Reavivados por Sua Palavra


NEEMIAS 4 by jquimelli
3 de dezembro de 2019, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/ne/4

“O nosso Deus pelejará por nós”, era a convicção de Neemias em meio aos ataques dos inimigos. E essa mesma crença é que sustentará o povo de Deus em tempos de dificuldade.

Quanto mais o povo de Deus se esforçar para fazer a vontade de Deus, mais o inimigo multiplicará seus esforços para frustrar o seu trabalho. Satanás não ataca aqueles que não fazem nada que perturbe o reino das trevas, mas ataca aqueles que fazem a vontade de Deus.

Alguém poderia pensar que por Neemias ter orado a Deus e confiado nEle, nem ele nem o povo teriam que fazer nada diante da situação. Mas não foi assim que aconteceu. Neemias colocou pessoas em todo o perímetro do muro segurando lanças em uma mão e construindo com a outra. É importante saber que Deus espera que Seu povo faça a sua parte enquanto olha para Ele e nEle confia para sua proteção. Foi fazendo assim que Deus lutou por eles e venceu seus inimigos.
Palavras de encorajamento de líderes são poderosas em tempos de angústia. Neemias encorajou as pessoas com estas palavras: “Não tenham medo deles, lembrem-se do Senhor ….” (v. 14).

Pardon Mwanza
Ex Vice-Presidente Geral Da Conferência Geral da IASD
Vice Reitor da Universidade Rusangu, Zambia

Fonte: https://www.revivalandreformation.org/?id=663
Equipe de tradução: Pr. Jobson Santos, Jeferson e Gisele Quimelli



NEEMIAS 4 – COMENTÁRIO PR. ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
3 de dezembro de 2019, 0:55
Filed under: Sem categoria



Neemias 4 – Comentário Heber Toth Armí by jquimelli
3 de dezembro de 2019, 0:45
Filed under: Sem categoria

NEEMIAS 4 – Precisamos fazer de nosso talento, nosso ministério. Precisamos transformar nossa empresa em nossa igreja.

Para alcançar o alvo acima, é preciso consagração constante por meio de oração. Observe: o capítulo em apreço está pautado pela oração.
1. Enquanto a obra de Deus avança, inimigos se levantam para insultar e ameaçar visando paralisar o povo de Deus (vs. 1-3). Sambalate, irado e indignado, conspirou contra os judeus. Suas palavras foram de humilhação e desprezo.
2. Não se deve rebaixar ao nível dos inimigos e trocar impropérios com eles, pelo contrário, é necessário elevar-se a Deus em busca de intervenção contra o inimigo (vs. 4-5). As orações imprecatórias são bíblicas e tem o seu lugar, é melhor fazê-las do que tentar aliança ou discutir com provocadores inveteradas.
3. A oração fortalece o corpo, anima a alma e revitaliza a disposição frente à provocação, humilhação e ameaças (v. 6). A reedificação do muro avançou rapidamente após a oração.
4. Oposições que não surtem efeitos procuram ajuda, engrossam a fileira de opositores e investem mais acirradamente contra o povo de Deus. Entretanto, este ora mais intensamente buscando forças, direção e capacitação em Deus (vs. 7-9). Enquanto o povo do mal (Sambalate, Tobias, os árabes, amonitas e adoditas) causa confusão, o povo do bem investe na oração.
5. Após orar, o povo de Deus sabe o quê fazer; em vez de atacar os inimigos, concentra-se na obra que tem de fazer (vs. 10-23). Neemias organizou uma defesa civil a fim de que os trabalhadores continuassem a executar a obra.

Nossa vida deve ser totalmente dedicada a Deus, desde os nossos talentos até nossos negócios. Tudo o que temos e somos deve ser consagrado. A teologia deste capítulo revela a importância do conhecimento correto de quem é Deus para avançarmos com fé:
1. Deus é grande e temível (v. 14);
2. Deus pode facilmente frustrar inimigos (v. 15);
3. Deus tem poder de batalhar contra os inimigos e vencê-los (v. 20).
Quando o povo de Deus se levanta para trabalhar, sempre alguém se erguerá para atrapalhar; contudo, Deus, certamente, intervirá para ajudar.

Quando crises nos sufocam tentando fazer-nos esquecer de Deus, é o momento de exercitar nossa mente para lembrar do Seu superpoder.

Ore, e vencerás! – Heber Toth Armí.



NEEMIAS 4 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
3 de dezembro de 2019, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Porém nós oramos ao nosso Deus e, como proteção, pusemos guarda contra eles, de dia e de noite” (v.9).

A reconstrução seguia o seu curso com bom êxito, de forma que “todo o muro se fechou até a metade de sua altura; porque o povo tinha ânimo para trabalhar” (v.6). Tendo ouvido sobre a bem-sucedida obra, seus adversários ficaram furiosos e reuniram forças para “atacar Jerusalém e suscitar confusão ali” (v.8). Diante de comprovada ameaça, Neemias e o povo se uniram em oração e organizando-os “por famílias… com as suas espadas, e as suas lanças, e os seus arcos” (v.13), “cada um com uma das mãos fazia a obra e com a outra segurava a arma” (v.17).

A atmosfera tornou-se de constante vigilância. Cada qual permanecia em sua função de edificar, mas atento e preparado para proteger sua família e seu povo. Tomando ciência de que os judeus estavam organizados como um exército, os inimigos perceberam “que Deus tinha frustrado o desígnio deles” (v.15). Mesmo que parecesse ter sido dada uma trégua, as armas não foram depostas, e o povo seguiu firme na edificação dos muros e na vigilância “por detrás de toda a casa de Judá” (v.16).

Apesar de ter sido um trabalho coletivo e unificado, a longa extensão dos muros os separava uns dos outros. Em momento de tensão e de ameaças inimigas, havia a necessidade de um ajuntamento solene de tempos em tempos. Ao som do instrumento sacerdotal, todo o povo deveria entender que chegada era a hora de se reunir. Aquele momento era como um bálsamo aos cansados e corajosos obreiros e soldados. Ali eles oravam, adoravam e louvavam juntos, sendo fortalecidos por Deus e pela comunhão uns com os outros.

Quanto mais se aproxima o grande Dia de Deus, mais o coração dos fiéis servos do Senhor se anima para o findar da seara. Em contrapartida, o diabo e seus anjos, ardendo em ira, tentam de todas as formas fazer “cessar a obra” (v.11). Mas, como Neemias, precisamos erguer a voz a nossos irmãos e fortalecer-nos uns aos outros com as animadoras palavras: “não os temais; lembrai-vos do Senhor, grande e temível, e pelejai pelos vossos irmãos, vossos filhos, vossas filhas, vossa mulher e vossa casa” (v.14).

Hoje, em nossos locais de culto, quer seja num grande templo, ou num modesto espaço; quer seja embaixo de uma árvore ou no culto doméstico, temos o privilégio de nos reunir e juntos buscar o poder do alto para “resistir no dia mau… [e] permanecer inabaláveis” (Ef.6:13). Portanto, “não deixemos de congregar-nos, como é costume de alguns; antes, façamos admoestações e tanto mais quanto vedes que o Dia se aproxima” (Hb.10:25).

Quando Jesus declarar: “Feito está!” (Ap.16:17), todos já estarão com seu destino eterno selado. Enquanto há oportunidade, Sua doce voz insiste ao coração de cada ser humano: “Vinde a Mim” (Mt.11:28). Jesus é o nosso Sumo Sacerdote que toca a Sua trombeta de graça a fim de reunir-nos para junto dEle. Com Cristo como o nosso General, todas as brechas do pecado serão fechadas e qual muro intransponível, Ele nos protege e guarda para o ajuntamento solene da eternidade. Quer, você, estar pronto para a reunião dos santos de todos os tempos? Então, sigamos o exemplo de Neemias e dos fiéis obreiros, e a ordem de Jesus: Vigiemos e oremos!

Bom dia, obreiros do Senhor!

Desafio da semana: Você conhece alguém que está desanimado na fé? Ore por ele essa semana e, se possível, faça-lhe uma visita e ore com ele.

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Neemias4 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



NEEMIAS 4 – COMENTÁRIO PR. RONALDO DE OLIVEIRA by Maria Eduarda
3 de dezembro de 2019, 0:10
Filed under: Sem categoria



NEEMIAS 4 – Comentários selecionados by jquimelli
3 de dezembro de 2019, 0:05
Filed under: Sem categoria

1555 palavras

1,2 Quase 300 anos antes do tempo de Neemias, o reino do norte de Israel foi conquistado e a maior parte do seu povo foi levado cativo (722 a.C.). Sargão da Assíria repovoou Israel com cativos de outras terras. Estes cativos eventualmente efetuaram casamentos mistos com os poucos israelitas que restaram na terra, vindo a formar uma raça mista chamada de samaritanos. Os judeus que retornaram a Jerusalém e à região de Judá, ao sul, nos dias de Esdras e Neemias não tinham nada que pudessem fazer com os samaritanos, a quem consideravam racialmente impuros. As relações entre os dois grupos ficaram cada vez piores e 400 anos mais tarde, os judeus e os samaritanos se odiavam mutuamente (João 4:9) (Life Application Study Bible).

1-5 O ridículo pode machucar fundo, causando desencorajamento e desespero. Sambalate e Tobias usaram o ridículo para tentar dissuadir os judeus de reconstruir o muro. Ao invés de trocar insultos, contudo, Neemias orou e o trabalho continuou. Quando zombarem de você por causa de sua fé ou o criticarem por fazer o que você sabe que é o correto, recuse-se a responder do mesmo modo ou a se sentir desencorajado. Diga a Deus como você se sente e lembre-se da Sua promessa de estar com você. Isto te dará encorajamento e força para continuar (Life Application Study Bible).

Sempre que a obra de Deus revive é certo surgir também difamações e censuras. Replicar é um erro. Entreguemos nossa causa a Deus e prossigamos com nosso trabalho. Desde que Ele esteja satisfeito, importa muito pouco o que dizem os homens (Comentário Bíblico Devocional VT FBMeyer).

2 fracos judeus. Esta série de perguntas expressa a zombaria de Sambalate. Pode-se parafrasear: “Que estão fazendo estes judeus? Acham que eles mesmos – ourives, perfumistas, etc. – podem fazer trabalho tão pesado? Ou vão fazer sacrifícios para que Deus os ajude milagrosamente? […] Acham que é possível terminar essa obra em tão pouco tempo? E o material – vão criar novas forças nas velhas pedras agora calcinadas e em poeira?” As pedras empregadas na antiga construção de Jerusalém eram pedras calcáreas, as quais perdem no fogo a sua durabilidade. As pedras dos antigos muros eram, portanto, quase poeira, inúteis para os novos muros (Bíblia Shedd).

6 O trabalho de reconstruir o muro progrediu bem porque o povo colocou seus corações e mentes em completar a tarefa. Eles não perderam a fé nem desistiram, mas perseveraram no trabalho. Se Deus te chamar para uma tarefa, determine-se a completá-la, mesmo que você enfrente oposição ou desânimo. A recompensa do trabalho bem feito valerá o esforço (Life Application Study Bible).

7 asdoditas. Mais um grupo, os asdoditas, é acrescentado à lista dos inimigos. Neemias estava agora completamente cercado pelos inimigos, visto que Asdode ficava na planície da Filístia, a oeste (Bíblia de Genebra).

a reparação dos muros. Literalmente, a frase diz: “que veio a cura dos muros de Jerusalém.” A ilustração é da nova carne que cresce no lugar da ferida curada (CBASD-Comentário Bíblico Adventista do 7º Dia, vol. 3, p. 448).

8 ajuntaram-se todos de comum acordo. De acordo com a LXX [versão grega do VT], os líderes da oposição reuniram uma força considerável com o propósito de atacar Jerusalém, possivelmente esperando que uma demonstração de força amedrontasse os pacíficos edificadores e interrompesse o trabalho deles (CBASD, vol. 3, p. 448).

Os inimigos dos judeus se juntaram contra eles a fim de parar a empreitada matando os construtores. Mas, por qual motivo, qual desavença esses adversários tinham com os judeus? Eles odiavam a piedade dos filhos de Israel. Por isso, estavam irritados com a sua propriedade e buscavam a sua ruína. Homens maus intentam impedir o bom trabalho e prometem a si mesmos fazê-lo. No entanto, a boa obra é de Deus e prosperará. Bíblia de Estudo Mathew Henry.

9 oramos … colocamos guardas. A oração e a vigilância combinam fé e ação, além de ressaltar os lados tanto divino quanto humano (Bíblia de Estudo NVI Vida).

Outro esforço de oração combinado com trabalho de guarda ativo. O princípio de confiança ativa na divina providência é ilustrada muitas vezes em Neemias (Andrews Study Bible).

10 Então, disse Judá. Um termo coletivo é usado aqui para enfatizar que o desânimo era geral (Bíblia de Genebra).

não tem mais forças. Retrato de um trabalhador cambaleando sob o peso de seu fardo, prestes a cair no próximo passo que der (Bíblia de Estudo NVI Vida).

A tarefa de vigiar e o trabalho contínuo pressionavam fortemente o povo e o desencorajava. […] A tradução a seguir representa uma tentativa de interpretar o pensamento original em forma poética: “Muito fraca está a força dos carregadores/ E os detritos são muitos;/ E nós não conseguimos/ Reconstruir o muro” (CBASD, vol. 3, p. 449).

Os construtores trabalharam sob essas condições desanimadoras. No momento em que os adversários disseram: “Vamos impedir esse trabalho”, as pessoas de Judá disseram: “Vamos deixá-lo [o muro] cair mesmo, pois não somos capazes de avançar o trabalho”. Estes últimos representavam os trabalhadores cansados e as dificuldades com as quais se confrontavam, mesmo aquelas advindas da remoção dos escombros, a primeira parte do trabalho, que já aparentava ser insuportável e, por isso, aconselhavam-se a desistir naquele momento. Bíblia de Estudo Mathew Henry.

10-14 Acabar uma grande tarefa é cansativo. Sempre existem pressões que promovem desencorajamento: a tarefa parece impossível, nunca pode ser finalizada ou muitos fatores trabalham contra. A única cura contra a fadiga e desencorajamento é se focar nos propósitos de Deus. Neemias lembrou aos trabalhadores de seu chamado, seu objetivo e a proteção de Deus. Se você se sente oprimido por uma atribuição, cansado ou desencorajado, relembre-se do propósito de Deus para a sua vida e Seu especial propósito para este projeto (Life Application Study Bible).

11 nada saberão disto. Planeja-se um ataque de surpresa (Bíblia Shedd).

12 tornavam a nós. Levaram informação para Neemias sobre as intenções dos inimigos. Havia judeus que, apesar de não zelarem o suficiente para ir a Jerusalém ajudar seus irmãos na construção do muro, eram honestos e aflitos o bastante para a causa para obter e partilhar informações sobre a movimentação dos inimigos. Eles tinham oportunidade de descobrir essas informações por morarem próximo aos povos rivais, em seus países. Essas descobertas são ainda mais críveis pelo fato de os próprios judeus terem dado seu relato, repetindo-o como homens de mérito e preocupação. Esse relato foi confirmado por muitas testemunhas e nele se lia: “Para qualquer lugar que você se voltar, eles estarão contra nós. Por isso, você deve vigiar todas as direções”. Bíblia de Estudo Mathew Henry.

13 pontos mais baixos … lugares abertos. Neemias colocou homens de modo ostensivo nos pontos mais vulneráveis dos muros (Bíblia de Estudo NVI Vida).

O grupo por famílias impressionava os homens com o fato de lutarem por sua família (CBASD, vol. 3, p. 449).

14 não tenhais medo. Esta expressão chave aparece no início de cada evento significativo na história da salvação [Ex 14:13; Nm 14:9; Js 10:25]. Este “não temais” é baseado num segundo conceito de intervenção divina na história humana: “Nosso Deus lutará por nós” (Andrews Study Bible).

15 Deus tinha dissipado o conselho. Quando os inimigos descobriram que os seus planos foram descobertos e que os judeus estavam em vigia, concluíram que não teriam nenhum propósito em atentar contra eles. Os inimigos dos judeus sabiam que não conseguiriam ter êxito em sua conspiração se não fosse através da surpresa, sabiam que, se seus planos fossem conhecidos, seriam inúteis. Os judeus retomaram o trabalho com muito mais alegria porque viram claramente que a Deus pertencia aquela obra e que, por meio dela, eles também pertenciam ao altíssimo. Bíblia de Estudo Mathew Henry.

16 Os construtores tinham razões para acreditar que os planos dos inimigos foram suprimidos e que podiam voltar a trabalhar, mas não estavam seguros o suficiente para se desarmarem. Bíblia de Estudo Mathew Henry.

Os trabalhadores estavam distribuídos ao longo do muro, então Neemias formulou um plano de defesa que iria proteger e unir o seu povo: metade dos homens trabalhavam enquanto a outra metade mantinha guarda. Os cristãos precisam ajudar uns aos outros seguindo este exemplo, porque podemos ficar com tanto medo de possíveis medos que não consigamos fazer nada. Ao cuidarmos uns dos outros, estaremos livres para empreender nossos melhores esforços, confiantes que outros estarão prontos a oferecer auxílio quando necessário. Não se isole dos demais; ao invés, una-se para benefício mútuo. Você precisa deles tanto quanto eles precisam de você (Life Application Study Bible).

18-20 Para auxílio adicional às ansiedades do povo, Neemias desenvolveu um sistema de comunicação. O homem que soava a trombeta [shofar] ficava com Neemias e o povo sabia o que fazer se a escutasse. Não temos registro de que a trombeta tenha sido usada, mas o simples fato de saber que ela emitiria um alarme se necessário, era tranquilizador. Uma comunicação aberta, imediata, ajudou o grupo a completar sua tarefa (Life Application Study Bible).

21 até o cair da tarde Lit., “até aparecerem as estrelas”, o que denota o grande esforço empenhado, pois em geral o horário de parar de trabalhar era o pôr-de-sol (Dt 24.15; Mt 20.8) (Bíblia de Estudo NVI Vida).

Cada pedra representava segurança adicional à cidade (CBASD, vol. 3, p. 450).

23 Fica claro que o estado de prontidão era uma regra imposta. Segundo Josefo (Antiguidades, 11.5.8), o próprio Neemias “fazia a ronda da cidade à noite, e não se cansava, quer com o trabalho, quer pela falta de alimentos ou de repouso, de que desfrutava somente por necessidade, não por prazer” (Bíblia de Estudo NVI Vida).




%d blogueiros gostam disto: