Reavivados por Sua Palavra


DEUTERONÔMIO 30 by Jobson Santos
13 de abril de 2019, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: http://biblia.com.br/novaversaointernacional/deuteronomio/dt-capitulo-30/

Moisés apresentou diante de Israel a vida e a morte, a bênção e a maldição. A escolha era deles. Mas por favor, ele implorou, escolham a vida! Escolham a Deus de todo o coração! Se você vive em harmonia com a maneira como Ele projetou o funcionamento do universo, a vida será boa! Você será feliz e próspero, capaz de ajudar a outras pessoas. Se você vive de modo egoísta e faz as coisas do seu jeito, você se afasta Dele. O resultado será devastador. Mas se você se voltar para Deus, não importa o quão longe você tenha ido, Ele irá recebê-lo de volta.

Provérbios 1 descreve aqueles que rejeitam a sabedoria por muito tempo a ponto de desenvolverem insensibilidade em seus corações. Eles se tornam incapazes de responder. Eles foram alterados pelas escolhas que fizeram. Jesus também advertiu acerca do pecado contra o Espírito Santo – trata-se de dizer “Não” a Deus por tanto tempo que a nossa capacidade de ouvir a Sua voz é destruída, o nosso “querer” é desativado.

Oh, por favor, não deixe que isso aconteça! Se você nunca se rebelar, não terá que percorrer o longo caminho de volta! Mas se você se rebelou, não adie: volte para Deus enquanto ainda consegue ouvir a voz Dele! Ele prometeu restaurar você!

Virginia Davidson
Igreja Adventista do Sétimo Dia de Spokane Valley
Washington, EUA

Fonte: https://www.revivalandreformation.org/?id=429
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos, Jeferson e Gisele Quimelli



DEUTERONÔMIO 30 – VÍDEO COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
13 de abril de 2019, 0:55
Filed under: Sem categoria



DEUTERONÔMIO 30 – COMENTÁRIO PR. HEBER TOTH ARMÍ  by Maria Eduarda
13 de abril de 2019, 0:45
Filed under: Sem categoria

Precisamos ser avivados, pois estamos muito desanimados com as coisas espirituais, e muito animados com as coisas que nos desviam do Céu.

· O pecado custa muito caro, seu fim é a morte.

Estamos indo como boiada para o matadouro, ao precipício. Deus, porém, pretendo desviar-nos deste destino, agiu miraculosamente, revelando milagrosamente o caminho da salvação, o caminho da vida. Além disso, o Salvador não mede esforços para incentivar-nos a fazer a melhor das escolhas para evitar a pior das tragédias.

Suas promessas são alento ao aflito, alcançam ao pobre e ao rico, aos doentes e saudáveis… Pela fé, todos podem beneficiar-se delas, sem custo algum. Em nossa caminhada louca nesta vida corrida, Deus tenta chamar nossa atenção ao Seu espetacular plano de vida eterna. Ignorá-lO implica preferir à morte e o sofrimento em detrimento à vida e à felicidade eterna.

Este capítulo intitulado “Chamado a tomar uma decisão: Vida e bênção ou morte e maldição” por Peter C. Craigie, é o final dos sermões de Moisés. Ele prega/escreve inspirado pelo Espírito Santo, estando à beira da morte. Lidara com o povo de Deus por duros 40 anos no deserto. Ele não mediu esforços para apelar ao coração dos ouvintes.

· Primeiramente, Moisés deixa bem claro as bênçãos existentes de voltar-se para Deus com todo coração; ele enfatiza as promessas divinas baseadas na infinita misericórdia divina (vs. 1-10)

· Em seguida, demonstra que o ideal de Deus não é um padrão inatingível, inacessível, impossível de praticar diariamente – isso nunca deveria ser desculpa para nossos pecados (vs. 11-14);

· Finalmente, o sermão apresenta dois caminhos, da vida e da morte; e, apela veementemente aos ouvintes a darem preferência ao caminho da vida (vs. 15-20).

Atualmente nosso compromisso espiritual concretiza-se no tanque batismal. A partir daí cabe a nós perseverar diariamente até o dia final, quando daremos adeus a este mundo e receberemos de Deus as boas-vindas, na Canaã Celestial.

A palavra “HOJE” aparece sete vezes no texto: Hoje é dia de decidir. Em relação à salvação, Deus nunca pediu-nos para decidir amanhã. Pois, pode ser muito tarde!

Então, valorize esta oportunidade. Não ignore-a; aceite-a!

“Senhor, aviva-nos. Dá-nos poder para termos mais paixão por praticar Tua Palavra e mais amor pelas almas por quem Cristo entregou Sua vida…” – Heber Toth Armí.



DEUTERONÔMIO 30 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
13 de abril de 2019, 0:30
Filed under: Sem categoria

“O Senhor, teu Deus, circuncidará o teu coração e o coração de tua descendência, para amares o Senhor, teu Deus, de todo o coração e de toda a tua alma, para que vivas” (v.6).


A presença de Deus no meio do Seu povo não era apenas um privilégio limitado ao santuário, mas do santuário para cada coração disposto a amá-Lo. Os sacerdotes eram mediadores entre Deus e os filhos de Israel, mas não eram os únicos detentores das Escrituras. Todas as palavras da Lei deveriam ser ensinadas e guardadas no coração, sendo transmitidas de geração em geração. Este era o plano divino para Israel a fim de permanecer no meio dele e continua sendo o propósito de Deus para cada família de Seu derradeiro povo.

A misericórdia do Senhor fora ofertada não apenas a indivíduos, mas às famílias, como está escrito: “tu e teus filhos” (v.2). O Seu desejo era reunir novamente as famílias de Israel como um só povo e nelas cumprir a aliança feita a seus pais, “Abraão, Isaque e Jacó” (v.20). E, continuamente, o chamado para que dessem ouvidos à voz de Deus é reforçado e colocado como um dos passos mais importantes na direção da bênção e da vida. Ouvir é um dos verbos mais recorrentes da Bíblia Sagrada e, em um mundo barulhento, o maior desafio do cristão.

Com base nos direitos humanos, a maioria das nações mundiais promulga suas leis na tentativa de amenizar o sofrimento, punir o transgressor e exaltar a justiça. Dentro deste contexto, percebemos que os lugares onde estas leis são respeitadas as pessoas vivem mais e melhor. Em contrapartida, onde há crime e impunidade, há injustiça e revolta. Não é diferente com relação à Lei do Senhor. Em obedecê-la está “a vida e o bem”; em trangredi-la, “a morte e o mal” (v.15). Simples assim. Porque o mandamento do Senhor “não é demasiado difícil, nem está longe de [nós]” (v.11).

Sobre isso, o apóstolo João escreveu: “Porque este é o amor de Deus: que guardemos os Seus mandamentos; ora, os Seus mandamentos não são penosos” (1Jo.5:3). Mesmo que não saibamos de cor, por exemplo, os dispositivos do Código Penal Brasileiro, todos sabemos que matar, roubar, ou cometer qualquer dos crimes ali elencados é passível da aplicação das penas ali também estabelecidas. Hoje, nós temos a Bíblia à nossa disposição, onde está contida toda a vontade de Deus para o nosso bem-estar e de nossa família. O que temos feito desse tesouro?

Não basta ser um mero conhecedor das Escrituras, mas permitir que o Senhor remova do nosso coração tudo aquilo que nos impede de ouvi-Lo e conhecê-Lo. À semelhança do antigo Israel, hoje, Deus nos propõe “a vida e a morte, a bênção e a maldição”, e o Seu Espírito nos apela fortemente: “escolhe, pois, a vida, para que vivas, tu e a tua descendência” (v.19). Eis os passos que guiarão você e sua casa para o Lar eterno: “amando o Senhor, teu Deus, dando ouvidos à Sua voz e apegando-te a Ele” (v.20).

Vigiemos e oremos!

Feliz sábado, famílias vitoriosas em Cristo Jesus!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Deuteronômio30 #RPSP

Comentário em áudio:
youtube.com/user/nanayuri100



DEUTERONÔMIO 30 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
13 de abril de 2019, 0:05
Filed under: Sem categoria

1355 palavras (1182 + citação Rm 10:5-13)

Quando, pois, todas estas coisas vierem sobre ti. As bênçãos e maldições eram condicionais. As maldições poderiam ser evitadas. Mas Moisés disse que elas se cumpririam porque os israelitas se desviariam de sua lealdade a Deus no futuro. De tafo, as bênçãos e maldições do cap. 28 soam como uma profecia sobre o aconteceria no resto do Antigo Testamento (ver especialmente o livro de Juízes). Andrews Study Bible.

se te recordares dela. Literalmente, “trazê-las de volta ao coração”. A mesma expressão ocorre em 1 Reis 8:47. Como passo preliminar para a restauração do favor de Yahweh, os israelitas teriam de meditar nas causas de seu exílio e na sua relação com Deus (ver Lv 26:40; Dt 4:29, 30). CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 1, p. 1166.

e tornares. Também devia haver abandono do pecado e retorno à adoração de Yahweh (ver Ne 1:8, 9). A sinceridade seria refletida na obediência. CBASD, vol. 1, p. 1166.

de todo o teu coração e de toda a tua alma. Moisés referiu-se de novo ao grande mandamento de Dt 6.5, apegando-se à esperança do arrependimento onde houvera apostasia e julgamento. Bíblia de Genebra.

ajuntará, de novo. O retorno do exílio babilônico começou com Zorobabel. Mas esse retorno tipificou outra restauração. Bíblia Shedd.

O mais importante não é uma libertação do cativeiro físico, mas sim libertação do cativeiro do pecado (ver Sl 4:14; Jr 3:22; 17:14; Os 14:4; Mt 13:15). CBASD, vol. 1, p. 1166.

extremidade dos céus. O profeta Neemias menciona a promessa deste versículo (Ne 1:8, 9; ver ainda Dt 4:32; Sl 19:4;Is 13:5). Yahweh não desprezaria Seu povo; nunca os havia rejeitado como indivíduos. O castigo seria a dispersão. O castigo divino sempre tem objetivo particular. Uma vez atingido o objetivo, Deus Se volta para Seu filho e oferece restauração e a ajuda necessária para alcançá-la (ver Jó 23:10; Os 6:1-3; Hb 12:11). CBASD, vol. 1, p. 1166.

e te fará bem. Ver em Jeremias 32:42, 43 como o Senhor propôs cumprir esta promessa. CBASD, vol. 1, p. 1166.

circuncidará o teu coração. Comparar com Lv 26:41; Jr 31:33. Circuncidar o coração significa avivar a percepção espiritual e tornar a consciência sensível. CBASD, vol. 1, p. 1166.

O SENHOR… porá todas estas maldições. O arrependimento genuíno reverte a maldição que segue a rebeldia. Não existe separação tão grande e tão profunda entre Deus e o pecador que não possa ser estreitada imediatamente quando o pecador se volta para o Senhor. A alegria de Deus é completa quando o pecador se arrepende, pois as bênçãos do Céu podem ser derramadas. Só o pecador persistente sofrerá a maldição do pecado. CBASD, vol. 1, p. 1166.

De novo, pois (ARA; AA: “Tu te tornarás”). Refazer o caminho trilhado, como quando se volta de uma viagem. A expressão é usada com frequência de forma figurada para retratar quem se volta para Deus em humilde arrependimento (ver Is 10:21; 19:22; Jr 4:1; 15:19; 18:11; Ez 18:23; etc.). CBASD, vol. 1, p. 1166.

O SENHOR, teu Deus, te dará abundância. Quando alguém ama a Deus e obedece á Sua vontade (ver Jo 14:15) porque tem prazer nos Seus mandamentos (ver 1Jo 5:3), os princípios divinos são entesourados em seu coração (ver Sl 40:8). Isso permite que Deus fortaleça a alma e a vida dessa pessoa e lhe acrescente bênçãos materiais (ver Dt 28:63; Jr 32:41; Mt 6:33). CBASD, vol. 1, p. 1166.

10 As bênçãos da aliança renovada serão inseparáveis da obediência do remanescente restaurado do povo aos mandamentos do Senhor (cf. p. ex., Mt 7.21), mas essa obediência não servirá de base. A obediência a Cristo, que é a vitória sobre o pecado, da qual o remanescente pela fé compartilhará, é a única base meritória de tais bênçãos. Bíblia de Genebra.

neste Livro da LeiTorah, a vontade de Deus revelada. CBASD, vol. 1, p. 1166.

11-20 O objetivo imediato dessa passagem é animar o povo lembrando-lhe que todas as coisas necessárias para uma vida santa estão ao seu alcance. Paulo se refere a ela com a mesma finalidade (Rm 10.6). O amor e a graça de Deus não estão escondidos, como mistérios ocultos poderiam estar. Para obtê-los não há necessidade de empreender uma longa e perigosa viagem como a que fizeram os magos do Oriente para chegar à manjedoura em Belém. O Verbo de Deus, que é outro nome para o Senhor, está muito perto de nós. Basta-nos levantar o coração para Ele, com simples fé, e confessá-lo como nosso Salvador e Senhor, e já temos a garantia da salvação do castigo e do domínio do pecado. Comentário Bíblico Devocional Velho Testamento, Ed. Betânia. F. B. Meyer.

12, 14 Paulo aplica essa passagem à disponibilidade da “palavra da fé” (Rm 10.6-10). Bíblia de Estudo NVI Vida.

12 Quem subirá por nós aos céus…? É possível que os v. 12 e 13 citem um provérbio. O significado é que não se exige da pessoa realizar tarefa sobre-humana, fazer jornada longa e penosa, subir aos céus a fim de entender a vontade de Deus. O Senhor revelou claramente Suas intenções para Israel, por meio de Seu profeta Moisés. Seus justos mandamentos foram escritos; o ser humano estava plenamente informado sobre eles. Comparar com o argumento do apóstolo Paulo (Rm 10:5-13*). CBASD, vol. 1, p. 1167.

14 esta palavra está mui perto de ti. Paulo argumentou que Deus conscientiza as pessoas acerca de Sua vontade (At 20:26, 27; Fl 1:8). CBASD, vol. 1, p. 1167.

15 Vê que proponho. Moisés requereu uma tomada de decisão. Existem dois caminhos: o da vida e da morte, a bênção de Deus ou o julgamento certo. Josué apresentou as mesmas alternativas (Js 24.15) e Jesus, maior do que Moisés ou Josué, conclamou os Seus discípulos a seguirem a vereda estreita que leva à vida (Mt 7.13-14). Bíblia de Genebra.

19 céus e a terra… por testemunhas. A aliança tipica na antiguidade fora do AT continha uma lista de deuses que serviam de “testemunhas” das suas estipulações. Bíblia de Estudo NVI Vida.

Na aliança bíblica, a criação de Deus [os mundos não caídos] foi chamada para testemunhar contra Seu povo. Bíblia de Genebra.

20 disto depende a tua vida. Propriamente, “esta é tua vida”, isto é, amar a Deus. Levar uma vida inspirada e dirigida pelo amor de Deus é herdar a vida eterna. As possibilidades de vida para todo ser humano se reduzem a duas: uma é amar a Deus com todas as forças. O resultado final é vida plena, que herda a imortalidade. Outra alternativa é desacatar a boa vontade de Deus, dedicando a vida às coisas desta terra. Uma vida gasta dessa forma conduz à morte eterna. Essas alternativas são uma exortação a todos.  CBASD, vol. 1, p. 1167.

A vida não é a mera extensão dos dias. Consiste em amar, obedecer e apegar-se ao Senhor, em lugar de seguir os caminhos idólatras. Bíblia Shedd.

Em 32.46, 47 é declarado que todas as palavras desta lei é a vida deles. A lei, o Senhor e a vida estão vinculados entre si. Bíblia de Estudo NVI Vida.

Deus sustém a vida que Ele criou. Andrews Study Bible.

Moisés desafiou Israel a escolher a vida, a obedecer a Deus e, portanto, continuar a experimentar Suas bênçãos. Deus não força Sua vontade a ninguém. Ele nos deixa decidir se iremos segui-Lo ou rejeitá-Lo.Esta decisão, contudo, é uma questão de vida ou morte. Deus quer que saibamos isso, porque gostaria que todos escolhêssemos a vida. Diariamente, em cada situação, devemos afirmar e reforçar este comprometimento. Life Application Study Bible.

Aqui termina o quarto discurso de Moisés. CBASD, vol. 1, p. 1167.

 

* Rm 10:5-13:

5 Moisés descreve desta forma a justiça que vem da Lei: “O homem que fizer estas coisas viverá por meio delas” .

6 Mas a justiça que vem da fé diz: Não diga em seu coração: “Quem subirá aos céus?” (isto é, para fazer Cristo descer)

7 ou “Quem descerá ao abismo?” (isto é, para fazer Cristo subir dentre os mortos).

8 Mas o que ela diz? “A palavra está perto de você; está em sua boca e em seu coração”, isto é, a palavra da fé que estamos proclamando:

9 Se você confessar com a sua boca que Jesus é Senhor e crer em seu coração que Deus o ressuscitou dentre os mortos, será salvo.

10 Pois com o coração se crê para justiça, e com a boca se confessa para salvação.

11 Como diz a Escritura: “Todo o que nele confia jamais será envergonhado”.

12 Não há diferença entre judeus e gentios, pois o mesmo Senhor é Senhor de todos e abençoa ricamente todos os que o invocam,

13 porque “todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo”.



DEUTERONÔMIO 30 – VÍDEO COMENTÁRIO PR RONALDO DE OLIVEIRA by Maria Eduarda
13 de abril de 2019, 0:05
Filed under: Sem categoria




%d blogueiros gostam disto: