deus, meu Altar de Pedra, Ó Eterno, sacerdote de meu altar” (vs. 12-14).

Como criaturas semelhantes ao Criador, temos capacidade de raciocinar e meditar nas realizações divinas. Isso nos abrirá a mente e nos tornará humildes, contudo, certamente seremos mais reverentes. Contudo, podemos bloquear essa capacidade.

• Por não querer abandonar pecados, muitos preferem duvidar da existência divina!

O filósofo Immanuel Kant tomou tempo para refletir; observe sua conclusão:

“É impossível contemplar o tecido do universo sem reconhecer a ordem admirável de seu arranjo e a manifestação inequívoca da mão de Deus na perfeição de suas correlações. Depois de examinar e admirar tanta beleza e perfeição, a razão experimenta justa indignação diante da insensatez ousada que se atreve a atribuir tudo isso ao acaso e a um venturoso acidente. Não há dúvida de que a sabedoria do alto concebeu o plano e de que o poder infinito o executou”.

Ele não falou apenas da revelação da criação. “O céu estrelado acima de mim e a lei moral dentro de mim são duas coisas que enchem a alma de admiração e reverência crescentes”.

Entretanto, aos que não enxergam o testemunho da criação (vs. 1-6), e ignoram o testemunho da revelação (vs. 7-11), Deus oferece mais graça ao mundo pelo testemunho dos que já passaram pela conversão (vs. 12-14).

Além de promover sabedoria, estudar a Bíblia com oração restaura, alegra, ilumina e orienta aos pecadores neste mundo nefasto. Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.



SALMO 19 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
21 de fevereiro de 2020, 0:30
Filed under: Sem categoria

“A lei do Senhor é perfeita e restaura a alma; o testemunho do Senhor é fiel e dá sabedoria aos símplices” (v.7).

Davi destacou duas formas do ser humano conhecer a Deus: por meio da Sua criação e da Sua Palavra. O Senhor nos deixou a Sua Palavra e, nela, a Sua Lei para que, com os olhos iluminados (v.8), possamos desfrutar da grande recompensa em guardá-los (v.11). Ele não nos deixou regras autoritárias e sem sentido, mas a “lei da liberdade” (Tg.2:12), que é perfeita e restaura a alma.

Já a criação, é a perfeita manifestação do poder de Deus. Na imensidão do céu, no gigantesco mar, da minúscula criatura a maior delas, na complexidade do corpo humano, podemos quase que ouvir: “E viu Deus que isso era bom” (Gn.1:18). Apesar da natureza não ter como falar, e nem expressar em palavras que toda ela é assinada pelo Criador (v.3), mesmo hoje tão arrasada pelos efeitos do pecado, ela não deixa de ser uma prova inequívoca, “até aos confins do mundo” (v.4), de que o Senhor é Deus. Como está escrito: “Porque os atributos invisíveis de Deus, assim o Seu eterno poder, como também a Sua própria divindade, claramente se reconhecem, desde o princípio do mundo, sendo percebidos por meio das coisas que foram criadas” (Rm.1:20).

Há uma relação intrínseca entre a criação do mundo e a Lei do Senhor. No centro dos dez mandamentos há um memorial cujas palavras confirmam a nossa origem: “Lembra-te do dia de sábado para o santificar… porque em seis dias fez o Senhor os céus e a terra, o mar e tudo o que neles há e, ao sétimo dia, descansou; por isso, o Senhor abençoou o dia de sábado e o santificou” (Êx.20:8, 11). Quando adoramos a Deus no dia que é dEle (Ez.20:12; Mt.12:8), que Ele mesmo descansou, abençoou e santificou (Gn.2:2-3), reconhecemos o Senhor como o nosso Criador e Mantenedor. Por meio de Sua criação Deus fala. E se Ele fala por meio do que criou, não devemos nós também ser a voz de Deus ao mundo?

Após toda a manifestação de alegria e de amor pelo que Deus fez e por Sua Palavra, Davi encerrou este Salmo com um pedido: “As palavras dos meus lábios e o meditar do meu coração sejam agradáveis na Tua presença, Senhor, rocha minha e Redentor meu!” (v.14). Era como se Davi dissesse: “Que eu seja Tua testemunha, Senhor!”. A lei não tem a finalidade de salvar, mas é por meio dela que somos guiados à salvação em Cristo Jesus. Ela nos aponta os nossos pecados para que possamos nos arrepender e correr para os braços do Pai. Algo que é perfeito, que restaura a alma, que é fiel, que dá sabedoria, que é reto, que alegra o coração, que é puro, que ilumina os olhos, que é verdadeiro, que é justo, que admoesta, que concede recompensa aos obedientes. Como, pergunto eu, podemos duvidar de algo assim?

Não temos o poder de discernir nossas próprias faltas (v.12), amados. Nada refoge ao calor (v.6) de um Deus que tudo fez para a nossa felicidade. Como nosso Criador, o Senhor deixou impresso na criação as digitais do Seu amor eterno por nós (Jr.31:3). E como Pai, nos deixou a Sua lei como proteção até mesmo de nossos pecados ocultos (v.12). Se, como Davi, amamos ao Senhor (Sl.18:1), teremos o mesmo amor por tudo o que Ele criou (Hb.11:3), por tudo o que Ele falou (Mt.4:4) e com o Seu próprio dedo escreveu (Êx.31:18). Sigamos os passos de Jesus, que nos deixou o perfeito exemplo de obediência, e Ele nos cobrirá com Sua justiça e nos dará poder para obedecer. Vigiemos e oremos!

Bom dia, obras do Criador!

* Amanhã é o dia do Senhor! Procure a Igreja Adventista do Sétimo Dia mais próxima da sua casa e adoremos juntos ao Criador. Acesse: igrejas.adventistas.org

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Salmo19 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



SALMO 19 – COMENTÁRIO PR. RONALDO DE OLIVEIRA by Maria Eduarda
21 de fevereiro de 2020, 0:10
Filed under: Sem categoria



SALMO 19 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jefersonquimelli
21 de fevereiro de 2020, 0:05
Filed under: Sem categoria

1100 palavras

“A natureza e a revelação, ambas dão testemunho do amor de Deus” (CC, 9). Esta declaração poderia muito bem resumir o Salmo 19. Este salmo talvez seja o mais conhecido e mais popular dos que falam da natureza. É uma reflexão da revelação que Deus faz de Si mesmo na natureza e em Sua lei. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 3, p. 759.

céus. Os céus que podemos contemplar: o espaço onde estão o Sol, a Lua e as estrelas (ver Gn 1:1, 8, 9, 14, 16, 17, 20). CBASD, vol. 3, p. 760.

glória. Um vislumbre do céu a olho nu é o suficiente para imprimir no observador o senso da glória de Deus. Bem mais ampla é essa revelação quando os céus são explorados por meio de telescópios. CBASD, vol. 3, p. 760.

firmamento. Com seu esplendor e ordem, os céus refutam a teoria da evolução. Eles não são produto do acaso, mas criação de Deus. Sua beleza e disposição testemunham da existência de Deus. CBASD, vol. 3, p. 760.

4 O apóstolo Paulo se referiu a este salmo quando explicou que todos tem conhecimento de Deus porque a natureza proclama a existência de Deus e Seu poder (Rm 1:19, 20). Isto não cancela a necessidade de missões, porque a mensagem da salvação de Deus encontrada em seu livro, a Bíblia, deve ainda ser levada aos confins da Terra. Enquanto que a natureza aponta para a existência de um Deus, a Bíblia nos conta sobre a salvação. O povo de Deus deve explicar aos outros como eles podem ter um relacionamento com Deus. Apesar das pessoas, em todos os lugares, deveriam acreditar em um Criador somente por olhar as evidências da natureza ao seu redor, Deus precisa que expliquemos Seu amor, misericórdia e graça. O que você está fazendo para levar a mensagem de Deus ao mundo? Life Application Study Bible Kingsway.

noivo. A figura do Sol saindo de seu aposento como um noivo sugere vitalidade, brilho e felicidade (ver Is 61:10; 62:5). CBASD, vol. 3, p. 761.

7-10 Seria difícil encontrar exemplos mais perfeitos de paralelismo hebraico do que os v. 7 a 10. CBASD, vol. 3, p. 761.

7-11 Quando pensamos a respeito da lei, muitas vezes pensamos em algo que evita que tenhamos prazer. Mas aqui nós vemos o oposto – lei que revive, nos faz sábios, traz alegria ao coração, traz luz ao olhos, nos adverte e nos recompensa. Isto é porque as leis de Deus são guias e luzes para nosso caminho ao invés de serem cadeias em nossas mãos e pés. Elas apontam o perigo e nos advertem, então apontam para o sucesso e nos guiam. Life Application Study Bible Kingsway.

7-8 No serviço da sinagoga moderna, lê-se o Salmo 19:7-8 enquanto se abre a Torah, no serviço de sábado de manhã. CBASD, vol. 3, p. 762.

A lei do SENHOR. Neste ponto, Davi se desvia de sua contemplação da natureza, cuja grandeza revela a permanência, o propósito e a glória de Deus, para refletir sobre a revelação ainda mais clara de Deus na  Sua lei. Embora sejam belas as manifestações da glória de Deus nos céus e magnificente o esplendor do Sol, da Lua e das estrelas, ainda mais belo e mais magnificente é um caráter formado sob a influência da lei de Deus. … a glória de Deus se manifesta com mais clareza no caráter perfeito. CBASD, vol. 3, p. 761.

Lei.  … “Lei” vem do heb. torah, que significa “ensinamento”, “instrução”, “direção” (ver com de Dt 31:9; e de Pv 3:1). CBASD, vol. 3, p. 762.

testemunho. Do heb ‘edutth, usado com frequência para se referir ao decálogo (ver Êx 25:16, 21, 22). CBASD, vol. 3, p. 762.

fiel. Do heb. ‘amen, termo de que deriva a palavra “amém”. ‘Amen’ significa “ser fiel”, “ser duradouro”, “ser firmemente estabelecido”. CBASD, vol. 3, p. 762.

inexperientes (NVI; ARA: “símplices”). Que são semelhantes a crianças, cujo entendimento e juízo ainda não amadureceram (v. Pv 1.4). V. tb. 19.98-100; 2Tm 3.15. Bíblia de Estudo NVI Vida.

alegram. As ordens de Deus não são severas. A consciência limpa produz alegria. CBASD, vol. 3, p. 762.

mandamento. Do heb miswah, de sawah, “apontar”, “dar uma ordem” (ver Dt 6:1; 7:11; Sl 119:6, 10, 19, 21, 32, 35, 47, etc.). CBASD, vol. 3, p. 762.

temor. O “temor do SENHOR” deve ser ensinado (Sl 34:11). É a instrução da sabedoria” (Pv 15:33). Aquele que teme a Deus também respeitará e observará Seus preceitos. CBASD, vol. 3, p. 762.

10 ouro depurado. O ouro é considerado algo de grande valor para o ser humano, mas riquezas espirituais obtidas ao se seguir os preceitos de Deus são muito superiores aos bens materiais. CBASD, vol. 3, p. 762.

favos. Ou, “o mel dos favos”. O mel é uma das substâncias naturais mais doces e prazerosas ao paladar. Para o hebreu, era símbolo de tudo o que é agradável ao paladar. Ainda mais doce para a alma são os mandamentos de Deus. … É possível fartar-se de mel, mas nunca dos resultados felizes de se fazer a vontade de Deus. Para o salmista, a lei de Deus não era pesada, não era um jugo. CBASD, vol. 3, p. 762, 763.

12, 13 Muitos cristão são atormentados pela culpa. Eles se preocupam que possam ter cometido um pecado sem o saber, feito qualquer coisa com intenções egoístas, falharam em colocar inteiramente seu coração em uma tarefa ou negligenciado o que deveriam ter feito. A culpa tem um importante papel em trazer Cristo pra nós e nos manter comportando adequadamente, mas não devia nos magoar ou trazer-nos medo. Deus nos perdoa total e completamente – mesmo pelos pecados que cometemos inconscientemente. Life Application Study Bible Kingsway.

12 faltas. Do heb. shei’oth … significa “errar inadvertidamente”. Tendo em vista que os preceitos da lei de Deus têm grande abrangência, estamos propensos a cometer muitos erros dos quais não nos apercebemos. … O salmista ora para que Deus o livre das faltas “ocultas” (Sl 19:12), dos pecados intencionais, da “soberba” (v. 13) e dos pecados de palavra e pensamento (v. 14). Quando reconhecemos o pecado em outro, com frequência é nosso próprio pecado oculto que está nos irritando. CBASD, vol. 3, p. 763.

14 sejam agradáveis. O salmo se encerra com uma oração em que o salmista pede a Deus que aceite os pensamentos e as palavras que pronunciou e, ao mesmo tempo, que sejam puros seus pensamentos e suas palavras cada dia. No aspecto geral, a oração é universal e como tal é um modelo para todos. CBASD, vol. 3, p. 763.

Redentor. Do heb go’el, “libertador” (ver com. de Rt 2:20). Deus é o redentor, Ele livra do poder e da culpa do pecado (ver Sl 78:35; Is 14; 41:14; 43; etc.). CBASD, vol. 3, p. 763.

Você alteraria o modo como vive se soubesse que cada palavra e pensamento seriam primeiro examinadas por Deus? Davi pede que Deus aprove suas palavras e pensamentos como se eles fossem ofertas trazidas ao altar. Ao você começar cada dia, decida que o amor de Deus guie o que você dirá e como você pensará. Life Application Study Bible Kingsway.




%d blogueiros gostam disto: