Reavivados por Sua Palavra


I CRÔNICAS 21 by jquimelli
6 de outubro de 2019, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/1cr/21

A liderança é um valioso dom, recebido de Deus, e pode ser um canal tanto de benção ou maldição. No começo de sua carreira ou nova função, o líder, em geral, é prudente e escuta conselhos. Depois que o poder está firmemente estabelecido, o líder passa a achar que suas ideias sempre são as melhores e tem dificuldades de lidar com opiniões contrárias às suas.

Enfraquecido pelo senso de culpa pelo seu pecado com Bate-Seba, faltou ao rei o bom senso e este ordena a contagem de todos os homens hábeis para a guerra. Joabe, o comandante geral das tropas de Israel, explicou ao rei que discordava dessa decisão. Por experiência própria ele sabia que era Deus quem guerreava a favor do seu povo. Inúmeras vezes um soldado havia conseguido vencer dez ou mais oponentes. Contar o exército seria falta de confiança em Deus! Os argumentos de Joabe não foram ouvidos pelo rei e o censo foi efetuado.

Deus viu o que foi feito como algo mau. Ele enviou o profeta Gade para dizer ao rei que sofrimento e morte aconteceriam entre o povo. Ao contemplar os resultados de sua má escolha como líder, fruto de um coração doente espiritual e emocionalmente, Davi reconhece: “Eu, o pastor, pequei” (1 Crônicas 21:17, NVI) . Após o seu arrependimento sincero, a praga cessa.

A experiência de Davi mostra que as decisões de um líder tem sérias consequências para a felicidade e o bem-estar dos que o seguem. Que cada líder use a sua influência para servir e proteger ao próximo e não para a exaltação própria.

Jobson Santos
UNASP
Fonte: https://www.revivalandreformation.org/?id=605
Equipe de tradução: Pr. Jobson Santos, Jeferson e Gisele Quimelli



I CRÔNICAS 21 – VÍDEO COMENTÁRIO PR. ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
6 de outubro de 2019, 0:55
Filed under: Sem categoria



I CRÔNICAS 21 – Comentário Pr Heber Toth Armí by jquimelli
6 de outubro de 2019, 0:45
Filed under: Sem categoria

Pecado é mais do que transgressão da lei. Que lei Davi transgrediu em I Crônicas 21? Não há evidências de que ele tenha desobedecido a lei moral ou cerimonial. Diz o teólogo apóstolo Paulo em Romanos 14:23 que “Tudo o que não provêm de fé é pecado”. O fato de Davi fazer a contagem de Israel, algo sem malícia, constituiu pecado por não ter sido uma influência divina, não se originou da fé, mas da própria justiça, a qual é como trapo de imundícia (Is. 64:6). Além de Joabe ter-lhe alertado, houve uma insistência própria de Davi. Ele tomou a decisão sem consultar a Deus / independente de Deus, conforme lhe pareceu bem. Assim, pecado não é só praticar o mal, é qualquer coisa que se faz sem consultar e sem depender de Deus. Quando assumimos o controle da vida por conta própria, deixamos Deus de lado, nos afastamos dEle. Então, é assim que pecado é mais que transgressão da lei: é o afastamento de Deus mesmo fazendo coisas que não ferem a moral e nem os princípios divinos. Tudo o que eu fizer sem estar conectado com Deus, através de Cristo, sob a influência do Espírito Santo, constitui pecado perante Deus. Por quê? Porque pecado é mais do que transgressão da lei, é a dependência do EU. Portanto, analise comigo: Quanto das 24 horas de ontem você dependeu de Deus? O que você precisa mudar agora para que hoje não te afastes nenhum instante dEle? A Bíblia diz para orar sem cessar (I Tes. 4:17), em todo o tempo (Ef. 6:18). Estás disposto(a)?

A ocupação de Satanás é provocar as pessoas influenciando-as ao pecado, para causar a maior desgraça na vida humana, inclusive de terceiros, como vemos em ICr 21. Satanás induz as pessoas a tomarem decisões à parte de Deus, decisões aparentemente inofensivas (vs. 1-2). Mesmo assim, Deus sempre tem alguém para alertar quanto ao erro, protestando contra atitudes individualistas e egoístas (vs. 3-6). Quando se ignora tal alerta, Deus se decepciona com a atitude independente (v. 7).

O cerne da contagem do povo de Israel por Davi valorizava o potencial militar da nação, o qual tornou-se motivo de orgulho depois de tantas vitórias registradas nos capítulos anteriores. Foi Satanás quem induziu este sentimento. O orgulho surgiu com ele no Céu vindo a tirá-lo de lá vindo aqui para a terra onde encontrou espaço através da tentação proposta a Eva. Satanás é o verdadeiro agente maligno que se aproveitou do orgulho de Davi para seu mal. O cronista aqui reinterpretou, clareou e explicou a permissão divina registrada em II Samuel 24:1, como um evento no qual Satanás arranja espaço para agir e tentar os seres humanos. Até então o conceito de Satanás não era muito claro para as pessoas, tanto é que é só em Jó 1 e 2, I Crônicas 21 e Zacarias 3 que se fala abertamente sobre ele. No Antigo Testamento ele é mais como um promotor público celestial do que um grande inimigo de Deus e dos homens. No Novo Testamento já ficou mais evidente quem ele é, pois agiu mais intensamente na vida das pessoas e contra Jesus, o Filho de Deus. Enfim, seguindo esta sequência, Mark I. Bubeck disse que “as atividades ofensivas e patentes de Satanás e dos demônios serão muito mais acentuadas à medida que se aproxima a hora final” (Ap. 12:12).

Interessante é que Deus dá oportunidade a Davi de reconhecer seu erro, e ele se arrepende; esta é uma qualidade admirável que devemos aprender. O pecador deve suplicar, implorar pelo perdão diretamente a Deus, porém Deus mostra que todo erro, por menor que seja, tem terríveis consequências a qual ele nunca deve questionar, mas reconhecer (vs. 8-13). Então Deus concede o perdão e limita as consequências da independência do pecador (vs. 15-17). É preciso olhar ao sacrifício de Cristo para que a praga do pecado cesse não só em nossa vida, mas também na vida das pessoas que estão próximas.

Temos muito que aprender deste capítulo: como seria bom se reconhecêssemos que pecado não é só não fazer as coisas erradas, mas também é depender de nós mesmos para fazer o que parece certo! Quão bom seria se, ao vermos as consequências do pecado tomássemos a atitude certa imediatamente a fim de impedir que as tragédias do pecado se alastrem na sociedade!

Devemos depender de Deus mais do que nunca para vencer! Deus quer nos dar a vitória por meio do sangue de Cristo, clame por ele (Ap. 12:11).

Eu aprendi muito com o capítulo de hoje e você? – Heber Toth Armí



1Crônicas 21 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
6 de outubro de 2019, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Então, Satanás se levantou contra Israel e incitou a Davi a levantar o censo de Israel” (v.1).

A sabedoria que Deus tem prazer em nos conceder (Tg.1:5), é dada na medida que nos dispomos a recebê-la. Cada dia enfrentamos novos desafios, novas situações, e a partir daí nossas intenções são provadas. Pediremos a Deus para nos conduzir, ou faremos tudo conforme a nossa vontade? Mesmo um homem segundo o coração de Deus não escapou de ser incitado por Satanás. Davi resolveu levantar um censo impulsionado pelo orgulho. E apesar de Joabe ter-lhe advertido sobre o mal que atingiria todo o povo, Davi usou de seu título e posição a fim de que sua palavra prevalecesse.

A sua coroa não era para que recebesse privilégios, mas para que lhe fosse um privilégio servir a Deus e ao Seu povo. Suas palavras não poderiam invalidar o assim diz o Senhor, e sim confirmá-lo. Ao perceber a sua iniquidade e que havia procedido “mui loucamente” (v.8), Davi resolveu fazer o que deveria ter feito antes: orar. A espada do Senhor que veio logo depois foi a prova inquestionável do quanto é perigoso e destrutivo não manter a vigilância no terreno do coração. Porque “enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto; quem o conhecerá?” (Jr.17:9).

Precisamos proteger as entradas da alma com as mesmas armas usadas por Cristo. Quando no deserto da tentação, Jesus venceu Satanás através da tríplice estratégia: jejum, oração e uso correto do “está escrito” (Mt.4:4). Se dizemos servir a Deus, mas não temos uma experiência relacional com Ele todos os dias, nos tornamos alvo fácil para o Maligno contra os nossos irmãos e contra a nossa própria salvação. A verdadeira sabedoria jamais é concedida para atender ao capricho humano, mas é liberalmente concedida àquele que teme ao Senhor. Pois “o temor do Senhor é o princípio da sabedoria” (Pv.9:10).

O Senhor repreendeu a Davi, e ele se revoltou? Não, amados! Deus repreendeu a Davi, e Davi O amou! Como está escrito: “Repreende o sábio, e ele te amará” (Pv.9:8). A oração intercessora de Davi pelo povo foi uma confirmação do grande amor que devotava a Deus e de como havia se arrependido de seu pecado. Seu coração ficou em pedaços ao ver os resultados de sua imprudência. Ao permitir que o orgulho o dominasse, e o número de seu exército fosse mais importante do que reconhecer que a mão do Senhor vencia as batalhas, Davi entrou no perigoso terreno do seu próprio “eu”. Portanto, “não sejas sábio aos teus próprios olhos; teme ao Senhor e aparta-te do mal” (Pv.3:7).

Deus não deseja enviar um “anjo destruidor” (v.15) em nossa vida. Ele deseja que vivamos a experiência de Ornã. Este personagem não estava fazendo nada de grandioso para receber o privilégio de ver o Anjo do Senhor. Ele estava em sua lida diária. Quando Davi deixou de cumprir os seus deveres para viver suas vaidades, deu lugar a atuação de Satanás. Mas quando os filhos de Deus se ocupam em fazer aquilo que o Senhor os designou, por mais simples que seja o serviço, seus olhos são abertos para ver o sobrenatural, e sua resposta não pode ser diferente da resposta de Ornã: “dou tudo” (v.23)!

Assim como Davi se recusou a oferecer holocausto que não lhe custasse nada, que não poderia se beneficiar da entrega e devoção de Ornã, a nossa entrega e devoção a Deus deve ser pessoal e intransferível. Não podemos depender da espiritualidade do outro, mas buscar diariamente fortalecer a nossa própria experiência particular com o Senhor. Que possamos oferecer a Deus o que Ele mesmo nos pede: “Dá-me, filho meu, o teu coração” (Pv.23:26) e edificar “ali um altar ao Senhor” (v.26) a cada dia, para que sejamos transformados pelo Espírito Santo e a nossa vida seja sempre uma oferta agradável ao Senhor. Vigiemos e oremos!

Feliz semana, tementes a Deus!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #1Crônicas21 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



I CRÔNICAS 21 – VÍDEO COMENTÁRIO PR. RONALDO DE OLIVEIRA by Maria Eduarda
6 de outubro de 2019, 0:10
Filed under: Sem categoria



I CRÔNICAS 21 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
6 de outubro de 2019, 0:05
Filed under: Sem categoria

585 palavras

Parece que o cronista o inclui [o relato do censo] a fim de esclarecer a compra do terreno no qual o templo seria construído. Bíblia de Estudo NVI Vida.

1 Satanás se levantou. A palavra original hebraica satan significa “um inimigo”ou “um adversário”e é usada neste texto sem artigo definido. Quando o artigo definido está presente, o termo se refere ao Inimigo, também chamado de Satanás (Jó 1:6-2:10; Zc 3:1, 2). embora os tradutores tenham usado “Satanás”aqui, também é possível que a palavra no versículo se refira a um adversário humano. Portanto, o texto pode estar dizendo que Davi foi ameaçado por um inimigo militar e, em vez de consultar a Deus para saber o que fazer, dependeu do poder de seu exército. Esqueceu-se de que a divina providência, não a força mortal, era responsável pelas vitórias de Israel nas batalhas. Bíblia de Estudo Andrews.

3 trazer, assim, culpa. O levantamento do censo em Israel só poderia ser feito por ordem divina explícita. Nesse caso, cada pessoa precisaria pagar ao Senhor um resgate por sua vida, a fim de que não sobreviesse praga ao povo (Êx 30″11-16). Bíblia de Estudo Andrews.

6 O cronista acrescenta que Joabe isentou Levi e Benjamim da contagem. Essa outra nota reflete a preocupação do cronista com os levitas e com o culto prestado por Israel. O tabernáculo em Gibeom e a arca em Jerusalém ficavam dentro das fronteiras de Benjamim. Bíblia de Estudo NVI Vida.

Os levitas estavam ligados ao santuário de Israel. Bíblia de Estudo Andrews.

7 Desagradou a Deus. Esta declaração não o ocorre em Samuel. Em vez disso, lê-se o seguinte: “Sentiu Davi bater-lhe o coração, depois de haver recenseado o povo” (2Sm 24:10). CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 3, p. 185.

8 Muito pequei … perdoes … procedi loucamente. Uma admirável qualidade de Davi, pois ao ser acusado, ele: 1) humilhava-se; 2) reconhecia seu pecado; 3) fazia restituição, quando possível; 4) assumia a culpa; 5) nunca se desculpava; 6) nunca atribuía a culpa a outrem; 7) orava pedindo purificação de sua iniquidade (Sl 51). Bíblia Shedd.

13 Nas mãos do SENHOR. Davi não fez uma escolha direta entre os três juízos. ele preferiu que seu caso ficasse nas mãos de Deus e não dos homens. Uma vez que os israelitas estavam cheios do mesmo espírito de orgulho que motivou os planos militares de Davi, a punição recairia sobre eles e sobre o rei (2Sm 24:1; PP, 748). CBASD, vol. 3, p. 186.

17 Não sou eu … ? Davi assumiu a responsabilidade da ordem para o censo. Ele confessou seu pecado e assumiu a culpa pela calamidade. Deus ouviu, perdoou e deteve o mal. CBASD, vol. 3, p. 186.

18 Na eira de Ornã. A eira [local onde eram debulhados os cereais] ficava no monte Moriá. Ali Abraão tinha erigido um altar para oferecer Isaque como sacrifício (Gn 22:1-14), e ali, mais tarde, foi construído o templo, por Salomão (2Cr 3:1). Ornã é chamado de Araúna, em 2 Samuel 24:16. CBASD, vol. 3, p. 186.

22 pelo seu devido valor. Esta porção da narrativa nos faz relembrar a comprar que Abraão fez do local de sepultamento para Sara (Gn 23). Davi comprou o local por seu devido valor. Como resultado, o local do templo futuro (21.28-22.1, nota) era uma possessão real devotada ao templo. Bíblia de Genebra.

26 fogo que veio do céu. Ressalta a provação divina, bem como a santidade do local. Bíblia de Estudo NVI Vida.

Esse acontecimento prenuncia a dedicação do templo por parte de Salomão, naquele mesmo local (2Cr 7.1). Bíblia de Genebra.

28 Parece que o Sl 30 – “Cântico da dedicação da casa” – surgiu dos acontecimentos deste capítulo; os vv 5 e 6 [do salmo] descrevem a situação de Davi nessa questão. Bíblia Shedd.




%d blogueiros gostam disto: