Reavivados por Sua Palavra


DEUTERONÔMIO 27 by Jobson Santos
10 de abril de 2019, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: http://biblia.com.br/novaversaointernacional/deuteronomio/dt-capitulo-27/

O livro de Deuteronômio contém as instruções e o texto a ser lido na cerimônia de renovação da aliança. Alguns estudiosos têm afirmado que Gênesis a Números é uma introdução à Bíblia, que Deuteronômio é o núcleo da Bíblia, e que o resto do Antigo Testamento é um comentário sobre Deuteronômio e que o Novo Testamento conta os resultados de Deuteronômio!

Em Deuteronômio 27 e 28, vemos as maldições que deveriam ser recitadas por 6 tribos no Monte Ebal com a resposta sendo a bênção proclamada do Monte Gerizim. Deuteronômio não fornece uma predição definida, mas dá constantemente dois caminhos possíveis para Israel seguir. Ambos são baseados em como espalhar o evangelho para o mundo inteiro.

Os hebreus não deveriam tentar apaziguar os deuses do leite e do mel como os cananeus, mas ver tanto o leite quanto o mel como bênçãos do único Deus verdadeiro. Os hebreus deviam confiar neste Deus que lhes provê leite e mel para cuidar deles em todos os aspectos da vida.

Se Israel escolhesse não ser fiel, Deus enviaria maldições para encorajá-la a mudar os seus caminhos. O exílio seria o resultado final da infidelidade de Israel. No exílio, eles deveriam compartilhar com os vizinhos a fidelidade de Deus e infidelidade deles. Se eles fossem fiéis ao fazer isso, então o exílio terminaria em um glorioso segundo êxodo liderado pelo Messias o qual viria para levá-los para casa.

Kevin Hellerud
Igreja Adventista do Sétimo Dia Bem Aventurada Esperança
Binghamton, Nova Iorque

Fonte: https://www.revivalandreformation.org/?id=426
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos, Jeferson e Gisele Quimelli



DEUTERONÔMIO 27 – VÍDEO COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
10 de abril de 2019, 0:55
Filed under: Sem categoria



DEUTERONÔMIO 27 – COMENTÁRIO PR. HEBER TOTH ARMÍ by Maria Eduarda
10 de abril de 2019, 0:45
Filed under: Sem categoria

Creio que deveríamos ter aulas sobre decisão. Precisamos aprender decidir. Toda nossa vida gira em torno de decisões, somos e vivemos o que decidimos.

Para decidir corretamente é necessário ter consciência das consequências de nossas decisões, até quando decidimos não decidir. Se soubéssemos o estrago que faríamos a nós e a quem amamos com nossas decisões, nossas atitudes seriam diferentes.

Para precaver diversas desgraças, Deus revelou as consequências de decisões erradas; quem estuda a Bíblia torna-se sábio e vive melhor.

Leia em tua Bíblia o capítulo em apreço, e descubra o preço das decisões erradas, e evite desgraças:

· Possuir imagens de esculturas para veneração e adoração resulta em maldição, portanto, nunca as cultue no lugar de Deus (v. 15);

· Desprezar aos pais resulta em desgraça, por conseguinte, honre-os para teu bem (v. 16);

· Tirar vantagens, alterar o combinado, invadir propriedades, atraem desgraças; fique longe deste comportamento (v. 17);

· Aproveitar das deficiências dos outros, fazer o cego errar o caminho, por qualquer que seja o motivo, resulta em maldição; não faça isso (v. 18);

· Perverter o direito dos frágeis da sociedade, como estrangeiros, órfãos e viúvas, é preparar a própria armadilha para o sofrimento. Cuidado! (v. 19);

· Ter relação sexual com a madrasta, ou animal, ou com a irmã, mesmo sendo meia-irmã, ou com a sogra, resulta em profanação da bênção do sexo, o que é maldição; então, nunca descambe por esse caminho (vs. 20-23);

· Ferir pessoas pelas costas, ou em lugar escondido, ou aceitar suborno para matar gente inocente, implica cavar a própria sepultura; então, decida nunca ir por esse caminho (vs. 24-25);

· Aquele que ignorar estes ensinamentos e desprezar a lei do Senhor pode esperar a desgraça tomar conta de sua vida pessoal e/ou familiar (v. 26).

Visando o bem de seu povo, Moisés apresentou o caminho do sucesso, da felicidade e da bênção:

1. Guardar/obedecer a todos os mandamentos de Deus (v. 1);

2. Criar estratégias para relembrar todos os mandamentos (vs. 2-3);

3. Louvar, adorar, ofertar e servir somente ao Senhor Deus (vs. 4-7);

4. Escrever a lei como um contrato de compromisso com Deus (vs. 8-10).

Qual tua decisão? Decida-te pelo certo para que tua vida seja uma bênção!

Deus quer que sejamos sábios e felizes! – Heber Toth Armí.



DEUTERONÔMIO 27 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
10 de abril de 2019, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Nestas pedras, escreverás, mui distintamente, as palavras todas desta lei” (v.8).


“Guarda silêncio e ouve, ó Israel!” (v.9). Talvez esta seja a principal frase de impacto deste capítulo. Ou seja, quando Deus fala, o homem se cala. Quantas maldições, tristezas e desastres poderiam ser evitados se tão somente aceitássemos nos calar e ouvir. Há grande bênção no silêncio. O profeta Elias foi levado ao deserto e passou um período inicial de solidão para melhor ouvir a voz de Deus. João Batista vivia no deserto, e era ali que fortalecia a sua comunhão com Deus para anunciar as boas-novas de salvação em Cristo. O próprio Jesus Se retirava para a solidão das montanhas a fim de orar e ser fortalecido pelo Pai.

Se a nossa rotina diária não tem nos permitido desfrutar destes momentos tão necessários de silêncio, precisamos rever as nossas prioridades. É por não ouvir que muitos estão a viver a religião como um trabalho secular que merece reconhecimento; enquanto uns poucos que passam despercebidos (geralmente porque não seguem o mesmo ritmo) são ignorados ou julgados como não-convertidos.

A salvação não está em fazer, mas em ouvir e olhar. “Se quiserdes e Me ouvirdes, comereis o melhor desta terra” (Is.1:19). “Olhai para Mim e sede salvos” (Is.45:22). Se nossos ouvidos estiverem atentos às palavras do Senhor e nossos olhos fixos em Cristo Jesus, as obras de nossas mãos serão o resultado de uma vida de intimidade com Deus, a manifestação do fruto do Espírito. Nossa vida será uma declaração de amor, e não de imposição. Nosso serviço será de cooperação e não de competição.

O terceiro discurso mosaico foi inaugurado com uma solene promulgação da lei e com o pronunciamento das maldições referentes à desobediência da mesma. O Senhor dera instruções acerca da confecção de pedras caiadas para nelas escrever a Sua lei, além da construção de um altar de pedras toscas para holocaustos e sacrifícios, onde os filhos de Israel comeriam e se alegrariam perante o Senhor. Tudo isso deveria ser um marco da eleição de Israel como “povo do Senhor” (v.9).

“Hoje, vieste a ser povo do Senhor, seu Deus” (v.9). “Portanto, [deveis obedecer] à voz do Senhor, teu Deus”, e cumprir “os mandamentos e estatutos que hoje te [ordena]” (v.10), para que nenhuma das maldições alcancem a sua vida e a sua casa. Precisamos permitir que o Espírito Santo molde o nosso coração como pedra caiada a fim de nele escrever a lei do Senhor. Mas, quando entregamos o nosso coração a Deus, ele não necessita de uma modelação anterior, do jeito que está, como uma matéria-prima bruta, nas mãos do Oleiro torna-se um altar de verdadeira adoração e alegria.

Se dermos ouvidos ao Senhor e olharmos para o Seu perfeito Exemplo, Ele mesmo nos livrará das maldições e nos cobrirá com Suas bênçãos. Vigiemos e oremos!

Bom dia, abençoados do Senhor!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Deuteronômio27 #RPSP

Comentário em áudio:
https://www.youtube.com/user/nanayuri100



DEUTERONÔMIO 27 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
10 de abril de 2019, 0:05
Filed under: Sem categoria

883 palavras

Moisés e os anciãos deram ordem ao povo. Moisés e os anciãos especificaram uma cerimônia de dedicação a ser realizada depois que os israelitas entrassem na Terra Prometida. Bíblia de Genebra.

Pela primeira vez em Deuteronômio, os anciãos se uniram a Moisés para exortar o povo. A razão disso não é mencionada (ver Dt 31:9), mas pode ter sido porque a morte de Moisés colocaria sobre eles uma responsabilidade maior como líderes. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 1, p. 1151.

desta lei. Refere-se ao pacto do Deuteronômio. Bíblia Shedd.

A palavra traduzida como lei é torah, termo geral para toda instrução sagrada e que não se limita ao decálogo apenas. Nesse caso, refere-se em específico à vontade divina conforme revelada a Moisés. Ela deveria ser escrita de forma legível e em lugar visível, como lembrete perpétuo da aliança entre Deus e Israel (ver Js 8:30-35). Os cristão têm a Bíblia, a vontade revelada de Deus, mas Israel não tinha esse privilégio. Por isso, as pedras do campo deviam proclamá-la para que todos pudessem lê-la e não se esquecer dela. CBASD, vol. 1, p. 1151.

sobre as quais não manejarás instrumento de ferro. As pedras deviam ser pedras “não cortadas” ou pedras inteiras (Js 8.31; cf Êx 20.25). Bíblia de Genebra.

sacrificarás ofertas pacíficas; ali, comerás e te alegrarás. A alma arrependida via a oferta pacífica como um banquete de alegria e felicidade. A comunhão com Deus tinha sido restaurada, e nessa festa sagrada Deus e o crente se aproximavam um do outro. União e paz prevaleciam entre Yahweh e Seu povo. CBASD, vol. 1, p. 1153.

Hoje, vieste a ser povo do SENHOR. Essa renovação da aliança parece ter sido quase tão impressionante quanto a confirmação da aliança no Sinai. Naquela ocasião, a maioria dos adultos que agora participava da cerimônia de rededicação eram crianças ou ainda não tinham nascido. CBASD, vol. 1, p. 1153.

12 – 13 Gerizim…Ebal. O monte Gerizim eo monte Ebal eram dois maciços de rocha calcárea, atingindo, respectivamente, 890 e 660 metros acima do nível do mar. entre os dois estende-se um lindo vale com cerca de 275 metros de largura. Comentário Bíblico Devocional Velho Testamento. Ed Betânia. F. B. Meyer.

A quem viaja das planícies de Moabe (34.1) é fácil avistar ao longe aquelas duas montanhas, para além do vale do Jordão, onde, ao entardecer, o sol se esconde (11:30). Ali estão a atestar a necessidade de uma escolha entre o bem e o mal (Bíblia Shedd).

Comparar com 11:29; Js 8:33-35. Uma cerimônia de aliança nas montanhas de cada lado de Siquém para proclamar as bênçãos da obediência e as maldições da desobediência enfatizariam a necessidade de satisfazer aos mandamentos da aliança de Deus. Andrews Study Bible.

Monte Gerizim. Do lado sul do vale fértil onde fica Siquém. O monte Ebal está ao norte do mesmo vale. O monte Gerizim é fertil e o Ebal, não. Alguns comentaristas consideram que essa distinção dá motivo, ao menos em parte, a que um seja o monte da “bênção” e o outro, o da “maldição”. … Há um estreito vale entre eles. Os dois montes formavam um grande anfiteatro natural, de tamanho suficiente para acomodar a grande multidão. Os oradores deviam estar ao centro, no vale; as tribos devem ter se reunido nas ladeiras dos dois montes. As seis tribos descendentes de Lia e Raquel deviam responder às bênçãos. As tribos que deviam responder às maldições pronunciadas por causa da desobediência eram os descendentes de Zilpa e Bila, juntamente com as tribos de Zebulom, filho mais novo de Lia, e a de Rúben, que perdeu a primogenitura por causa do pecado cometido contra seu pai  (Comentário Bíblico Adventista do 7º Dia, vol. 1).

14 sobre o monte Gerizim, para abençoarem. Comparar com 11:29; Jos. 8:33-35. Uma cerimônia de aliança em cada lado de Siquém para proclamar bênçãos pela obediência e maldições pela desobediência enfatizaria a necessidade de cumprir os mandamentos da aliança de Deus (Andrews Study Bible).

15-26 Esta lista de maldições poderia nos dar a ideia de que Deus tem um mau gênio e está pronto a esmagar quem pisar fora da linha. Mas precisamos ver estas restrições não como ameaças, mas como advertências amorosas a respeito de consequências da vida. Assim como advertimos as crianças para ficarem longe de fornos quentes e ruas movimentadas, Deus nos aconselha a ficarmos longe de ações perigosas. AS leis naturais de Seu universo deixam claro que más ações contra outros ou contra Deus terão trágicas consequências. Life Application Study Bible Kingsway.

Esta lista de delitos sujeitos a maldições não é exaustiva. Estes delitos podem ter sido escolhidos como exemplificações dos tipos de pecados que poderiam escapar à detecção e, assim sendo, permaneceriam secretos (cf vs. 15.24). Até mesmo pecados secretos afetariam o relacionamento pactual de Israel com Deus (cf. Js 7.10-27). Bíblia de Genebra.

Uma maldição significa que o próprio Deus os puniria, mesmo que escapassem da detecção humana. Andrews Study Bible.

15 que fizer imagem de escultura. A primeira maldição diz respeito à idolatria (5.7-9). Bíblia de Genebra.

Amém. Essa palavra hebraica, transliterada para o português e outras línguas modernas (cf Nm 5.22), significa “assim seja”. Bíblia de Genebra.

26 Citado em Gl 3.10 para comprovar que a raça humana está sujeita a uma maldição porque ninguém obedece totalmente á lei de Deus.

não confirmar as palavras (ARA; NVI: “não puser em prática”). Não basta asseverar lealdade à lei; as pessoas devem viver em conformidade com as suas estipulações. Bíblia deEstudo NVI Vida.



DEUTERONÔMIO 27 – VÍDEO COMENTÁRIO PR RONALDO DE OLIVEIRA by Maria Eduarda
10 de abril de 2019, 0:05
Filed under: Sem categoria




%d blogueiros gostam disto: