Reavivados por Sua Palavra


I CRÔNICAS 23 by jquimelli
8 de outubro de 2019, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/1cr/23

A boa organização permite que melhores resultados sejam alcançados com os mesmos recursos humanos e financeiros. Como não era mais necessário transportar a arca de um lugar para o outro, Davi reorganizou as responsabilidades entre os levitas, mas os descendentes de Arão continuariam com o sacerdócio. Somente eles podiam oferecer sacrifícios e entrar no lugar santo. Duas funções receberam maior valorização: os porteiros e os músicos. Juntos somavam um pouco mais de vinte por cento dos levitas. Seu número expressivo nos dá uma ideia da importância deles naqueles tempos.

Os Levitas viviam em cidades estrategicamente distribuídas pela nação. Eles eram os professores da Torá, os escritos de Moisés, e também os juízes. Periodicamente eles se dirigiam ao tabernáculo para cumprirem com suas obrigações. Cada um sabia exatamente o que fazer, quando e como. A influência deles levava o povo para mais perto de Deus.

A exemplar organização dos levitas, nos dias de Davi, nos desafia a sermos efetivos em nosso trabalho para Deus. Jesus, o supremo Sumo Sacerdote, oficia, hoje, no santuário celestial. Ele deseja ver seus seguidores organizados e ativos em Seu serviço. Como levitas e sacerdotes modernos, é nosso privilégio ajudar a preparar um povo que ame a Deus e sinta prazer em adorá-Lo.

Sumo sacerdote celestial, consagre-me e use-me em Seu serviço em qualquer posição que escolher para mim!

Jobson Santos
UNASP

Fonte: https://www.revivalandreformation.org/?id=607
Equipe de tradução: Pr. Jobson Santos, Jeferson e Gisele Quimelli



I CRÔNICAS 23 – VÍDEO COMENTÁRIO PR. ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
8 de outubro de 2019, 0:55
Filed under: Sem categoria



I CRÔNICAS 23 – COMENTÁRIO PR. HEBER TOTH ARMÍ by jquimelli
8 de outubro de 2019, 0:45
Filed under: Sem categoria

É extremamente decepcionante viver uma vida religiosa decepcionante; porém, bem pior ainda é descobrir que se é o principal responsável por sua religiosidade superficial, oca e vazia. Muitas vezes, no entanto, aquele que vive a superficialidade da religião acusa e culpa os líderes religiosos. Porém, é muito importante saber que não é a igreja ou a liderança que irá te fazer alguém mais espiritual, pois muitos se perderão mesmo numa igreja onde os líderes sejam fortes espiritualmente e venham todos a salvar-se.

Entretanto, nem por isso a liderança deve ser exercida por qualquer pessoa, qualquer que quiser ou por possuir certas habilidades. Há um chamado de Deus para o serviço em prol de Sua igreja; há um reconhecimento do povo e uma disposição de servir do líder espiritual escolhido por Deus (I Crônicas 23). Hoje, em Cristo, todos recebem um dom e podemos servir aos outros com esse dom. Diz Matthew Henry: “Que nós busquemos e sirvamos retamente o Senhor e deixemos todo o resto a sua disposição, pela fé em Sua palavra”. Não importa se você é porteiro ou músico, dê o seu melhor, sirva ao Senhor onde você foi colocado, sem resmungar! Seja ministrando no templo ou limpando, dê o seu melhor no serviço ao Senhor, sem reclamar. Tudo é necessário e importante, desde a limpeza até a ministração da Palavra de Deus, tudo deve ser feito com o mesmo zelo. Dediquemo-nos mais ao Senhor!

A escolha de líderes religiosos deveria ser mais rigorosa. Nos dias de hoje qualquer um pode se declarar pastor e abrir igreja e terá seguidores. Como ninguém em sã consciência confiaria a vida a um cirurgião sem formação acadêmica, ninguém deveria aceitar um pastor sem preparo. Como assim? Segundo uma pesquisa realizada pelo editor e jornalista da Abba Press & Sociedade Bíblica Ibero-Americana, Oswaldo Paião, cerca de 50,68% dos pastores e líderes nunca leram a Bíblia inteira pelo menos uma vez. Ou seja, mais da metade dos pastores nunca – sim, nunca! – nunca leram a Bíblia inteira. Pergunto, como eles vão ensinar ao povo toda a Palavra que sai da boca de Deus? O pior não é isso! O pior é que pessoas que não se submeteriam a uma cirurgia se soubessem que o cirurgião nunca esteve numa sala de aula a fim de receber preparo e orientação, se submetem à uma teologia incompleta, vazia, superficial, oca, manca, correndo o risco não de morrer na maca, mas de morrer no inferno pensando estar indo para o Céu. Olhemos para I Crônicas 23, ali vemos que não é qualquer um que pode candidatar-se ao sacerdócio. Liderança espiritual é coisa séria, é uma responsabilidade grande. Ela lida com a decisão crucial das pessoas: salvação ou perdição. Ainda que seja da vontade de Deus que haja líderes espirituais, nem todos os líderes espirituais fazem a vontade de Deus. Cuidado para não estar seguindo líderes cegos! Tua salvação está em jogo!

É preciso ter zelo, organização e respeito para com as coisas de Deus. Não se pode fazer as coisas de Deus de qualquer jeito, relaxadamente. Alguns princípios devem ser levados em conta ao liderar e administrar os serviços de culto na Casa de Deus:

• Verifique quantos estão aptos para realizar um serviço sacro e digno para Deus no templo (vs. 1-3);
• Separe em grupos e institua líderes sobre eles (vs. 6-23);
• Designe as tarefas para ser desempenhadas por cada grupo (vs. 4-5);
• Um grande grupo de músicos bem selecionados deve desempenhar bem sua função na adoração (v. 5);
• Outro grupo deve ser de recepcionistas (porteiros), que permaneçam à entrada da Casa do Senhor (v. 5);
• Outros seriam os diáconos, que ministram as coisas sagradas do templo (vs. 28-30), e assim por diante, conforme a necessidade (v. 32);

Enfim, tudo deve ser feito com ordem, organização e reverência… tudo deve ser feito! Independente do que seja, se você foi designado para uma determinada função, não reclame, clame a Deus e faça o teu melhor, Deus te abençoará! – Heber Toth Armí.



1CRÔNICAS 23 – Comentado por Rosana Garcia Barros by Ivan Barros
8 de outubro de 2019, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Porque disse Davi: O Senhor, Deus de Israel, deu paz ao Seu povo e habitará em Jerusalém para sempre” (v.25).

Mesmo em sua velhice, Davi empregou seus últimos anos de vida em trabalho útil, deixando para as futuras gerações um legado de fé, ordem, dedicação e força. Mantendo a mente ocupada em fazer a vontade de Deus, Davi depôs sobre a cabeça de Salomão não apenas uma coroa, mas uma responsabilidade que este reconheceria já em seus primórdios como monarca de Israel.

Dentre as derradeiras obras de Davi, estava a organização dos levitas em seus turnos e funções. Como rei e líder de batalhas, reconhecia a importância da ordem em qualquer empreendimento. Sabia que muito mais deveria ser aplicado neste sentido na Casa de Deus; que o louvor, as cerimônias e qualquer serviço do templo deveria ser bem ordenado, resplandecendo a glória de Deus, que é “Santo, Santo, Santo” (Ap.4:8).

Desta forma, “foram contados nominalmente, um por um, encarregados do ministério da Casa do Senhor, de vinte anos para cima” (v.24). Não foi feita uma eleição aleatória ou humana, mas a confirmação de uma vocação divina. O Senhor levantara a tribo de Levi para servi-Lo em Seu tabernáculo, e “Arão foi separado para servir no Santo dos Santos, ele e seus filhos” (v.12). Tanto o ministério levítico como o ministério sacerdotal foram escolhidos por Aquele que não falha.

Como líderes espirituais da nação, deveriam corresponder ao seu chamado com fidelidade e diligência. “Deviam estar presentes todas as manhãs para renderem graças ao Senhor e O louvarem; e da mesma sorte, à tarde” (v.30). Ao amanhecer e ao entardecer, cada casa de Israel deveria copiar tal modelo, tornando-se uma extensão do santuário quando os pais reuniam seus filhos em torno de si para o culto familiar. Era uma celebração diária que fortalecia a fé e confirmava uma próxima geração de homens e mulheres tementes a Deus.

Deveria nos soar como familiar os princípios aqui erigidos. A dedicação, a ordem e a obediência fazem parte da vida cristã assim como os elementos da natureza seguem o seu curso, “porque Deus não é de confusão, e sim de paz” (1Co.14:33). Por isso que após concluir a organização dos levitas, Davi declarou: “O Senhor, Deus de Israel, deu paz ao Seu povo e habitará em Jerusalém para sempre” (v.25). Deus tem prazer na ordem e na paz e confirma a Sua presença no lugar assim dirigido.

Como mordomos de Cristo em Sua obra final, quanto necessitamos destes princípios bem estabelecidos e confirmados na vida! O Senhor nos escolheu, “nominalmente, um por um” (v.24) para ministérios diversos em torno de um mesmo objetivo: pregar o evangelho eterno “aos que se assentam sobre a terra, e a cada nação, e tribo, e língua, e povo” (Ap.14:6). Mas esta obra sagrada deve ser regida pela ordem: em meu coração, em minha casa, e, então, em meus semelhantes.

Que sua vida seja um instrumento do Senhor “para esse mister” (v.5), e, certamente, Deus habitará com você, e você fará parte do povo de Deus, e Deus mesmo estará com você e com sua família para sempre (Ap.21:3). Vigiemos e oremos!

Bom dia, tementes a Deus!

Desafio da semana: Todo desafio requer de nós mudanças, e elas não são fáceis a não ser que se tornem hábitos. Não desista! Ar puro, luz solar, água e uma alimentação saudável são presentes do Criador para a nossa felicidade. Essa semana vamos unir a esses presentes o privilégio do descanso. Procure dormir cedo, obedecendo o ciclo de 8h de sono por noite. Faço votos por tua saúde!

Rosana Garcia Barros 

#PrimeiroDeus #1Crônicas23 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



I CRÔNICAS 23– VÍDEO COMENTÁRIO PR. RONALDO DE OLIVEIRA by Maria Eduarda
8 de outubro de 2019, 0:10
Filed under: Sem categoria



I CRÔNICAS 23- Comentários selecionados by jquimelli
8 de outubro de 2019, 0:05
Filed under: Sem categoria

480 palavras

1 velho. Estava com 70 anos, pois tinha trinta ao iniciar o reinado de 40 anos (2 Sm 5.4,5) (Bíblia Shedd).

constituiu a seu filho Salomão rei de Israel. Aparentemente, tendo por certo o conhecimento que seus leitores tinham dos livros dos Reis, o autor de Crônicas pouco disse sobre os detalhes da história de ascensão de Davi ao poder (11.1-9) e apresenta uma suave transição de poder de Davi para Salomão (Bíblia de Genebra).

Salomão não era o filho mais velho de Davi, mas através do profeta Natã Deus disse a Davi que Salomão o sucederia como rei (Andrews Study Bible).

 23.2 – 27.34 A organização de Davi dos encarregados pelo serviço religioso (23.2 – 26.32) e civil (27) estabeleceu meios para a administração de Salomão e também proveu um modelo para a reorganização do povo na comunidade judaica após a volta do exílio na Babilônia (Bíblia de Genebra).

As disposições de Davi forneceram a base e a autoridade para as práticas da comunidade restaurada (Bíblia de Estudo NVI Vida).

Se os exilados que voltaram quisessem ter a bênção de Deus, então a família real (Judá) e os encarregados do templo (Levi) também deviam continuar suas funções apropriadas (Bíblia de Genebra, sobre 6.1).

os sacerdotes e os levitas. Estes não foram contados no censo anterior (21.6-7). Este censo foi realizado para planejar a organização dos serviços do templo (ver Nm 3.14-39) (Andrews Study Bible).

3 Segundo a lei de Moisés, os levitas começavam a servir aos trinta anos de idade (Nm 4.1-4), havendo um período de treinamento iniciado aos 25 anos (Nm 8.24). Davi, em suas últimas palavras, baixou essa idade para 20 anos (1 Cr 23.27) (Bíblia Shedd). [ver tb. Esdras 3.8]

instrumentos. Interesse pela música na adoração se evidencia em Crônicas: ver 1Cr 6.31-47; 9.15-16.33; 13.8; 15.28; 16.4-6; 23.5; 25.1-7; 2Cr 5.12-13; 7, 6, 23.13; 29.25-30; 34.12. Essa ênfase, sem dúvida, estava relacionada à preocupação pela restauração da adoração apropriada no período de retorno da Babilônia (6.1) (Bíblia de Genebra).

que Davi fez. Davi não apenas cantava e tocava instrumentos musicais, mas parece que também foi o inventor desses instrumentos [ver Am 6:5] (Comentário Bíblico Adventista do 7º Dia, vol. 3, p. 191).

14 homem de Deus [sobre Moisés]. Ver também Dt 33.1 e o título do Sl 90 (Bíblia Shedd).

24 vinte anos para cima. Presumivelmente a idade foi baixada por necessidade de mais ajuda no ministério sacerdotal (Bíblia Shedd).

28 assistir os filhos de Arão. Os levitas estavam debaixo da autoridade dos sacerdotes araônicos (Bíblia de Genebra).

29 os pães da propiciação. Os sacerdotes tinham de por esses pães perante o Senhor; e tinham o privilégio de consumir os pães antigos, ao serem substituídos por outros (Lv 24.5-9) (Bíblia Shedd).

toda sorte de peso e medida. Padrões de pesos e medidas usados ficavam no santuário; portanto, os levitas eram inspetores dos pesos e medidas, para que nenhuma fraude fosse cometida. A honestidade está inseparavelmente à piedade e à adoração ao Senhor (Bíblia Shedd).

32 a tenda da congregação. (“Tenda do Encontro”, NVI) A lei com respeito ao tabernáculo devia ser aplicada ao futuro templo, construído numa escala maior (Comentário Bíblico Adventista do 7º Dia, vol. 3, p. 193).




%d blogueiros gostam disto: