Reavivados por Sua Palavra


II CRÔNICAS 3 by jquimelli
17 de outubro de 2019, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/2cr/3

Como é bom começar algo novo! “Começou Salomão a edificar a Casa do SENHOR.” Esse era originalmente o desejo e o sonho de Davi. Davi preparara tudo para a construção do templo (1Cr 22). E não apenas o que era necessário, mas muito mais! Salomão cobriu tudo com o ouro que Davi havia colecionado. Todo o templo brilhava!

Ao ler a passagem, observe que os dois querubins são o foco da descrição, com grande ênfase em suas asas. No Lugar Santíssimo de 20 * côvados de comprimento e 20 côvados de largura, as quatro asas cobrem 20 côvados! As asas estão conectadas com as paredes do Lugar Santíssimo e as asas estão conectadas umas às outras. O versículo 12 (ARA) declara: “As asas destes querubins se estendiam por 20 côvados.” Parece que as asas estão abertas, como está escrito em Êxodo 25:20: “Os querubins estenderão suas asas”.

No meio do trono de Deus, existem dois anjos, não com armas para proteger, mas com braços e asas abertos para receber você na sua casa ao lado de seu pai.

* 20 côvados é igual a 30 pés ou 9,444 metros

Kris Lenart
Conselheiro, Amos Ministry, Áustria

 

Recomendamos também a leitura do comentário da rodada anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2016/07/15/

Fonte: https://www.revivalandreformation.org/?id=616
Equipe de tradução: Pr. Jobson Santos, Jeferson e Gisele Quimelli



II CRÔNICAS 3 – VÍDEO COMENTÁRIO PR. ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
17 de outubro de 2019, 0:55
Filed under: Sem categoria



II CRÔNICAS 3 – COMENTÁRIO PR HEBER by jquimelli
17 de outubro de 2019, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Que ao contemplar a Deus, em Cristo, seu Templo verdadeiro, mais glorioso que o de Salomão, possamos chegar a ser uma casa espiritual, uma habitação de Deus no Espírito”, escreveu Matthew Henry.

Embora os materiais estivessem todos preparados, demorou cerca de quatro anos para começar a construção do Templo (v. 1-2); quase sempre postergamos as coisas de Deus. Entretanto, as coisas espirituais, as coisa de Deus jamais deveria ser postergadas. Por outro lado, também não devemos desejar as coisas em nosso tempo, precisamos nos adequar ao tempo de Deus. O que jamais devemos fazer é deixar de contemplar a Deus, em Cristo. Não devemos nunca postergar tal atitude. Precisamos desde já tomar a decisão urgente de sermos casa espiritual, morada de Deus, templos do Espírito Santo. Deus em Cristo está construindo Sua igreja através daqueles que são libertos do pecado pelo poder do sangue de Cristo… Quero que saibas que, a tua atitude diante das coisas de Deus, depende da noção que você tem de dEle. A visão que você terá de Deus dependerá da soma de tuas experiências. No entanto, para que Ele transforme verdadeiramente a tua vida, você terá de vê-Lo da maneira correta, e, não há outro meio de alcançar esse objetivo a não ser contemplando-O diariamente através de Cristo; não perca tempo, faça isso agora mesmo!
O templo é o lugar da presença de Deus. É onde Deus fala ao ser humano e lhe oferece o plano da salvação. Salomão construiu o templo para Deus no monte Moriá, onde 1100 anos antes Deus falara com Abraão, o pico onde o pai da fé alcançou seu mais alto nível de fé ao estar pronto a sacrificar seu filho Isaque, que foi substituído por um cordeiro (Gênesis 22).

A igreja é o ponto de encontro de Deus com o ser humano. É o lugar onde Deus espera falar com cada pecador que O busca. A igreja é a Casa de Deus aqui na terra aonde vão pessoas de fé que constituem o corpo de Cristo aqui neste mundo. Não é por acaso que o Espírito Santo inspirou o autor da carta aos Hebreus a fazer a seguinte declaração: “Não abandonemos, como alguns estão fazendo, o costume de assistir as nossas reuniões [na igreja]. Pelo contrário, animemos uns aos outros e ainda mais agora que vocês veem que o dia está chegando” (Hebreus 10:25). Quem se nega ir à igreja está se negando a ter um encontro com Deus. Quem prefere o conforto do Seu lar não prioriza o conforto da presença de Deus em Sua Casa. Sejamos crentes de verdade, não só de palavras. Sejamos servos de Deus, não apenas nominais, mas genuínos. Deus quer te salvar!
Símbolos da presença de Deus não devem ser confundidos com Deus, nem com ídolos ou imagem de adoração. Além dos querubins, grandes criaturas angélicas bordadas como figuras nas cortinas do templo, dois querubins de madeira, folheados em ouro, foram colocados no Lugar Santíssimo. “Cada Querubim tinha duas asas, e cada asa media dois metros e vinte e cinco centímetros de comprimento… Os Querubins estavam de pé, olhando para o Lugar Santo” (I Crônicas 3:11-13 [NTLH]).

O Lugar Santo era o lugar de encontro com Deus, as cortinas e as paredes revelavam que o pecador não tinha acesso direto a Deus a não ser por meio do sacrifício dos cordeiros e do serviço dos sacerdotes. Isso deixa claro para nós hoje que pelo fato de ainda sermos pecadores, precisamos de Jesus, nosso Sumo Sacerdote no Lugar Santíssimo do Santuário Celestial, a fim de termos acesso a Deus. É para isso que Jesus morreu na cruz; então, aproxime-se de Deus. Deus é santo, Ele é nosso Criador e nosso Redentor; devemos-Lhe a vida por tê-la criado e nos libertado da morte pela morte de Seu Filho na cruz. Adorar a Deus é colocá-Lo no centro da vida, como referencial absoluto, como prioridade em tudo. Como disse o teólogo Daniel Plenc, “A adoração é a resposta positiva, submissa, obediente e integral do homem rendido à iniciativa de Deus de revelar Seus atributos e ações, sobretudo de criação, redenção e providência”.

Ainda que seja permitido símbolos da presença de Deus por meio de figuras e esculturas orientados por Ele, ir à Sua santa e sublime presença deve ser mais que mero simbolismo. – Heber Toth Armí



2CRÔNICAS 3 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
17 de outubro de 2019, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Começou Salomão a edificar a Casa do Senhor em Jerusalém, no monte Moriá, onde o Senhor aparecera a Davi, seu pai, lugar que Davi tinha designado na eira de Ornã, o jebuseu” (v.1).

O local designado para a edificação do templo foi o cenário de dois importantes episódios na história de Israel:

1. “no monte Moriá”: Foi ali o lugar designado por Deus para Abraão oferecer seu filho Isaque em sacrifício (Gn.22:2);

2. “na eira de Ornã”: onde o Anjo do Senhor apareceu e onde Davi edificou um altar ao Senhor “e invocou o Senhor” (1Cr.21:26).

Desde o momento em que a voz de Deus foi ali ouvida por Abraão, o primeiro patriarca de Israel, eu creio que o Senhor selou o pavimento daquele lugar com a presença de anjos aguardando com expectativa o erguimento do sagrado edifício. A fé de Abraão e obediência de Isaque sacramentaram a perfeita união de fé e obras que se tornaria a essência do templo. A oferta de Davi mediante genuíno arrependimento e confissão diante de Deus prefigurou o propósito do templo: ser uma “Casa de Oração para todos os povos” (Is.56:7).

Não seria um templo religioso exclusivo para Israel, mas um convite do Criador para que todos O invocassem. Do alto lugar, a manifestação da glória do Senhor iluminava toda a Terra. E tendo o ouro como principal matéria-prima, a Casa de Deus reluzia em seu esplendor como a jóia de Israel. Não era, porém, o ouro, as pedras preciosas ou a grande quantidade de madeira que deveriam atrair os adoradores, e sim o poder da Palavra que liberta.

Fosse aquele lugar o centro de ensino das Escrituras, sob a liderança de homens tementes a Deus, e o Senhor o teria conservado como fonte a jorrar para a vida eterna. Mas a glória que era devida somente ao Senhor foi transmitida para o adornado templo, pecado que encontraria sua consequência com a destruição do templo por Nabucodonosor.

Como santuários do Espírito Santo, a pergunta é: Para quem a honra e a glória? Em uma geração de redes sociais, selfies e demasiada exposição pessoal, corremos o sério risco de confundir testemunho com orgulho próprio. Nesta trama que envolve vida ou morte eterna, precisamos, pela graça de Deus, tomar decisões acertadas e firmes. A timeline de minha vida diminui o meu “eu” e exalta a pessoa de Jesus Cristo? Ou o brilho opaco de minha própria imagem impede que a luz divina a mim disponível glorifique o Senhor? Uma coisa é certa: “Se alguém destruir o santuário de Deus, Deus o destruirá” (1Co.3:17).

Muito cuidado, amados! Ninguém está livre de tamanho pecado! Quando o povo de Deus estiver de mãos dadas, fechado o círculo da verdadeira piedade; quando cada um em sua esfera de atuação, dada pelo Espírito Santo, entender que o seu papel na missão deve fundir-se com o de todos os que amam a vinda do Senhor; então, o mundo reconhecerá que há na Terra um povo peculiar que não negocia princípios e que caminha numa mesma direção; “a igreja do Deus vivo, coluna e baluarte da verdade” (1Tm.3:15).

“Assim brilhe também a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus” (Mt.5:16). Vigiemos e oremos!

Bom dia, igreja do Deus vivo!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #2Crônicas3 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



II CRÔNICAS 3 – VÍDEO COMENTÁRIO PR. RONALDO DE OLIVEIRA by Maria Eduarda
17 de outubro de 2019, 0:10
Filed under: Sem categoria



II CRÔNICAS 3 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
17 de outubro de 2019, 0:05
Filed under: Sem categoria

685 palavras

1 Monte Moriá.O único texto no AT onde o Monte Sião é identificado com o monte Moriá, o lugar onde Deus ordenou Abraão a sacrificar Isaque (Gn 22.2, 14). Bíblia de Estudo NVI Vida.

O sítio do templo tinha um significado de redenção, pois foi ali [a eira de Ornã] que o sacrifício que Davi ofereceu interrompera o castigo divino à cidade de Jerusalém (1Cr 21.18-30) e … foi ali que Abraão levara Isaque para oferecê-lo segundo a ordem de Deus (Gn 22.2; Hb 11.17). Bíblia Shedd.

O lugar onde Abraão deveria sacrificar seu filho Isaque (Gen 22:2). Os samaritanos, por outro lado, acreditavam que isto estava ligado ao monte Gerizim. Andrews Study Bible.

3 côvados, segundo o primitivo padrão. Era igual a 20,5 polegadas era o usado por Ezequiel no templo do qua lteve

6 Parvaim. Um lugar provavelmente localizado na Arábia e famoso por seu fino ouro. Andrews Study Bible.

8 Nove metros de comprimento e nove metros de largura (NVI; ARA: “vinte côvados”). Tinha, também, nove metros de altura (1Rs 6.20), fazendo com que as dimensões do Lugar Santíssimo formassem um cubo perfeito … Na Nova Jerusalém não existe templo (AP 21.22); pelo contrário, a cidade inteira tem a forma de um cubo (Ap 21.16), pois a cidade inteira se torna “o Lugar Santíssimo”. Bíblia de Estudo NVI Vida.

9 pregos de ouro. É improvável, por ser o ouro um metal tão mole, que os pregos fossem feitos dessa substância. É provável que essa quantidade pequena (só 600 g) representasse ouro em folha para dourar as cabeças dos pregos. Bíblia de Estudo NVI Vida.

10 Santo dos Santos. O lugar mais santo do templo, separado do Lugar Santo por um véu (Êx 26.31-37). Nele, somente uma vez por ano, no dia da Expiação, o sumo sacerdote entrava para oferecer um sacrifício por si mesmo e depois o sacrifício pelos pecados do povo. Quando Jesus expirou na cruz, o véu do templo rasgou-se de alto a baixo (Mc 15.38) e desde essa ocasião o pecador tem livre acesso a Deus por intermédio do perfeito Sumo Sacerdote que é Jesus Cristo (Hb 9.27; 10.19-22). Bíblia Shedd.

querubins (ARA; NKJV: “querubim”). Esta palavra hebraica está no plural [o sufixo “im” indica o plural]. Um querub (ou querube) era uma criatura composta geralmente representada com cabeça de leão, asas de águia e corpo humano ou de leão. Andrews Study Bible.

A palavra “querubins” é na verdade incorreta, pois “querubim” já é uma transliteração da forma hebraica plural; portanto, o “s”seria desnecessário. A forma mais correta para o singular seria “quérube” (que, embora exista no português, é praticamente desconhecida). CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol 3, p. 223.

Representações físicas de seres angélicos que, com suas asas estendidas, simbolizavam a glória da presença de Deus. Não poderiam ser vistos pelo povo, e muito menos adorados, pois ficavam dentro do Santo dos Santos. Veja Êx 36.35n. Bíblia Shedd.

11 Vinte côvados. Isto é, o comprimento total das asas dos dois querubins era de 20 côvados. Uma vez que o lugar santíssimo tinha vinte côvados de largura, as asas estendidas dos dois querubins juntos iam de uma parede a outra. Assim, cada querubim ocupava dez côvados, e cada asa tinha cinco côvados. Dessa forma, a asa externa de cada querubim tocava uma das paredes externas do edifício, enquanto a asa interna de ambos se tocavam. CBASD, vol 3, p. 223.

14 véu. Também fazia separação entre os dois aposentos do tabernáculo (Êx 26.31). Portas de madeira também podiam ser fechadas para tampar a abertura (4.22; 1Rs 6.31, 32; v. Mt 27.51; Hb 9.8). Bíblia de Estudo NVI Vida.

O templo de Salomão acompanhava o padrão do tabernáculo de Moisés, mas tinha o dobro das suas dimensões (Êx 26.31-35). … O véu simbolizava a restrição do acesso à presença de Deus, uma restrição eliminada pela obra mediatória da morte de Cristo (Mt 27.51, nota; Hb 9.1-14, nota; 10.11-12, nota). Bíblia de Genebra.

17 Colunas. Seus nomes, Jaquim (“Ele estabelece”) e Boaz (“Ele virá com poder”), simbolizavam a firmeza e o poder, representando o propósito de Deus de ser fiel à Sua Promessa (cf 1Rs 7.21n). Bíblia Shedd.

As consoantes destas duas palavras hebraicas podem ser lidas como uma oração a Deus pela proteção do templo e da dinastia de Salomão: “Que Ele estabeleça a força”. Andrews Study Bible.




%d blogueiros gostam disto: